PAIS E FILHOS - Final

Scott Summers procura força e sabedoria para enfrentar todos os seus últimos problemas na mesa de trabalho do professor Xavier.

Professor: Scott? Meu filho! O quê está fazendo aqui?

Scott: Nada... Só estava procurando algum lugar calmo para refletir.

Professor: Você já disse a ela o que ela quase fez?

Scott: Negou até o fim, professor.

Professor: É estranho isso. Minha primeira aluna... Conheço a Jean há quase 30 anos. É mais minha filha do que dos próprios pais dela... Eu sinto que ela está dizendo a verdade...

Scott: Professor! Não vai o senhor também começar com isso, né? Está muito claro que foi ela... E o que mais me deixa arrasado é que ela deve estar com algum problema...

Professor: Como assim"algum problema"?

Scott: Ela fez isso só por causa daquela briguinha besta! Não está bem mentalmente... é isso que eu estava evitando dizer...

Professor: Scott, você não acha mais adequado desconfiar de um menino novo do que atribuir a sua mulher distúrbios mentais?

Scott: Acho. E é isso que eu já tentei fazer por essas últimas horas todas, mas as evidências são claras!

Professor: Se você está com alguma idéia maluca de internar a minha filha, Scott, saiba que eu sou totalmente contra.

Scott: Então me fala com certeza, professor. Você acha que foi o garoto? Acha? Por favor, me dê essa certeza. Não quero condenar um inocente...

Professor: Nem eu, Scott, nem eu...

Scott: Mas quem você acha mais "condenado" nessa confusão toda?

Professor: Condeno ele a 55 de tentativa de assassinato e ela a 45 de tentativa de suicídio.

Scott: Pra mim, esses valores são trocados. O que te leva a crer que ele mataria a Jean? Pra quê? Pra ser linxado pela gente?

Professor: Você sabe da onde ele veio?

Scott: Ele já disse.

Professor: Será que não mentiu?

Scott: A Emma leu a mente dele, não lembra?

Professor: Se ela leu a mente dele e viu que ele era tão anjinho, por que mandou ele pra cá?

Scott: ...

Professor: Boa coisa ele não é...

Scott: O Wolverine nunca foi boa coisa. A Vampira era do mal também.

Professor: Se você me contar algum incidente parecido dos dois quando chegaram nessa casa, não se fala mais nisso.

Scott: Não, professor. Eles nunca fizeram nada.

Professor: Ah!

Scott: Professor, você está com tanta certeza! Pelo amor de Deus me diz que você está sentindo alguma coisa estranha nesse garoto! Vai diz. Fala"Eu sinto algo de estranho na essência dele."

Professor: Eu não sinto nada...nada... ...Talvez o objetivo dele não fosse ela morta, mas sim viva.

Scott: Que foi que disse?

Professor: Eu disse que o que interessa agora é que ela está viva! E vamos descer que já quase na hora do almoço.

Scott: Deixa que eu te levo até o elevador.

Dentro do elevador:

Professor: ...

Scott: ...

Professor: Scott?

Scott: Oi?

Professor: Quem é a sua sombra desde que seus pais morreram?

Scott: O Sinistro, por que?

Professor: Por nada.

Scott: ...

Professor: ...

Scott: ...

Professor: Chegou, vamos.

Scott: ...

Professor: Scott? Você subiu com o elevador de novo!

Scott: Chega, professor! Fala agora o quê você quis dizer com essa sua perguntinha "sem objetivo"!

Professor: Você já parou pra pensar que...

Scott: Pensei nisso o tempo inteiro! Desde o primeiro minuto que eu a vi caída na sala.

Professor: ... Então...

Scott: Então, nada, professor. Você acha que esse pingo de gente está aqui a mando do Sinistro? Como é que alguém que trabalha com o Sinistro vai passar pelo rastreamento psíquico da Emma e pelo seu também? E desde quando o Sinistro nos quer mortos?

ProfessorÉ isso, Scott! Se ele a quisesse morta, teria posto cianureto na água! Ele queria ela viva, e muito viva.

Scott: E o que o pivete ganharia com isso?

Professor: Não sei, mas isso se descobre.

Scott: Professor, acorda! O garoto não tem nenhum sinal cerebral que fale da pessoa : Sinistro!

Professor: Scott, acorda! Por que o Labmed estava quebrado e logo depois voltou a funcionar?

Scott:Desde quando aquele pivete sabe a senha do cérebro?

O elevador chega de novo. A porta abre.

Bobby Drake: Se eu tiver interrompido algo e quiserem que eu suba de escada...

Scott: Que susto, cara! ... É ... a gente já tava de saída...

Professor simplesmente aperta o botão de subida novamente. Bobby fica lá embaixo a ver navios.

Bobby Drake: ? O que foi que deu nesses dois?

Professor: Você tem toda razão, Scott. Nós já estamos com trauma dessa figura Sinistro. Se você fica gripado a gente já acha que foi ele, isso é um absurdo! Eu devo estar tirando conclusões precipitadas do garoto... É melhor eu conversar com a Jean pra ver como ela está... E depois a gente volta a conversar... Realmente... como ele saberia a senha do cérebro? Que idéia!

