N.A. O.k. vou editar toda uma fanfic e mudar completamente a hist...ou melhor adiantar a hist...jogar pra anos e anos depois...

Mudando o argumento central eu sei... Mas no final é a mesma fanficPor que to fazendo isso? Por que a anterior era um projeto lindo... Mas muito grande pra eu conseguir completar... Então vou adiá-lo pra outra fase de minha vida.

Bem espero que gostem vai ser completamente HG hehehehe co passagem dos outros casais... mas esse com certeza é o central.

Vamos a essa...

Sinopse: Harry Rony e Mione vão atrás das Horcruxes. Deixando uma apaixonada Gina para trás, e mesmo ela entendendo os motivos deles; se junta a mais três amigos e começam ajudar da única forma que foi possível. Curando os feridos das batalhas.

Acabando por ajudar todos que aparecem sem fazer perguntas. E assim vendo varias facetas de uma guerra que a cada novo paciente mostra-se mais absurda...

Mas o ministério não vê isso com bons olhos, nem muitos da sociedade. Tudo só piora quando o trio volta e da de cara com vários comensais da morte sempre cuidados por seus amigos...

DisclaimerMeu nome está nos livros? Não. Meu nome ta nos créditos do filme? Não. Ou seja... Não me pertence e tudo aqui pertence a J.K. Rowling e aos que tem direitos por lei. Eu só tive a idéia de escrever isso. E pode ter certeza que não ganho nada além do prazer e da minha tendinite atacada certo?

ShippersHP/GW, HG/RW,(somente citados) NT/RL,(aparição rápida) SS/RW(Central.)

Atenção! Tem citação dos livros!

Prólogo

O "campo de batalha" dessa vez nada mais era do que a casa de uma pobre família trouxa, alias, era uma casa! Agora eram os escombros da casa. Sempre assim, "campos de batalhas diferentes dos contos épicos onde era um grande vale verde ou um nada... Na pior das hipóteses uma casa abandonada. Ah! Mas na vida real era muito, muito diferente. Sempre eram em locais improvisados, onde um foi para atacas e o outro teve de se defender rapidamente.

Um cenário deprimente, o cheiro de sangue era contagiante e asqueroso, a luz elétrica da lâmpada do hall piscava em intervalos descontínuos soltando faíscas, as paredes tinham vestígios de feitiços dos mais diversos e a escada com o corrimão quebrado levava a outro andar quase sem paredes. Pelo chão se via destroços misturados com sangue, líquido de procedência duvidosa e pedaços de carnes irreconhecíveis.

A marca negra pairava no ar. Só que Gina e Neville nem prestaram atenção nela, alias nem nela, nem o cheiro, nem a magia que pairava no ar. Preocuparam-se sim com o sangue, e com os pedaços disformes.

- Gina, eu cuido disso. Vai lá em cima e veja se acha alguém mais... Inteiro...

- Não precisa pedir duas vezes. Detesto recolher pedaços.

E subindo de dois em dois os degraus já correu e no primeiro quarto aparentemente nada, além da destruição já esperada e do sangue espalhado escorrendo da única parede em pé, no entanto foi só levitar o armário jogado pra encontrar um corpo de um homem. Preferiu nem olhar muito para o rosto como já era seu costume.

Tocou com a varinha e viu, ele ainda vivia, mas estava preste a morrer. Fez um feitiço curativo rápido, estancando a ferida feia aberta no centro do peito. E outro para baixar a febre

Conjurou uma maca para ele fazendo com que essa já a seguisse. Nos outros quartos não achou ninguém comente um braço sem dono. Pegou com cuidado e colocou na maca ao lado do corpo. Tentaria através disso ver se poderiam enterrar pelo menos todos os pedaços do mesmo dono juntos. Seja lá quem for.

Depois foi ao banheiro e viu parede jogada sobre a banheira. Sua experiência mostrava que devia sempre olhar tudo. Afinal se não olhar seu trabalho ali era inútil. Seria igual aos homens do ministério. Levantando com um aceno de varinha viu ali um embrulho.

Correu desesperada enquanto murmurava pra si mesma:

- Por Merlin! Que esteja vivo.

Pegou o embrulho no colo e já sentiu o calor do corpinho do bebê, ajeitou o pano e o viu dormindo , respirando calmo, mas com um corte profundo no braço.

Já havia visto de tudo nos escombros, mas, sempre ficava preocupada com os pequenos. Eram sem a menor duvida os que mais sofriam.

Muitas vezes eram atacados que nem os adultos não tendo nem metade da dimensão e experiência.

Desceu carregando o pequeno pacotinho com a maca atrás, vendo Neville colocar um dedo em cima de mais uma pilha de pedaços em outras duas macas lotados já deles, ao lado, outras três contendo corpos.

- Ah Não! Me diga que está vivo! – Neville falou cansado olhando-a

- Sim , felizmente sim, só com um corte, pelo menos superficialmente.

O amigo suspirou aliviado sorrindo.

- Mais um anjinho pra loira.

- Não sei como a Luna não pira com tantos. – Gina fala zombeira.

Continuam conversando saindo da casa. Tomando cuidado para que nada ou ninguém cair das macas, passando uma por uma para fora.

- Olha, eu a namoro já faz três anos. E divido o quarto a dois. Não queira vê-la brava, por que quando ela sai do sério realmente não é bonito.

- Pior do que eu? Pior do que a Dianna?

Deu um sorriso de lado.

- Você já ouviu que a calmaria precede uma tsunami? Pois é... e bota tsunami nisso!

- Pronto Nev?

