Eu me chamo Rin Kawasagi, tenho 23 anos recém-completados, formada em Marketing e Propaganda, solteira e independente. Durante muito tempo senti que minha vida não fazia o menor sentido, não havia nada demais. Era como se eu fosse um robô préviamente programado, levava uma vida tida como normal para 90 das pessoas, trabalhando e estudando, enfim buscando garantir o meu futuro. Tudo o que eu fazia era metodicamente programado e eu parecia estar em piloto automático. Acordava pela manhã ía para o estágio depois pra faculdade, depois casa. A vida ía passando sem que eu percebesse e isso aconteceu depois que eu me vi sozinha no mundo.

Meus pais morreram em um acidente de carro quando eu tinha 18 anos, à partir daí, eu deixei de viver para apenas sobreviver. Continuei com a minha vida sim, mas ela jamais foi a mesma. Não que eu tivesse entrado em depressão ou algo desse tipo, mas a vida perdeu a graça pra mim. Meu consolo foram a minha carreira, meus amigos e a minha prima Kagome, ela e a família me deram muito apoio nos momentos mais difíceis e me ajudaram a segurar a barra.

Atualmente estou fazendo pós-graduação em Marketing empresarial na Universidade de Tóquio, a melhor do país, e estou prestes a apresentar meu trabalho de final de curso. Eu tenho me empenhado para fazer o melhor trabalho, lendo muito e fazendo pesquisas intensas. Graças aos deuses eu tenho o que chamam de uma mente privilegiada, sempre fui ótima aluna, mas nunca aceitei o rótulo de CDF porque fujo totalmente a esse esteriótipo.

Segundo as novas regras da Universidade o trabalho poderia ser feito em dupla, então eu acabei por me assossiar a outro dos melhores alunos do curso, Inuyasha Taisho. Nós nos conhecemos no início do ano passado. Sempre estudamos na mesma Universidade, mas como éramos de turnos diferentes nunca nos encontrávamos. Apesar disso eu sabia exatamente quem ele era. Filho de um dos maiores magnatas do país, ele estudava para seguir os passos do pai e do irmão mais velho e assumir sua posição dentro do conglomerado de empresas adminstradas pela família.

Inuyasha e eu nos demos bem logo de início. Ele é um cara legal bem humorado e gentil, apesar de ser esquentadinho em alguns momentos, além de lindo de morrer. Logo nos tornamos bons amigs e ele passou a fazer parte da minha vida, assim como da vida da minha prima que morava comigo.

Quando acertamos de fazer o trabalho juntos, combinamos que nos reuniríamos de tempos em tempos para ver o que cada um tinha de material e iriamos organizando e revisando.

Num domingo de sol, combinamos de nos reunir na casa dele. Ele disse que alguns amigos iriam almoçar lá, mas que nós poderíamos trabalhar no escritório sossegados e depois aproveitar o resto do dia na piscina com o pessoal.

Eu nunca tinha estado na casa dele antes. Cheguei por volta das nove da manhã como ele recomendou em companhia de minha prima Kagome, então namorada de Inuyasha. Eu os apresentei e a cerca de oito meses e eles começaram a namorar.

- Bom dia meu amorzinho! - Kagome disse se jogando nos braços de Inuyasha.

- Bom dia Kagome! - Ele respondeu sorrindo e a beijando.

- Eu tenho mesmo que ficar aqui debaixo desse sol vendo vocês dois se agarrarem? - Perguntei fingindo irritação.

- Desculpe Rin-chan. Vamos entrem e fiquem à vontade.

Entramos na luxuosa mansão e fomos conduzidas até uma mesa com um maravilhoso café da manhã.

- Vocês querem tomar café? - Inuyasha perguntou.

- Aceito. Estou faminta. - Kagome respondeu.

Nos sentamos à mesa e comemos tranqüilamente conversando, até que uma voz vinda da sala ao lado chamou nossa atenção. A pessoa parecia discutir com alguém.

- Não me interessa o que você pensa. Apenas faça o que eu mandei. - A voz masculina disse em um tom severo mais sem se alterar. - Por acaso você esqueceu com quem está falando? Eu quero tudo pronto amanhã no primeiro horário.

Kagome e eu trocamos olhares curiosos. Inuyasha percebendo isso tratou de nos informar.

