Quero agradecer a quem leu e reviu o meu texto e a quem só leu.

2- Adeus

Finalmente tinham chegado ao seu destino, era uma aldeia quase que reservada só para os jovens, bem no Sul do Japão, se eras jovem e estavas no Japão para te divertires de certeza que estarias lá.

Estacionaram o carro e dirigiram-se ao hotel onde ficariam hospedados. Não era bem o hotel a que estaríamos habituados, eram mais casas familiares onde ficariam alojados para o resto das férias.

Na casa que iriam ficar que estava mais para mansão do que para casa. Ao entrarem reparam que o Yamazaki e a Chiaharu já tinha chegado à algum tempo pois já estavam os dois agarrados, quer dizer a Chiaharu já estava a torcer o pescoço do Yamazaki uma vez mais. Mas quando se estavam a aproximar dos dois, o Yamazaki sussurrou algo ao ouvido da sua namorada, que imediatamente lhe largou o pescoço e deixou-o dar-lhe um beijo, a Sakura ao presenciar esta situação ficou um pouco desconfortável, não é que já não tivesse dado um beijo pois já tinha dado mas ela era mais nova, mas os colegas e amigos por vezes estavam sempre aos beijos, era quase um hábito ela já deveria saber disso, mas simplesmente não conseguia habituar-se a essa situação de ser a única rapariga que em toda a sua vida só deu três beijos e todos há mesma pessoa, os de carinho entre amigos e família não contam.

Ponto de Vista da Sakura

E lá estão eles outra vez. Sempre me disseram que o é demais enjoa, mas eles nunca enjoam.

O Yamazaki das duas uma ou disse uma mentira ou estava a olhar para outra pessoa, e nem sequer reparou que a Chiaharu estava ao pé, para o poder estrangular á vontade. Depois deve ter-lhe dito algumas palavras doces, daquelas que eu o vi a treinar e a ler em livros, e pronto as pazes estão feitas. E eu como sempre sinto-me a mais como se não pertencesse, como se fosse um bicho raro só por ter dado três míseros beijos aquele rapaz que nunca consigo me lembrar do nome, só do momento dos beijos e da cor dos olhos (n.a: quem tiver dúvidas eu disse no primeiro capítulo e a mais á frente eu revelo quem é e qual a importância para a história).

Ponto de vista Normal

"cough, cough" – a Tomoyo aclarou a voz e depois disse – "Olá! Já chegámos!"

O casal assustou-se com a saudação dos amigos recém-chegados, rapidamente se recompôs do susto.

"Olá! Estão aí á muito tempo?" – perguntou a Chiaharu um pouco vermelha, de mais uma vez ter sido apanhada num situação embaraçosa com o seu namorado.

"Não chegámos, agorinha. Foi só o tempo de mudares a mudança de matar o Yamazaki para beijares e abraçares o Yamazaki!" – respondeu a Sakura depois de ter conseguido vencer o seu "desconforto" e ao tentar engolir o riso, mas muito mal. – "Já chegou mais alguém, sem serem vocês pombinhos?"

S-sim, já che-chegaram quase todos só falta a Naoko e a Rika! Importam-se de pararem de rir, não tem piada!" – Disse a Chiaharu bem mais vermelha devido aos amigos estarem a rir-se dela e da situação em que foi encontrada.

"Tem piada sim pois somos nós que vimos a situação e não tu!" – disse uma Rika ofegante de tanto se rir – "E quem é falta?"

"Ninguém falta já chegámos todos!" – disse o Yamazaki, falando pela primeira vez.

"Vocês sabem quem é que vai ficar até o começo das aulas?" – perguntou a Tomoyo.