Scott: Ela estava bêbada... Por minha causa.

XxXxXxXxXxXx

Jean está na parte do jardim destinada ao túmulo eterno de Psylock e o bebê de Vampira. Esse local se tornou uma espécie de reduto dos pensativos que buscam respostas para si mesmos. Ela olha fixamente para os túmulos e pensa:

Jean: Só de pensar que eu poderia ser mais uma lápide aqui nesse jardim...

Wolverine: Olhando fixamente para os túmulos...

Jean: Logan! Que susto...

Wolverine: Por acaso a morte começou a te atrair, ruiva?

Jean: Olha, não brinque com isso. Você sabe que eu não cometeria suicídio. Eu não tenho motivos para isso.

Wolverine: É realmente difícil de acreditar e de não acreditar também. Você é a mais sensata de todos, mas nós vimos a cartela de calmantes vazia na sua mão.

Jean: Foi o garoto, Logan. Acredite. Já tentamos ler a mente dele, mas nenhum incidente maldoso foi encontrado. Mas se o professor ler a minha, ao menos verá que eu não tomei esses calmantes sozinha.

XxXxXxXxXxXx

Tempestade e Vampira vão para a cozinha. Gambit está preparando um café da manhã para dois.

Tempestade: Olha só, Vampira. Café só para dois... Esqueceu de mim, Gambit? Sua velha amiga de roubos!

Gambit: Claro que não, chere. Vou fazer algo aqui para você.

Tempestade: Precisa não, Gambit. Eu só estou brincando... Vou deixar os dois sozinhos.

Tempestade sai deixando os dois sozinhos.

Vampira: Gambit, eu vou no apartamento do Warren aonde está o Magneto de novo, hoje.

Gambit queima o dedo ao ouvir isso.

Vampira: Ai, gato! Machucou?

Gambit: Machucou sim, chere. Bem aqui dentro de mim. O que você ainda vai fazer la, ma belle?

Vampira: Gambit, eu ontem só fiz besteira. Fui la para conversar com ele e acabou que deu no que deu, e eu só piorei mais as coisas. Nós dois agora temos que conversar mais do que antes. Não se preocupe mesmo.

Gambit: Deixa que Gambit vai por você e diz o que você quiser dizer.

Vampira: Não. Nada disso, sem brigas. A culpa foi toda minha.

Gambit: Não vai ter nenhuma briga.

XxXxXxXxXxXx

Magneto esta se preparando para ir embora do apartamento de Warren quando a porta se abre com uma chave duplicata.

Magneto: Vampiraé você?

Gambit: Eu tenho cara de mulher por acaso?

Magneto: Gambit, se você fizer alguma coisa eu vou ter que reagir.

Gambit: Senta aí, Magneto.

Magneto: Como é que é?

Gambit: Senta numa cadeira pra gente bater um papo civilizado.

Magneto já se sentando na cadeira pergunta surpreso:

Magneto: Civilizado?

Gambit: É. Civilizado.

Magneto: Então comece.

Gambit: A Vampira esteve aqui ontem a noite. Ela me contou.

Magneto: E você me mandou sentar aqui para tentar me agredir sentado?

Gambit: Não... Você pode ficar aí que tem mais alguém que vai se juntar a nossa conversa.

Vampira entra na sala e também se senta numa cadeira. Magneto coloca a mão no queixo meio confuso.

Magneto: Mas o quê que é isso? Terapia de grupo por acaso?

Vampira: Fica frio, Magneto.

Gambit: Ma belle só tem algumas coisas a te dizer.

Magneto: Então comece, belle do Gambit.

Vampira: É... Eu só quero te dizer que o que aconteceu ontem não foi certo. Eu te usei descaradamente, não respeitei seus sentimentos, nem os do Gambit e nem os meus também, que saíram machucados e envergonhados dessa situação cruel que se criou em minha volta. Em nossa volta.

Magneto: Foi Xavier que mandou vocês dois virem aqui?

Gambit: Não, Magneto. Fica quieto e escuta.

Vampira: Também não te culpo pela morte do bebê. Sei que o que aconteceu há um ano atrás foi erro meu e seu. Também quero dizer que de agora em diante nós dois não teremos mais nenhuma forma de contato físico. Qualquer mal entendido que tenha ficado, acabou aqui.

Magneto: ...

Vampira: ...

Magneto: E o mal entendido de ontem também acabou?

Gambit: Olha aqui, se você for discutir DETALHES de ontem, eu vou me retirar! Ela não está aqui pra isso, ou você não percebeu que ela está te dando ADEUS, mon AMI?

Magneto: Qual o problema, francês? Ela então não te contou os DETALHES não?

Vampira: Magneto, pára! PÁRA!

Magneto: Vamos começar pelo DETALHE de que foi ELA QUEM QUIS! Pequeno DETALHE, seu palhaço!

Vampira: Ele SABE disso, Magneto! Pára!

Magneto: Ha ha ha ha ha ha!