- Não se preocupem. Não é nenhum general ou tirano, é apenas o meu irmão. Ele chegou ontem à noite após uma temporada nos Emirados Árabes e parece que está estressadinho. - O hanyou disse sorrindo.

Segundos depois a figura que até então tinha apenas voz apareceu na porta da sala de jantar. Senti meu coração parar por um breve e quase infimo momento.

Por todos os deuses que homem era aquele? É fato que Inuyasha é um homem bonito e que muitas mulheres se mordem de inveja da minha prima, mas aquilo que eu via naquele momento era uma versão aperfeiçoada dele. Mais alto, mais velho, mais maduro, mais forte, mais bonito e mais sério também. Embora muitas caracteríticas físicas fossem semelhantes, como os incomuns olhos dourados, os cabelos prateados e longos, a pele alva e a altivez, que eu tenho plena certeza ambos herdaram do pai, que tive a oportunidade de conhecer há algum tempo, era notável que tudo o que de melhor havia em Inuyasha nele era ainda mais acentuado.

Meus olhos se fixaram naquele homem, mas ele parecia nem ter notado minha presença ali.

- Eu ouvi o que você disse pirralho. - A voz grave e ao mesmo tempo suave ecoou.

- Ouviu? - O mais novo indagou sorrindo. - Bom dia pra você também Sesshoumaru! Está de mal humor logo pela manhã, num dia lindo como esse?

- Quem disse que estou de mal humor? - O mais velho indagou tranqüilamente ainda encostado ao batente da porta.

- Não deveria mesmo depois de ontem à noite. O que houve com aquela mulher que estava com você?

- Está lá em cima, dormindo.

Inuyasha lançou um sorriso malicioso ao irmão e este não correspondeu.

- Ela é um mulherão Sesshoumaru. Nossa!

- Bom dia Kagome! - Sesshoumaru a cumprimentou. - O que você acha desse comentário pertinente do meu irmãozinho?

- Bom dia Seshoumaru! - Kagome respondeu ainda emburrada e olhando feio para Inuyasha.

- Kagome não dê ouvidos ao que ele diz. Eu só fiz um elogio, a Kagura é realmente muito bonita. Você acha que eu iria mexer com outra mulher tendo você, ainda mais a mulher do meu irmão?

- Eu acho bom que você nem cogite essa possibilidade. - A jovem falou o fitando.

Sesshoumaru se sentou à mesa e pareceu finalmente ter me notado. Olhou para mim com aqueles orbes dourados magníficos e com um olhar profundo que parecia transpassar o meu corpo.

- Bom dia! Acho que não nos conhecemos.

- Ah! Sesshoumaru essa é a Rin, minha amiga e colega de faculdade. Estamos fazendo o trabalho final juntos. Ela e Kagome são primas.

- Muito prazer. - O homem disse estendendo a mão para mim.

- O prazer é meu.

Continuamos sentados à mesa desfrutando do café da manhã e eu não conseguia evitar que meu olhar recaísse sobre a figura daquele homem. Apenas alguns minutos depois chegaram os amigos de Inuyasha e Kagome. Miroku, Sango, Ayame e Kouga. Eu já os conhecia, então quando chegaram eles me cumprimentaram e depois foram apresentados a Sesshoumaru.

O dia passou, Inuyasha e eu ficamos no escritório como combinado trabalhando enquanto os outros ficavam na piscina. Paramos apenas para o almoço, que foi muito agradável em companhia dos pais de Inuyasha, Sesshoumaru e a tal mulher que fora mencionada no café da amanhã. Ela era de fato linda. Perfeita para Sesshoumaru, parecia ter sido feita sob encomenda para ele. Alta, esbelta, cabelos castanhoas curtos até os ombros com um corte moderno, belíssimos e inusitados olhos vermelhos e classe. Como aquela mulher tinha classe.

Durante todo o almoço eu estranhamente não conseguia tirar os olhos daquele homem que me fora apresentado há apenas algumas horas e ele parecia ter percebido isso. Ele me encarava também e eu pude perceber um leve sinal de divertimento em seus olhos. Ele se divertia com a minha fascinação e minha fraqueza por não conseguir encará-lo de frente.

