Oi, Povs! Esta é a primeira fic que publico aqui no e devo admitir que estou um pouco nervosa! De qualquer forma, eu espero que vocês gostem e peço que desculpem meus errinhos de português e que perdoem meus errões! ^_^-

%Só para informar: Os parsonagens de CCS não pertencem a mim e sim ao CLAMP. Apenas o enredo é original. eu ia colocar disclaimer, mas como todo mundo bota, eu quis ser diferente! Damm...%

"Sakura já não é mais uma criança. Já tem quase 23, mora só em um prédio respeitável de Tóquio, tinha um bom emprego... e quando eu digo tinha, é por que tinha mesmo... Enfim... é uma pessoa independente, segura de si e de sua posição. Só há um pequeno problema com ela: apesar de toda a alegria e certa ingenuidade, não há pessoa mais orgulhosa. Chamam-na de teimosa, criança e até de cabeça dura e nada disso é mentira. Mas Sakura Kinomoto é, definitivamente... única!"

- Eu não acredito que você fez isso, Sakura! – Gritou uma mulher, que se levantara do sofá e agora andava pela sala aconchegante – Como pôde fazer uma coisa dessas?

- Larga de drama, Tomoyo! – Sakura, que ainda estava no sofá, retrucou com certa frieza – Afinal, não foi nada demais!

- Nada demais?! – repetiu Tomoyo, com a voz carregada – Você acha que perder o emprego não é nada demais?!

- Não. E, além disso, eu me demiti! Já lhe disse isso um milhão de vezes!

- O que faz tudo ficar pior! Como pôde desistir de um emprego tão bom? Você tinha uma carreira brilhante pela frente!

- Você não entenderia meus motivos, Tomoyo. – ela respondeu com uma calma gelada – Eu pensei bem sobre a minha vida e descobri que não era bem isso o que eu queria realmente...

- Sakura, às vezes você fala como se estivesse na velhice. – a amiga, um pouco mais calma, sentou-se no sofá e olhou direto para ela – Você ainda é jovem... eu acho que você foi muito precipitada. Afinal, acho que apenas dois meses no emprego não eram suficientes para saber que aquilo não era o que você queria... Além disso, era o seu sonho trabalhar em uma grande casa de moda... você deixou sua faculdade por isso!

- Do que eu me arrependo amargamente de ter feito e obrigada por me lembrar. – Sakura dirigiu-lhe um falso sorriso – Mas a questão agora é recomeçar.

Ela levantou do sofá e pegou um jornal que havia comprado naquela manhã.

- Há muitas ofertas de emprego para pessoas jovens nessa cidade. Desempregada eu não ficarei.

- É verdade, Sakura. Mas, se você reparar bem, notará que a maioria desses empregos exige terceiro grau... completo.

Sakura não respondeu. A verdade é que já sabia daquele fato. Mas não se daria ao luxo de dar razão à amiga.

- Bobagem! Existem empregos bons para gente como eu... por exemplo...

- "Procura-se pessoa que tenha experiência com venda para emprego de atendente" esse parece bom para você, Sakura, embora não tenha experiência – Tomoyo leu o resto do classificado e soltou um assobio – mas... sei lá, esse salário...

-Tomoyo, você não está ajudando! – Sakura virou a página – "precisa-se de caixa. Interessados, telefonar para..."

- Eu não acredito que você quer ser caixa de supermercado! – Tomoyo falou em tom indignado – É tão...

- Tomoyo, eu não sou você, que já têm emprego garantido na empresa de sua mãe e é mais rica que Midas! – Sakura opinou em tom cáustico – Lembre-se que meu pai é um professor... e ele tem muito orgulho de sua profissão.

- Mas ser professor é melhor do que – ela esticou o pescoço e leu outro classificado – Faxineira no Palace Hotel ou... secretária... Falando sério... porque você largou o seu emprego?

- Não vamos discutir esse assunto outra vez! – Sakura a cortou, em tom irritado

- Se você não quer discutir, tudo bem. Não vou mais falar nisso.

Mas Sakura sabia que aquilo era uma grande mentira. Em dez minutos, no máximo, ela perguntaria porque se demitira. Tomoyo era sua grande amiga de infância, mas sempre achara a insistência dela um grande defeito. Ignorando o que vinha em sua cabeça, concentrou-se no anúncio que ela lera antes.

- "Procura-se pessoa para emprego de secretária. Qualificações necessárias: segundo grau completo, fluência em duas línguas, noções avançadas em informática. Necessita-se de histórico psicológico. Os interessados devem dirigir-se ao endereço abaixo ou telefonar para 3457-9876 para marcar entrevista." Este parece interessante...

- Mas... secretária, Sakura? É tão abaixo do seu nível e não tem nada haver com você!

- Mas tem que ser assim! Começar, ou melhor, recomeçar debaixo! Não se preocupe Tomoyo, vai dar tudo certo!

Sakura foi até o telefone e discou. Enquanto ela agendava uma entrevista, Tomoyo pensava... sua amiga poderia ter tudo que quisesse, se quisesse... era muito bonita, com seus olhos verdes enormes, nariz pequeno e reto, lábios rosados, rosto em forma de coração, cabelos castanhos, lisos e um pouco cheios, que chegavam até o meio de suas costas. Um físico que, às vezes, não combinava em nada com seu gênio inconstante, cheio de altos e baixos. Ela não era assim, mas muitas coisas acontecem durante a adolescência... uma decepção aqui, um coração quebrado ali... tudo contribui para a construção de uma pessoa e, no caso dela, fez com que sua alegria pelas pequenas coisas da vida fosse discretamente escoada... é claro que ela não se tornara totalmente amarga, mas o "choque da vida real" a transformara...

- Amanhã eu tenho uma entrevista, Tomoyo – sakura a assustou, mas ela disfarçou bem e afastou os pensamentos de sua cabeça – deseje-me boa sorte e saia daqui! Já é tarde... você não tem que ir para a faculdade?

- Você tem razão. Acho que verei você amanhã então. – Tomoyo abraçou a amiga bem forte – Ei! Você não quer que eu vá com você amanhã?

- Eu sei que você tem muito que fazer... então não vou pedir isso e nem quero que se ofereça. Eu vou me sair bem, não se preocupe.

- Se você diz... mas não hesite em me chamar, se precisar de algo.

Assim que fechou a porta, Sakura suspirou. Pensava no quanto foi difícil dizer à Tomoyo sobre a demissão. Procurou nem pensar na reação do pai e, principalmente, do irmão. Eles diriam que, ela, no mínimo, havia ficado louca. Mas teria que agüentar firme, pois o que estava feito, estava feito! Ouviu a campainha e foi atender. Era Tomoyo...

- Sério... Por que você largou o emprego?

Sakura fechou a porta em sua cara.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Então, gostaram? Não sei ao certo se já da para saber se gostaram ou não, porque este é capítulo é bem pequeno, mas tentarei colocar mais coisas nos próximos capítulos. Por favor, mandem reviews e e-mails, please!

By Cherry Hi