Magneto ri alto e muito sarcástico! Realmente achando graça da cena. Ele se recompõem da risada e fala:

Magneto: É... ha ha... Queria estar presente na hora que você ficou sabendo dessa, garanhão! Como foi que ela te disse? Ela te disse que além dela ter pedido, ela também foi muito...

Vampira vai pra cima de Magneto e tampa a boca dele com sua mão... Uma movimento muito brusco e cheio de violência. Ela faz força com sua mão contra a boca dele.

Vampira: PÁRA! SEU ANIMAL!

Os olhos de Vampira e Magneto, que estavam fixos um no outro, descem ao mesmo tempo em encontro da mão nua de Vampira na boca dele... Gambit sabe porque ela fez isso, mas ele não aguenta ver mais esse toque... Pra falar a verdade, essa é a primeira vez que Gambit vê um toque de Vampira em Magneto. Magneto e Vampira se entreolham mais uma vez, a mão nua dela continua ali... Magneto não tira os olhos do olhar dela e ao mesmo tempo, em câmera lenta, ele lambe a mão dela.

Gambit voa pra cima de Magneto com suas cartas energizadas, Magneto nem sai da cadeira. Mas Vampira se coloca na frente de Gambit e o segura com força.

Gambit: VOCÊ NÃO TOQUE NELA, SEU FILHO...

Vampira: NÃO GAMBIT! PÁRA! PÁRA, AMOR! Pára..., meu querido... pára... Você não está vendo que ele só quer te tirar do sério?

Magneto: Que sentimento de impotência, hein francês? Só o que você pode fazer é me agredir mesmo...

Magneto, calmamente bebe água do copo que estava do lado da cadeira. Pára e olha pra Gambit com frieza.

Magneto: Você já deu essa lambidinha nela também, francês?

Gambit, sempre tão forte, rápido, decidido... Agora fica apático... Sempre lutou contra coisas muito fortes, junto com os x-men... Mas isso é forte demais pra que ele consiga lutar. Os olhos dele se enchem de lágrimas, mas elas não caem...

Magneto: Vai chorar, neném?

Vampira: Você é um IDIOTA, Magneto!

Magneto: Sabe, as mulheres gostam de colocar no colo os homens que choram volta e meia... É um instinto materno... Elas ficam com peninha...

Gambit: Talvez então, você devesse chorar um pouco pra ver se assim a vampira te quer...

Vampira: Pronto, falou o que quis e ouviu o que não quis.

Vampira segura a mão de Gambit (agora de luva) vai se dirigindo para a porta e diz pra Magneto com desprezo:

Vampira: Um dia eu quis ser amada não só com palavras. Mas a vida só me deu mágoa em troca. Me desculpem os dois. ...É só isso que eu tenho a dizer...

Magneto: Entendi sua mensagem"belle". Estou voltando para a minha base na Antártica hoje mesmo. Avisem isso ao Pietro. E caso ele queira vir falar comigo ou vir comigo, diga a ele que não. Quero ir sozinho.

Gambit antes de sair com vampira diz:

Gambit: Quem ri por último, ri melhor...

XxXxXxXxXxXx

Jean e o professor saem de casa para um local distante, afim do professor ler a mente de Jean sem ninguém por perto. Descobririam todos então, se Jean fez tudo sozinha, ou não...

Wolverine entra em casa dizendo:

Wolverine: Ororo! Sam! Eu estive conversando com Jean e ela me parece meio trsite e confusa com o que aconteceu com ela. O professor e ela até acabaram de sair para conversarem. Que tal se nós fossemos comprar alguma coisa pra ruiva que a deixasse mais animada? Vamos no meu jipe!

Sam: Nossa, seu Logan. O senhor com o coração apertado por causa de alguém? Não faz o seu tipo...

Tempestade sabe que pela ruiva Wolverine faz todos os tipos que normalmente não são mostrados no dia a dia. Ele também se preocupa com todos, principalmente com ela.

Tempestade: Que bobeira, Sam! Wolverine é tão humano quanto eu ou você... Tem sentimentos por aqueles que ama.

Wolverine: Não precisa me defender não, Tempestade. Isso realmente não faz o meu tipo, mas não é isso que importa agora... Vamos ou não vamos?

Tempestade: Vamos.

Sam: Vou também!

Wolverine: Vou pegar a chave do meu jipe.

Tempestade: Não! Logan, vamos num carro mais confortável... A Mercedez da garagem...

XxXxXxXxXxXx

Escariotes, mais uma vez, liga para o número que conhece tão bem.

Escariotes: Sou eu.

: Sim.

Escariotes: Não posso mais ficar tanto tempo aqui na mansão. Estão começando a desconfiar.

: Então? Termine logo seu trabalho!

Escariotes: Eu... não faço a mínima idéia de como fazer a segunda parte.

: Você não dá valor à sua vida, certo? Você só tem mais um dia, se não tomar o remédio, irá morrer.

Escariotes: Eu... eu pensei em levá-lo até você. Eu dou um jeito de inutilizá-lo e você faz o seu trabalho. Ele pode ficar desmaiado, você faz o que tem que fazer e depois nós o devolvemos. A essa altura eu não precisarei mais voltar à mansão e poderei seguir em frente. E ninguém saberá o que você fez.

