Capítulo 3

Tsurugi e Minaho foram pros banheiros masculinos pra verificar possíveis saídas. Como imaginava. Todas lacradas por fora.

Minaho observava de longe que foram fechadas por fora, não há duvida disso.

Que coisa estranha, por que fecharam por fora com risco de serem visto, se estavam preparando as vigas pra nos matar? Desnecessário. Por meia hora já deu pra ver que todas as janelas foram fechadas por dentro, menos os banheiros masculinos e femininos. Por quê? Ou como? Os vigilantes teriam visto se estivesse uma pessoa suspeita circulando o estádio, não o nosso querido quinto setor entrando mais cedo.

"Droga!" com ódio puro encarando como se as janelas fossem explodir, socou o vidro. "Nada pode quebrar, esses malditos pensaram em tudo! Ainda morreremos de fome se ninguém descobrir que ainda estamos aqui."

"Não adianta Tsurugi-kun… eles trancaram por fora. Estamos presos."

O garoto de olhos de águia teve uma expressão confusa, depois arqueou a sobrancelha e olhou com interesse.

"Como você sabe?"

O ruivo riu de nostálgica. "Meu tio é faxineiro, ele já trabalhou em estádios então às vezes sou obrigado a saber que é obrigação que eles fecham os banheiros depois do serviço, (Á noite as janelas fechadas por dentro e portas por fora)os vigilantes circulam pelo estádio mais na noite e durante ou próximo dos jogos, Tsurugi-kun. As únicas janelas que ficam abertas visivelmente são dos banheiro, o resto permanecem fechadas, mas destrancadas.

"Então eles fizeram isso durante o dia?"

"Não sei, Tsurugi-kun. Poderiam ter armado as vigas há dias e terem trancado as janelas também."

"Mas menos essas."

Minaho sorriu marotamente. "Ar condicionador de dia, quem pensaria em verificar as janelas se estão trancadas?"

Num silêncio confortável, os dois chegaram à mesma conclusão. Se as janelas não foram trancadas pelos faxineiros, então foram trancados por outra pessoa. A mesma pessoa que teriam trancado quando estavam fazendo treinamento.

"Então não foi nenhum de nós."

"Mas só os jogadores e os membros do time poderiam ter acesso aos banheiros, Tsurugi-kun."

Azedo não era a palavra perfeita, mas algo amargo passou pelo rosto do garoto pálido rapidamente. Ele caiu no chão quando deslizou lentamente de costas pela parede, tristeza estampada no seu rosto quando imaginava que um de seus companheiros de time, era de fato traidor. Não conseguia imaginar quem era, mas era algum deles.

"Não fique assim Tsurugi-kun, tenho certeza que alguém poderia ter ajudado sem saber que aquelas vigas estavam soltas. Ninguém arriscaria as vidas dos seus companheiros e o dele assim."

"È, mais ajudou." Suspirou derrotado e bateu a cabeça de frustração na parede. Minaho Gritou repentinamente, assustando Tsurugi.

"Qual é o seu problema, Minaho? Essas suas exclamações toda hora são irritantes..."sussurrou perigosamente, atravessando seu olhar pelo rosto assustado do ruivo. Ele deus pés vacilantes pra trás, quando seus olhos dilataram e inconscientemente suas mãos vieram para o pescoço.

"...O que foi?" Exigiu sem conseguir conter o espanto na voz quando Minaho controlava cada vez mais a sua surpresa.

"Eu...Eu...Entendi..." ele olhou para baixo, quase escondendo sua vista de Tsurugi enquanto resmungava baixinho pra si mesmo, colocando seu braço na posição de sempre.

"O que você entendeu Minaho?" Vociferou impaciente, enquanto o ruivo fazia suas próprias indagações. Então decidiu fazer uma outra abordagem pra chamar atenção do Sherlock. "Qual foi o mistério?"

Seus olhos brilharam e olharam para o Tsurugi, não da mesma forma do que antes, desta vez com muita mais hostilidade.

"Você. Foi você que golpeou a cabeça de Tenma!"

A descoberta, o deslumbramento da verdade deslizou deliciosamente pelos lábios para fora. Enquanto o rosto de Minaho estava cheio de admiração e espanto, Tsurugi estava suando frio enquanto arfava pela boca entreaberta com os olhos subitamente arregalados. Num momento de silêncio e de choque, as luzes piscaram, os meninos não se mexeram até que o outro fizesse o próximo movimento. E foi quando os ombros tensos de Tsurugi relaxaram.

"È, foi sim. Bela dedução, as vezes sempre pensei que você daria um ótimo investigador, Minaho-san." Sua voz não era de desistente, perdedor ou excessivamente auto-confiante. Ou contrário parecia tão tranqüila e serena que não estivesse surpreso que ele seguisse os pedaços da trilha de pão como um pateta.

Em algum lugar do estádio, Hamano e Aoi procuravam ferramentas.

- ham, ham ham... - pisquei e virei discretamente. - vo-você ta chorando?

Depois dos fungos pararam, tinha que segurar meus ouvidos com fones pra não derreterem quando vieram os gemidos. Meninas...

- E - Estou preocupada com Tenma, ele anda tão estranho ultimamente...

-É eu sei.

-Tinha sido no passado, mas... Ele vem se distanciado, quando fala comigo ele é tão indiferente.

-É eu sei.