"Sim" – disse a Naoko – "este ano ficamos poucos"

"Bem o Ken e o Timmy tem que estar daqui a duas semanas a voltar para Inglaterra, o Toya e o Yukito vão voltar para Tomoeda para ajudarem nas empresas da vossa família, seria de esperar que vocês este ano pudessem ficar todo o ano?" – disse a Rika

"Não dá digamos que temos uma transição económica ser tratada, uma nova filial vai ser aberta neste momento estamos em negociações com uma das maiores corporações da zona e a tia Sonomi acha que está na altura de eu e o Yukito estarmos mais presentes, eu porque futuramente vou substituí-la e o Yuki porque só ele sabe explicar as últimas invenções. " – respondeu o Toya.

"Bem se é assim, o resto ficam também só estas duas semanas para a despedida pois ainda tem que terminar de arranjar onde vão ficar e como é que é tudo por lá pois só nós oito é ficamos a estudar em Tóquio." – respondeu o Yamazaki.

"Assim sendo só ficamos nós cinco." – disse a Chiaharu com um sorriso de orelha a orelha de tão feliz que finalmente iriam conseguir desencalhar a Sakura e a Naoko, especialmente sem o Toya por perto.

"Ok! É bom saber, para podermos planejar tudo ao mínimo detalhe." – disse a Tomoyo ao aperceber-se do sorriso da Chiaharu.

O Yamazaki aproveitou a deixa e ergue o seu tão conhecido dedo que diz preparem-se pois vou dizer-vos algo que não sabiam. E começa – "Vocês sabiam que á alguns séculos atrás planejar não era uma palavra e sim um acto de extrema importância que só se aplicavaaaaa..."

"Já chega de mentiras Yamazaki! Tu prometeste" – disse-lhe a Chiaharu enquanto lhe puxava uma orelha.

" e sabiam que..." - começa o Yamazaki, mas a Chiaharu aperta-lhe a orelha com mais força – "querida, isso dói muito...2

"Esse Yamazaki, não muda" – disse o Toya – "Nem sei como conseguiu convencer a Chiaharu a namorar com ele"

"Posso ajudá-los em alguma coisa" – perguntou uma voz que eles já não ouviam desde o ano anterior.

"Pode sim senhorita Mizuki! Nós queríamos dar entrada se fosse possível" – Disseram todos entre risos ao verem a cara da velha amiga. A senhorita Mizuki, já tinha uma certa idade mas continuava a ter um charme de uma jovem nos seus vinte anos. O seu cabelo embora ainda se mantenha comprido perdeu um pouco da cor viva que tinha, agora era mais escuro, e os seus olhos mostravam mais sabedoria mas o seu sorriso parecia o de uma criança que sabe o que tudo mas não quer dizer.

"Oh! Olá crianças! Já me estava a perguntar quando é que vocês chegariam" – disse com um sorriso. – bem deixa-me adivinhar o Toya e o Yukito só ficam durante 2 semanas como a maior parte do grupo, mas as meninas ficam durante todo o mês e meio?"

"Isso mesmo" – respondeu a Tomoyo.

"Bem então os quartos são os mesmos, a única excepção é que este ano depois das duas semanas a Sakura e a Tomoyo vão ter ao lado delas um quarto ocupado por duas primas também é a primeira vez que elas vêm, vocês poderiam-lhes mostrar o sítio seria um enorme favor que me faziam." – disse a senhorita Mizuki.

"Claro que sim" – respondem em conjunto a Sakura e a Tomoyo com um enorme sorriso no rosto. – "Será um prazer para nós!"

"Obrigado! Aqui tem as chaves dos vossos quartos, está tudo como vocês gostam, e esperam que gostem da estadia connosco"

"E não gostamos sempre?"

Deixaram os seis a sala de entrada e dirigiram-se os seis para o seu quarto. O Yukito e o Toya partilhavam o mesmo quarto, assim como a Naoko e a Rika, a Sakura e a Tomoyo, para pouparem mais umas moedas, par puderem gastar em gelados e roupa, as raparigas pelo menos. Os rapazes é para material informático essencialmente.