: Um plano desesperado, mas parece ser mesmo a única opção que nós temos.

Escariotes: Vou colocar o plano em prática agora mesmo já que estamos sozinhos na mansão. Em duas horas espero estar ai.

: Não demore.

Era a hora definitiva para Escariotes, matar ou morrer, ele tentava pensar nos pais em momentos como este, pensava se eles teriam vergonha do filho. Ele tentava, mas não conseguia, não conseguia nem lembrar dos rostos dos dois, sua infância parecia muito longe agora. Nesse momento, ele só pensa em uma coisa: ficar vivo. Escariotes entrou no labmed e pegou uma máscara de proteção e encharcou de formol. Depois se dirigiu à estufa de Ororo onde se encontrava, solitária, pensativa, a pessoa que era o seu alvo, seu objetivo a ser alcançado. O pagamento da sua liberdade e saúde.

Escariotes: Olá, Scott!

XxXxXxXxXxXx

Hank McCoy e Bobby Drake estão andando em Salem Center para espairecer um pouco as idéias e também para fazer algumas compras na cidade. Hank está usando um indutor de imagens para que ninguém veja seu pelo azul.

Fera: Você tinha que comprar açúcar comum, né? Como eu vou fazer meu bolo sem açúcar mascavo!

Bobby: A culpa não é minha se você não me deixou ficar com a lista do mercado.

Fera: Você tem um problema sério em receber ordens! Quando eu venho com a Jean ela sempre me deixa comandar as compras.

Bobby: ... Você acredita que ela tentou...

Fera: Não!

Bobby: Então você desconfia do garoto...

Fera: Desconfio mais dele do que de Jean. Também com um nome daquele tem que desconfiar mesmo.

Bobby: Que que tem "Escariotes"? Eu acho legalzinho.

Fera: Escariotes é o traidor do rebanhoé o outro nome de Judas. Quanta ignorância!

Bobby: É mesmo! Que estranho... E o sobrenome dele? Bose não sei das quantas...

Fera: Böse Unheimlich.

Bobby: O que significa?

Fera: Não sei.

Bobby: Que tipo de gênio é você que decora o nome e não sabe o que significa?

Fera: O maior gênio é aquele que sempre tem algo a aprender! Autoria de Fera! Vamos ali na livraria procurar num dicionário. Deve ser alemão já que ele alega ser da Alemanha.

Os dois entraram na livraria e pegaram o primeiro dicionário de alemão que viram.

Fera: Böse, Böse ... AQUI! Böse significa... mau?

Bobby: Tá brincando? Isso não é nada bom, Hank. Nada bom mesmo... E o outro? O que significa?

Fera: Unheimlich significa ... Minha Santa Querupita! Bobby, nós temos que voltar pra mansão agora. Se este dicionário está certo, quem estiver com ele corre perigo.

XxXxXxXxXx

De volta à estufa.

Scott: O que você quer garoto?

Escariotes: Nada. Só saber como você está. Ainda está muito triste pela Jean ter tentado suicídio?

Scott: Ela não tentou suicídio! Do fundo do meu coração acredito que não.

Escariotes: Claro que não. Alguém poderia ter colocado exatos 24 comprimidos triturados na água que alguém teria levado para ela.

Scott olha para Escariotes como se as trevas tivesse sumido e agora ele pudesse enxergar claramente.

Scott: VOCÊ! O tempo todo foi você!

Escariotes: Eu fico impressionado como esse pessoal pensa devagar. É fui eu sim, idiota. Eu coloquei os comprimidos na água da Jean, eu cortei a força do labmed forçando vocês a levarem ela para o hospital. Por sinal, a equipe médica era toda contratada. Bons atores, né?

Scott Summers não sabe se mata aquele garoto ou se ouve o que ele tem a dizer. Neste momento, o Ciclope está imóvel.

Scott: Equipe contratada? Por quê? O que você queria com a Jean?

Escariotes: Eu, nada. Mas tem uma pessoa que estava muito interessada nela. E também está interessada em você. Por isso eu peço que você venha comigo calma e pacificamente, ou terei que levá-lo a força.

Scott: Tenta.

Scott abre fogo contra Escariotes, mas este consegue se desviar com sua super velocidade. Escariotes utiliza seu poder magnético e começa a atirar todo tipo de objeto metálico que existe na estufa de Tempestade. Mas Scott arrebenta todos com facilidade antes de atingi-lo.

Scott: Não devia ter se metido com os x-men!

Escariotes: Você acha que eu tenho algum medo de você e da sua laia? Cansei de brincar de gato e rato!

Escariotes, em alta velocidade, da a volta por trás de Scott e lhe da um super-soco na nuca. Scott cai desmaiado no chão e seu visor se desprende de seu rosto e rola para o canto da estufa. Escariotes prende em seu rosto a mascara encharcada de formol para mantê-lo dormindo.

Escariotes: Não se preocupe com seu visor, você não vai abrir os olhos por um bom tempo.