- Pronto!

Ambos aparataram na frente de uma casa com todas as luzes apagadas, entraram pela porta de vidro e lá dentro tudo mudou estavam no saguão de um grande hospital super iluminado com pessoas correndo para todos os lados vestindo veste bruxas laranja e douradas similares as de Neville e Gina usavam naquele instante, correndo para todos os lados.

- Tome o bebê leve pra Luna. Deixa que eu os leve!- Gina dá o Bebê nas mãos de Neville e já sai andando na direção contraria com uma sinistra carreira de macas atrás.

O homem sem pensar duas vezes pega as escadas para a ala infantil.

Assim que Gina entrou na sala viu cheia de corpos nas macas flutuantes varias voluntárias e enfermeiras andando. Mas foi direto numa moça alta, bem magra de cabelos negro em um coque e óculos escondendo olhos negros penetrantes.

- Sabia que tinha um bebê lá?- Gina fala colocando as macas alinhas com as outras e já começando a tratar o homem que tinha resgatado.

A outra bufou balançando a cabeça negativamente.

- Sempre tem. Mas ele estava vivo?

- Sim estava Dianna.- Gina sorriu feliz.

- Nossa! Que bom! - A morena sorriu feliz enquanto passava pra um dos corpos que Gina trouxe e passava a varinha sobre ele.

- Esse aqui, vou mandar pra UTI urgente, esta com hemorragia interna.- Ia falando enquanto via a varinha mudar de cor- Nossa!Órgãos perfurados, ossos quebrados, rosto desfigurado, foi torturado! Não sei como ainda vive!- Falou alarmada já administrando feitiços de cura e fazendo sinal pras enfermeiras a ajudarem- RÁPIDO! Montem a sala de operação!- Ordenou alarmada já puxando as mangas.

Gina passou o que estava cuidando pra duas enfermeiras e foi junto com Dianna para a sala de operação. Ficaram lá durante mais 4 horas até que conseguiram colocá-lo na UTI sobre observação a noite toda, rezando para que sobreviva.

Cansadas dirigiram-se para a sala de Dianna. Mandando um bilhete para Neville e Luna que chegaram logo depois.

- Meninas, são cinco horas da manhã sabiam?!- A loira falou conjurando quarto cafés pretos.

- Sim. Fomos informadas quando saímos da operação. – Dianna disse.

- Ta na hora de trocarem os turnos, estão acordadas a pelo menos 27 horas.- o Único homem na sala falou sentando no sofá.

- Vocês também.

- Mas nós, ao contrario das duas, não acabamos de sair de uma operação. – Luna falou sentando na mesa e cruzando as pernas.

Dianna sorriu meiga antes de responde:

- Certo se prometerem colocar o moço que no segundo andar se ele sobreviver...

- Um então era um Comensal?

- Sim era, que convenientemente o ministério "esqueceu" lá para morrer. - Gina disse revoltada- Sinceramente quanto mais fico aqui quanto mais vejo que eles agem todos iguais!

- Sempre soubemos, por isso fundamos montamos a Casa Albus Dumbledore. – Dianna disse sorrindo.- Para pelo menos aqui, as vítimas, trouxas, comensais, aurores e os da ordem sejam tratados como iguais. Sem descriminação e sem perguntas. E que possam sair andando pelas próprias pernas pela porta da frente.

- Não seja modesta entre nós, você montou. - Neville falou bondoso.

- Eu idealizei. Somente isso! Nos todos que montamos.

- Bem, to adornado a conversa, mas a senhoritas tem de ir andando! Não é saudável pra duas moças de dezoito anos estarem acordadas há 27 horas! Ordens médicas!- Luna falou com tom materno as expulsando da sala.

A morena e a ruiva subiram para o ultimo andar onde havia uma espécie de apartamento, cada uma seguiu para seu quarto.

Dianna logo dormiu olhando lua, mas Gina não. Ficou a fitar o céu sentada no baywindow já de camiseta de dormir. A camiseta que Harry Usava pra jogar quadribol.

- Aquele comensal foi torturado por aurores. Por gente que se diz do lado do bem. Tanto mudam nessa guerra, tanto cometem atrocidades. Tantos ficam frios e tristes. Tantos se arrependem... - olhou para a foto em sua mão. Onde ela e Harry estavam debaixo de um arvore abraçados.

Fazia dois anos que não o via. Foi num natal onde viajou para a frança e passaram dois dias juntos lá longe de tudo, nem saiu do quarto.

Desde então só se falavam por lareira ou carta. Que óbvio nunca era mandada por coruja e sim passada de mão em mão dentro da Ordem até chegar um no outro.

Sentai saúdes do toque dele em sua pele, e das conversas deles.

Contudo, tinha medo de que quando o visse descobrisse que o Harry de dois nãos atrás tinha mudado para m Harry igual a todos esses que participavam da guerra. Perdendo s escrúpulos em busca de um único objeito.

Amava-o muito e não suportaria isso. Nessas horas é que invejava saudavelmente Luna e Nev, eles sabiam exatamente o que o outro pensava. E sentia.

A parte de sentir ela não invejava por que tinha. Ela sentia tudo que Harry sentia e sentia quando ele pensava nela. Sabia quando ele corria perigo e ocorria o mesmo com ele.

Por isso caba dia que ficava longe sofria em triplo, pois alem do sofrimento da distância, sofria por saber como ele estava, e sofria por não saber no que ele estava transformando-se.

- Espero que você não faça nada que possa se arrepender Harry...

N.A. Espero que tenham gostado do prólogo da minha fanfichehehe