CAPÍTULO 1

Prólogo de uma nova história! As Esferas do Dragão de Estrelas Negras!

AGE 789 - LINHA DO TEMPO OFICIAL

Nove anos haviam se passado desde o Torneio do Poder e cinco anos desde o 28º Torneio de Artes Marciais. Goku havia entrado em uma nova etapa em sua carreira como lutador, tornando-se mestre. Seu discípulo era o jovem Uub, um terráqueo com um potencial extraordinário que era a reencarnação do Majin Buu malvado, morto há quinze anos atrás.
A Terra vivia um período de paz e seu Kami-Sama, Dendê, observava da Plataforma Celeste o progresso de seu planeta todos os dias. Porém, aquele dia estava marcado para ser o início de uma nova crise quando Dendê descobriu uma sala secreta ocultada no templo através de magia. A sala era pequena e escura, mas o único local iluminado chamava a atenção, era um pedestal coberto por um pano. Dendê vai até lá e remove aquele pano, revelando sete esferas cobertas pela poeira, pegando uma delas e limpando-a com a manga de suas vestes.
- Não pode ser! - disse ele em espanto ao ver que o que tinha em mãos era uma Esfera do Dragão de Uma Estrela, mas um detalhe lhe chamou a atenção, a estrela dela era negra ao invés de vermelha.
Um novo conjunto de Esferas do Dragão acabara de ser descoberto.

Enquanto isso, um intenso combate acontecia em uma ilha ao sul. De um lado estava um rapaz negro de cabelo moicano e do outro estava um homem branco de cabelos negros e um traje de luta azul e amarelo. Estes eram Uub e Goku respectivamente. Lá em baixo, um homem magro de cabelos lisos e uniforme de guarda florestal composto por uma blusa branca e verde e braçadeira laranja assistia atentamente a luta de ambos.
Goku ataca Uub com uma combinação de golpes, os quais o jovem defendia e esquivava, até que contra-ataca com um soco de esquerda que joga o saiyajin para trás. Ele responde com um Kamehameha e Uub faz o mesmo, iniciando uma disputa de poderes.
Em desvantagem, Uub grita pressionando seu poder e com isso consegue vencer a disputa, explodindo em cheio no seu oponente, o qual aparece com vários arranhões assim que a nuvem de fumaça se dissipou.
- Muito bem Uub, agora vamos subir o nível. - disse Goku antes de transformar-se em Super Saiyajin.
Uub é tomado por um semblante de preocupação ao ver seu mestre se transformar e sem pensar o ataca com uma combinação cega de golpes, os quais Goku defendia e esquivava facilmente, revidando com uma joelhada na barriga que fez Uub retroceder.
- Não se esqueça. - advertiu Goku. - É muito importante você testar os limites de seu oponente durante a luta, principalmente quando ele eleva seu poder. Apenas sinta a emoção da luta enquanto aprende sobre seu oponente, assim você saberá como lutar contra ele.
- Certo mestre. - disse Uub, voltando à posição de combate e analisando Goku atentamente.
Mais confiante, Uub foi capaz de desviar a cabeça para o lado para evitar um soco e usar o braço direito para defender um chute de esquerda, contra-atacando em seguida. Goku e Uub começam a trocar golpes tão rápidos que pareciam flashes de luz ao olho humano comum, Uub sorria e sentia a luta, fazendo como seu mestre ensinou e desta forma conseguia trocar golpes com o Super Saiyajin Goku. Goku sorri orgulhoso e decide então subir o nível mais uma vez, transformando-se em Super Saiyajin 2 diante dos olhos dele. A expressão de Uub muda novamente, que preocupado, não conseguia mais acompanhar o ritmo de Goku e acaba tomando um forte soco na testa que foi capaz de tonteá-lo, fazê-lo perder o equilíbrio no céu e cair desfalecido do céu ao chão.
Goku volta ao normal e vai até ele.
- Uub, você está bem?
- Sim, estou. - respondeu ele enquanto era ajudado a ficar em pé.
- Você foi muito bem Uub!
- Mesmo assim, já fazem cinco anos desde que o senhor está me treinando e ainda falta muito para eu poder lhe dar uma luta decente onde o senhor use todo o seu poder contra mim.
- Não se preocupe, tenha paciência, você está no caminho certo! - disse Goku, com o otimismo de sempre. - Quando eu tinha a sua idade, eu não era capaz de fazer nem metade do que você faz. Apenas não desista e continue treinando, busque sempre ficar mais forte!
- Sim, Mestre Goku!
- Vejo que ele tem talento como você disse Son Goku.
- Sim #17, o Uub é realmente especial! - disse Goku. - E como pode ver, ele se sente inseguro em acompanhar o ritmo de oponentes que ficam mais fortes durante um combate, é algo que ainda não consegui ensinar ele a fazer sozinho. Como você é o cara mais forte que eu conheço que, assim como ele, não usa de transformações, achei que poderia ajudá-lo dando alguns conselhos.
- Entendo, apesar de eu achar que não sou o mais indicado para uma coisa assim, agradeço por ter pensando em mim. - disse #17, que então se volta para Uub. - Ouça Uub, gente como nós só pode ficar mais forte através de treinamento intenso para que nosso poder natural seja por si só enorme. Pude ver pela luta com seu mestre que você tem potencial para isso, apenas não relaxe e treine bastante, como seu mestre disse, busque sempre ficar mais forte. Desta forma, você será naturalmente poderoso e será capaz de adaptar-se sempre ao ritmo do oponente cada vez que ele se fortalecer, mantendo o controle do combate. Com isso você também saberá o que fazer estrategicamente, se acaso ele ficar mais forte do que você em algum momento.
- Ei #17, que tal mostrarmos ao Uub como é? - perguntou Goku.
- Já faz tempo desde que lutamos da última vez, antes do Torneio do Poder, acho que será interessante.
- Certo, então vamos lá, #17! - disse Goku, colocando-se em posição de combate.
#17 também se prepara e logo a luta se inicia, não demora muito para Goku seja pressionado a ir ao Super Saiyajin para manter-se em combate contra #17, que logo acompanha o novo ritmo do saiyajin. Uub assistia aquela luta, atento ao que o androide e seu mestre lhe ensinavam.
Goku então ascende ao Super Saiyajin 2 ao ver-se em desvantagem e não demora muito para que #17 nivele-se a ele outra vez.
- Aqui vou eu, #17!
- Estou pronto, Son Goku!
Goku faz "desaparecer" seu ki e uma pressão toma conta de todo o local, transformando-se em Super Saiyajin Blue enquanto que #17 eleva seu poder de igual modo. Goku e #17 trocavam golpes no corpo-a-corpo enquanto Uub assistia maravilhado aquela cena.