Escariotes levanta Scott com facilidade e o coloca por cima do ombro. Ele arrebenta o vidro da estufa e se Joga do último andar da mansão em queda livre, mas cai em pé e levemente. Arrebenta a porta da garagem e pega o jipe de Wolverine. Coloca Scott no banco de trás e vai embora da mansão, para nunca mais voltar. Ele pensa só em uma coisa" Vampira, adeus." O jipe se perde de vista.

XxXxXxXxXxX

Escariotes chega no endereço, uma fábrica abandonada muito velha e distante da cidade. Ele entra com Scott apoiado no ombro e entra no elevador que aparentemente não está funcionando. Ele aperta a seqüência de números nos botões do elevador: 5-8-2-0-4-1. A energia se liga, a porta se fecha, o elevador não sobe, mas desce para o subsolo, uns 30 metros abaixo do solo, a porta se abre ele encontra seu contratador.

Escariotes: Olá Sinistro.

Sinistro: Coloque-o na maca para começarmos.

EscariotesÉ assim que você me trata? Nem um bom dia nem nada?

Escariotes posiciona Scott na maca quase que instantaneamente os braços mecânicos ao seu redor começam a funcionar e furar com agulhas a região da virilha.

Escariotes: Você vai me contar o seu plano, agora?

Sinistro: Claro, temos tempo. Veja bem, Apocalipse é o mutante mais poderoso da face da terra, ele possui idéias holocausticas em relação ao mundo, acredita na sobrevivência do mais forte. Eu também acredito, mas sou um cientista, e estudar as espécies mais fracas é muito lucrativo para mim.

Escariotes: E dai?

Sinistro: Eu quero Apocalipse morto! Mas somente um mutante muito poderoso poderia matá-lo. O filho de Jean Grey e Scott Summers.

Escariotes: Por quê?

Sinistro: A combinação dos maravilhosos gens dos dois gera um ser de poder grandioso. Como foi o caso de Cable, mas Apocalipse o infectou com um vírus que toma grande parte de seu poder para controlar tal vírus em seu corpo.

Escariotes: Então você vai fazer um segundo Cable? Por que você simplesmente não fez um clone deles?

Sinistro: Eu não quero um clone de um ou de outro, mas sim a combinação de seu genes. Fora que um clone teria seu relógio interno com a idade de seus pais. Eu preciso de um ser com vitalidade e juventude e no ápice de seus poderes. Minha equipe retirou o óvulo de Jean no hospital e eu retirarei uma amostra de espermas de Scott e fecundarei o óvulo. Em 6 horas eu terei um guerreiro com 20 anos.

Escariotes: E se ele não quiser trabalhar para você?

Sinistro: Já pensei nisso. Farei uma construção de vida em sua mente; eu serei seu pai e ele me adorará.

Escariotes: Tenho que admitir. Você é inteligente. Tá tudo muito bom, tá tudo muito bem, mas eu tenho que ir. Estão me dá meu remédio para matar esse vírus dentro de mim e eu vou embora.

Sinistro: Meu querido Escariotes. Não há nenhum vírus dentro de você. Eu disse isso para você trabalhar para mim sem rebeldia.

Escariotes: Então qual é o meu problema? Por que eu tenho dores de cabeça tão fortes? Qual a minha doença?

Sinistro: Você não está doente. Está morrendo.

Escariotes permanece em silêncio por um tempo tentando não acreditar.

Escariotes: Como assim?

Sinistro: Ai, vou ter que contar tudo? Tudo bem, você vai morrer em algumas horas mesmo... Na verdade você já está morto.

Escariotes: O...quê?

Sinistro: Você nasceu morto. Eu peguei seu corpo de criança, reanimei, desenvolvi e você ficou assim. Mas é muito difícil um "zumbi" viver por muito tempo. Não passa de três meses.

Escariotes: Mentira! Eu me lembro dos meus pais, da minha infância...

Sinistro: Como era o nome dos dois? Como eles morreram? Você não lembra?

Escariotes: era ...foi ...

Sinistro: Eu construí a sua vida, mas não pude fazer uma muito bem já que estava com pressa para entrar em ação.

Escariotes: Isso não existe! Aqueles telepatas entraram na minha mente, ninguém descobriu nada!

Sinistro: Você possui um chip na cabeça, apaga qualquer vestígio mental que possa te comprometer quando rastreado telepaticamente, mas em questão de minutos a memória é restaurada.

Escariotes: Eu... só estou vivo há três meses? Toda minha vida foi uma farsa?

Sinistro: Se você tivesse sobrevivido ao parto, seria um mutante glorioso, eu teria honra de tê-lo trabalhando comigo. Mas um semi-morto é uma vergonha.

Escariotes não consegue mais esconder a raiva que existe dentro dele.

Escariotes: Por quê? Por quê você não me deixou morrer? Por quê fez isso comigo?

Sinistro: Ora! Seu potencial mutante é incrível, sendo filho de quem você é.

Escariotes: Quem?...

Sinistro: Como você é devagar! Você é o bebê morto de Vampira e Magneto!

