Corações Partidos

Epílogo

Tomoeda, um ano depois…

Ela olhava aflita pela janela da sala. Via a neve cair de forma mais amena, agora, que há poucas horas atrás.

'Será que aconteceu alguma coisa?' - perguntou-se suspirando.

"Acalme-se, Sakura!" - ouviu uma voz tranqüila lhe falar. Virou-se e encontrou um belo par de olhos chocolate fitando-a com carinho. - "Eles já vão chegar…".

"Já deviam estar aqui há meia hora, Shaoran!" - disse voltando a fitar a janela.

"Minha Flor, você ouviu a reportagem na televisão…" - aproximou-se dela, abraçando-a pelas costas. - "As ruas de Tokyo estão congestionadas devido à neve, o mesmo acontece com algumas das ruas de Tomoeda…" - puxou-a, afastando-a da janela. - "Eriol e Tomoyo já estão chegando!" - afirmou dando-lhe um selinho antes de fazê-la sentar-se no sofá. - "Agora relaxe um pouco!".

"É que eu estou um pouco ansiosa…" - suspirou.

"Eu sei,… não estão acostumadas a ficar separadas por tanto tempo, não é?" - perguntou respirando profundamente. - "Vou voltar para a cozinha ajudar seu pai com o jantar,… não quero vê-la nessa janela, de novo, mocinha!" - brincou, recebendo um sorriso da jovem.

Sakura acompanhou-o até sair de vista, depois olhou para a aliança em seu anelar direito e sorriu. Já fazia um ano que ela e Shaoran haviam começado a namorar e há dois meses atrás o rapaz a pedira em casamento. A data da união ainda não estava marcada, mas ela não tinha pressa para isso. Estava feliz por ter seu amor correspondido.

Apesar de morar em Hong Kong, Shaoran fazia de um tudo para estar sempre presente em sua vida. Não passavam um único dia sem se falar, mesmo que por telefone, e na menor folga arrumavam uma maneira de se encontrarem.

Ergueu a cabeça saindo de seus devaneios ao ouvir um carro buzinar na rua. Foi até a janela e viu a prima abrindo o portão, enquanto o jovem inglês tirava um pacote do porta-malas e fechava o carro.

"Ah, chegaram!" - exclamou, seguindo até a porta.

Quando a abriu, viu a prima ajeitando a gravata de Eriol.

"Pronto!" - disse a jovem de olhos violeta, voltando-se em seguida para a porta. - "Sakura! Que saudades!" - exclamou abraçando a prima.

"Como senti sua falta, Tomoyo!" - disse emocionada. Afastaram-se e Sakura olhou para Eriol. - "Boa tarde Eriol!…" - sorriu.

"Boa tarde, Srta. Kinomoto… ou será que já posso chamá-la de Sra. Li?" - brincou, vendo a jovem ficar levemente enrubescida.

"Não comece, Eriol!" - Shaoran apareceu atrás da noiva. - "Boa tarde, Sra. Hiiragizawa!" - disse olhando para Tomoyo.

"Como vai, Li?" - perguntou a jovem.

"Bem obrigado!" - disse sorrindo.

"Entrem, que está frio aqui fora!" - Sakura disse puxando a prima pela mão. - "Então, como foi a viagem?" - perguntou.

"Foi maravilhosa!… Você precisa conhecer o Caribe, Sakura! Tem praias lindas, é perfeito!" - disse suspirando.

"Deve ter sido extraordinário!… Vocês tiraram fotos?" - estava muito feliz por rever a prima.

"Sim, muitas fotos!" - Tomoyo sorriu, olhando para a porta. - "Mostrarei mais tarde!".

"Como vai Tomoyo?" - Fujitaka perguntou.

"Muito bem, Sr. Fujitaka! E o senhor?" - viram o homem aproximar-se.

"Estou bem, obrigado!" - sorriu e virou-se para Sakura. - "Eu vou me arrumar para o jantar, chame-me se seu irmão telefonar, está bem?".

"Sim, papai!" - sorriu voltando a conversar com Tomoyo.

Eriol e Shaoran estavam conversando em frente à janela da sala.

"Vejo que manteve sua palavra, Eriol!" - Shaoran comentou, olhando a árvore que ficava no quintal.

"Minha palavra?" - o inglês perguntou estranhando. - "Do que está falando?".

"Não me diga que se esqueceu do que disse pelo telefone antes de conhecer Tomoyo!" - perguntou divertindo-se.

"Ah, sim!… Aquilo!" - Eriol sorriu. - "Confesso-lhe que nem me lembrava mais disso!" - suspirou, virando-se para a esposa, que conversava com Sakura. - "Falando naquela conversa…" - olhou novamente para o amigo. - "você tinha toda razão… beleza é herança de família!" - sorriu ao ver o espanto do amigo.