Passou-se uma semana desde a sua chegada, e faltava uma semana para a partida de todos, então decidiram organizarem quase todos os dias, jogos e festas para poderem se despedir em grande.

Nesta primeira semana fizeram de tudo um pouco fizeram jogos tipo, caça ao tesouro, quem se conhece melhor, apanhada. Em relação ás festas eram temáticas, o tema era á escolha de quem ganhasse o jogo.

Nessa noite quem tinha ganho o jogo foi a Sakura e era uma festa havaiana. Onde tinham que ir de biquini ou de calções de banho. O local da festa estava todo organizado para a festa. E então a festa começou, todos estavam vestidos a rigor, ou deverei dizer despidos. A Rika usava um biquini azul marinho e uma canga azul, a Chiharu ia com um biquini verde e uma canga esverdeada, a Naoko levava um biquini estampado com as cores amarelo, vermelho e laranja e com uma canga do mesmo tom, a Tomoyo levava um biquini lilás com uma canga roxa com peónias estampadas a branco, e a Sakura leva um biquini rosa com uma canga branca com pequenas sakuras estampadas em rosa. Os rapazes vestiam todos o mesmo tipo de calção de banho pelo joelho e todos da mesma cor preto.

A festa foi bestial todos dançaram e divertiram-se ao máximo, o Toya não ligou muito á Sakura nem aos rapazes que metiam conversa com ela. Apesar de se sentir triste por não ter um namorado ela não queria um que só se interessasse pelo seu corpo, e da festa acabou por aproveitar quase nada, na opinião das suas amigas, mas...

Ponto de Vista da Sakura:

Porque é tão importante para elas que eu encontre alguém, sim eu sei que sonho muitas vezes com isso, mas é isso mesmo é só sonhar, eu não quero isso para já muito menos com rapazes como aqueles que devem ter um problema qualquer para não me olharem nos olhos.

Sinceramente que raiva que esses cabeças no ar me dão. Só me apetece é bater-lhes...

Neste momento apetece-me é aproveitar a calma das ondas do mar e deixar a sua música fluir para dentro do meu corpo.

Lá vem elas outra vez para me apresentarem outro palhaço.

Ponto de Vista Normal

"Então Sakura na primeira oportunidade que tens desapareces, e nós feita loucas á tua procura!" – diz a Chiaharu um pouco aborrecida.

"Vocês estavam á minha procura para quê?" – perguntou uma Sakura tanto ou mais aborrecida que as suas amigas.

"Oh, era só para te apresentar-mos mais umas pessoas! Sabes para teres mais amigos" - disse a Naoko – "Por favor, ajuda-me, salva-me!" – sussurrou-lhe de maneira a que só a Sakura pudesse ouvir.

"Disseste alguma coisa Naoko é que nós não ouvimos muito bem!" – disse a Rika.

"Não ela, não disse nada, agora vamos lá, apresentem lá essa pessoa que vocês acham que eu quero conhecer!" – disse a Sakura.

"Obrigado" – agradeceu a Naoko.

As festas eram mais ou menos sempre assim, ora era a Sakura a refugiar-se e a esconder-se ou era a Naoko. Mas por mais que elas se escondem-se as sua amigas nunca desistiam de lhes arranjar um par para uma dança. Elas Chegaram até a desaparecerem juntas, a dançarem juntas e cada uma olhava pela as costas das outras caso as suas "queridas amigas" viessem tentar arranjar-lhes mais uns amigos.

O mais espantoso destes amigos é que no dia seguinte lembravam-se vagamente de as conhecer, e então quando elas estavam na praia, ou a fazer qualquer actividade, eles apareciam sabe-se lá bem de onde.

"Ok! vocês tinham razão, eles são chatos e não tem nem dois dedos de conversa interessante! Não voltamos a repetir a graça! Agora por Kami-Sama tirem-nos daqui!" – disse a Tomoyo enquanto tentava manter longe os rapazes que tinham apresentado ontem á Sakura e á Naoko, eles não descolavam.

