Disclaimer: furuba nom me pertence, infelizmente... mas o Yuki bem q poderia ser meu XD

Bom, essa eh a 1ª fic d furuba q eu tenho coragem de postar... espero q gostem XD ah mas eh Yuki e Tohru, heim!

Outra coisa, esse capítulo tá bem açucarado, então quem tem diabetes tomem cuidado XDD

Legenda:

- "..." – pensamento

- (...) – comentários idiotas da autora XD

Boa leitura!

Capítulo 1

Era uma vez um reino muito distante. Nele, não havia pobreza e as pessoas eram muito felizes. Este reino era governado pela família real Souma. O rei e a rainha tiveram dois filhos: o primeiro, o príncipe Ayame Souma, seria o governante, quando seus pais morressem. E o segundo, o príncipe Yuki Souma. E aqui começa a história de nosso Príncipe.

Yuki fora prometido em casamento assim que nascera. Casaria-se com a princesa do reino vizinho, chamada Tohru Honda, filha da Rainha Kyoko.

Tohru ia todos os meses com sua mãe visitar o reino Souma. Seria melhor que Yuki e Tohru se conhecessem desde pequenos para se acostumarem a conviverem juntos. Esta também seria uma forma de fazer os dois se apaixonarem, até que completassem 16 anos e se casassem.

Em uma dessas visitas...

Um garotinho olhava pela grande janela do palácio uma carruagem branca se aproximar.

- Veja, veja, meu irmão, Tohru está chegando! – dizia ele, para Ayame.

- Ah, sim, sim! Elas estão chegando! Vamos lá para fora!

Assim, os dois foram cumprimentar a rainha e a princesa.

- Muito boa-tarde, senhores. – disse Tohru, fazendo reverencia.

- Boa-tarde. – eles fizeram o mesmo, para cumprimentar as senhoras.

- Sua majestade, rainha Kyoko, por gentileza, me acompanhe. Vamos deixar as crianças brincarem! – disse Ayame.

- Sim! – ela o acompanhou para dentro do palácio.

Enquanto isso, Tohru estava sentada em um banquinho, segurando uma singela flor e sentindo seu perfume.

- Yuki, ela não é bonita?

- Sim. – ele disse, sentando-se ao lado dela.

- O que o senhor gostari... – ela foi interrompida por duas pessoas, que chegavam animadamente. – Ah! Muito boa-tarde, Hanajima, Uotani!

- Tohru, sentíamos sua falta! Você ficou muito tempo longe de nós!

- Sim, eu sei, também sentia falta das senhoritas. – ela parou um instante, olhou para os lados e disse, em seguida - Ora... onde estaria Hatsuharu-san? – Tohru perguntou confusa para Yuki.

- E eu vou saber? Esse meu escudeiro está sempre se escondendo.

- Yuki-san, tão novinho e já tem escudeiro?

- Sim. – ele dá um sorriso. – Bom, não sei se ele é mesmo meu escudeiro, mas meu irmão disse que sim. Embora eu o trate como um amigo. Na verdade ele é meu primo.

- Que bom!

Neste momento, um menino de cabelos alaranjados passa correndo por todos, seguido por um outro garoto de cabelos brancos.

- Haru! – Yuki o chamou.

- Opa! – Hatsuharu volta e vai cumprimentar todos. – Como estão meninas? – ele pega a mão de Tohru e a beija.

- Hihihi... muito bem, obrigada. – diz ela, corada.

Hatsuharu faz o mesmo com Hanajima e Uotani.

- E pra onde foi o Kyo? – pergunta Yuki para Haru.

- Ah! Nós estávamos brincando de esconde-esconde e... droga, ele ganhou!

- Hahahaha! – Kyo voltou com um sorriso de vitória nos lábios. – Não adianta, você nunca vai me vencer!

- Você me paga!

- Ei você! – Yuki chamou Kyo.

- Que que foi?

- Seja mais educado e cumprimente as garotas.

- Ah, depois.

- Quê? – Yuki não se conformava com o que acabara de ouvir. Ele sempre esteve acostumado a cumprimentar a todos e ser educado. Por que será que Kyo não era igual a ele? Está certo que ele não foi criado com tanta formalidade, mas... Yuki o achava estranho.

- Quê o que?

- Nada, esquece.

- Ah... – Tohru se levantou e foi cumprimentar Kyo. – Prazer em conhecê-lo. Sou a princesa Tohru Honda, filha da rainha Kyoko, do reino Honda. O seu nome é Kyo certo?

- É, eu sou o Kyo.

Sim, Tohru ainda não o conhecia, era a primeira vez que o via. Aliás, sempre que ia passar alguns dias lá, acabava conhecendo pessoas novas e isso a deixava muito animada.

- Pessoal... que tal nós brincarmos de esconde-esconde, igual a como o senhor Hatsuharu e o senhor Kyo estavam fazendo?

- Vamos. Vai ser divertido. – Yuki se levantou.

- Então nós também vamos, não é Hanajima? – falou Uotani para a amiga.

- Sim.

Assim, as crianças passaram a tarde brincando de esconde-esconde e outras coisas. Quando o sol começou a se pôr, Hanajima, Uotani, Hatsuharu e Kyo decidiram que já era hora de ir embora, pois estava ficando tarde.

Despediram-se de todos e cada um foi para um lado. Yuki e Tohru ficaram sozinhos, observando o sol se pôr. Até que a primeira estrela da noite surgiu no céu.

