Olá meus queridos!

Estrou trazendo mais um capítulo para vocês. Durante a leitura se encontrarem erros, ignorem. Eu estou no trabalho e terminei esse capítulo agora. Honestamente estou com preguiça de revisar, por isso me perdoem. XD

Finalmente esses dois vão se reencontrar, mas para os mais animadinhos, vou logo avisando que a parte digamos "quente" do reencontro, só virá no próximo.

Espero que gostem.

Boa leitura!


A noite do tão esperado desfile havia chegado. Durante toda a semana que antecedeu àquela data, não se falava em outra coisa em Nova Iorque. Os jornais, revistas e programas de TV anunciavam o evento que já fazia parte do calendário oficial da cidade de tão importante que era. As chamadas Angels, as modelos escolhidas para desfilar a última coleção da marca estavam em toda parte fotografando, concedendo entrevistas e Rin estava entre elas.

A noite estava bela e o céu extremamente estrelado apesar da temperatura baixa. Todos os convidados já estavam posicionados no imenso salão onde a passarela fora montada assim como o cenário, que como sempre, produzia uma atmosfera sensual e romântica, mas que naquela ocasião específica estava ainda mais intensa. Era o Dia dos Namorados e os organizadores do evento primaram por proporcionar o ambiente perfeito para essa ocasião.

Inuyasha havia chegado ao local há poucos minutos e já era servido de champanhe por um dos garçons. Ele observava o ambiente a sua volta antes de procurar pelos assentos reservados a ele. Não levara ninguém consigo ao evento, preferia estar sozinho livre e disponível para o que quer que pudesse acontecer.

O jovem de beleza exótica não passava despercebido por aqueles que cruzavam seu caminho. Os olhos dourados, os cabelos longos e prateados chamavam a atenção assim como a elegância de seus trajes.

Inuyasha não estava vestido a rigor, não era essa a idéia do evento, mas usava calças e sapatos sociais pretos e uma blusa vermelha sob o paletó de couro também preto. Tudo contribuindo para valorizar seu porte físico e sua postura naturalmente altiva.

- Inuyasha? – Uma voz familiar o chamou e ele virou-se para encontrar a face sorridente de Ayame.

- Konbanwa Ayame! – Ele disse antes de cumprimentá-la com um beijo no rosto, algo que não era comum em sua cultura, mas Inuyasha convivia há muito tempo e adquirira certos hábitos do ocidente. – Você está linda. – Disse mais uma vez galanteador.

- Oh, obrigada! Você também está muito bem. – Ela disse sorrindo e ele agradeceu. – A Rin me pediu para vir vê-lo e garantir que você não se perdesse. – Inuyasha a fitou erguendo uma das sobrancelhas. – Foram as palavras dela. – A jovem se defendeu.

Inuyasha riu imaginando Rin pedindo à assistente que fosse atrás dele.

- Os assentos reservados para os convidados das modelos ficam ali. – Ayame indicou alguns lugares à esquerda de onde estavam que tinham uma visão privilegiada da passarela.

- Ok. Eu seguirei para lá em alguns minutos. – Ele respondeu mais uma vez olhando a sua volta.

- Está esperando alguém? – Ayame indagou fitando os olhos dourados dele.

- Não exatamente. – Respondeu misterioso exibindo um sorrido de canto nos lábios.

Minutos depois Ayame disse que precisava voltar aos bastidores e Inuyasha pediu que ela informasse a Rin que ele ficaria perfeitamente bem e comportado sem ela. A jovem se afastou sorrindo, adorava o humor de Inuyasha e o fato dele ser tão acessível e simpático.

Enquanto caminhava de volta aos bastidores, Ayame recebeu um telefonema e ao fitar o visor do aparelho e identificar que a chamava, prontamente tomou um rumo diferente do qual tencionava.

O desfile estava prestes a ter inicio. A maioria das pessoas já estava acomodada em seus lugares. Um burburinho ecoava pelo ambiente e nos bastidores. A agitação comum nessas ocasiões fazia com que produtores e staffs corressem de um lado a outro acertando detalhes para garantir que tudo saísse perfeito.

Em uma das cadeiras ali, de frente para um enorme espelho, Rin recebia os últimos retoques na maquiagem enquanto conversava com uma de suas colegas modelos.

- Hellen, onde foi que a Ayame se meteu? – Rin perguntou a sua assistente enquanto alguém arrumava seus cabelos.

- Eu não sei. Ela saiu dizendo que ia ver onde estava o seu amigo e ainda não voltou.

- Eu pedi pra ela não deixar o Inuyasha se perder e agora ela parece ter se perdido.

...

Inuyasha já havia se acomodado no lugar reservado a ele e trocou cumprimentos com algumas pessoas que ali estavam logo iniciando uma conversa animada com uma senhora que estava sentada próxima.