Três meses depois

Por causa do trabalho, eu fui muitas vezes à casa dos Taisho e não posso negar que me dava certo prazer pensar na possibilidade de encontrar Sesshoumaru por lá, o que ocorreu em várias ocasiões. Nos falávamos ocasionalmente quando nos encontrávamos lá, ele sempre muito sério e cada dia mais lindo.

Certo dia, como combinado, após o almoço nós voltamos ao trabalho, estávamos prestes a terminar faltava apenas fazer uma síntese do material utilizado e a análise bibliográfica. Tínhamos plena confiança de que tudo saíra perfeito e a apresentação à banca seria impecável.

Mais uma vez os amigos se encontraram para mais um dia de diversão e nós ficamos presos ao trabalho. Eles foram à inauguração de um restaurante temático, cujo dono era amigo de Miroku e mesmo contrariado Inuayasha permitiu que minha prima fosse.

No final da tarde o céu começou a ser tomado por densas nuvens. Todos já tinham ido para casa, apenas eu e Kagome ficamos.

- Acho melhor irmos antes que comece a chover. - Kagome falou enquanto era abraçada por trás por Inuyasha.

- Ah Kagome! Não vai, fica comigo essa noite. Você saiu sozinha e eu não me opus, mas agora eu quero ficar com você.

- Ah amor! Eu não saí sozinha. Estava com nossos amigos.

- Mas estava sem mim. Você entendeu o que eu quis dizer.

- Entendi sim. Mas Inuyasha com essa chuva que está para cair, nós nem vamos poder sair.

- Não precisamos sair pra ficarmos juntos Kagome. Podemos ficar aqui mesmo. - Ele falou beijando o pescoço dela.

Não precisava ser um gênio para entender o que o rapaz queria. De fato com tanto trabalho nos últimos meses, eles quase não tiveram tempo de ficarem juntos. Eu estava sentada na poltrona e observava os dois trocarem carinhos com uma pitada de inveja.

- Gente eu vou indo. Kagome você fica aqui, eu levo o carro, mas amanhã eu venho te buscar se você quiser.

- Não precisa Rin-chan. Eu a levo amanhã, pode deixar.

- Então está certo.

- Mas Rin-chan, eu não vou ficar tranqüila se você sair sozinha. Com certeza essa chuva vai ter pegar no caminho. E se acontecer alguma coisa? Se o carro enguiçar?

- Não seja pessimista Kagome. Não vai acontecer nada.

- Eu levo você pra casa. - A voz dele de novo.

Essa voz me perseguia, eu a ouvia até em meus sonhos. Ouvia-o chamando meu nome de forma sussurrada ao meu ouvido e sempre acordava ofegante e decepcionada ao me ver sozinha na cama.

Sonhar com Sesshoumaru era algo realmente estúpido para uma mulher inteligente como eu fazer. Ele tinha uma mulher, ou várias, todas lindas e perfeitas, jamais me notaria. Eu uma simples mortal, desejando o inatingível.

As sensações que esse homem me causava começavam a me incomodar. Interferiam na minha concentração, no meu trabalho e na minha vida. Simplesmente não conseguia parar de pensar nele.

Sesshoumaru vinha descendo a escada e ouviu a nossa conversa.

- Não precisa se incomodar. - Eu disse tentando conter meu nervosismo.

- Não é nenhum incomodo. Eu estava mesmo indo para casa e tenho que passar no escritório. É caminho para a casa de vocês pelo que Inuyasha me disse.

- Você vai ao escritório há essa hora? Num sábado? - Inuyasha indagou incrédulo.

- Qual o problema? Eu tenho muitas coisas a resolver. Vou pegar alguns documentos para analisar em casa.

- Tudo bem workaholic. - Inuyasha disse divertido.

Eu soube depois por Inuyasha, que Sesshoumaru tinha voltado ao Japão para assumir a presidência do Grupo. O patriarca da família decidira se aposentar e desfrutar de momentos de paz em viagens pelo mundo ao lado da esposa.

Sesshoumaru me levou em casa àquela noite. Entrei no carro esporte preto dele e logo a partida foi dada. O automóvel deslizava pelas ruas da cidade, que estavam molhadas e por isso brilhavam refletindo as luzes.

