OS FEITICEIROS III

Por Kath Klein
Colaboração Luana

EPILOGO

Sakura encarou o enorme edifício a sua frente. Fechou os olhos por um breve momento ao sentir as fortes presenças por trás daquelas grossas paredes. Respirou fundo sentindo a garganta secar com o ar gelado de Londres.

'Vamos, querida?' Ouviu a voz de Eriol um pouco atrás de si e girou o corpo sustentando seu olhar. Acenou positivamente já andando em direção ao prédio.

Estancou ao empurrar levemente a porta giratória. Sentiu Eriol parar logo atrás de si e tocar levemente seu ombro.

'Algum problema, Sakura?'

Sakura encarou novamente os olhos preocupados de Eriol. Sorriu docemente para o amigo na tentativa falha de lhe passar confiança.

'Eu só me sinto um pouco estranha.' Alargou ainda mais o sorriso. Era verdade. Desde que recebeu o convite para participar do Círculo aquele ano, sentiu algo estranho dentro de si. Como se alguma coisa fosse acontecer, como se algo não estivesse certo. Não sabia exatamente o que era ou o que estava acontecendo. 'Eu só estou estressada.'

'Sabe que não devemos ignorar as nossas sensações, Sakura.' Disse Eriol, ajeitando os óculos em um tom sério e preocupado.

Sakura soltou o ar devagar. Droga! Não queria ter que ouvir sermões sobre a importância de se manter atenta as sensações e todo aquele blá blá blá. Ela só estava cansada, só isso.

'Eu estou bem, Eriol. Tenho muitas coisas para resolver em Tomoeda e sempre tenho que parar o que eu estou fazendo para comparecer a este Círculo. E como se não bastasse todo ano é sempre a mesma ladainha. Só estou cansada.' Abriu o sorriso mais falso que seus músculos permitiram e torceu para que Eriol deixasse aquele papo de lado. Doce ilusão.

'Não diga isso, eu e todos do Círculo…'

'Foram sucumbidos a tomar conta de mim. Eu sei. É o preço que se paga por ser um estúpido pilar sem guardião. Eu sei disso tudo.'

'Não é bem assim, nós não sabemos…'

'O que aconteceu com o Guardião. Eu sei. Eu sei disso a anos. Mas sabe o que eu acho? Ia ser um pé no saco ter alguém atrás de mim o tempo todo igual um guarda-costas! Eu estou bem! Nunca oscilei, nunca fui corrompida. No final das contas nunca precisei de um Guardião.'

'Onde há pilar, há Guardião. E de alguma forma ele está fazendo o trabalho dele. Emma Dayoh não correria o risco de deixar o pilar deste universo sem proteção.'

`Então eu acho que o trabalho dele é ficar bem longe de mim.' Sakura riu.

'Não tem graça, Sakura.'

Sakura suspirou cansada daquela conversa. Arrependeu-se de ter abrido a boca para falar que se sentia estranha. Era uma tonta mesmo! Eriol era sistemático e criterioso demais para simplesmente entender que ela não se resumia a uma merda de um pilar, ela era um ser humano e tinha emoções e sensações como todas as pessoas normais.

'Tudo bem, eu vou ficar atenta, tá bom? Agora vamos, tenho certeza que os seus amigos magos esquisitões querem ver com os próprios olhos que o Pilar não explodiu esse ano.'

'Está sendo debochada, Sakura.'

'Aprendi por anos com o melhor professor!'

'Quem?'

Sakura franziu o cenho ao analisar o que disse. Sacudiu a cabeça e riu sem graça. Precisava descansar, devia estar realmente estressada e já com sintomas de loucura.

'Sei lá quem, Eriol! As pessoas são debochadas. Vamos!'

Sakura riu e empurrou finalmente a porta giratória puxando um Eriol contrariado em seu encalço.

No amplo salão cercado de magia, Sakura voltou a reencontrar os mesmos rostos. Todos sempre não conseguindo disfarçar a preocupação em relação a ela. Harmony se aproximou cumprimentando-a de forma polida e fazendo as mesmas perguntas de sempre sobre seu desenvolvimento ou sobre alguma possível oscilação em sua aura mágica.