De volta aos bastidores, após alguns minutos "sumida", Ayame finalmente apareceu e Rin a fitou enquanto se aproximava vendo que trazia um lindo buquê de rosas vermelhas nas mãos.

- Onde foi que a senhorita se meteu hein? – Rin indagou fingindo-se de aborrecida enquanto uma das produtoras ajeitava o primeiro traje a ser utilizado por ela naquela noite. Um conjunto de lingerie rosa com estampas delicadas de flores e renda.

- Eu tive que resolver algumas coisinhas. – Ayame desconversou. – São pra você. – Voltou a falar sorrindo enquanto estendia o maravilhoso buquê que logo foi aceito.

- Nossa! Que buquê lindo! - Rin levou as flores ao nariz sentindo seu aroma e sorriu. Buscou por algum cartão logo o encontrando.

"Que seu brilho intenso ofusque a todos nessa noite. Boa sorte!"

Ela sorriu intrigada enquanto fechava o pequeno cartão que não estava assinado e voltou seus olhos para a assistente.

- Guarde-as pra mim, por favor? – Pediu entregando o buquê a Hellen.

Aquele era mais um dos inúmeros buquês e presentes que Rin recebera naquela noite e todos eram devidamente guardados pelas assistentes em uma das salas ali.

- Cinco minutos! – Alguém alertou para o início do desfile.

Rin caminhou ficando mais próxima da entrada da passarela onde membros do staff ajudavam as modelos a colocarem os acessórios. No caso de Rin tratava-se de asas de anjo e uma linda tiara de brilhantes que combinava com o colar e os brincos que ela usava.

O desfile teve início após algumas palavras serem ditas pelo apresentador da noite. Algumas modelos já deslizavam graciosas pela passarela e Inuyasha as acompanhava atentamente enquanto desfrutava de uma taça de champanhe. Não demorou para que ele sentisse alguém se aproximar e não precisou desviar seu olhar da passarela para saber de quem se tratava, mas ele o fez apenas porque queria que suas palavras fossem ouvidas em meio aquele ambiente barulhento.

- Está atrasado!

- Inuyasha, me faça um favor e ignore a minha presença aqui. – O outro respondeu sério logo após se sentar na poltrona ao lado.

- Quem é bom em ignorar os outros aqui é você irmãozinho não eu. – O mais novo disse sorrindo. – Ela ainda não entrou. – Informou mesmo que outro não tivesse feito qualquer pergunta.

Inuyasha soube através da mãe que Sesshoumaru havia decidido ir a Nova Iorque para encontrar Rin e era por ele que o jovem esperava. Os dois irmãos deram-se uma trégua naquele momento apenas por que tinham um objetivo em comum que era prestigiar Rin.

Várias mulheres lindas desfilaram sofisticados lingeries capazes de alimentar a fantasia de qualquer homem. Corpos perfeitos, elegância e graça passavam pelos olhos de ambos. Mas a visão de apenas um deles foi capaz de tirar o fôlego do controlado médico. Ela estava absolutamente perfeita.

Rin entrou sorridente na passarela e ninguém em sã consciência poderia não dizer que era como ter a visão de um anjo. A maquiagem cintilante realçava os traços delicados e os belos olhos. A pele acetinada brilhava pelo efeito de algum tipo de glíter que refletia a luz de forma belíssima acentuando as curvas perfeitas enquanto os quadris balançavam em uma cadência sensual durante sua caminhada.

A bela morena seguiu triunfante ao som daquela música romântica que era tocada ao vivo. Parou ao final da passarela, local onde ficava mais próxima do público e olhou na direção onde sabia, iria encontrar seu amigo. Mas Rin não estava preparada para o que encontrou ao olhar para lá. Ela perdeu alguns segundos naquela contemplação. Os expressivos olhos dourados de Sesshoumaru a encaravam e ele sorria para ela.

O belo sorriso de Rin foi aumentado significativamente e seus olhos castanhos se iluminaram quando Sesshoumaru lhe jogou um beijo discreto no ar. Ela tinha certeza que seria capaz de chorar ali se não se concentrasse.

Tudo aconteceu numa fração de segundos, mas estes foram suficientes para fazer o coração da jovem saltar de forma quase enlouquecedora dentro do peito.

Rin deu a volta na passarela como esperado e retornou aos bastidores, onde trocaria os trajes para sua próxima entrada.

Naquela correria em que o pessoal do staff a ajudava a retirar as asas para que ela pudesse se trocar e colocar outros acessórios. Rin procurou com os olhos pela figura de Ayame, que vendo o sorriso no rosto da amiga e sabendo bem o motivo, se aproximou.

- Ayame, pelo amor de Deus, diga que eu não estou sonhando. Ele está mesmo aqui? – Quis confirmar.

- Está. – A assistente confirmou.