A realidade atinge Escariotes. como se mil facas atravessassem o seu coração. agora tudo faz sentido. A obsessão por Vampira, a raiva de Magneto, a superforça, a velocidade, o magnetismo. Escariotes cai de joelhos no chão e de repente desmaia.

XxXxXxXxXxXx

Jean e o professor voltam para casa muito preocupados. Realmente Jean não fez aquilo sozinha e qualquer atentado contra ela ou Scott só poderia significar uma coisa: Sinistro. E quando eles chegam em casa, uma surpresa. Todo o vidro da estufa de Tempestade, que fica no último andar, estava na grama do jardim. Eles olham pra cima e vêem tudo destruído. Eles sobem correndo e encontram no chão o visor do Scott.

Jean: Scott! Professoré o visor do Scott!

Professor: Aonde estão os outros X-men? Será que também sumiram!

Wolverine: Não, professor.

Tempestade: Só demos uma volta na cidade por uns shoppings. Mas o que aconteceu aqui na minha estufa só pode ter sido coisa muito séria mesmo... Realmente"tristeza não tem fim, felicidade sim..."

Wolverine: Jeanny, isso daqui tem cheiro de Escariotes. Eu estou sentindo.

Professor: Não é só cheiro, Wolverine. Isso já tem a cara de Escariotes e... espírito de Sinistro.

Nesse mesmo momento Fera e Bobby chegam em casa. Do jardim Fera grita:

Fera: Minha santa Querupita!

Fera com suas habilidades, escala rapidamente a mansão até a estufa quebrada. Bobby cria um tubo de gelo que também o eleva a estufa em segundos.

Fera: Mas o que aconteceu aqui, meus queridos?

Jean: Fera! O Scott sumiu! E provavelmente só pode ter sido o Escariotes que tramou alguma coisa!

Fera olha para Bobby e diz:

Fera: Escariotes, né? Sei, ...muito interessante, não é Bobby?

Bobby: Demais! Hoje eu e o Fera pegamos um dicionário de Alemão e descobrimos que o nome do garoto significa...

Fera: Sem querer interromper, Bobby... Deixa que eu explico essa: Escariotes era o outro nome de Judas... Traidor mor conhecido mundialmente! E o seu sobrenome significa Mau e SINISTRO.

Bobby: E como o Scott sumiu, isso tá pra lá de estranho!

Jean: Tudo faz sentido, professor! Eu posso até imaginar o que ele quer do Scott... E o que ele tirou de mim naquele hospital... Senti que tiraram algo muito importante de mim. Pelo amor de Deus, vamos ao cérebro tentar achar o esconderijo do Sinistro. Ou algum sinal do Escariotes com meu marido!

Charles Xavier vai ao cérebro tentar achar sinais vitais de Scott em qualquer parte do planeta. E ele encontra! Scott estava vivo e relativamente bem. Mas o esconderijo de Sinistro é impossível de achar... Sinistro mantém um escudo contra o rastreamento psíquico de qualquer mutante com a mente evoluída para isso. Ele volta a estufa para explicar o caso para todos. Principalmente para a senhora Summers.

Professor: Jean! O Scott está vivo e bem, graças a Deus.

Jean: E onde ele está, professor?

Professor: Eu não sei onde está meu querido filho, Jean... Tempos que pensar em outro jeito de achá-lo...

Wolverine vê que a estufa virou um verdadeiro teto solar, de tão arrebentada que ficou. Então, quando olha para o jardim, vê que algo seu não está mais lá em baixo.

Wolverine: Mas hoje não é o dia de sorte do Escariotes... Se ele não queria ser encontrado, se ferrou...

Tempestade: Por que?

Wolverine: Ele foi embora no meu jipe. Só que meu uniforme com um aparelho de rastreamento estava ali dentro. Não será nem necessário o cérebro.

Gambit e Vampira chegam.

Gambit: Mon Dieu! O quê aconteceu aqui?

Vampira: Cara, que estrago sinistro!

Bobby: Sinistríssimo, Vampira!

Professor: Não há tempo para explicações. Vamos X-Men!

XxXxXxXxXxXxXx

Chegando ao antigo prédio onde o rastreador os levou, os x-men viram que o elevador não estava funcionando.

Wolverine: Esse moleque ou subiu ou desceu. Porque eu sinto o cheiro dele dentro desse elevador quebrado.

Jean: Wolverine está certo! Eu sinto a presença de Scott no subsolo desse prédio!

Gambit: Mon ami, esse elevador deve ter uma sequência de botões a apertar para que funcione. Conheço o Sinistro...

Vampira: Conhece?

Tempestade: Todos nós conhecemos, Vampira.

Professor: Wolverine, cheiro todos os botões!

Wolverine cheira os botões e descobre exatamente quais Escariotes apertou.

Wolverine: Eu sei que botões devemos apertar: 0, 1, 2, 4 5, 8, mas não sei a ordem...

Pietro: Deixa que eu resolvo isso!

Na velocidade do som, Pietro tenta todas as combinações possíveis com aqueles números. Os botões quase queimam!

Pietro: HA! 5-8-2-0-4-1 !