Sakura já havia inclusive questionado se não seria melhor ela simplesmente passar o tal poder para outra pessoa que eles considerassem mais capacitada do que ela. Eriol reagiu contra, obviamente. Mas ela sabia que outros já tinham cogitado o mesmo. Apenas não acharam ainda um método para isso.

A feiticeira tentava ser educada e paciente. Todos eram educados, não tinha porque ficar na defensiva também. Tinha certeza que eles realmente estavam preocupados não com ela mas com o poder que diziam que ela possuía.

'Que bom que não sentiu nenhuma oscilação.' Harmony falou com um sorriso gentil para a jovem.

A porta do grande salão voltou a abrir e a senhora arregalou os olhos surpresa com a entrada dos representantes do Clã Li. Yelan não estava entre eles e provavelmente por isso, havia solicitado que o novo patriarca do Clã comparecesse.

Eriol olhou para o que havia chamado a atenção da maga e franziu a testa estranhando a ausência de Yelan.

'Acho que a reunião logo começará.' Harmony falou e Eriol concordou.

O rapaz a frente do Clã caminhou em direção a Harmony para cumprimentá-la. Conhecia a maga amiga de sua mãe.

Harmony não escondeu a satisfação de vê-lo. Cumprimentou-o alegremente. 'Que bom revê-lo, Syaoran Li.'

'Digo mesmo, senhora.' Ele inclinou a cabeça levemente em cumprimento respeitoso.

Eriol olhou intrigado para o rapaz. Desviou os olhos dele para a jovem sucessora de Clow que também parecia prestar atenção no rapaz.

'Deixe-me apresentá-lo.' Harmony começou. Fez um gesto em direção a Hiiraguizawa. 'Este é Eriol Hiiraguizawa. Reencarnação do Mago Clow Reed.'

Syaoran arregalou os olhos de leve fitando o rapaz. Sorriu de lado e estendeu a ele que prontamente a apertou. 'É um prazer conhecê-lo.'

'Digo o mesmo.' Falou impressionado com a presença mágica dele.

'É interessante constatar que sou descendente do mago Clow.'

Eriol assentiu. 'Realmente. E pela aura mágica que percebo em torno de você com certeza sinto-me orgulhoso em conhecê-lo, caro descendente.' Falou com o tom de sempre.

Syaoran ajustou a postura. 'O Clã Li ultimamente tem poucos detentores de magia. Eu e minha mãe somos infelizmente os únicos que atualmente possuem.'

'Por que ela não veio desta vez?'

'Assumi o Clã agora. É um dos meus deveres.' Rebateu e virou-se para a jovem que acompanhava Eriol e que ainda o encarava deixando-o nervoso. 'Nos conhecemos?'

'Mil desculpas!' Harmony interrompeu. 'Esta é Sakura Kinomoto.' Finalmente apresentou a jovem que mostrava-se desconcertada desde a entrada do rapaz no salão.

'Ah sim… a jovem sucessora de Clow.' Ele falou inclinando a cabeça de leve e voltando a fitar Eriol que assentiu. Voltou a fitá-la e franziu a testa de leve. 'A mestra das cartas Clow, não?'

Sakura balançou a cabeça de leve. 'Cartas Sakura.' Ela corrigiu e percebeu que ele abriu um sorriso arrogante.

'Mesmo?' Perguntou ainda incrédulo que uma jovem de aparência tão frágil tivesse conseguido transformá-las com a própria insígnia. Não entendia o porquê do Circulo ter concordado em dar a aquela jovem feiticeira o poder do Pilar do Universo. Enfim, agora que tinha finalmente assumido aquele posto, começaria a questionar de forma correta aquelas questões.

'Sim.' Sakura respondeu. 'Eu tive que caçá-las e então transformá-las.'

'Ah sim…' Ele comentou. 'Eu lembro que quando elas foram liberadas alguns membros do clã cogitaram que eu fosse até uma cidadezinha do Japão.'

