Comentário: Shaoran e Sakura enfrentaram Eriol, mas ele voltou para Hong Kong sem contar a Sakura sobre seus sentimentos. Sakura não foi ao aeroporto se despedir de Shaoran, por isso ele não entregou o ursinho de pelúcia a ela. Ela criou a Carta do Amor (isso vai ficar uma confusão!). Não existe o segundo filme.

Disclaimer: Card Captor Sakura e seus personagens não me pertencem.

'…' – pensamento.

"…" – fala.

££££££ – sonho.

AMO-TE FINALMENTE

– CAPÍTULO UM –

Reencontros e Ciúmes –

Hong Kong…

"Eles querem que você faça o que?" – Meilin grita escandalosamente quando Shaoran conta o motivo dos anciões o terem chamado para uma reunião.

"Ai, não precisa gritar Meilin! Eu não sou surdo!" – dá um longo suspiro – "Aliás, você ouviu muito bem o que foi que eu disse ainda a pouco, ou não teria gritado dessa maneira!".

"Sim, mas o que você respondeu?" – perguntou sentando-se ao lado do primo embaixo de uma cerejeira no jardim da mansão.

"Perguntei se eles podiam me dar um tempo para pensar. Eles me deram um mês, a partir de amanhã!".

"Sei, mas ainda não acredito, eles já escolheram uma noiva e tudo?" – Shaoran confirma com a cabeça desanimado – "Ah,… mas você ainda tem como recusar, não é verdade?".

"Eu até tenho como recusar, só preciso apresentar uma noiva para eles, mas eu não tenho ninguém e…" – Shaoran se cala e abaixa a cabeça e Meilin olha pensativa para o primo com um sorriso melancólico no canto do rosto, balança a cabeça.

"Você ainda não a esqueceu, não é?" – ele levanta a cabeça e a olha espantado – "Ainda não esqueceu Sakura!".

Shaoran arregala os olhos e tenta dizer algo para contestar, mas acaba desistindo e simplesmente levanta a cabeça fitando a cerejeira em Flor. Eles ficam alguns minutos em silêncio, até que ele finalmente diz alguma coisa.

"Eu fui um grande covarde e não consegui dizer a ela o que eu sentia, o que eu ainda sinto…" – aperta o tecido das pernas da calça com força – "Eu perdi a chance e, se tivesse uma possibilidade de ela retribuir o que sinto, agora já deve ser tarde demais…".

Meilin dá um tapa no rosto de Shaoran.

"Por que você fez isso?" – leva a mão ao rosto, enquanto olha para o rosto furioso da prima.

"Se havia uma possibilidade de ela retribuir o que você sente então esta possibilidade ainda existe!" – ela respira fundo e sorri – "Você não continua gostando da tonta da Sakura mesmo tendo se passado esses oito anos? Se ela sente o mesmo por você não será tarde demais!".

Shaoran mostra uma expressão neutra enquanto a prima fala e continua com essa expressão por algum tempo, pensando nas palavras da prima. Abre lentamente um sorriso e se levanta.

"Tem razão!" – sai andando em direção a mansão – "E só tem um jeito de descobrir!".

Tomoeda, duas semanas depois…

Ela se encontrava na torre da escola primária de Tomoeda.

'Mas fazendo o que aqui?' – pensou olhando em volta – 'O que vai acontecer?'.

De repente ela vê sobre a torre do relógio a imagem de Shaoran, ainda pequeno, com seu traje de batalha, empunhando a espada como ele fez quando enfrentaram o Trovão. A imagem logo desaparece e a torre do relógio também.

Sakura abre lentamente os olhos e olha no relógio. Ainda é muito cedo. A imagem de Shaoran em seu sonho lhe vem à mente.

'A primeira vez que o vi foi em um sonho!' – lembra-se enquanto seca algumas lágrimas que insistiram em rolar por sua face.

Levanta-se e começa a se arrumar para ir para a faculdade. É o último dia de aula antes das férias de verão. Sakura coloca uma saia de pregas até os joelhos, verde-água, uma blusa branca de abotoar na frente, os botões tinham o formato de estrelas, com detalhes em rosa na manga e na gola. Ela prendeu os cabelos, que agora estavam no meio das costas em um rabo de cavalo com um elástico que tinha um enfeite de lua dourado e depois fez uma trança, que prendeu com um elástico no mesmo estilo do outro, só que com um enfeite de estrela.