"Eu achei que não tivesse entendido o que eu disse…" - confessou.

"Eu não havia entendido o que queria dizer com aquilo, quer dizer…" - sorriu, voltando a fitar Tomoyo. - "Pelo menos até ver Tomoyo e Sakura no aeroporto aquele sábado!".

"Eu logo imaginei que você estava aprontando alguma coisa quando disse que marcou uma reunião com Tomoyo em minha casa!" - cruzou os braços encostando-se à parede ao lado da janela.

Eriol gargalhou contente.

"Se não tivesse pedido para não dizer seu nome a Tomoyo, provavelmente não teríamos combinado fazer você e Sakura se encontrar…" - comentou.

"Eu sei…" - olhou para Sakura. - "Acho que devo agradecê-lo por isso!" - comentou.

"Não é necessário, Shaoran,…" - Eriol sorriu. - "Sua aproximação com Sakura possibilitou meu relacionamento com Tomoyo!… No final sou eu quem deve agradecer…".

"Hei, vocês dois…" - Sakura chamou-os. - "Não fiquem aí isolados…".

Eles sorriram indo até o sofá e sentando-se cada um ao lado de sua amada.

"Eu e Sakura estávamos comentando qual seria a melhor data para o casamento de vocês…" - Tomoyo disse olhando para Shaoran. - "Eu acho que a primavera seria a melhor estação… poderíamos fazer próximo à data de aniversário de Sakura!" - sugeriu voltando-se para a prima.

"Eu estou tentando dizer para ela que não temos pressa, mas…" - a jovem de olhos esmeralda olhou para o noivo encostando-se ao sofá. - "Quem disse que ela me ouve?" - perguntou suspirando.

"O que você acha da idéia de fazermos a cerimônia na primavera?" - Shaoran perguntou-lhe, sorrindo.

"Bom…" - ela sorriu. - "Eu sempre esperei me casar durante a primavera, com as cerejeiras em Flor…" - suspirou sonhadoramente. - "Mas não é uma exigência... Podemos esperar, afinal, como eu disse, não temos pressa alguma...".

"Eu acho, então, que podemos planejar tudo para que nos casemos na primavera, não é?" - perguntou, fazendo Sakura arregalar ligeiramente os olhos.

"Nessa primavera?" - questionou, abrindo lentamente um sorriso quando ele confirmou balançando a cabeça. - "Sério, mesmo?" - perguntou com lágrimas nos olhos.

"Sim, mas…" - segurou o rosto dela e secou a lágrima antes que escorresse. - "Se você for chorar, vou mudar de idéia!… Sabe que não gosto de vê-la chorando, nem mesmo de felicidade, Sakura!" - sorriu.

"Isso é maravilhoso!" - disse Sakura, jogando-se nos braços dele e abraçando-o fortemente.

"Eu não gostei muito da idéia!" - ouviram alguém falar da porta. Sakura soltou o noivo e olhou espantada para quem inusitadamente aparecera.

"Touya?… O que você está fazendo aqui?" - perguntou levantando-se.

"O que é isso, Monstrenga? Não está feliz em me ver?" - perguntou debochado.

"Não é nada disso…" - disse abrindo um sorriso. - "Por que não avisou que vinha para casa?" - perguntou aproximando-se do irmão, para dar-lhe um abraço.

"Queria fazer uma surpresa!" - sorriu. Após afastarem-se olhou para as outras pessoas na sala. - "Boa Noite Li, Hiiragizawa!" - disse prestando leve mesura. - "Como foram as coisas no Caribe, Tomoyo, aproveitou bem a viagem?" - perguntou voltando-se para a prima.

"Foi maravilhoso, Touya!… A melhor lua-de-mel que alguém poderia desejar. Pode ter certeza!" - disse sorrindo.

"Que bom!…" - voltou a olhar para Sakura. - "Quer dizer que a Senhorita vai se casar na primavera?" - cruzou os braços e olhou para Shaoran, desconfiado. - "Acho que não preciso falar que, se fizer minha irmã chorar, você morre, não é, Moleque?" - comentou, vendo o chinês suspirar pesadamente.

"Não se preocupe com isso, Kinomoto!" - sorriu, olhando para a noiva. - "Eu não seria maluco a ponto de desafiar sua fúria!" - riu, vendo o japonês tentar manter-se sério enquanto todos na sala gargalhavam.