Neste mesmo momento, na Capital do Oeste, duas figuras conhecidas, que agora eram jovens adultos novamente pela ação do tempo, saíam do escritório executivo da Corporação Cápsula carregando cada um deles uma pilha enorme de documentos.
- Temos mesmo de levar tudo isso para a Senhora Bulma, Grande Pilaf?
- Infelizmente sim Shu... Ah, como eu odeio este trabalho.
- Isso está pesado, a Mai bem que poderia ajudar a gente.
- A Mai? A Mai agora só tem olhos para o namoradinho, o filho da patroa, portanto não é uma escrava como nós.
No escritório, Mai havia subido até a sala presidencial para fazer uma visita ao Trunks, que agora era o presidente da Corporação Cápsula, sempre ocupado e bem vestido com terno e gravata.
- Oi Trunks! - disse ela adentrando a sala.
- Mai? Que surpresa! - disse ele, retirando os óculos e deixando tudo o que estava fazendo para ir até ela.
- A Senhora Bulma pediu para que o Pilaf viesse buscar alguns documentos, então vim com eles e resolvi lhe fazer uma surpresa. - dizia ela ao dar um leve beijo nos lábios do rapaz, deixando-o corado.
- Não sabe como sua visita levantou o meu ânimo!
- Você tem trabalhado demais. - disse ela ao olhar para mesa, cheia de documentos a serem revisados.
- Eu sei, achei que ser presidente da Corporação Cápsula seria mais fácil, mas estava completamente enganado.
- Eu não gosto de te ver assim. Sabe de uma coisa? - disse ela antes de ir em direção a mesa e sentar-se na cadeira. - Me diga o que tenho que fazer e depois tire o dia de folga, deixe o resto comigo!
Surpreso, Trunks apenas olha para Mai e sorri.

