O legado - parte final

Um dia se passa, os x-men dormem o sono dos justos, eles têm direito à pelo menos uma noite tranquila já que o dia foi horrível. Vampira não olha na cara de Gambit, Jubileu está muito magoada com Wolverine, Xavier tem um peso secreto na sua consciência. Agora, é a chance de se recolocar tudo em ordem.

Narrador: Remy LeBeau vai conversar com o professor X.

Gambit: Bom Dia, professor, precisamos conversar...

Xavier: Sobre Vampira.

Gambit: Ora?! Pensei que fosse contra invadir mentes?!

Xavier: Eu não "invadi" a sua mente Remy, mas na situação atual, é previsível que você só tenha Vampira em mente.

Gambit: "Situação atual"? Eu sempre tive a Vampira em mente... Mas realmente agora ela não sai mesmo da minha cabeça. Estamos todos preocupados. Quando o senhor vai apagar a criança da mente da Cherrie?

Xavier: Eu não tenho certeza de que esse é um meio viável para resolver a situação.

Gambit: Por favor, professor. Ela está sofrendo, isolada, e me odiando cada vez mais. Faça isso por Vampira, por mim, por todos nós.

Xavier: ...eu juro que vou pensar seriamente sobre o assunto, Remy.

Gambit: ... Pensar não é o suficiente!

Remy sai nervoso. Charles Francis Xavier não sabe mais o que é certo, ele só sabe que essa intriga tem que acabar... hoje.

XXXXXXXXXXXXXXXXXX

Narrador: Jubileu procura Wolverine nos bosques ao redor da mansão, para conversar sobre o acontecimento do dia anterior.

Jubileu: Wolvi! Você tá ai? A gente tem que bater um papo!

Logan: Fala guria...

Jubileu: Ainda tá bravo comigo?

Logan: Não, eu pensei e vi que tava errado, criança. Cê pode namorar o Sam, ele é um bom garoto.

Jubileu: Eu não vim pedir o seu consentimento, a gente ia namorar com ou sem a sua aprovação.

Logan: Então o que cê qué aqui?

Jubileu: Dizer que te amo, que não quero você bravo comigo e que eu sou muito crescida para tomar minhas próprias decisões...

Narrador: Jubileu abraça Logan.

Jubileu: ...já atravessei o universo, estive a beira da morte, enfrentei terríveis vilões, sei o suficiente sobre ser responsável e eu tenho que te agradecer...

Logan: Por que?

Jubileu: Por que foi você que me ensinou tudo isso, bobinho.

Logan: E não tem idéia de como estou orgulhoso

XXXXXXXXXXXXXXXXXX

Narrador: Mas o que será que a Vampira vai fazer no quarto do Gambit? Ela entra sorrateiramente. A suite do Gambit é bem arrumada, mobiliada do jeito que o Gambit gosta. A cama bem espaçosa, de casal, é claro! Televisão 29 polegadas, DVD, chão frio, porque o Gambit acha carpete coisa de boiola. Um divã! E é claro, o super armário de mógno. Se tem uma coisa que o Gambit sabe fazer, é se vestir bem. Ela abre o armário, tira uma tesoura do bolço e começa a rasgar e cortar as roupas do pobre cajun. O banheiro da suite se abre. Gambit sai do chuveiro com uma toalha enrolada na cintura. Assim que vê Vampira, "esperando ele no quarto", esboça um sorriso maldoso. Mas logo depois vê o que trouxe vampira ao seu quarto:

Gambit: Loucura! Mon Dieu, minhas roupas!

Vampira: Como você não vai embora dessa casa, eu estou tendo que tirar as suas coisas pouco a pouco. Quem sabe assim você não se manda?

Gambit: Chere, essas roupas eram muito caras!! Pare com isso agora, ou eu vou ter que te tirar daí! Meu Deus, cadê o meu sobretudo verde musgo de estimação?

Vampira: No além. Que é para onde você vai também!

Vampira levanta vôo em direção a Gambit com a tesoura na mão com a certeza de que alí acabará sua dor, com a morte daquele terrível homem. Faltando 50 centímetros para cravar a tesoura no peito de Gambit, ela para no ar e deixa a tesoura cair no chão, graças a um comando psíquico de Xavier

Xavier: Vampira, chega!