Estavam, Shaoran e Sakura, sentados em um banco no Parque do Rei Pingüim. Sakura olhava para o céu com as costas apoiadas no peito do rapaz. O chão e os brinquedos, cobertos por um manto de neve, resultante da nevasca que acometera a cidade mais cedo, deixava o ambiente com um ar agradável e sereno. Suspirou sonhadoramente ao observar as estrelas em uma rara noite de inverno onde não eram vistas nuvens. Shaoran afastou-a suavemente fazendo-a ficar de frente para ele.

"O que foi que houve?" - perguntou-lhe.

"Não foi nada…" - disse sorrindo para ele. - "Eu apenas…" - parou de falar encarando-o.

"Apenas?…" - insistiu.

"Apenas não posso acreditar que as coisas possam ainda melhorar…" - sorriu voltando a fitar o céu. - "Tudo parece tão irreal que tenho medo de que seja um sonho!…" - disse a última parte em um sussurro, mas suficientemente alto para que ele escutasse.

"Posso garantir-lhe, Minha Flor, que isso não é um sonho…" - murmurou no ouvido dela, fazendo-a arrepiar-se. - "Embora, essa sensação, de que tudo não passou de mera ilusão, atinja-me todas as manhãs quando acordo em Hong Kong e você não está lá!" - sorriu, acariciando-lhe a face.

"Isso não irá se prolongar por muito mais tempo!…" - passou a mão pela franja rebelde do homem à sua frente. - "Temos que ter paciência e esperar mais três meses, até o início da primavera…" - disse suavemente.

"Eu não sou muito paciente…" - disse encostando suavemente seus lábios sobre os dela. Ela passou os braços pelo pescoço do chinês, entreabrindo os lábios e permitindo-o aprofundar o beijo. Afastaram-se sem fôlego, e ele sorriu. - "Mas prometo que, por você, faço um esforço!".

"Está ficando tarde…" - Sakura constatou, tristemente. - "Acho melhor eu voltar para casa!".

"Ora, Sakura, você nem dormiu em casa nas duas últimas noites…" - Shaoran sussurrou de forma marota. - "Seu pai não vai se importar se não for para casa hoje também!".

"Não é com meu pai que me preocupo, Amor!" - ela disse sorrindo. - "Mas Touya não estava em casa nas últimas noites!".

"Tem razão!…" - suspirou, levantando-se em seguida. - "Seu irmão é um grande problema!" - estendeu a mão para ajudá-la a levantar-se.

"É sim!" - constatou, olhando para o céu. Viu uma 'chuva' de estrelas cadentes cruzando o espaço celeste. - "Olhe, que lindo!" - exclamou fazendo o noivo voltar sua atenção para o firmamento também.

Ambos sorriram. Shaoran aproximou-a de si, abraçando-a pelos ombros. Desviou o olhar do céu para a bela flor que estava em seus braços.

"Sabe do que me lembrei agora?" - perguntou fazendo-a desviar o olhar.

"Não. O quê?" - ergueu a sobrancelha de forma curiosa.

"Sobre a estrela cadente que vimos em Minamata à cerca de um ano atrás…" - disse deslizando suavemente os dedos entre os cabelos dela. - "Ela realizou meu desejo da melhor forma possível…".

"Realizou o meu também!" - sorriu.

"Ah, é?… E o que foi que você pediu?" - ele perguntou, fazendo-a sorrir.

"Pedi, indiretamente, que você viesse a me amar!" - disse baixinho, fazendo um sorriso surgir no rosto dele. - "E você, o que desejou?".

"Pedi para que você permanecesse em minha vida…" - ergueu o rosto dela pelo queixo. - "depois que curasse meu coração partido!" - aproximou-se, beijando-a levemente. - "Melhor eu levá-la para casa antes que mude de idéia…" - sorriu, tendo o braço da bela jovem enlaçado ao seu, colocaram-se a caminhar em direção à casa amarela.

Pararam em frente ao portão, encarando-se ternamente. Shaoran puxou-a para si, beijando-a intensamente. Separaram-se ofegantes. Ela abriu o portão da casa e o atravessou sem perder contato visual.

"Eu te amo…" - ele murmurou segurando ainda a mão dela.

"Eu também te amo…" - respondeu em meio a um sorriso.

Quando ele soltou sua mão, uma sensação de vazio apoderou-se de seu peito. Ela respirou fundo, isso era besteira, afinal, ver-se-iam no dia seguinte. Ouviu a porta atrás de si se abrir e sorriu inconformada ao ouvir o irmão pigarrear.

"Amanhã eu venho aqui te buscar para almoçarmos juntos, certo?…" - Shaoran perguntou recebendo assentimento. - "Até amanhã, então, meu anjo!".