Enquanto isso, em um shopping center de Cidade Satan, uma bela moça de cabelos loiros presos por chiquinhas caminhava pelos corredores segurando algumas sacolas. Seu chapéu e vestido rosa com seu rosto angelical de nariz pequeno davam a ela um ar de menina, em contrapartida que seu corpo com curvas chamava a atenção dos rapazes por onde passava. Ela se dirigiu a uma das lojas, onde se vendiam as roupas mais caras, chegando até o balcão a fim de conversar com o balconista.
- Senhorita Marron, já está de volta? Em que posso ajudá-la? - perguntou o balconista. - Veio comprar mais alguma coisa?
- Ao contrário, vim devolver o que acabo de comprar. - disse ela emburrada, colocando as sacolas sobre o balcão.
- Algum problema?
- Digamos que o meu pai me ligou e disse que "não pode pagar por isso".
- Entendo. - disse o balconista ao recolher as roupas. - Devolveremos seu dinheiro, no entanto, nós temos uma política muito rígida quanto a quem vem em nossa loja para pedir devoluções.
- Política?
- Meninas...
É então que Marron é jogada para fora por duas atendentes da loja.
- A senhorita não é mais bem vinda em nossa loja! - disse o balconista.
Atirada no chão, Marron se sentiu humilhada, todos em sua volta lhe observavam, em especial um grupo de rapazes ali ao lado que tinha o ângulo de visão perfeito para poderem ver a calcinha por baixo de seu vestido. Ela logo percebe isso e envergonhada, leva as mãos até a barra do vestido para cobri-la, levantando-se rapidamente.
- Estão olhando o que?! - gritou ela furiosa, fazendo com que os rapazes se afastassem.
Com todos olhando o que acontecia, teve vontade de chorar, tudo o que quis fazer foi sair correndo, até chegar a uma área menos movimentada do shopping. Lá se sentou em uma mureta que havia no corredor, apoiando seu braço sobre o joelho e sua cabeça sobre o pulso. Suspirou, segurou as lágrimas e disse para si mesma:
- Tudo o que eu queria era ter todo o dinheiro do mundo, só para mim, para poder comprar o que eu quisesse, viver como uma rainha e não depender de ninguém.

Na Montanha Paozu, as coisas estavam pacíficas, Videl e Pan estavam na casa do Goku. Enquanto Chi-Chi e Videl estavam na cozinha conversando, Goten e Pan estavam na sala, a menina de blusa vermelha e bandana laranja assistia um desenho animado na televisão enquanto que o rapaz de calça roxa e blusa verde com uma camiseta amarela por baixo conversava ao telefone.
- Vai mesmo me dar outra chance?... Claro, estarei aí sem falta hoje à noite!... Não, eu não vou ter dar bolo, eu juro, sei que é a última chance, mas eu prometo que não vou fazer você esperar outra vez...
- Parece que o tio Goten já tem problemas com a namorada nova... - disse Pan, interrompendo a conversa de Goten.
- Fica quieta! Crianças não devem falar destas coisas! - gritou Goten, que logo escutou reclamações do outro lado da linha. - O que? Não, não era com você que eu estava falando, é a minha sobrinha de novo, palavra...
Pan apenas ria da situação, ela gostava de se divertir às custas de seu tio de coração puro e sentia-se confiante para tal coisa. É então que neste momento ouvem-se batidas na porta.
- Pan, vai atender a porta para a sua avó!
- Está bem mamãe. - disse ela, obedecendo Videl.
Ao abrir a porta, o visitante a cumprimentou:
- Olá Pan!
- Trunks! - disse menina feliz por vê-lo. Desta vez Trunks estava mais despojado, de bermudas, blusa preta, casaco e lenço no pescoço.
- E aí Trunks, pode entrar! - disse Goten, que o cumprimenta tocando o punho dele em sinal de amizade. - Que surpresa você por aqui a essa hora, como andam as coisas?
- Eu estou com o dia de folga.
- Dia de folga? Como conseguiu?
- Vamos dar uma volta por aí, eu te explico no caminho.
- Ah, eu também quero ir! Mamãe, posso ir com eles, por favor?
- Está bem Pan, mas não se afaste deles, está bem? - falou Videl da cozinha.
- Está bem mamãe! - disse ela, saindo para fora para seguir Trunks e Goten que já haviam partido. - Ei pessoal, me esperem!