Depois de pronta ela abre a gaveta onde guarda o livro das cartas Sakura e pega a carta que está sobre as outras. Observa a figura da carta e dá um tímido sorriso.

**FLASHBACK**

Sakura e Tomoyo estavam lanchando com as outras meninas. Tomoyo conversava alguma coisa sobre música com Rika, Chiharu falava sobre como Yamazaki é insuportável a Naoko. Já Sakura, não estava prestando muita atenção no que ocorria. Há um mês que ela vinha se sentindo desanimada, mas não sabia dizer exatamente o porquê. Um nome a fez sair de seus devaneios e chamou sua atenção para a conversa das meninas.

"É verdade, foi realmente uma pena Li ter ido embora sem se despedir!" – Chiharu falava a Tomoyo.

"Vocês têm tido notícias dele?" – Rika perguntou.

"Não! Meilin nos ligou no dia em que ele voltou para Hong Kong, avisando que ele havia chego bem, porque pensou que ele tivesse dito que ia embora de Tomoeda!" – Tomoyo disse olhando disfarçadamente para Sakura e viu muita tristeza nos olhos da amiga. 'Ai Sakura, quando é que você vai perceber?' – pensava.

'É verdade, faz um mês que Shaoran voltou para Hong Kong!' – pensou consigo mesma – 'Mas parece que faz muito mais tempo que ele foi embora! É estranho, mas eu me sinto tão sozinha!'.

"Sakura!" – Tomoyo a chamou e apontou para as outras meninas que iam andando em direção à escola – "O sino do final do intervalo já tocou!". Ela se levanta e as duas vão para a sala, mas Sakura não presta atenção em nenhuma das aulas. Vários professores chamaram sua atenção e no final da aula Tomoyo tem que chamá-la novamente para que ela perceba que as aulas acabaram. Tomoyo acompanha Sakura até em casa e, curiosamente não lhe pergunta se tem algo errado, tenta agir normalmente e também parecia não se importar se a amiga estava ou não ouvindo o que dizia.

Assim que chegou em casa, Sakura foi em direção ao seu quarto, querendo ficar sozinha, mas parou na porta ao lembrar que Kero estaria, certamente, jogando videogame. Ela seguiu então para a biblioteca no porão. E assim que se viu sozinha lá dentro começou a chorar.

'O que está acontecendo comigo, afinal?'– se pergunta enquanto leva as duas mãos ao peito tentando fazer com que aquela sensação de aperto passasse –'Por que dói tanto não ter ele aqui?'.

Sakura deixa seu corpo cair no chão e permanece chorando, encolhida, por algum tempo. Aos poucos algo vai ficando claro em sua mente e ela vai se acalmando. Ela se levanta e enxuga o rosto.

'Então é isso?' – pensa enquanto uma lágrima se forma em seus olhos –'Eu… eu o amo!'. A lágrima escorre por toda a face da menina e vai de encontro ao chão onde, ao tocá-lo, forma a insígnia da estrela. Pequenos raios de luz começam a se concentrar em frente a Sakura adquirindo a forma de uma carta. A insígnia desaparece e a carta pára de brilhar revelando o verso de uma carta Sakura. A jovem feiticeira a segura em mãos e lentamente a vira revelando a figura de um 'Coração Alado'. Ela abraça a carta.

"Shaoran!" – diz sorrindo.

**FIM DO FLASHBACK**

Guarda novamente a carta no livro e desce para preparar o café. Como ainda estava muito cedo, ela termina de comer, deixa o café de seu pai pronto e sai para dar uma volta.

'Estou me sentindo estranhamente bem hoje!' – pensou chegando na Universidade.

Quando estava para entrar no prédio de Educação Física, sente uma presença, pára e arregala os olhos, espantada, então volta a andar em direção a sala da primeira aula, com um discreto sorriso no rosto e cantarolando a melodia de uma musica qualquer.