-ele não entende os meus sentimentos. Quando vi ele com a Midori, senti tanta raiva que pedi Tsurugi pra vir comigo no festival de verão.

-É eu sei.

-talvez eu tenha sido infantil. Mas estou mandando indiretas pra ele no inteiro! E quando o vejo se engraçando com a Midori, só queria que ele estivesse no mesmo lugar. Imponente.

-É eu sei.

-depois do inverno quando começou com esse papel de vitima, percebi que andava me mandando gelo por ter ido ao festival com Tsurugi ao invés dele!

-É eu sei.

-antes de ser capitão sou amiga, sendo capitão sou empregada, agora devo ser alguma coisa... Uma piranha oferecida preocupada ainda apaixonada por aquele estrume de merda que anda por ai me fazendo de estúpida porque ainda sabe que amos aqueles olhos de bebe!

-É eu sei, não chore.

E ela chorou, não sou bom com essas coisas de meninas, na maioria das hipóteses fico longe, mas ela tava confusa, triste, raiva parecia PSDB, PT, CDB, PSD sei lá o nome que dão pra isso, mas deu pena. De verdade. Então a única coisa que poderia oferecer eram palmadinhas nas costas.

"...E-e-e-ele me ode-odeia! Mudei o meu cabelo, mas nem notou. So procura estar com... Ruiva! Seja sincero, o que ela tem o que não tenho?"

"Ham. Sei lá, eh...megafone?"

"Viu! Nem você mesmo notou que usei no ultimo jogo..." antes que ela voltasse a encharcar minha camisa eu disse alguma coisa parecida com se ela não fosse tão oferecida e não ficasse tempo direto em cima dele sem deixar o cara respirar, ele pensaria que ela tem vida própria e voltará a falar com ela como qualquer ser humano. Se e uma garota lendo isso, traduza o que acabou de acontecer: antes de tudo, defendo que fui alvejado por uma maluca com saia e quando estava oferecendo a minha pena para a própria criatura. E por isso que todas as sociedades e religiões a mulher e vista como seres inferiores e submissos por temperamentos incontroláveis e maneiras de pensar que qualquer pessoa sã chamaria um psiquiatra pra tratar. E pro seu próprio bem porque não sabe o que precisam. Primeira tentativa em consolar uma gata acaba com uma tapa na cara.

Lugar:Estádio. Assunto: dor de cotovelo. Agressor: Aoi. Vitima: Hamano. Razao:(?)

Por favor, copiem e colem na sua próxima opinião e preencham a lacuna vazia. Obrigado.

Depois que todos acabaram de de olharem o estádio todo, se reuniram todos juntos pra conversar o que acharam e o que poderiam fazer. Mas nem todos estavam com o mesmo humor pra opções, um especifico estava encarando a mesa superficialmente, o que estava mesmo era em outro lugar.

Minha cabeça ta explodindo, ryiva ta me entupindo de remédio, mas não adianta disfarçar. Eles não paravam de ficar me olhando como se estivesse doente ou maluco. Ah , a cabeça dele ta quebrada! Não pensa nada que presta, já tava quebrada antes. Você é retardado, Shindou deve ta adorando todo mundo fudido como ta. Agora posso ser um capitão melhor do que você. Ate Shinsuke parou de falar com ele. Inútil. Eles estão certos, o que você fez por essa equipe? Alem de cavar sua própria cova, todos vão morrer por causa de você.

Não vai conseguir salvar ninguém... Fracassado. Por causa de você.

Alguém ta falando, mas não to nem ai... estão chamando meu nome... me deixem nesse vazio... Não presto... só queria sumir...

"Tenma? Tenma!

"O QUÊ QUE É! O quê que é, o quê que é, o quê que é, ainda ficaria gritando igual a um maluco pra me deixarem em paz!?" O – O quê eu fiz? Sabe quando você se sente uma bexiga prestes a estourar? Aconteceu. Foi muito bom. Agora todo mundo ta olhando pra mim. É! Olhem pro monstro que vocês fizeram!

"Tenma? Vo-voce ta bem?"

"Me... Me desculpem. Eu só me sinto cansado. Vou dormir." Eu não sei o que senti direito quando me escondi. Vergonha, ódio e pânico tudo misturado com tristeza.

Uma porção de arroz p/dia, metade de refri p/dia.

5% de água semanal,

5% de comida semanal,

Decorei mentalmente até adormecer a ultima coisa que havia escutado da última reunião, quando finalmente todos foram adormecer, me levantei preguiçosamente.

"Deveria estar dormindo..."

"Infelizmente não sou como você que não precisa pensar sete maneiras de morrer antes de dormir.

"... você também."risada fraca. "Por que vai dormir Shindou? Vai penar melhor amanha."

- falar é fácil, não ter montes de pessoas dependendo de vice.

- não pode continuar assim.

- você não sabe de nada, nasci numa família de líderes pra conviver com pressão, esperteza e coragem, tudo isso é um teste! Não posso envergonhar minha família.

Afastou-se, não poderia salvar aquele pobre coitado. Nem família, equipe, estão dependendo dele, ele mesmo.

.

Meus olhos vacilaram para uma menina agachada com roupas leve no canto de uma mesa, ainda doia ver o sorriso falso da akane apertando nervosa seu celular. Ela observava Shindou a cada quinze minutos com tanta preocupação que dava ate inveja. Murmurei; ninguém nunca se preocupou tanto assim comigo.