Disclaimer: Full Metal Panic não me pertence, e sim a Shouji Gatou, Shiki Douji, Hiroshi Ueda e aos estúdios Gonzo e Kyoto Animation. Posto esta fic sem qualquer finalidade de lucro, e apenas por entretenimento.

N/T: Esta fic também não me pertence, ela é uma tradução da fic "Amor Más Allá del Deber", de Lacie Neko Baskerville. A autora me deu carta branca para traduzi-la.


AMOR MUITO ALÉM DO DEVER

Capítulo 1 - O dilema do soldado

Haviam se passado alguns meses desde que Sousuke, em Hong Kong, lutara contra seu pior inimigo, Gaul, que morrera por causa da fúria do jovem, após ouvir dos lábios daquele assassino que Chidori estava morta... e também havia se passado algum tempo após ele ter anunciado a que a protegeria definitivamente na escola, coisa que os superiores da Mithril não aceitaram totalmente, no entanto, pelo bom desempenho do jovem soldado, acabaram por ceder às suas generosas condições. E, por último, havia se passado algum tempo desde que a Capitã Tessa descobrira os sentimentos de Sousuke por aquela voluntariosa colegial, sua atual protegida.

Em um dia comum, em que a paz raramente reinava, Chidori procurava desesperadamente pelo seu "querido" companheiro de sala, o qual ela não encontrava em lugar nenhum, e a quem imaginava estar novamente em uma encrenca como apenas ele conseguia provocar. Em seu caminho, encontrou a sua melhor amiga, e não hesitou em detê-la e fazer-lhe algumas perguntas.

- Kyoko, me diga uma coisa, você viu Sousuke ? - perguntou a jovem de cabelos azuis, desesperada.

- Sim, acho que eu o vi na parte de cima da escola, Kana-chan - comentou, divertidamente, sua companheira, ao notar a sua expressão.

- Oh, meu Deus ! O que aquele idiota pode estar fazendo ? - exclamou ela, alarmada - Provavelmente deve estar planejando algum ataque. Mas ele vai me escutar !

- Mas, Kana-...! - ela começou, mas logo se viu falando só - Ai, ela já se foi ! - suspirou - Acho que vai voltar a acontecer mais uma confusão - ela disse por último, terminando o seu monólogo com um curto suspiro.

Passos zangados e ríspidos eram escutados pelos corredores, as escadarias e até as janelas tremiam com medo, porque uma mulher irritada procurava por um jovem encrenqueiro. Ela continuou subindo, cansada, os degraus que pareciam não acabar nunca. Respirou fundo quando finalmente viu-se na parte mais alta da escola, o terraço. Fechou a porta com força, provocando um estrondoso barulho.

- Cheguei ! - ela respirou fundo novamente - Sousuke ! Animal ! Você...

Ela calou-se ao vê-lo.

- Ah, é você, Chidori, aconteceu alguma coisa ? - perguntou normalmente o jovem soldado, totalmente sossegado, sem estar fazendo nada em particular.

- Eh... você não está fazendo nada de errado, não é mesmo ? - ela perguntou, muito intrigada, sabia que ele não costumava ser tão calmo e dissimulado.

- Bem, eu não fiz nada... - confessou ele, com seriedade - Acho que nós deveríamos ir embora... você não concorda ?

Ele passou ao seu lado sem olhar para ela, evitando um contato visual com seus olhos amendoados, e isso a desconcertou muito mais do que o normal. Ela permaneceu estática.

- Um, sim, você tem razão... - ela respondeu.

Ela o seguiu sem dizer nenhuma palavra, e estava realmente preocupada. Ele não costumava ser assim.

Toda a caminhada até à casa dela foi bastante desconfortável. Chidori tentava quebrar aquele gelo que fora criado de repente, sem que ela soubesse o motivo, no entanto, ele apenas limitava-se a murmurar um "hmm" como resposta aos seus diálogos, ou ao que ela mesma se esforçava em comentar com ele. Sentia que a mente e a alma de Sousuke já não estavam com ela, e pensou que talvez fosse sua culpa, por ser tão controladora e por batê-lo a quase todo instante, talvez, por situações banais e sem importância. Obviamente, estava muito preocupada com ele, uma vez que já haviam se passado vários dias nos quais o seu protetor já não fazia aquilo ao qual ela já se acostumara.

Cansada da frieza que o rodeava, Chidori parou bruscamente.

- Chidori ? - Sousuke virou-se ao perceber que a jovem havia parado de caminhar, ficando muito longe dele - Há algo de errado ?

- Não, não há nada - disse ela, limitando-se a olhá-lo - Acho que a partir daqui eu posso ir sozinha para casa, ela não está muito distante daqui - ela terminou de falar com um meio-sorriso, visivelmente falso.

- Ah, está bem - ele respondeu, sem problemas - Então, até logo - ele finalizou, para então continuar caminhando, e desaparecer do ângulo de visão dela.

Kaname apoiou-se contra uma parede, estressada.

- Sousuke... o que está acontecendo com você ? Idiota ! - gritou, sem ser escutada por ele.

Enquanto isso, no apartamento do sargento, o mencionado jovem encontrava-se deitado em sua cama, pensando em tudo o que estava acontecendo ultimamente, com relação à sua maior responsabilidade e preocupação: Kaname Chidori. Ultimamente, quando a via, não conseguia evitar sentir-se estranhamente irritado quando um companheiro se aproximava, ou tentava algum tipo de atrito ou contato íntimo com ela. Ao experimentar essa irritação, ele lembrou-se de quando Chidori tivera um encontro com um velho companheiro da escola, Fuwa-sempai, se não lhe falhava a memória, e começou a pensar que agora estava sentindo exatamente a mesma coisa.

- O que está acontecendo comigo ? - ele perguntou a si mesmo, confuso - É por causa da missão ? É porque eu tenho de protegê-la ? É apenas isso ?

Ele levantou-se, e, de sua janela, olhou para a Lua.

- O que diabos está acontecendo comigo ?


N/A: Continua !

Não percam o próximo capítulo !

Lacie Neko Baskerville.