No aeroporto internacional de Tokyo um rapaz de cabelos castanhos rebeldes, olhos cor de chocolate e uma expressão séria acaba de solucionar alguns problemas burocráticos para entrada no país, se dirige para a saída a fim de alugar um carro e seguir em direção a Tomoeda.

As aulas já haviam acabado e Sakura estava agora treinando junto com outras garotas, que faziam parte da torcida organizada da Universidade. Tomoyo a filmava incessantemente.

"Vejo que ainda não perdeu essa mania Daidouji!" – alguém disse assustando-a e quase fazendo com que ela derrubasse a sua filmadora. Ela se virou lentamente para ver quem era.

"Li? Shaoran Li?" – olhou boquiaberta para o rapaz que a fitava envergonhado – "Mas eu não acredito nisso, o que você está fazendo aqui em Tomoeda depois de todo esse tempo?".

"Eu voltei para fazer o que não consegui há oito anos!" – disse olhando para a quadra onde avistou Sakura treinando com o bastão. Como ela estava linda. Tomoyo, como sempre, percebeu onde estavam as atenções do amigo. Shaoran se voltou para ela e concluiu – "Mas antes eu preciso fazer uma pergunta para você! Sakura…"

"Não!" – Tomoyo o interrompeu e riu da expressão de espanto que se formou em sua face – "Ela não tem, e não teve nenhum namorado durante esses oitos anos! E olha que não foram poucos os que tentaram alguma coisa com ela!".

Os olhos de Shaoran brilharam de esperança ao ouvir isso. Talvez Sakura sentisse alguma coisa por ele.

"Eu vou voltar a filmar a Sakura agora! Ela é tão encantadora!" – disse mudando de lugar, onde poderia pegar um ângulo melhor da amiga.

Shaoran balançou a cabeça e riu pensando que Tomoyo não havia mudado quase nada. Embora tenha crescido, seus cabelos negros continuam na cintura e ela ainda tem um rosto angelical, embora um pouco mais maduro, o corpo havia adquirido curvas suaves.

'Num equilíbrio perfeito entre a beleza de uma criança e a maturidade de um adulto' – pensou ele, sentando-se na arquibancada, para assistir ao treino.

Pouco a pouco, as meninas que estavam no clube das líderes de torcida iam parando o treinamento para prestar atenção naquela 'obra prima da natureza' que as estava assistindo. A treinadora percebendo que não seria possível continuar com o treino dessa forma se viu obrigada a dispensá-las alguns minutos antes da hora, mas também era o último dia de treinamento, não faria muita diferença.

Depois de dispensadas, as meninas se reuniram no centro da quadra em roda e ficaram observando-o. Sakura estava morrendo de vontade de ir falar com seu amigo de infância, que ela descobriu ser seu 'amor-secreto', mas se manteve na roda junto com as outras.

"Mas quem será?" – perguntou uma.

"Não faço idéia!" – dizia a outra.

"Quem é que vai lá para descobrir?" – perguntou outra causando grande alvoroço. Uma das meninas viu que Sakura estava calma.

"Vai lá você Kinomoto!" – Sakura a olhou espantada.

"É vai lá Sakura!" – as meninas empurraram-na para fora da roda e ficaram observando enquanto ela caminhava na direção de Shaoran. Tomoyo estava filmando tudo do outro lado da quadra.

Sakura estava bem nervosa e começou a reparar em como Li estava diferente. A última imagem que tinha dele era da época em que estavam transformando as cartas, eles eram crianças. Agora ele tinha os músculos definidos, provavelmente à custa de anos de treinamento duro, o rosto estava mais fino e com as feições mais maduras e ele estava bem mais alto, apesar de ela ter crescido muito, a diferença aumentou, agora ela batia nos ombros dele. Só os cabelos rebeldes e os olhos cor de chocolate, que a deixavam totalmente a mercê dele, continuavam os mesmos . Ela sentiu um leve arrepio ao pensar nos seus olhos. Sempre lhe pareceu que podia ver sua alma.

Quando Sakura chegou na metade do caminho ele se levantou e sorriu. Sakura relaxou um pouco e se pôs a correr. Shaoran estranhou o fato de ela aumentar cada vez mais a velocidade ao se aproximar e, numa atitude que ele não esperava, pulou em cima dele e o abraçou, da mesma forma que Meilin fazia quando eram crianças.

