((Vocês já sabem, não escrevi essa fic))

O Legado - parte 2

Epílogo: A trama se desenvolve no 3º andar do hospital, enquanto isso, no subsolo mais precisamente no necrotério, uma figura Sinistra marca sua presença trazendo o cheiro dos mortos a tona. Essa figura remexe nos corpos até encontrar o cadaver de nº 903451, é o corpo de uma criança. Satisfeita, a criatura deixa o recinto.

Tempestade está no terceiro andar do hospital. mas precisamente na frente do elevador, bem no meio do corredor. A porta do elevador se abre. Um par de olhos brilha ao fundo. Quando ele sai, ela diz:

Tempestdade: Nossa! Você quer me matar do coração, Gambit? Onde você estava? Cadê o Magneto? O que aconteceu?

Outra figura sai do elevador.

Mercúrio: Nada, fica calma.

Gambit: Eu vim ver a Vampira. Ela tá legal?

Tempestade: Tá dormindo agora. O professor fez ela dormir um pouquinho.

Gambit: O professor?

Tempestade: É... Ele voltou!

Gambit grita e abraça a sua amiga de roubos na maior felicidade.

Gambit: UHÚÚÚ! O velho voltou! Como é que ele tá?

Tempestade: Ótimo... Mas não muda de assunto não. Por quê você foi sumir justo agora? O professor a achou meio estranha e eu também. Olha que eu nem leio mentes... Ela não diz coisa com coisa... Gambit, seu lábio está sangrando?!

Mercúrio: Não é só a boca não.

Gambit: Cala boca, que ele também levou umas porradas...

Numa sala ao lado do quarto da Vampira, encontram-se o senhor e a senhora Summers.

Jean: Scott, o hospital não quer aceitar o plano de saúde do professor. O quê que eu faço? Falo pra ele?

Scott: Não. Ele mal acabou de chegar e já vai enfrentar mais essa? Por que que não querem aceitar?

Jean: A dependente não tem nome. Por sinal, não é só o hospital não. Nem a funerária tá aceitando...

Scott: Droga! Agora que eu fui lembrar que a Vampira não tem nenhum documento... Mas eu resolvo mais essa, quer ver? Chama o Gambit aqui.

Depois de tudo explicado pro Gambit...

Gambit: Claro que eu faço, mon ami! Falsificar uns documentos é coisa fácil pro tipo de gente que eu já conheci! Afinal, ainda sou um ladrão! Que nome ela gostaria? Marrie Lebeau? Não... Isabelle Lebeau? Não... Lara Lebeau?

Bishop: Tá vendo? É por isso que é bom a gente ter sempre um pilantra por perto!

Gambit: Mon ami, você já sabe que todo que o culpado pelo o sofrimento do seu tempo é o Massacre, mais ainda tem uma pulga atrás da orelha a meu respeito, hein?

Magneto: Ah, que isso?! São seus olhos!

Gambit: PUTIZ, você aqui!

Magneto: Por sinal, ninguém deve duvidar de você aqui, né? Sabem TUDO a seu respeito!

Gambit: Lá vem o assassino com essa ladainha de novo!

Magneto: Como vão os seus países baixos?

Gambit: Melhores do que a sua cara vai ficar se você acordar a Vampira.

Scott e Bishop: Que coisa ridícula, vocês dois! Brigar por causa de mulher!

Magneto: Também acho. Eu vim aqui só falar com a Vampira.

Gambit: Ah! mas não veio mesmo.

Magneto: Não? e você e mais quantos vão tentar me impedir?

Jean: Gambit, agora eu acho que ele tem razão. Os dois precisam conversar.

Gambit: Mas a vampira tá dormindo...

Vampira: Não mais.

XXXXXXXXXXXXXXXX

XXXXXXXXXXXXXXXX

Num bar ao lado do hospital, Samuel Guthrie, Logan e Jubilation Lee estão conversando para descontrair o ambiente que tem ficado cada vez mais tenso.

Jubileu: Wolvi, pensei que a gente fosse vê a Vampira.

Logan: E nós vamos criança, só vô tomar umas loras antes pra mata o tempo.

Narrador: Logan sussurra para Sam.

Logan: Sam, não quero que Jubileu veja a Vampira no estado que está. Eu tenho que volta pro hospital, mas você fica com a Jubileu e não deixa ela ir atrás. Tá?

Sam: Certo seu Logan. Jubileu, antes de ir para o hospital, o que você acha de irmos comprar um presente para Vampira?