'Isso eu não sabia.' Eriol comentou. 'Por que não foi?'

Ele encolheu os ombros de leve. 'Minha mãe interviu. Não havia necessidade das cartas. A natureza da minha magia são os elementos da natureza e que as cartas poderiam limitar o meu desenvolvimento ou desviá-lo do correto.'

'Seria realmente muito bom se você tivesse ido a Tomoeda para me ajudar a capturá-las e transformá-las.' Sakura comentou.

Ele riu. 'Eu não a ajudaria, minha cara. Eu iria para capturá-las e levá-las para o clã. Em teoria, como o Mago Clow havia se aliado ao Clã Li, as cartas deveriam pertencer a nós.'

Eriol pigarreou sentindo o clima tenso. 'Isso é questionável.' Ele falou por fim.

Sakura franziu a testa. 'Não poderia permitir que as afastasse de mim. Elas são minhas amigas.'

'Amigas?' Li falou com desdém. 'Pelo visto você não tem ideia do que elas são realmente.' Olhou para Eriol. 'Pelo jeito não explicou a origem das cartas ou inventou uma história da carochinha que ela deve ter acreditado.'

O inglês franziu a testa observando o rapaz. 'Há informações que não são necessárias.'

'Claro. Claro.' Ele concordou por fim.

Syaoran olhou para Sakura novamente. 'Foi um prazer conhecê-la senhorita Kinomoto. A senhorita tem um grande responsabilidade, mantenha-se consciente deste tipo de informação.' Completou olhando rapidamente para Eriol que ajeitou a postura incomodado.

Sakura franziu a testa ainda observando Li. 'Tenho a impressão de que nos conhecemos…' Ela balançou a cabeça de leve. 'Acho que é só minha imaginação.'

'Provavelmente.' Ele falou falou e virou-se para Harmony. 'Senhora, vou me juntar aos outros membros para cumprimentá-los.'

'Certamente… soube do nascimento do seu primogênito.' Ela lembrou-se daquele detalhe.

Syaoran abriu um enorme sorriso. 'Sim. Nasceu a três meses.'

'E como está sua esposa Meiling?'

'Está bem. Ela gostaria de me acompanhar nesta viagem, mas é imprudente no momento. Mas após esta reunião eu parto de volta à China.'

'Parabéns.' Eriol falou de forma educada. 'Um filho é sempre uma dádiva.'

Syaoran assentiu sem esconder o orgulho por ser pai.

'Qual o nome que deu a ele?' Harmony perguntou.

'Shaolin Li. Como meu avô.' Ele respondeu sem fechar o sorriso.

Sakura arregalou os olhos de leve e sentiu uma vertigem, cambaleou de leve e Eriol a amparou segurando-a.

'Hei está tudo bem, Sakura?'

Ela colocou uma mão no rosto. 'Estou… estou bem… apenas quero que isso comece de uma vez.'

'Deve ser a diferença de fuso horário.' Harmony comentou observando a jovem.

'Bem… melhor eu ir então cumprimentar os outros membros. Acho que todos nós queremos voltar logo para nossas casas.' Syaoran comentou, despedindo-se.

Eriol ainda estava segurando Sakura que tentava se recuperar.

'Vou buscar um pouco de água para você, querida.' Harmony falou, afastando-se.

O inglês observou a jovem com cuidado. 'Você não conseguiu dormir direito. Deveria ter vindo um dia antes pelo menos.'

Sakura tentou se firmar nas pernas e se afastou do amigo. 'Eu estou bem.' Ela falou. 'Não gostaria de ficar muito tempo. Tenho uma vida em Tomoeda. Trabalho. Meu noivo Yukito. Não posso largar tudo e vir para cá passar muito tempo.' Ela rebateu injuriada.

'Entendo.' Eriol concordou, desviou os olhos da amiga e olhou em volta observando os outros magos começarem a seguirem para seus lugares. Logo mais uma reunião se iniciaria. Voltou a observar Sakura e percebeu que a aura dela ficou agitada. Não era um bom momento para isso.