Shaoran sempre repudiava e afastava Meilin quando ela o abraçava e agarrava por causa de vergonha, entre outras coisas, mas ele estava sentindo muita falta de Sakura para se preocupar com isso, então a abraçou forte, enquanto pedia a Kami Sama que lhe desse forças para não acabar falhando novamente e que pudesse tê-la, de alguma forma, em seus braços para sempre.

As meninas que estavam observando a cena ficaram boquiabertas e confusas.

"Desde quando Sakura é de fazer esse tipo de coisa?" – alguém perguntou e as outras responderam de ombros, continuando a observar.

Sakura se soltou dos braços de Shaoran e lhe sorriu envergonhada, enquanto o via ficar, também, vermelho.

"Desculpe, eu esqueci que você não gosta que façam esse tipo de coisa!" – ele se recuperou e passou a encará-la de uma maneira que a deixava cada vez mais encabulada – "Mas é que eu senti muito a sua falta, não mandou mais notícias. Achei que tivesse me esquecido!".

"Não haveria como esquecer você!" – respondeu sem pensar e Sakura o olhou espantada.

"Chegou hoje?" – perguntou tentando mudar o rumo da conversa.

"Sim, como sabe?".

"Imaginei!" – Shaoran fez uma careta quando disse isso, fazendo-a rir – "Estou brincando! Senti sua presença se aproximando mais cedo!".

"Você se fortaleceu bastante!".

"Você também!" – disse voltando a caminhar para o centro da quadra com Shaoran ao seu lado – "Quanto tempo pretende ficar? Já está hospedado em algum lugar?"

"Ficarei por duas semanas!" – respondeu ficando violentamente vermelho ao ver a roda de meninas para onde estavam se dirigindo – "E ainda tenho que confirmar a reserva no hotel!".

"Hum,… se você quiser pode ficar lá em casa, o quarto do Touya está vazio!" – Sakura olhava para o chão e ele a espiou com o canto dos olhos.

"Não quero incomodar…".

"Não é incomodo nenhum!" – ela parou e o encarou – "Seria um prazer recebê-lo! Além do mais, eu fiquei na sua casa quando fui para Hong Kong!".

"Se não for mesmo incomodar… eu aceito." – voltaram a andar.

"Como vai a Meilin?" – ficou levemente corada antes de completar – "Suas irmãs e sua mãe?".

"Estão bem!" – sorriu levemente – "Mandaram-lhe lembranças! E minha mãe perguntou quando vai nos visitar novamente!".

"Bem, você sabe que meu pai não tem condições de bancar viagens assim, mas eu estou trabalhando e acho que dentro de alguns meses vou ter uma boa economia!" – sorriu levemente corada – "Prometo que vou visitá-los assim que for possível!".

Pararam de conversar quando se aproximaram do centro da quadra.

"Muito bem meninas,…" – Sakura parou entre Shaoran e suas colegas – "este é Shaoran Li, ele é de Hong Kong e estudou comigo na quarta e na quinta série" – uma espécie de 'aaahn' foi ouvido da parte das meninas – "Shaoran, estas são: Akane Kurosawa, Miho Oda, Amateratsu Miyazaki, Takane Fujiwara e acho que se lembra de Chiharu Mihara, Naoko Yanagisawa e Rika Sasaki".

"Muito prazer!" – fez reverência e olhou para as antigas colegas de classe – "Como vão, faz tempo hein!".

Rika, Naoko e Chiharu em pouco mudaram. Rika está com os cabelos mais compridos, passando um palmo do ombro. Chiharu está com o cabelo do mesmo tamanho, mas não o usa preso em duas tranças e Naoko continua com o mesmo corte de cabelo, mas não usa mais os óculos.

"Muito tempo! Você mudou bastante, nós nem te reconhecemos!".

"É verdade, Chiharu!" – Rika disse e Naoko só concordava com a cabeça.

"Ficamos muito tristes por não ter nos avisado que ia embora" – Naoko completou.

"Desculpe, mas eu não gosto de despedidas!".