- Puxa, já está na hora de entrarmos.

- Sim.

Os dois caminharam até a entrada do palácio. Encontraram Ayame e Kyoko tomando um chá e conversando.

- Mamãe, nós ficaremos esta noite aqui, não é mesmo?

- Sim, querida.

- Que bom!

E assim eram os dias em que Tohru passava no palácio dos Souma.

Os anos foram passando e Yuki foi ficando cada vez mais bonito e elegante. O que Tohru e Yuki sentiam um pelo outro já não era mais o mesmo de quando eles eram mais novos. Ainda não descobriram o que seria aquele sentimento que fazia o coração dos dois bater mais forte, mas por enquanto não estavam se preocupando tanto com isso.

Kyo também havia crescido e se tornado muito bonito. E estava começando a sentir a mesma coisa que Yuki sentia por Tohru. E também não sabia o que era aquilo. Algumas vezes achava muito bom e outras, desconfortável. E ficava com muita raiva quando encontrava Yuki e Tohru andando juntos e ainda por cima de mãos dadas! Não queria mais ficar perto dos dois, mas às vezes era inevitável. E então, preferia ficar observando de longe esse relacionamento.

Um belo dia, Tohru e Yuki faziam um passeio pelos campos. Era primavera e aquele lugar estava todo florido. Tohru estava com vestido branco, mais leve e todo bordado. Apenas duas mexas de seu cabelo estavam presas na parte de trás. Também estava com uma maquiagem leve. Estava muito bonita.

Ela corria pelo campo, sentindo o vento em rosto. Yuki apenas a observava, admirado. Como ela havia ficado linda! Lembrava-se de quando eles eram mais novos. Sim, eles haviam mudado muito. Mas, mesmo com essas mudanças, ela continuava com aquela cara de inocente.

- Yuki! Veja! Venha ver o que eu encontrei! – Yuki foi imediatamente de encontro a ela. E quando chegou observou um pequeno coelhinho branco. – Não é fofo? – disse ela maravilhada.

- Sim. É bonitinho igual a você.

- Ah... obri-obrigada. – ela cora um pouco.

- Tohru... você sabe... que falta pouco tempo para o nosso casamento, não é?

- Sim.

- E a senhorita acha... que está preparada para isso?

- Bem, eu... creio que sim. – agora ela fica mais corada do que já estava. – E o senhor?

- Quando meu irmão me contou que você e eu estávamos prometidos um para o outro eu não consegui dizer nada. Fiquei feliz e ao mesmo tempo confuso. Você era minha amiga e agora... bom, tenho que confessar de que adoraria ser seu príncipe. Você... gostaria de ser minha princesa?

- Sim.

- Ah! Venha, quero te mostrar uma coisa! – Yuki monta em seu cavalo e ajuda Tohru a subir também. Os dois cavalgam por alguns minutos até chegarem em um lugar que Tohru nunca havia visto antes. Quando chegaram, desceram do cavalo e Yuki o prendeu numa árvore para que não escapasse, enquanto Tohru observava o local.

- Puxa! Que lindo! – ela diz com os olhos brilhando.

O lugar era mesmo incrível. Havia um lago de águas cristalinas com uma cachoeira. Os raios de sol, de final de tarde batiam nas águas formando um arco-íris. Em volta havia várias espécies de plantas e árvores floridas. As pedras molhadas pela água pareciam ouro por causa do sol que batia sobre elas.

- Gostou, Honda-san?

- É a coisa mais linda que já vi! Parece que estamos dentro de um quadro! Muito obrigada por me trazer aqui!

- Achei que ia gostar. Este lugar combina muito com você. É um lugar calmo, sereno... e muito lindo.

- Yuki... – ela estava corada. Ele estava sendo muito cortês e educado com ela.

Yuki vai até uma árvore florida e pega uma flor bem bonita. Depois volta para onde estava e coloca a flor no cabelo de Tohru. Ela cora mais ainda.

- Agora não falta mais nada. Você está perfeita.

- O senhor é muito gentil. – ela faz uma reverência.

- Haha, obrigado! – ele beija a mão dela.

- Puxa, está quente não é? Vou molhar os meus pés no lago. – ela vai até o laguinho, tira os sapatos, senta-se na margem e coloca os pés na água, que estava muito gelada.

- Como está a água?

- Muito gostosa! Bem refrescante.

Yuki observou que o sol já se punha e disse que era melhor eles voltarem, antes que estivesse tudo escuro e eles não pudessem enxergar.

- Tudo bem, então vamos. – Tohru pegou um pano e secou seus pés, depois calçou os sapatos. Novamente montaram no cavalo e cavalgaram de volta ao palácio. Quando chegaram já estava escuro e Hatsuharu os esperava.

- Chegaram tarde dessa vez... o que estavam fazendo, heim? – ele perguntou com um sorrisinho malicioso.

- Não é da sua conta. – Yuki olhou bravo para ele.

- Tudo bem, tudo bem. Não me meto mais.

- Não se preocupe, senhor Hatsuharu, nós só fomos dar uma volta nos campos. – Tohru disse com um sorriso.

- Então, vamos entrando? Já está tarde.

- Sim.

Os três entraram e nem perceberam que alguém os observava por entre as árvores e arbustos.

- "Tohru... você não pode ser dele... eu não quero... não posso deixar que isso aconteça..."

Continua...


Ahh... espero q tenham gostado do 1 cap XD

Deixem reviews, plz!

Kimi Higurashi