'Eu estou bem, Eriol.' Sakura falou sabendo que o amigo estava pensando. 'Estou apenas cansada.'

*~*~*~*KK*~*~*~*KK*~*~*~*KK*~*~*~*KK*~*~*~*

Num canto do salão observando todos os magos três figuras aladas presentes. Ninguém conseguia percebê-los devido a natureza deles.

'Precisa ficar de olho nela, Gabriel.' O mais velho comentou.

Gabriel concordou irritado. 'Ela deu um reboot novamente em todo o universo. Uma aproximação dos dois sempre é perigosa.'

'É melhor evitar novos encontros entre eles. O equilíbrio ainda está fragilizado.'

'Eu sei. Estou ciente disso.'

O terceiro sorria de leve observando a jovem feiticeira. 'Bem…' Ele falou chamando a atenção dos outros dois. 'Acho que vou voltar para o meu antigo posto. Vejo que Gabriel conseguirá contornar a situação a partir de agora.'

Gabriel olhou para o amigo e balançou a cabeça de leve. 'Tem certeza, Azrael?'

Ele concordou. 'Sim. Diferente de você…' Ele sorriu de lado. 'Eu me dou bem com a guardiã das trevas no meu universo. Estou com saudades dela.' Olhou para o mais velho. 'Está tudo conforme foi acordado, não Miguel?'

Miguel assentiu. 'Acredito que sim.' Respondeu com o tom cansado.

Azrael soltou um suspiro. 'Foi uma existência interessante. Pena que curta demais. Eles foram bons pais dentro da limitação deles.'

Sakura levantou o rosto fitando o canto do salão e chamando a atenção dos arcanjos.

'Ela está sentindo nossa presença.' Miguel comentou. 'A sua presença, Azrael. Melhor irmos.'

'Sim.' Ele concordou. 'Vou sentir falta dela como mãe.' Disse com a voz triste. 'Sinceramente, espero que ela seja feliz.'

Gabriel colocou a mão no ombro dele. 'Estou te devendo uma.'

'Mais uma.' Ele corrigiu.

'Se precisar de algo… pode contar comigo.'

Azrael assentiu. 'Vamos.'

*~*~*~*KK*~*~*~*KK*~*~*~*KK*~*~*~*KK*~*~*~*

'Está tudo bem?' Eriol insistiu na pergunta, estendendo o copo com água fresca para Sakura.

Sakura desviou os olhos do canto do salão e balançou a cabeça de leve. Sentia o peito levemente comprimido. O coração doído.

Pegou o copo das mãos de Eriol e bebeu devagar em goles pequenos ainda observando o nada.

'Acho que é apenas saudade…' Ela murmurou.

'Do seu noivo?' Eriol perguntou sorrindo de leve.

Sakura desviou os olhos do canto para o salão e fitou o líder do clã Li que estava se acomodando junto a outros membros para iniciar a sessão. Voltou a fitar o canto do salão e viu através da claraboia as nuvens.

'A-acho que sim.' Sakura respondeu por fim ao amigo.

FIM!

Notas Finais da Autora:

Então... eu consegui finalizar a história. Não foi do jeito que a maioria dos leitores gostaria e eu sei disso. Mas depois de reler, eu vi que não dava para fazer um final feliz. não tinha como. Começei a reescrever a história com a ajuda da Bruna e a releitura acabou indo por outros caminhos que alguns também não gostaram, mas enfim... esta é a vida. Apenas a maturidade faz a gente conseguir enchergar as coisas de forma diferente. Sinto muito para os que ficaram decepcionados mas não deu para fazer final feliz aqui. Na releitura foi diferente. Estou também concluindo ela e conforme me propus desde o começo, gostaria de publicar as duas juntas e é isso que estou fazendo.

Bem... promessa é divida e aqui acho que eu paguei minha divida.

Um grande abraço a todos. Fiz bons amigos e conheci pessoas maravilhosas através desta fanfic. Ela sempre estará no meu coração assim como todos vocês.