"Com licença! Você faz parte do famoso clã Li de Hong Kong?" – Miho Oda, era uma garota com olhos azuis escuros, que chegavam a parecer cinzas, cabelos na altura dos ombros, castanho-escuros e lisos, que usava óculos leves de aro quadrado, perguntou deixando Shaoran desconfortável, ele detestava quando falavam sobre a família Li, as pessoas que se aproximam dele por ser um Li sempre estão interessados apenas na fortuna do clã.

"Sim!" – respondeu ele simplesmente.

"Por que você perguntou isso Oda?" – Amateratsu Miyazaki, olhos castanhos, cabelos loiros compridos e ondulados, que davam um ar angelical e doce a ela, que batia exatamente com sua personalidade, era quem falava agora.

"Bem, acontece que o clã Li é uma das famílias mais influentes e ricas da China, Miyazaki!" – Oda arrumou os óculos no rosto e continuou sorrindo para Shaoran – "Lembro-me de ter lido que o caçula da família principal do clã, o futuro líder, retornou de uma viagem de intercâmbio que havia feito ao Japão há uns oito anos, mas nunca pensei que tivesse morado em Tomoeda, achei que tivesse estudado em Tokyo ou Kyoto!".

"Nossa! Nunca imaginaria que fosse uma pessoa tão importante!" – Akane Kurosawa, era uma garota de olhos verdes, cabelos negros curtos, que estavam presos por uma fivela, na altura da orelha fazendo-a parecer calma, o que contrastava demais com sua personalidade assanhada e, às vezes, briguenta, exclama se aproximando de Shaoran.

"É surpreendente, além de tudo ainda é muito bonito! Você tem namorada Li?" – Takane Fujiwara, era nascida na França e seu pai era japonês, loira de olhos castanhos escuros, alta com as curvas do corpo bem definidas e mostradas pelo collant justo de cor azul marinha e a saia branca de prega, que era usado como uniforme de treinamento, disse enquanto praticamente se jogava sobre o rapaz, que começava a ficar vermelho e respondeu que 'não tinha namorada' com a cabeça.

Sakura sentiu uma pontada no coração, mistura confusa de raiva e amor, ao ver Takane se aproximando daquela forma de Li. Teve vontade de agarrá-la pelo cabelo e tirá-la dali, mas não poderia fazer isso, ela era apenas amiga de Shaoran, apesar de desejar ser bem mais que isso.

"Fujiwara, você e o Shiratori não estão namorando?" – Kurosawa alfinetou, fazendo Takane olhá-la de maneira fulminante.

"Isso não te interessa, Akane!" – respondeu se afastando ligeiramente de Li.

"Tem razão! O que me interessa é o fato de eu ser desimpedida e você ser comprometida!" – agarrou o braço direito de Shaoran.

"Meninas…" – Miho tentou chamar atenção das amigas completamente envergonhada.

"Meu namoro com Yoshio não anda muito bem!" – pegou o outro braço dele.

"Mas você ainda é namorada dele" – Akane puxou Li para a direita.

"Eu e ele estamos brigados e nosso namoro está basicamente acabado!" – Takane o puxou na direção oposta.

"Mas ainda não está acabado!" – Kurosawa puxou Shaoran, que estava vermelho como um pimentão e não sabia o que fazer, com mais força.

Sakura lançava olhares de fogo para ambas as garotas, enquanto se controlava ao ver as duas garotas tentando 'conquistar' o homem que ela amava. Miho olhou para Sakura por um instante e chegou a ter calafrios de tanto medo, pelo olhar dela.

"Só que eu sou muito mais bonita que você!" – quase arrancou o braço de Shaoran de tanta força que usou.

"É nada, eu é que…".

"CHEGA!" – Sakura gritou e foi até onde estavam os três, tirou as mãos de Takane e Akane de cima de Shaoran, pegou a mão dele e saiu arrastando-o até a arquibancada.

As meninas olhavam para Sakura boquiabertas, e Shaoran ainda tentava entender o que foi que aconteceu.

"O que essas duas estavam fazendo?" – disse rangendo os dentes, soltando a mão dele e sentando-se na arquibancada.