XxXxXxXxXxXx

Os x-men se posicionam no esconderijo de Sinistro. Logo na entrada há dois caminhos a serem seguidos. O Professor, Fera, Sam, Bobby e Pietro vão para a esquerda e Tempestade, Wolverine, Vampira, Jean e Gambit vão para a direita. Os x-men que foram pela direita vêem Escariotes caído no chão e Scott dormindo na maca. "Scott", Jean pensa ao ver o marido, e envia um comando telecinético para trazê-lo para perto dela. Escariotes acorda e encara os x-men, seus olhos encontram o de Vampira.

Vampira: Seu... MALDITO! Que você fez com Scott? Quem é você? Cadê o Sinistro?

Vampira tira Escariotes do chão e o levanta pela gola da camisa.

Escariotes: Eu... re...almente...pareço com você.

Vampira: Do que você tá falando muleque? Começa a responder as minhas perguntas ou você morre!

De repente, Sinistro surge das sombras.

SinistroÉ bonito ver a relação entre mãe e filho. Te agradeço , Vampira, pelo fiel trabalhador temporário que seu bebê morto me rendeu.

Gambit: Do que você tá falando seu monstro!

Sinistro: Quem é você pra me chamar de monstro, Remy Le Beau? Mas é verdade, peguei o corpo do seu bebê morto para criar Escariotes, mas pode levá-lo de volta, daqui a pouco eu terei um novo e poderoso filho.

Vampira: Você... é o meu bebê?

Escariotes: Me... desculpe.

Sinistro aponta para um container de vidro com um pequeno feto dentro.

Sinistro: A este eu devo agradecimentos ao meu querido casal Summers.

Wolverine: O que te faz acreditar que nós vamos permitir que você continue com esse plano?

Sinistro: Meus queridos? Vocês não tem a pretenção de me desafiar, tem?

Sinistro estala os dedos, e uma dezena de mutóides engendrados genéticamente saem de trás dele e avançam para os x-men.

Tempestade: X-men, ATAQUEM!

XxXxXxXxXxX

Os X-men que foram pela direita encontram uma cela, com uma pessoa muito improvável de ser encontrada dentro.

Fera: Mística! O que você está fazendo aqui? Você tá pior que a morte?

Mística estava muito magra e abatida.

Mística: Eu... tentei avisar vocês. Mas n-não consegui. Ele me prendeu aqui. E inibiu meus poderes para eu não fugir.

Professor: Por que Sinistro te prendeu?

Mística:

para eu não... contar...

Sam: Contar o que?

Mística: A verdade sobre Escariotes.

Pietro: Que é?

Mística: Ele é... filho da... Vampira.

XxXxXxXxXx

Os x-men começam uma briga feia com os mutóides. Sinistro observa do canto com um certo ar de calma. Tempestade, Wolverine, Vampira, Jean e Gambit começam uma briga feia. Segundos depois, Escariotes reúne todas as forças que possui e se junta à briga ao lado da mãe. Os x-men sabem que estão lutando contra o tempo, pois os mutóides são muito fortes e eles estão em vantagem. De repente, as descargas elétricas de Tempestade atingem os circuitos do laboratório. Soa o alarme:

FALHA GERAL! O LABORATÓRIO SE AUTO DESTRUIRÁ EM CINCO MINUTOS!

Sinistro: Maldição! Meu laboratório!

Quando Sinistro corre para pegar o container com o feto, uma rajada atinge o container em cheio acabando com o seu projeto. Quando ele se vira para trás assustado, vê o responsável, em pé, muito furioso.

Scott: Você não vai manipular a minha família de novo!

Sinistro: Viva com o peso na consciência, Ciclope! Você acabou de matar seu filho!

Scott: Não era meu filho. Eram algumas células que você usaria para destruir o mundo!

Ciclope atinge Sinistro no ombro. Quando atira pela segunda vez, Sinistro se desmaterializa no ar. Ele conseguiu fugir, mais uma vez.

Scott: X-MEN! Bater em retirada!

A essa altura, os mutóides já estavam desesperados com o teto desabando sobre eles, o que permitiu aos x-men fugirem com facilidade. Escariotes estava caído no chão, sem forças para levantar, quando Vampira o levantou no colo.

Escariotes: Me... deixa para trás...

Vampira: Nunca! Você vem comigo.

10...9...Os x-men encontram o resto do grupo com mística desmaiada na cadeira do professor 8...7...sobem pelo elevador 6...5... Correm para a saída da fábrica ...4...3...2... Tomam distância...1...BUM! A fábrica explode, arde em chamas, marcando o fim de uma época de muita confusão para eles que não passavam de simples humanos, vulneráveis às peças que a vida prega. Vampira ajoelhada no chão com Escariotes apoiado no seu colo, agonizando.

Escariotes: Me... Cof...cof... desculpe por tudo...

Vampira: Não fala agora, nós vamos te levar para a mansão e o Fera vai...

Escariotes: Não tem jeito... eu tô morrendo...sinistro me disse...

Vampira começa a chorar

Vampira: Eu não quero te perder de novo.

Escariotes: eu... vou ficar bem. Será que você... um dia... poderia me...