Mantive-me em silêncio e ele também, mas eu sentia seus olhares sobre mim vez ou outra. Ele parecia me analisar e isso me deixava cada vez mais ansiosa.

Minutos depois o som da campainha de um celular ecoou. Olhei para o painel do carro e identifiquei que o aparelho estava conectado a ele. Sesshoumaru atendeu a ligação através do viva-voz.

- Moshi moshi.

- Olá sumido!

- Oi Kagura! - Ele respondeu simplesmente.

Meu coração alterou ainda mais o ritmo das batidas ao ouvir aquele nome. Procurei ficar o mais quieta possível para evitar que ela me descobrisse ali. " Droga, ele ainda estava vendo essa mulher".

- Sesshoumaru nós podemos nos ver hoje?

- Não sei Kagura, eu estou meio ocupado. - Ele respondeu olhando para mim.

- Ah amor! Você precisa parar de pensar só em trabalho. Eu estou com saudades. - A voz dela soava sensual e melódica.

Não preciso dizer o quanto aquilo estava me constrangendo. Ela continuou.

- Por que você não vem aqui em casa? Eu espero você com a banheira cheia e com uma garrafa de champanhe gelada...

Sesshoumaru voltou a olhar para mim e não sei porque razão sorriu. Meu coração parecia querer saltar do peito. Pelos deuses, eu não queria estar ouvindo aquilo. Eu não deveria estar ouvindo aquilo.

O homem ao meu lado pareceu perceber a minha perturbação, mesmo que eu tenha desviado o meu olhar para a janela e observasse a rua. Ele continuou a me olhar, eu podia sentir, além de ver pelo reflexo no vidro.

- Kagura eu não posso vê-la hoje.

- Por que não?

- Eu já disse, estou ocupado. Você está agindo como se não tivéssemos nos visto ontem.

- O que tivemos ontem não foi suficiente... Eu quero mais... Eu quero você.

"Meu Deus eu quero morrer. Isso não pode estar acontecendo. Eu não acredito que tenho que ficar ouvindo isso".

Seshoumaru olhou para mim mais uma vez e dessa vez eu o encarei demonstrando toda a minha insatisfação.

- Já chega Kagura. Eu preciso desligar... Depois nos falamos.

Ele desfez a chamada e voltou a dirigir. O clima de tensão entre nós tornou-se quase insuportável. O carro parou de repente o que chamou minha atenção e eu me virei para frente. Ele havia parado respeitando o sinal vermelho. As mãos fortes pousadas sobre o volante e o olhar se voltou para mim.

- Me desculpe por isso. - Ele falou serio, o que de certa forma me surpreendeu.

Eu não consegui dizer nada, o olhar dele me fazia ficar paralisada. O homem ao meu lado voltou a dirigir em silêncio até chegarmos ao nosso destino.

Chegamos à frente da minha casa e eu agradeci pela carona. Rapidamente abri a porta do passageiro e saí. Sesshoumaru também saiu e me observou dar a volta no carro para alcançar a calçada.

- Rin?

Eu o ouvi me chamar e meu corpo todo estremeceu.

- Sim? - Me virei para encará-lo e tenho certeza que meu desconcerto era visível e quase palpável.

Trust me when I say

Acredite em mim quando eu digo

I've been waiting for this day

Eu venho esperando por esse dia

Just look me in the eye and know

Apenas olhe em meus olhos e saiba

that I want it this way

Que eu quero desse jeito

Ele caminhou até mim olhando fixamente em meus olhos. Estava tão próximo que eu conseguia sentir seu perfume e sua respiração de encontro ao meu rosto.

- Você está bem? - Ele perguntou com uma voz baixa e extremamente sensual.

- Estou. - Respondi meio hesitante.

- Minha relação com Kagura incomoda você?

Eu o olhei confusa. Que tipo de pergunta era aquela?

- O que... você quer dizer com isso?

- Acho que a minha pergunta foi bastante clara Rin. - Ele falou tão seriamente que me irritou.

- Por que eu me incomodaria com o que você faz ou deixa de fazer com a sua mulher?

- Minha mulher?

Eu dei um passo para trás me afastando dele o suficiente para recuperar parte da minha sanidade e concluí.

- É. Sua mulher.

- Kagura não é minha mulher Rin.