'Isso foi um ataque de ciúmes?' – se perguntou olhando para a face furiosa de Sakura, enquanto sentava-se ao lado dela.

A jovem resmungava meia dúzia de insultos e indignação que não estavam sendo compreendidos pelo chinês. Ela foi se acalmando aos poucos e ficou fitando o chão em silêncio.

"Sakura?" – disse fazendo-a abaixar ainda mais a cabeça de constrangimento.

"Desculpe! Eu não sei o que foi que aconteceu, só achei que tinha que te tirar de lá!" – disse baixinho sem deixar de fitar o chão enquanto uma voz dentro dela dizia – 'Mentirosa! Você sabe perfeitamente o que foi que aconteceu! Estava com ciúmes dele porque o ama! Diga isso a ele, vamos!'.

"Obrigado!" – ela levantou os olhos e o viu sorrindo enquanto a fitava, era tão raro vê-lo sorrindo.

'Ah, se soubesse quantas vezes sonhei com esse sorriso!' – pensou levantando a cabeça.

"Tudo bem!" – suspirou – "Eu vou tirar o uniforme de treino e depois nós vamos para casa, está bem?".

"Claro!".

Levantou-se e o deixou sentado na arquibancada observando-a se afastar com passos largos.

No meio da quadra…

"Sakura estava estranha hoje, não acham?" – comentou Takane ao ver Sakura se afastar.

"Depende do que você está falando" – disse Rika.

"Ela estava mais feliz que o costume!" – disse Miyazaki virando-se para Rika.

"Essa é a Sakura que nós conhecíamos no primário!" – Chiharu disse olhando discretamente para Shaoran.

"Para nós ela voltou ao normal hoje!" – Naoko sorriu e completou – "Recuperou a alegria que desapareceu quando Li foi embora!".

"Então esse foi o motivo da explosão repentina da Kinomoto!" – Oda riu olhando para as Takane e Akane – "Eu creio que nenhuma das duas vai ficar com o Li no final das contas".

"Por isso é que Sakura nunca se envolveu com ninguém!" – Akane sorriu vendo ao longe o vulto da amiga se afastando – "Espero que dê tudo certo entre eles!".

"Hunf!" – Fujiwara cruzou os braços e saiu da roda indo em direção do vestiário.

"Acho que depois disso o namoro da Takane com o Yoshio volta ao 'normal'!" – Kurosawa disse com sarcasmo, fazendo com que as meninas rissem e indo para o vestiário, sendo seguida por todas as outras.

Quinze minutos mais tarde…

Sakura voltava para a quadra usando suas roupas e viu um aglomerado de rapazes perto da arquibancada onde tinha deixado Li.

"De qualquer maneira, Li era o melhor jogador do time na época em que estávamos no primário!" – dizia Yamazaki batendo nas costas de Shaoran – "Sabem que certa vez ele saiu correndo sobre os quatro membros em direção ao gol, para pegar a bola e saltou como se fosse uma pantera sobre sua presa, só não conseguiu fazer o gol porque a bola de queimada o atingiu e o nocauteou".

Shaoran estava mais vermelho que um pimentão lembrando-se do dia em que ele e Kero trocaram de corpo.

'Ainda bem que Sakura atingiu o meu corpo e parou Kerberus, eu não agüentaria mais humilhação!'.

"Sinceramente Yamazaki, de todas, essa foi sua pior estória até hoje!" – disse um dos garotos.

"Mas dessa vez não é mentira, Murakami!" – disse Yamazaki indignado e apontando para Sakura – "Kinomoto também estudava com a gente, não é verdade o que eu disse?".

"O que?" – se espantou – "Desculpe Yamazaki, mas não escutei o que você disse!" – Sakura mentiu olhando para Shaoran que estava envergonhado.

"Ah, esquece!" – disse cabisbaixo – "Mas então Li, aposto que você deve ter meia dúzia de namoradas em Hong Kong!" – Sakura olhou disfarçadamente para Shaoran.

"Eu não tenho namorada Yamazaki!" – respondeu olhando para Sakura.

'Mas não pretendo permanecer assim por muito tempo!' – pensou reparando nela – 'Ela é linda de qualquer maneira!'.

