-Surpresa?Parte 2

Lia se aproximou da pedra do rei e ao longe já pôde ver algumas leoas do bando deitadas ao sol.

Sarábi havia guiado um grupo de caça para muito além do rio, onde Lia estivera presente na última caçada, então elas demorariam à voltar.

O pensamento da tal surpresa que Simba havia falado voltou à cabeça de Lia e ela pensou nisso durante toda a manhã, compartilhando o assunto apenas com Nala que também ficou curiosa sobre o que seria.

A manhã transcorreu normalmente, sem que ninguém desse pela falta de Simba com exceção de suas amigas que já estavam ficando preocupadas com seu sumiço.

Quando já estava na hora do almoço, as leoas retornaram da caçada arrastando um gnu grande e gordo em suas bocas.

Sarábi chamou pelas filhotes para que comessem e elas logo atenderam ao chamado, pois estavam famintas.

Mufasa também retornou, após patrulhar as terras do reino na busca por hienas ou qualquer outro problema, e se juntou ao banquete.

Sarábi notou que Simba não estava entre os filhotes do bando e o buscou com os olhos, quando não o avistou, ela perguntou para Mufasa.

-Onde está Simba?-

Mufasa engoliu o pedaço de caça que estava mastigando para que pudesse responder.

-Quando eu saí, ele ainda estava dormindo.

O semblante de Sarábi mudou imediatamente para preocupado.

-Quando eu acordei, ele não estava do meu lado, imaginei que estivesse com você.

Mufasa parou de comer, se dando conta da situação e também começou a se sentir preocupado, ele havia percorrido uma grande parte do reino e não havia visto Simba em qualquer lugar.

Lia olhou para os rostos preocupados dos pais de Simba e decidiu que era hora de contar o que sabia.

-Tia Sarábia!

-Sim, minha querida?

-Eu vi Simba pela manhã, ele não quis me dizer pra onde ia, disse que era surpresa e não podia contar à ninguém.

-Surpresa? Mas pra onde ele iria tão cedo sem avisar ninguém?-Sarábi questionou mais para si mesma do que para os que estavam ao seu redor.

-Eu vou procurar por ele!-Mufasa falou já se afastando.

-Eu vou com você!-Sarábi disse, mas foi impedida pelo marido quando fez menção de segui-lo.

-Não, você fica aqui com as outras leoas, caso ele volte, eu irei com Zazu.

Mufasa e se aproximou de Sarábi e lhe lambeu o rosto e disse em uma voz calmante.-Não se preocupe, ele não deve ter ido longe, vou encontrá-lo.

Em seguida correu, junto com Zazu que o seguiu em voou.

Sarábi observou Mufasa se afastar e sentiu um aperto no peito, como um mal pressentimento de algo iria acontecer.

-Oh Deus, por favor, que Simba esteja bem.

Zilba e as outras leoas foram confortá-la, dizendo para ela que tudo ficaria bem, mas o sentimento ruim em seu peito não passava, o que a fez sentir mais medo.

Lia olhou a cena e começou a sentir culpa pelo que estava acontecendo, ela não devia ter deixado que Simba saísse da pedra sozinho, devia ter insistido para que ele dissesse onde iria.

-A culpa é minha...-Ela falou antes que percebesse.

Nala olhou para ela intrigada.-Como assim é culpa sua?

Lia a encarou com tristeza.

-Eu o vi sair e não o impedi, devia ter suspeitado que algo podia estar errado, ele não quis me dizer onde ía e agora ele pode estar em perigo!

Nala ficou em silêncio, processando tudo o que Lia havia lhe dito. -Lia... - Ela deu à amiga um olhar triste, mas logo o desviou, antes de falar em voz baixa.

- não... não é sua culpa...-

Lia sabia que Nala era sua amiga e queria confortá-la, mas pôde perceber que não era realmente isso que ela pensava, o que só confirmou o sentimento de culpa em seu peito.

Ela se aproximou de Sarábi com lágrimas enchendo seus olhos.

-Tia Sarábi, me desculpe!-Ela disse antes de começar a chorar.

Zilba olhou para filha, assustada pelo choro repentino.-Lia, o que houve?!

-A culpa é minha... não devia ter deixado ele ir... eu não devia!- Lia falou entre o choro.

Sarábi se sentiu chocada ao ouvir o que Lia tinha tido, ela nunca pensaria tal coisa, sabia muito bem que Simba não precisava de ajuda pra se meter em problemas.

-Oh minha querida, não é sua culpa, por favor não chore.-Sarabi disse, abraçando a pequena que se agarrou a ela, chorando mais.-Não é sua culpa.-Sarábi repetiu.

Mas Lia não estava convencida disso.