Vampira: O que você quer aqui? Você nunca fez nada de útil! Nunca fez nada pelos meus poderes, ou pelo meu bebê, ou por nenhum de nós! Você é uma grande farsa!

Xavier: Acredite, criança, isso vai doer mais em mim do que em você.

Xavier entra na mente de Vampira, é dificil ver alguma coisa numa mente tão perturbada, mas ele vê. Vê Remy cercado por fogo à beira de um precipício, representa o ódio, mas não é a origem dos problemas. Ele vê Mística, Joseph brigando com Magneto, os x-men numa área pacífica, o amor pelos amigos persistiu. Ele vê uma vida de magoa, tristeza e alegria, vê seus sentimentos mais profundos, talvez depois de tudo isso, Vampira o odeie. Finalmente encontra... a forma astral de Vampira. Para a surpresa de Xavier, ela segura um bebê no colo. Agora tudo se encaixa: no momento do nascimento, a vida do bebê foi sugada por Vampira, logo; sua mente também. Ele estava persistindo dentro da cabeça dela, tanto que ela acreditava que o pequeno Charles estava vivo. Quando Gambit convenceu Vampira de que o bebê estava morto, a mente da pequena criatura sentiu essa atitude como um poderoso repelente, criando um sentimento de ódio em relação ao Cajun. Agora, depende do professor separar mãe e filho.

Xavier: Deixe-o ir Vampira, ele não pertence mais a esse mundo.

Vampira: Sai de perto de mim e do meu filho, sua coisa! Vai embora da minha cabeça!

Xavier: Ele não existe mais, ele está morto, você está sustentando um alma transtornada, assim como Carol Denvers. Ele não quer a sua companhia, ele quer te dominar.

Vampira: Não é verdade, você está com ciúmes porque Legião está morto e você não tem mais nenhum filho.

Xavier: "Não tenho filhos"? E você é o que minha?

Vampira: Sua filha é que eu não sou! Você só sabe puxar o saco do Scott, vai embora!

Xavier: Vampira, você como o Scott, como a Jean, como qualquer um aqui dentro são os filhos que eu não tive. Vamos, querida. Tente esquecer essa criança.

Vampira: ...

Vampira: Eu não consigo... me ajude professor!

O Professor X em sua vasta experiência psicocinética, toma a criança dos braços de Vampira e a coloca num berço que evapora no ar criando uma forte descarga energética, expulsando os dois do plano astral.

Gambit: Ma bella, você está bem?

Vampira: Remy! ... Ai, que vergonha... Meu deus! Me perdoe, me perdoe por tudo. Eu estava fora do meu normal, me perdoe pelo soco, pelas ofensas, por tudo! Eu também te amo...

Gambit: Tudo bem, ma petit, eu já sei disso.. Nós estamos juntos de novo, e dessa vez nada vai nos separar. Você quer ficar comigo, não quer?

Vampira: Quero, eu te amo Remy, te amo mesmo! E agora o meu filho pode descansar.

O casal se abraça, os x-men apenas observam, felizes que tudo acabou bem. Eles mereciam um final feliz, se é que esse é o final. Além da dúvida se isso é ou não um final, ainda resta a dúvida se esse casal realmente pode ser feliz. Nunca serão como a Jean e o Scott, mas se é assim que eles se sentem felizes: não se tocando, não se beijando. Se apenas com juras e com olhares são felizes, quem somos nós para julgá-los?

XXXXXXXXXXXXXXXX

Narrador: Mística entra no laboratório de Sinistro.

Mística: Nathaniel, eu mudei de idéia, não quero mais fazer isso!

Sinistro: Tarde demais, já comecei o processo. Veja, já está quase completo.

Mística: Oh! É verdade, mas não está como combinamos.

Sinistro: Claro, no estado inicial, não me seria útil.

Mística: Você me enganou! Quebrou o acordo.

Sinistro: A recíproca é verdadeira! Pois se foi você que acabou de chegar dizendo que mudou de idéia?!

Mística: Você é esperto, Sinistro, mas vai pagar caro por me desafiar... nem que eu tenha que recorrer aos x-men.