"Kinomoto, será que eu posso falar com você?" – um dos rapazes falou baixou se virando para Sakura.

"Claro, pode falar, Hidemitsu!" – ela disse sem nenhuma emoção. Shaoran olhou feio para o rapaz.

"É que eu queria saber se você vai estar ocupada hoje à noite!" – ele fez menção de pegar uma das mãos dela, mas Sakura deu um passo para trás.

Sakura olha para o rapaz, Makoto Hidemitsu é alto e tem os cabelos negros com olhos que lembram o céu em um dia de primavera, é o capitão do time de futebol e um dos melhores lutadores da equipe de jiu-jitsu, há um mês que vem convidando-a para sair, ela suspira.

"Eu vou estar ocupada hoje …" – diz olhando de relance para Shaoran – "e nas duas próximas semanas também. Me desculpe!".

"Por que você não aceita sair comigo, Sakura?" – perguntou segurando um dos braços dela.

"Talvez pelo fato de eu já ter alguém em mente!" – respondeu encarando-o seriamente – "Agora solte meu braço Hidemitsu!".

"E se eu não soltar?" – ele a puxou para mais perto de si. Ela o olhava de maneira extremamente fria.

"Se você não a soltar eu vou ter que tomar alguma providência!" – Shaoran se colocou ao lado deles encarando Makoto com os olhos em fogo.

'Quem ele pensa que é para tratá-la dessa forma?' – pensava enquanto o outro a soltava.

"Por que você não fica quieto no seu canto Li?" – perguntou se colocando em postura de luta.

"Sakura é muito importante pra mim" – também se preparou para lutar – "Eu não vou permitir que alguém a machuque!".

Sakura ficou muito feliz com o que Shaoran disse, mas sabia perfeitamente quem ganharia aquela disputa e não queria que Shaoran arranjasse encrenca por bater no filho do reitor, então decidiu intervir.

"Parem os dois!" – se colocou entre eles – "Eu já disse que não irei sair com você Hidemitsu! Ainda mais depois disso que você acabou de fazer!" – Makoto a encarou tristemente e ela se voltou para o jovem chinês – "E Shaoran, agradeço por querer me proteger, mas não quero que se envolva em brigas por aqui,…" – sorriu para ele enquanto este saía da posição ofensiva em que estava – "…você chegou de viagem hoje e deve estar cansado. Acho que é melhor irmos embora!".

"Está com medo do seu amiguinho se machucar lutando comigo Kinomoto?" – riu sarcasticamente enquanto Sakura pedia a Shaoran que a acompanhasse. Uma veia de irritação se formou na testa de Li.

"Ora por favor, Makoto,…" – Sakura se voltou para ele com um sorriso debochado – "se até eu consigo te derrotar em uma luta, não quero nem imaginar o que te aconteceria se lutasse com Shaoran!".

Os outros rapazes, que se mantiveram calados até o momento, começaram a gargalhar do comentário, o que apenas deixou Makoto mais irritado. Sakura se afastava acompanhada de Shaoran como se nada tivesse acontecido.

"Ah, sim Makoto…" – Yamazaki se aproximou do rapaz que via o casal se afastando – "eu esqueci de comentar que Sakura e Shaoran eram como carne e unha na época em que estudávamos juntos!".

'Você ainda vai se arrepender disso Sakura!' – pensou o rapaz antes de se virar para a quadra onde a equipe de futebol estava se preparando para o último treinamento antes das férias.

Continua…

N/A – Bem pessoal, aqui está o primeiro capítulo de minha mais nova criação, esse deveria ser um fic simples, de capítulo único, mas meus planos mudaram conforme eu ia escrevendo, então aguardem porque, pelo menos, mais dois capítulos estão a caminho.

Um agradecimento especial a Miaka Yuuki, que me ajudou na criação de algumas situações e personagens. Valeu mesmo! Obrigada a Cherry também que sempre me apóia, comenta e manda sugestões para minhas estórias.

Também quero agradecer a você que está lendo, e pedir que deixe seus comentários ou mande um e-mail (yoruki_mizunotsuki .br)... com suas sugestões ou críticas (positivas e negativas).

Até o próximo capítulo de "Amo-te Finalmente".

Yoruki.