"Até amanhã, Shaoran…" - acenou vendo-o afastar-se. Ele ainda olhou para trás, antes de dobrar a esquina. Assim que desapareceu de sua vista, virou-se para entrar em casa. Sorriu ao passar pela porta. Tentava imaginar como seria sua vida ao lado de Shaoran, mas não tinha noção do que aconteceria a seguir. Não criava fantasias de viver em um mar de rosas, mas tinha certeza de que, enquanto permanecessem juntos, tudo estaria bem, não importando as adversidades que viriam.

When You Kiss Me
Quando você me beija

This could be it, I think I'm in love
Deve ser isso, eu acho que estou apaixonada
It's love this time
É amor dessa vez
It just seems to fit, I think I'm in love
Apenas parece se ajustar, eu acho que estou apaixonada
This love is mine
Esse amor é meu

I can see you with me when I'm older
Eu posso ver você comigo quando estiver velha
All my lonely nights are finally over
Todas minhas noites solitárias finalmente se acabaram
You took the weight of the world off my
Você tirou o peso do mundo de meus
shoulders (the world just goes away)
ombros (o mundo simplesmente vai embora)

Oh, when you kiss me
Oh, quando você me beija
I know you miss me - and when you're with me
Eu sei que sente minha falta - e quando você está comigo
The world just goes away
O mundo simplesmente vai embora
The way you hold me
A forma que me abraça
The way you show me that you
A forma como me mostra que você
adore me - oh, when you kiss me
me adora - oh, quando você me beija
Oh, yeah
Oh, sim

You are the one, I think I'm in love
Você é o 'tal', eu acho que estou apaixonada
Life has begun
Vida começou

I can see the two of us together
Posso ver nós dois juntos
I know I'm gonna be with you forever
Eu sei que vou ficar com você para sempre
Love couldn't be any better
Amor não poderia ser melhor

Oh, when you kiss me
Oh, quando você me beija
I know you miss me - and when you're with me
Eu sei que sente minha falta - e quando você está comigo
The world just goes away
O mundo simplesmente vai embora
The way you hold me
A forma que me abraça
The way you show me that you
A forma como me mostra que você
adore me - oh, when you kiss me
me adora - oh, quando você me beija
Oh, yeah
Oh, sim

I can see you with me when I'm older
Eu posso ver você comigo quando estiver velha
All my lonely nights are finally over
Todas minhas noites solitárias finalmente se acabaram
You took the weight of the world off my
Você tirou o peso do mundo de meus
shoulders (the world just goes away)
ombros (o mundo simplesmente vai embora)

Oh, when you kiss me
Oh, quando você me beija
I know you miss me - and when you're with me
Eu sei que sente minha falta - e quando você está comigo
The world just goes away
O mundo simplesmente vai embora
The way you hold me
A forma que me abraça
The way you show me that you
A forma como me mostra que você
adore me - oh, when you kiss me
me adora - oh, quando você me beija
Oh, yeah
Oh, sim

And when you kiss me
E quando você me beija
I know you miss me
Eu sei que sente minha falta
Oh, the world just goes away
Oh, o mundo simplesmente vai embora
When you kiss me
Quando você me beija

***************FIM***************

N/A - Eu sempre choro quando termino um fic,… é tiro e queda… Não tenho jeito!… Aiai… Bem, pessoal, eu espero que vocês tenham gostado dessa história que, para variar, já me disseram, tem abertura para uma continuação… Não é a primeira vez que faço isso!… Mas prefiro terminar um fic dessa forma, pois, caso me dê na telha eu escrevo a continuação, ou não…

**A Música com que finalizei foi escrita e é interpretada por Shania Twain**

Agradeço imensamente: Kaw Tita, Miaka Hiiragizawa, Rô, Felipe S. Kai, MeRRy-aNNe, Suu-chan, Jenny-Ci, DarkAngel, ana paula, polly-chan, sangozinha/sango-chan, Saki Kinomoto, Andrea Meiouh, Kirisu-chan, Isinha, AnGeL nAnDa, Nina-KinomotoLi e a todos que acompanharam esta história, não só aqui no site, mas também o pessoal que me agüentou com meus momentos de chatice extrema. Já leu? Já Leu?... Tem horas que parece que não sei falar outra coisa, não é? Valeu por me agüentarem Cris, Dayse, Silverglade, Atlantte e queria mandar um abraço especial para a July também!...

Eu vou dar um tempo agora. Tenho outros fics em desenvolvimento, mas vou começar a postá-los apenas quando os tiver terminado, ou quase, e isso vai levar um tempo!... Não vou desaparecer completamente, no entanto, continuarei incomodando os autores. E é bem provável que logo, logo eu e a Miaka estejamos com uma nova parceria!… Nada garantido, gente… principalmente com o vestibular se aproximando, vou ter que dar uma descansada!… Mas vamos torcer para que dê tudo certo!…

Milhões de beijos para todos!…

Yoruki.