Eu cruzei os braços sobre o peito abraçando meu corpo, estava ficando frio e o vento começava a ficar mais forte. Ele voltou a se aproximar subindo a calçada onde eu estava.

- É por isso que você fica tão nervosa e desconcertada perto de mim? Você acha que tenho algum compromisso com a Kagura?

- Não é da minha conta o que você tem com ela. - Falei trêmula e ele percebeu.

- Você não se importa então? - Ele falou com a voz tão serena, exatamente como nos meus sonhos.

Eu fechei os olhos por um momento e senti algo me envolver pela cintura. A respiração e o hálito quente dele vinham de encontro a minha face fria. Ele ergueu meu rosto delicadamente com uma das mãos.

- Rin olhe para mim.

- Não. - Respondi de forma quase infantil.

- Se disser que não se importa eu deixo você em paz.

Abri os olhos finalmente para encarar os orbes majestosamente dourados dele. Sesshoumaru tinha o corpo muito próximo do meu...

Got a feeling of anticipation

Há um sentimento de expectativa

burning inside of me

queimando dentro de mim

And I never felt so alive

E eu nunca me senti tão viva

I'm shaking inside

Estou tremendo por dentro

- Responda a minha pergunta Rin.

- Por que...? O que está acontecendo? Por que está fazendo isso? - Perguntei extremamente confusa. Começava a achar que aquilo não passava de uma brincadeira ou de um sonho.

- Você é uma mulher inteligente Rin. Não acredito que não tenha percebido ainda.

Sesshoumaru estreitou o braço que enlaçava minha cintura fazendo com que nossos corpos ficassem ainda mais unidos. Minha respiração absurdamente alterada e meu coração batendo a mil por hora.

- Não acredito que não tenha percebido meu interesse... Meu interesse por você.

"Céus! Isso só pode ser um sonho. Como esse homem poderia estar interessado em mim?"

Sesshoumaru colou seus lábios aos meus em um beijo com o qual eu sonhei durantes meses a fio. E aquilo era muito melhor do que qualquer sonho que eu pudesse ter.

And it makes me wanna, makes me wanna

E isso me faz querer, me faz querer

Fall dawn on my knees and say

Cair de joelhos e dizer

Let it always be this way

Permita que seja sempre assim

Got a feeling taking over me

Há um sentimento tomando conta de mim

Gotta shout out, let go,

Preciso colocar pra fora, deixar sair,

right now, God knows

agora mesmo, Deus sabe

I'm ready, yes I'm ready to

Eu estou pronta, sim eu estou pronta para

lay it on the line

me entregar

- Não faça isso comigo. Sussurrei entre os lábios dele.

- O que você não quer que eu faça? Não quer que eu a beije assim? – A voz dele soava como música aos meus ouvidos. Tão firme e máscula e ao mesmo tempo tão suave.

- Eu não vou admitir que você brinque comigo Sesshoumaru. – Murmurei parecendo estar em transe diante das sensações que me ocorriam.

- Eu não sou homem de brincadeiras Rin. Achei que soubesse disso. Há meses que observo você, que desejo você, mas esperava que demonstrasse claramente que o interesse era recíproco para que eu pudesse me aproximar.

- Você... me desejando? – Eu demonstrei minha incredulidade.

- Sim... – Ele sussurrou enquanto sugava o lóbulo da minha orelha, o que fez todo o meu corpo estremecer. – Você é muito desejável pequena Rin, apesar de fazer questão de se esconder em trajes que pouco valorizam a sua beleza e atrás dos óculos.

De fato apesar de andar bem vestida e alinhada, eu nunca me preocupei em valorizar minha beleza. Sei que sou bonita, mas nunca fiz disso uma bandeira ou um cartão de visitas. Kagome vivia dizendo que eu precisava usar roupas mais alegres e menos sóbrias, mas nunca me convenceu a fazê-lo.

Sesshoumaru voltou a tomar meus lábios de forma apaixonada e dessa vez não houve resistência de minha parte.

So take my heart

Então tome o meu coração

Take my breath away

Tire o meu fôlego

Hold me tight

Abrace-me apertado

Like we only have today

Como se tivéssemos apenas hoje

Findamos o beijo em busca de ar.

- Vem comigo? – Ele pediu.

- O que?

- Vem comigo Rin?