Vampira: Eu te amo! Eu ta amo muito, meu pequeno Charles.

Escariotes estende a mão e toca o rosto de Vampira, protegido por seus poderes magnéticos.

Escariotes: Eu sabia... eu podia te tocar... o tempo todo... eu podia...

Ele morre. Vampira o abraça com força e começa a chorar muito alto. Ela vendo seu filho a tocando, apenas se lembra que ele um dia morreu porque a tocou. E era apenas o seu primeiro dia no mundo. Os x-men não falam nada, nenhuma palavra.

XxXxXxXxXx

Narrador: Uma semana de tristeza se passa.

Uma semana depois, Sam Gutrhie estava andando nos corredores, levando suas roupas para a lavanderia, quando deu de cara com Jubileu.

Jubileu: Sam!

Sam: Oi Jubileu.

Jubileu: Olha, Sam, eu sei que você me pediu pra ficar longe de você, mas a morte do Escariotes mexeu comigo. Eu sei que ele não era boa gente, mas me fez perceber como as pessoas de quem a gente gosta podem ir embora de repente. E eu tenho uns assuntos pendentes com você.

Sam: Se você veio aqui querendo aliviar a própria consciência, pode ir embora.

Jubileu: Eu vim porque nós temos que conversar. Não vim aqui por mim. Quer dizer, vim também, mas o fato é que... Eu sinto sua falta. Eu to muito culpada. Você tava completamente certo e eu completamente errada. Eu sinto saudades do meu melhor amigo. Do meu companheiro de risadas.

Sam: ...

Jubileu: Me perdoa.

Sam: Tudo bem. Esquece.

Jubileu: Mas eu fui muito...

Sam: Tudo bem! Esquece, Jubi.Tá tudo bem.

Jubileu estende a mão para Sam.

Jubileu: Amigos?

Sam: Amigos.

Sam aperta a mão de Jubileu.

Jubileu: Só amigos?...

Sam: Só amigos.

Jubileu: Tá certo.

Sam: Quer me ajudar a lavar roupa?

Jubileu: Eu sou uma negação pra isso.

Sam: Tem que aprender a se virar sozinha garota. Se me lembro bem daqui a uma semana você vai ter 16 anos.

Jubileu: É verdade! Esse último ano passou bem rápido.

Sam: Só se for pra você, Jubi... Vai dar festa?

Jubileu: Acho que não. Só uma reuniãozinha. Festa da muito trabalho e muitas possíveis confusões. Que resultou numa verdadeira lavagem de roupa suja!

Sam: HahahaÉ verdade. A sua última festa deu muita roupa suja pra lavar, né?

Jubileu: HahahaÉ sim. Mas devemos sempre encarar essa trouxa pesada de roupa com muita sabedoria e cautela. Pra que quando ela for lavada, não se rasguem as rendas... da amizade e do amor...

Sam: Certíssimo! Mas por enquanto vamos lavar essas daqui que eu estou carregando agora...

E os dois amigos vão para a lavanderia.

XxXxXxXxXxXxX

Na colina com a lapide de Betsy e de Charles a qual possui uma nova inscrição" Charles Lansheer. Ele foi um filho amado e um jovem que, no final, se redimiu de seus pecados", encontra-se Vampira sentada olhando para o horizonte. De repente um certo Cajun se senta ao lado dela.

Gambit: Você tá legal?

Vampira: Vou ficar. Não se preocupe, amor. Eu não vou tentar te matar, de novo.

Gambit sorri.

GambitÉ um alívio. Você... contou para o...

Vampira: Achei melhor não, ele já possui tanta raiva no coração... não sei como reagiria.

Gambité.

Vampira: ...

Gambit: ...

Vampira: Pelo menos dessa vez, eu pude enterrar o corpo do meu filho. Agora eu tenho certeza de que ele está em paz.

Gambit: ...

Vampira: ...

Gambit: Quer dar um passeio na cidade? Beber alguma coisa?

Vampira: Vamos sim.

Vampira passa o braço ao redor do de Gambit, claro, coberto pelo casaco.

Gambit: Vou pegar a chave do carro.

Vampira: Nada disso! Nós vamos do meu jeito!

Vampira segura o ladrão de Nova Orleans por baixo dos braços e levanta vôo em direção à cidade.

Gambit: Eu te amo, chere.

Vampira: Também te amo Gambit.

Eles somem no céu.

XxXxXxXxXxX

Os X-men parecem terem mais paz no coração com tudo resolvido. A carta do anjo alegrou a todos. Vampira e Gambit estão juntos do jeito que eles podem ficar. Magneto não está mais próximo deles, não mais instigando o ciúmes e o sentimento de insegurança de Gambit diante da impossibilidade de poder tocar a amada. Sam e Jubileu voltaram a ser amigos, Jean e Scott tentam esquecer o trauma que passaram uma semana atrás. Escariotes enfim descansou em paz... Até tempestade estava reconstruindo sua estufa e comprando lindas rosas... Todos pareciam estarem melhor...

Pietro liga para a base de Magneto na Antártica:

Pietro: Pai? Todos nós conhecemos o meu irmão...