"Prometem não voltar a fazê-lo?" – perguntou a Naoko com um ar sério, como se a vida delas dependesse disso.

"Não voltamos, nós prometemos! Agora se não se importam tirem-nos de trás de nós" – disse a Chiharu farta de fugir daqueles rapazes.

"Oh, está bem!" – disse a Sakura num tom triste – "TOYA!"

"O que foi?" – perguntou o Toya.

"Estes rapazes não nos deixam em paz!" – disse a Sakura com um ar inocente – "Estão nos a importunar!"

"HEY! DEIXEM A MINHA IRMÃ EM PAZ!" – os rapazes olharam todos para ele, e assustaram-se ao verem como ele está vermelho, não sabendo se era devido ao calor que estava nesse dia ou de raiva, decidiram fugir.

"EPA NÃO TE PREOCUPES QUE NÃO VOLTAMOS AQUI" – gritaram alguns deles, pois ele estavam alojados numa casa do outro lado da praia.

"Contente Sakura?" – perguntou o Toya.

"Sim muito obrigado maninho!"

Por mais estranho que pareça as meninas durante o resto dessa semana descansaram nem quiseram saber dos próprios namorados de tão aborrecidas que estavam com a situação embaraçosa que passaram.

As duas primeiras semanas de férias chegaram assim ao fim, e com elas o grupo de 20 amigos (n.a: eu sei que só falam poucos mas não me lembrei de muitos nomes) iria se despedir para sempre, este seria o último dia em que eles entrariam numa sala onde todos estivessem presente.

"Bem a partir de amanhã seremos menos por um bom tempo, pois nem todos vão cursar na Universidade de Tóquio" – começou a Sakura, com lágrimas nos olhos.

"Mas vocês não se podem esquecer de nós nem do tempo que passámos juntos! E se tiveram algum problema não evitem em ligar, pois nós estamos a um telefonema de distância!" – continuou a Tomoyo no mesmo estado em que a Sakura e todas as outras meninas estavam.

"Sabiam que os telefonemas começaram, há muito tempo atras, mas antes eram feitos com fumo, e tudo começou quando uma cozinheira que cozinhava para o Rei..." – começou o Yamazaki a tentar levantar a moral do grupo.

"Cala a boca Takashi" – disse a Chiaharu, enquanto estrangulava o seu namorado lágrima ciam-lhe pelos olhos.

"Eu acho que falo por todos quando digo que vocês foram os melhores amigos que nós poderíamos ter pedido para os longos anos que passámos longe do nosso país!" – disse o Ken – "Vocês acolheram-nos e não se importaram com a nossa maneira e costumes! Mas Por Favor não chorem! Eu não quero que a nossa...a minha (ao ver que os outros lhe faziam sinal que apoiavam as suas palavras)... a nossa partida seja mais uma festa e não algo triste" – disse um pouco emocionado – "Quero agradecer a todos! E Toya fogo tu não deste espaço para ninguém se aproximar da Sakura, o que queres que ela seja, FREIRA?" – perguntou um pouco incrédulo, mas fazendo todos rir.

"Claro que sim!"

"HEY, eu não vou ser freira, nem sonhes com isso!"

"Bem é melhor nós despedirmos já pois amanhã temos que voltar bem cedo, não é Toya?" – disse o Timmy de maneira sarcástica.

"Sim é verdade!" – bufou o Toya.

Despediram-se todos uns dos outros, uns dizendo até qualquer dia pois não tinham dia certo para o reencontro talvez nunca mais se reencontrassem, outros até ao início das aulas em Tóquio.

E assim cada um foi para o seu destino, seis ficariam ainda de férias, os restantes voltariam ou para Tomoeda, o Toya e o Yukito, ou para o seu país de origem a fim de prepararem a sua ida para a faculdade.

Aqui está mais um capitulo, por favor REVIEW, digam se gostaram.