E na Sala de Gravidade da Corporação Cápsula, Vegeta treinava com a gravidade 500 vezes mais forte e desviava de ataques de ki, pois treinava com um parceiro, peculiarmente tratava-se de Piccolo. Vegeta logo encontra a abertura em seus ataques e lhe aplica uma cotovelada na barriga, no entanto, aquilo era o que Piccolo queria, segurou o braço do saiyajin e jogou para o alto, disparando uma rajada de ki pela boca. Vegeta resiste ao ataque e enfurecido transforma-se em Super Saiyajin, iniciando uma troca de golpes mútua. Estavam a sério e o poder de ambos estava fazendo toda a Corporação Cápsula tremer. É então que não muito depois o treinamento é interrompido quando a gravidade é desligada e a porta se abre, entrando uma garota de cabelos azul turquesa que usava roupas vermelhas.
- O que é isso papai? Quer derrubar a casa toda?! - gritou ela. - Por sua culpa meu guarda-roupa ficou uma bagunça!
- Desculpe Bra... - disse Vegeta, um pouco desconsertado.
Bra saiu bufando, enquanto Piccolo ficou quieto ali ao lado, começando a entender a razão da mudança de Vegeta nos últimos cinco anos. Ele havia trocado sua tradicional armadura por roupas de couro para usar casualmente e logo concluiu que era influência de sua filha, a única pessoa a quem ele não respondia.
- Isso quer dizer que chega por hoje? - perguntou Piccolo.
- Sim. - disse Vegeta, encaminhando-se para fora, Piccolo veste sua capa e turbante para então segui-lo. - Eu ainda não entendi a razão de ter vindo treinar aqui.
- O Gohan queria treinar aqui hoje, mas matou o treinamento de novo na última hora.
- Hmpf... Se esse incompetente treinasse como se deve, poderia superar até mesmo eu e o Kakarotto.
- Desde o Torneio do Poder, ele tem tentado conciliar o trabalho com os treinamentos e com isso ele ficou estagnado, o treino está servindo apenas para que ele não perca a forma como aconteceu antes.
Enquanto isso, Bulma estava no laboratório trabalhando no projeto de um novo tipo de nave espacial em seu computador.
- Senhora Bulma, trouxemos os documentos que estavam no prédio do escritório que a senhora pediu! - disse Pilaf, adentrando o laboratório junto com Shu.
- Oh, obrigada, deixe-os aí.
É então que um inesperado visitante adentra ao laboratório com pressa, derrubando Pilaf e Shu com todos os documentos.
- Ei idiota, olhe por onde anda! - gritou Pilaf.
- Desculpe.
- Dendê? O que faz aqui? - perguntou Bulma.
- Preciso falar com o Senhor Piccolo, é urgente!
Alguns minutos depois, com os ânimos mais calmos, todos se reuniram na sacada da casa, Bulma, Vegeta, Pilaf, Shu e, claro, Piccolo estavam lá para ver o que fez Dendê invadir a casa de Bulma daquela forma. O espanto tomou conta de todos quando Dendê virou um saco que carregava e deixou cair no chão sete Esferas do Dragão de Estrelas Negras.
- Mas o que significa isso?! - perguntou Bulma.
- São um conjunto de Esferas do Dragão diferente das que conhecemos.
- Onde as encontrou? - perguntou Piccolo.
- Estava em uma sala secreta no templo, ocultada por magia. Perguntei ao Senhor Popo, mas ele não sabia de nada a respeito, então creio que talvez o senhor saiba me responder como e por que estas esferas existem.
Piccolo nada responde, parecia tonto com a pergunta. Neste meio tempo, Pilaf e Shu se afastam um pouco do grupo para cochichar entre eles.
- Shu, hoje é o meu dia de sorte!
- O que quer dizer, meu amo?
- Seu estúpido! Temos um conjunto de Esferas do Dragão reunidas em nossa frente, o que significa que chega dessa vida e desse emprego! E agora que somos adultos e jovens de novo, posso pedir para dominar o mundo!
- É uma ótima ideia, Grande Pilaf!
- Mas é claro que é, tudo o que precisamos fazer é esperar o momento certo e quando eles se distraírem, nós as roubamos!
Piccolo então responde a pergunta que Dendê havia feito anteriormente.
- Sim Dendê, posso explicar. Pode-se dizer que fui eu quem criou estas Esferas do Dragão.
- Mas como? Quando? Por que as escondeu? Por que ficou tão preocupado quando vi que eu descobri estas esferas?
- Tudo aconteceu há muito tempo atrás. Kami-Sama e Piccolo Daimaoh ainda eram um só quando estas esferas foram criadas, elas eram imperfeitas e estas estrelas negras são a prova disso. Quando as testei pela primeira vez, elas emitiram uma energia negativa que destruiu completamente a floresta onde eu as havia invocado depois de cerca de um mês. Estas esferas foram mais uma das razões para que Kami-Sama e Piccolo Daimaoh se separassem. Quando isso aconteceu, estas esferas se tornaram pedra, já que seu criador havia deixado de existir. Quando Kami-Sama se tornou o Deus da Terra, ele as ocultou no Templo Sagrado e não contou a ninguém, nem mesmo ao Senhor Popo. Desde então, esta história ficou esquecida até você encontrar essa sala.
- Mas se essas esferas se tornaram pedra, por que elas voltaram a existir? - perguntou Bulma.
- Talvez elas tenham voltado ao normal quando eu me uni a Kami-Sama outra vez. Mesmo assim, estas esferas estavam seguras e indetectáveis naquela sala, você cometeu um grave erro ao tirá-las de lá, Dendê. É possível que estas esferas sejam ainda mais perigosas do que eram naquela época, já que o poder que eu possuía era insignificante se comparado com o poder que possuo hoje e como o limite de poder das esferas está ligado ao poder de seu criador, quem sabe o mal que elas podem causar atualmente!
- Me desculpe, Senhor Piccolo.
- É melhor levá-las de volta, antes que elas caiam em mãos erradas!
Dito isso, todos se voltam para as esferas, mas o desespero tomou conta quando viram que já não havia mais nenhuma delas ali.
- As esferas! Onde estão as esferas?! - gritou Dendê.
- Foi por isso que você deveria tê-las deixado onde estavam! - gritou Piccolo aos berros, estapeando a nuca de Dendê. - Precisamos encontrá-las depressa!
Dendê nunca havia visto Piccolo daquela forma, aquilo lhe assustava, parecia que aquelas esferas realmente eram um grande perigo.
- Apareça Shen Long e realize meu desejo! - ouviu-se a voz de Pilaf não muito longe dali, no pátio dos fundos.
- Droga, eu já estava adivinhando que era tudo culpa daquele verme! - disse Vegeta.
O céu escurece e do brilho das esferas surge diante de Pilaf e Shu um enorme dragão vermelho, maior e mais imponente em relação ao Shen Long das esferas convencionais. Seu corpo era comprido como o de uma serpente e envolvia todo o planeta.