Os primeiros pingos de chuva já começavam a cair sobre nós. O vento soprava fortemente agitando nossos cabelos e eu, ainda sem acreditar que aquilo estava acontecendo, fitava os orbes dourados que me encaravam.

Eu concordei e entreguei minha mão à dele que estava estendida para mim. Sesshoumaru me conduziu de volta para o carro e partimos dali.

Suddenly awake

De repente acordo

It's almost like I could be

É como se eu pudesse estar

naked in front of you

nua na sua frente

Drowning in emotion

Afundando em emoções

Every second. every moment with you

Cada segundo. Cada momento com você

Minutos depois chegamos ao apartamento dele. Subimos o elevador e este dava diretamente no hall de entrada do imóvel.

O local era de extremo bom gosto, o que não me surpreendeu pelo que eu conhecia de Sesshoumaru, mas não houve tempo para muita observação...

Sesshoumaru me tomou nos braços mais uma vez com um fogo que fazia minha pele arder de forma febril.

Eu desejei tanto esse homem, sonhei tanto com isso.

Senti a língua dele invadir a minha boca e explorá-la, sedento como um viajante perdido no deserto escaldante.

Ele levou a mão a minha blusa desabotoando os botões um a um, seu olhar era malicioso e lascivo...

I can only try

Eu posso apenas tentar

To tell it like it is

Dizer como é

And if I said it twice

E seu dissesse isso duas vezes

Its cos I can't deny that I'm

É porque eu não posso negar que eu

Era impossível descrever com precisão como eu me sentia naquele momento. Simplesmente impossível...

Overcome by my passion I

Subjugada pela minha paixão eu

feel my blood racing inside

sinto meu sangue correndo dentro

of me

de mim

My heart beats so fast I could

Meu coração bate tão forte que eu poderia

fly, I'm aching inside

voar. Eu estou doendo por dentro

You make me wanna, make me wanna

Você me faz querer, me faz querer

Deus, que sensação maravilhosa é essa? Jamais senti nada parecido em toda a minha vida.

Estou completamente nua agora na frente dele. Ele me observa com aquele raro e lindo sorriso estampado no rosto e alisa me minha pele com as mãos másculas.

- Linda... – Eu o ouvi dizer e isso me fez sorrir.

Logo para meu deleite ele começou a tirar as próprias roupas, peça por peça, sem a menor pressa, exibindo o corpo com músculos distribuídos de forma milimetricamente perfeita. Já completamente despido, ele me abraçou carinhosamente e sussurrou ao meu ouvido.

- Eu quero fazer amor com você. Me deixe te amar Rin.

Fall down on my knees and say

Cair de joelhos e dizer

Let it always be this way

Permita que seja sempre assim

Got a feeling taking over me

Há um sentimento tomando conta de mim

Gotta shout out, let go,

Preciso colocar pra fora, deixar sair

right now, God knows

agora mesmo, Deus sabe

I'm ready, yes I'm ready to

Eu estou pronta, sim eu estou pronta

lay it on the line

para me entregar

Dessa vez eu o beijei demonstrando toda a paixão que eu escondia há tanto tempo. Sesshoumaru me ergueu nos braços e me levou até a cama. Ele me deitou e depois colocou seu corpo sobre o meu.

Os beijos dele se tornaram mais intensos e deixaram a minha boca para se estenderem pelo meu pescoço e meu colo. Eu senti os lábios e a língua dele brincarem com os meus seios e isso me fez gemer. A carícia foi descendo pela minha pele febril, alcançado meu ventre e logo depois o senti tocar o ponto mais sensível entre as minhas pernas com a língua. Uma onda de choque percorreu todo o meu corpo. Ele sabia como agradar uma mulher...

So take my heart

Então tome o meu coração

Take my breath away

Tire o meu fôlego

Hold me tight

Me abrace apertado

Like we only have today

Como se tivéssemos apenas hoje

Agora o corpo musculoso e pesado dele está sobre o meu. Ele voltou a beijar meus lábios e a mordê-los de leve. Minhas mãos percorriam suas costas e desciam até as nádegas bem torneadas.

