ANTES DE COMEÇAR A LER: Esta fanfic é HUMOR, é APARTIDÁRIA e não indica na vida real o que os políticos farão ou deixarão de fazer. Eu pessoalmente costumo votar NULO, portanto não me vejam como X, Y ou Z. No mais, esta é apenas uma sátira política que mistura deuses gregos, fanfic e essas eleições de 2018, que segundo praticamente todas as pessoas está a ser uma das mais marcantes da história do país. Então, leia com moderação e zoe bastante, mas não leve o conteúdo da mesma a sério!

No mais, boa leitura!

OoOoOoOoOoOoO

AS ELEIÇÕES DO OLIMPO

PRÓLOGO

Tudo começou quando os titãs começaram a tretar com os "deuses tradicionais"! Daí o Titã-mor Prometeu decidiu levar o fogo, a cachaça e a roubalheira para os seres humanos, criando o PT (Partido dos Titãs). Como castigo para sua ousadia, Zeus o prendeu numa rocha e colocou um tucano para comer seu fígado, o qual se regenerava todos os dias - porque o fígado de Prometeu (e não cumpriu) já estava demasiado acostumado com a caninha para ser totalmente consumido sem se regenerar.

Tucano - Obaaaaaa, hora da merenda!

Criou-se assim um partido de oposição ao PT, o partido dos Tucanos da Merenda! Capitaneados por seus devidos Picolés de Chuchu.

No entanto, os Tucanos também começaram a roubar e as pessoas passaram a se cansar! Era só PT e Tucano, ninguém aguentava mais! Até o dia em que Hércules Gomes, filho do próprio Zeus com uma humana, quis fundar seu próprio partido político e também disputar a supremacia pelo governo.

Muitos se dividiram entre PT, Tucanos e o partido de Hércules. Vez por outra, Hércules cismava de defender o Partido dos Titãs, ao passo que seu meio-irmão, Íficles Gomes, o qual era 100% filho de humanos, um belo dia brigou feio com os titãs.

- Prometeu tá preso, seus babacas! Vocês vão perder! - acirrando ainda mais a disputa pelo poder.

Muitos outros partidos surgiram. Dentre eles, Diana Silva e Apolo, os deuses-gêmeos os quais também decidiram entrar para a política. Diana Silva era uma deusa muito democrática e defendia a natureza com unhas e dentes, mas não tinha muitos adeptos. Já Apolo, embora tenha começado com o apoio dos titãs, depois bandeou para o partido de Zeus e se tornou completamente conservador, jejuando no monte Olimpo e indo ao templo fazer libações e clamar "Glória... a Zeuxxxxx!"

E no meio de toda esta balbúrdia, surgiu um novo candidato que ninguém conhecia, embora já estivesse na política faz tempo justamente por ser irmão de Zeus: Poseidonaro, o deus dos mares linha-dura, o qual defendia soluções truculentas e firmes, querendo armar a população com tridentes para que pudessem se defender pessoalmente! Ele odiava os titãs e queria que os mesmos simplesmente morressem!

Poseidonaro - Titã bom é titã morto, TÁ OK? E se estiver no meu caminho, eu vou bater!

Muitos se opuseram ao discurso de Poseidonaro e foram contra ele, elegendo o slogan #tridentenão para que ele não entrasse no poder! Mas muitos outros o apoiavam, faziam tridentinho com a mão e o viam como a solução contra a mesmice de PT e Tucanos.

Estes foram com o tempo conhecidos como "Poseidominions".

A briga começou a ficar acirrada entre uns e outros, enquanto Prometeu (e não cumpriu) não sabia o que fazer, pois estava preso e não podia se candidatar; porém, conseguiu chamar a seu favor o deus do submundo Haddades, o qual seria o representante do PT em sua ausência.

Prometeu - Compaiêro, não esqueffe a minha caffafa e vê se ganha effe negóffio, purque eu num quero maif ficar prevo aqui não! Vai lá e arrava!

E então? O que acontecerá? Haddades vai vencer? E Poseidonaro, vai conseguir armar a população? E Apolo, conseguirá converter o máximo de pessoas possível à adoração conservadora de Zeus?

E o Tucano, vai chegar a tempo de merendar?

Isso e muito mais, no capítulo 1 dessa maluquice!