Jubileu: AAAAIIII! Vamo sim, ela vai ficar tão feliz! Você se importa de ir para o hospital sozinho, Wolvi?

Logan: Claro que não gatinha, vai comprar o presente sem preça, aproveita passa no shopping e me traz uns burritos.

Jubileu: Tá Wolvi!

Logan: Sam? Cuidado com ela, hein?

Sam: Pode deixar seu Logan. Tá comigo, tá com Deus...

Logan: Tá...

XXXXXXXXXXXXXXXXXXX

XXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Logo após a entrada de Vampira na sala, entra Tempestade com uma cara aflita.

Tempestade: Eu tentei impedir... mas ela veio.

Vampira: Eu tô ótima.

Tempestade: Não, você não está.

Magneto: Ela tem razão, Vampira... Eu acho melhor você...

Vampira: Quem é você pra me dizer o que é melhor ou pior pra mim, MAGNETO? Eu não sei aonde que eu tava com a cabeça pra ter ido pra cama com você!

Gambit: Hummm, se fudeu... Hummm, se fudeu...

Vampira: Disse alguma coisa, Remy? Porque eu acho bom você calar a boca também! Da última vez que você me disse alguma coisa, você matou o meu filho!

Todos: ? Vampira, você não quer tomar uma águinha com açúcar?

Gambit: Chere, eu apenas fiz com que você acordasse. Você ainda não acreditava que seu bebê tinha morrido...

Num ato que ninguém entendeu, Vampira puxou Gambit pelo sobretudo para fora da janela! Ela ficou pairando com ele no ar, toda vez que o cajum olhava pra baixo, só via três andares de medo... E no meio do ar, ela o puxou para uma conversa, digamos: particular, já que o tirou do meio de todos... É uma pena que não tenha sido tão particular assim, pois seus berros eram escutados num raio de um quilômetro. Gambit tinha que se esquivar de seus socos.

Vampira: Desgraçado! Como é que você fez isso comigo? Você é culpado de todo o meu sofrimento! Você matou o meu filho...

Gambit: V-Vampira... Chere, você não tá bem, mesmo... Quem matou o seu bebê, foi o próprio pai dele, lembra?

Vampira: Também. Mas você também me fez sofrer, me mostrando a verdade?

Gambit: O quê que você queria que eu dissesse? Que o pequeno Charles tinha ido lá embaixo tomar um café? Amour, eu não estou te reconhecendo. Antes uma amarga verdade do que uma doce mentira, não acha?

Ela parou, olhou pra ele. Pensou. Olhou pra janela, viu cada rosto mais espantado do que o outro... E sem dar mais nenhum soco, disse:

Vampira: Você não me ama.

Gambit: Não repete isso não. Eu te amo mais que tudo nesse mundo. Acorda e volta ser o que era.

Tempestade não quis esperar mais uma desgraça e resolveu sair pela janela e tirar Gambit dos braços da Vampira. Depois Jean também resolveu arregaçar as mangas e sair também pela janela, levando Vampira para a mansão com sua telecinésia. Ninguém acreditava no que viu... Gambit sentou do lado de Scott sem dizer nem uma única palavra... Magneto resolveu ir embora do hospital.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXX

XXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Enquanto a porrada comia no hospital, Sam tenta prender Jubileu no shopping o máximo possível.

Sam: Ei Jubi, que cê acha d'a gente ir tomar um sorvete?

Jubileu: Menino, você tá maluco? Nós já comemos uma pizza, algodão doce, e uns burritos. Agora vamos pro hospital levar o presente de Vampira e os burritos do Wolvi.

Sam: Não, você não pode...

Jubileu: Por que não? O que tem de tão importante no hospital que eu não posso ver?

Sam: Nada é que...

Então Sam numa medida desesperada, aperta Jubileu contra seu corpo e a beija. Jubileu surpresa o beija de volta.

Jubileu: Aiii! Eu sempre tive uma quedinha por loiros...

Sam: Er... eu... tropecei... desculpa tá?

Jubileu: Pode tropeçar de novo!

Sam: Ah, então valeu.

Sam e Jubileu, por algum tempo esqueceram que são renegados pela sociedade e agiram como qualquer adolescente de 18 e 15 fariam se estivessem um a fim do outro. Ficaram num dos shopping mais movimentados de Nova York aos beijos, bom... pelo menos alguns dos x-men estão se divertindo no meio de tanta trizteza