Logo eu o senti invadir o meu corpo, assim como havia feito com a minha alma muito tempo atrás. Não pude controlar o grito de prazer que se formou em minha garganta ao senti-lo tão profundamente dentro de mim. Cruzei minas pernas na cintura dele para que ficássemos ainda mais próximos. Eu queria senti-lo completamente dentro de mim.

Suddenly awake

De repente acordo

It's almost like I could be

E é como se eu pudesse estar

naked in front of you

nua na sua frente

Drowning in emotion

Me afogando em emoções

Every second. every moment with you

Cada segundo, cada momento com você

O suor já cobria nossos corpos e eu contraía meus músculos internos estreitando o canal por onde o membro dele deslizava. Isso o enlouqueceu de prazer. Os gemidos dele eram tão intensos quantos os meus e isso me deixava orgulhosa. Eu podia sim dar prazer a ele.

Go on, go on take it, baby

Vamos, vamos pegue querido.

Go on, take it, baby

Vamos tome, querido

Go on, take, take it, take, take

Vamos peque, tome-o , tire

- Aahhh Rin! Isso é muito bom…

Ele gemeu mais uma vez antes que nossos corpos fossem sacudidos pelos orgasmos, que nós alcançamos juntos.

Eu estava no mais completo êxtase, quando ele descansou o corpo sobre o meu, sem depositar todo o peso. Ainda conseguia ouvir e sentir a respiração ofegante dele em meu ouvido.

Tentávamos nos recuperar do furacão que nos atingira.

So take my heart

Então tome o meu coração

Take my breath away

Tire o meu fôlego

Hold me tight

Me abrace apertado

Like we only have today

Como se tivéssemos apenas hoje

Uma vez que nossos batimentos e respiração voltaram ao ritmo normal. Sesshoumaru se deitou de costas na cama e me puxou com uma facilidade impressionante para que me deitasse sobre ele. Nos encaramos por alguns instantes e ele acariciou o meu rosto.

- Sorriso... É isso que gosto de ver nesse rosto lindo. – Ele falou e meu sorriso se alargou.

Eu deitei minha cabeça sobre o peito dele ouvindo as batidas compassadas daquele coração que queria para mim e senti seus braços me envolverem por completo.

Eu acordei e me vi em um local estranho. Raios de sol entravam pelas frestas da persiana. Estranhei num primeiro momento e os flashes da noite anterior saltaram à minha mente. Sentei-me na cama e levei as mãos à cabeça, tentando processar o que tinha acontecido. Será que eu havia sonhado?

Quando ergui os olhos a razão do meu afeto estava de pé me encarando. Ele vestia calças jeans e uma camisa polo branca, parecia ter saído do banho, pois os cabelos estavam molhados.

- Bom dia! – Ele me cumprimentou com um leve sorriso.

Eu não consegui responder num primeiro momento. Acho que estava em choque.

- Rin? Você está bem?

- Uhum!

Ele continuou de pé, parado, olhado para mim e sorrindo.

Me dei conta de repente da situação em que estava, olhei para o meu próprio corpo e vi que estava completamente nua. Cobri-me envergonhada e tenho certeza que meu rosto ficou corado.

Sesshoumaru se aproximou da cama e se sentou ao meu lado. Ele me beijou levemente antes de dizer:

- Vergonha? Isso não cabe mais entre nós Rin.

Eu estava de olhos fechados enquanto o sentia acariciar meu rosto.

- Rin o que foi?

- Quando abri os olhos agora a pouco, achei que tudo não tinha passado de um sonho.

- Não é sonho minha Rin. Por que é tão dfícil assim para você aceitar o que eu sinto em relação a você?

- Sesshoumaru, eu nunca percebi nada, nenhum sinal seu.

- Isso porque eu não costumo demonstrar o que eu sinto. - Ele disse e voltou a me beijar profundamente.

- Isso não é um sonho então? - Questionei manhosa.

- Não. Isso é bastante real...

Não pude evitar que pequenas e irritantes lágrimas escapassem pelos meus olhos. Sesshoumaru as secou delicadamente utilizando os dedos...

Suddenly awake

De repente acordo

It's almost like I could be

E é como se eu pudesse estar

naked in front of you

nua na sua frente

Drowning in emotion

Me afogando em emoções

Every second. every moment with you

Cada segundo, cada momento com você.

- Você só não será feliz comigo se não quiser.

FIM

ou

NÃO