Marron, que voltava para casa de táxi, sai para fora para olhar, enquanto que nas montanhas, Goten, Trunks e Pan param de voar para olhar em volta. Do mesmo modo, o treinamento de Goku e Uub na ilha do #17 foi interrompido.
Por todos os cantos da Terra podia-se ver partes do corpo deste Shen Long no meio das nuvens escuras.

- Diga-me, qual o seu desejo. - disse o dragão com uma voz imponente.
- O que pensam que estão fazendo?! - gritou Bulma ao chegar ali com Piccolo e os outros.
- Não é óbvio? Estou invocando Shen Long para fazer um pedido! - respondeu Pilaf.
- Seu idiota! - gritou Piccolo. - Você não tem noção do perigo destas esferas!
- Já chega, eu vou matar os dois. - disse Vegeta, dando um passo a frente, mas Bulma o impede, voltando a argumentar.
- Eu lhes dou emprego, comida e abrigo por todos esses anos e é assim que vocês me pagam?
- Emprego? A senhora nos trata como escravos! - gritou Pilaf, tirando um masso de dinheiro do bolso. - Trabalhamos dia e noite e não temos férias! Quando foi a última vez que a senhora aumentou nosso salário?! Hein?! O mínimo que eu desejo é que esse salário fosse o dobro do que é agora!
Pilaf levou as mãos até a boca em desespero, havia feito de novo e sabia o que aquilo significava.
- Seu desejo é uma ordem. - disse o dragão, que dobrou a quantidade de dinheiro que Pilaf tinha em mãos. - Seu desejo foi realizado, agora eu vou embora...
O dragão desaparece e as esferas se elevam até a estratosfera, espalhando-se pelo espaço.
- Essa não... - disse Piccolo ao ver que o pior havia acontecido.