- Mas como? Quando foi que ele chegou? Como ele sabia? – Várias perguntas deixaram os lábios delineados de Rin. Ela estava nervosa agora como há muito tempo não se sentia.

- Pelo que eu soube, ele chegou hoje à tarde à cidade. Entrou em contato comigo para saber como entrar aqui...

- Por que você não me avisou Ayame? Você tem noção de que eu quase caí daquela passarela? – Rin disse rindo não escondendo a euforia enquanto era "ajeitada" por uma das produtoras.

- Ele pediu para eu não contar. Queria fazer uma surpresa. – Ayame também sorria, feliz por ver a felicidade de volta ao semblante da amiga.

Logo a modelo estava se posicionando para retornar ao palco assim como as outras. Dessa vez o modelo usado por Rin era composto por um sutiã que parecia feito de pedras preciosas remetendo a cristais de gelo. A calcinha era branca com alguns detalhes com as mesmas pedras e pequena, mas não o suficiente para mostra o pequeno amigo de Sesshoumaru tatuado em seu ventre. As asas lembravam um cristal de gelo quando ampliado milhares de vezes em um microscópio. O efeito na luz do ambiente que tinha uma tonalidade azul naquele momento era fascinante.

Rin ainda sorria quando voltou à passarela. As mãos nos quadris bem desenhados enquanto ela caminhava placidamente. No braço esquerdo um grosso bracelete de diamantes que fazia par com o cordão que descansava sobre seu colo. Ao chegar ao final da passarela Rin voltou a dedicar um olhar especial ao seu amado, mal podia notar o amigo que estava também ali. Parecia não haver mais ninguém naquela local. Dessa vez ela levou os dedos aos lábios e jogou um beijo para ele antes de sorrir e dar meia volta.

Os olhares das pessoas ali se voltaram para o local ao qual Rin dirigira aquele beijo, não se surpreendendo ao encontrar Inuyasha, o suposto namorado, ali.

Mais algumas entradas foram feitas com trajes que variavam dos mais singelos lembrando menininhas inocentes até aos mais provocantes todos apresentados de forma elegante e absolutamente sensual como era comum à marca.

Cerca de uma hora depois o desfile foi encerrado com a presença, na passarela, de todas as modelos, dos estilistas e da mulher que deu nome à marca.

Rin já se retirara do palco há alguns minutos e após conversar com algumas amigas e cumprimentar Victoria se dirigiu ao seu camarim. Ela estava feliz como não se sentia há muito tempo.

- Essas flores são dele, não são? – Perguntou logo que entrou no camarim e se aproximou do maravilhoso buquê que estava sobre a bancada. Viu a assistente confirmar. – Eu devia saber. – Falou sorrindo ao se lembrar das simples palavras contidas no cartão. – Ayame vá lá fora ver como eles estão, Hellen pode me ajudar aqui.

- Ok, estou indo. - Ayame disse sorrindo e após pegar sua bolsa. - Eu posso levá-los até o local da festa se você quiser. Depois nos encontramos.

- Faça isso. – Rin concordou. – Cuide bem deles. Eu vou chegar o mais rápido possível depois de ficar linda de morrer. – Falou sorrindo como uma menina e as assistentes também sorriram.

- Nos vemos mais tarde então.

Ayame deixou o camarim e não demorou a alcançar os belos irmãos Taisho que tomavam champanhe em uma área ocupada por um número considerável de pessoas. No caminho foi abordada por colegas que queriam saber quem eram aqueles dois homens tão lindos. A jovem ruiva respondeu apenas dizendo que eram convidados de Rin.

Logo que se aproximou dos rapazes, ela informou que Rin ainda demoraria um pouco para sair, mas que ela se encarregaria de acompanhá-los ao local da festa que ficava em uma famosa casa de shows não muito longe dali.

...

O local da festa já estava repleto de pessoas usufruindo da boa música e da bebida cara. Os irmãos Taisho estavam ali a cerca de quarenta minutos. Inuyasha muito a vontade conversava com várias pessoas apresentadas a ele por Ayame. Sesshoumaru tomava champanhe enquanto os olhos dourados buscavam pela figura conhecida de Rin em meio àquelas pessoas.

- Sesshoumaru –sama? – Ouviu Ayame o chamar e se voltou para ela. – A Rin já chegou, mas conhecendo bem esses eventos, ela vai levar alguns minutos para conseguir chegar aqui. – Disse sorrindo. – Tem sempre alguém querendo falar, tirar fotos ou algo do tipo.

- Eu entendo. – Ele disse também sorrindo levemente, o que de certa forma surpreendeu a jovem de cabelos vermelhos, porque nos poucos encontros que tiveram o homem sempre se mostrara extremamente sério. Ayame não estava acostumada com Sesshoumaru. A verdade é que o conhecia muito pouco, pois quando Rin o conheceu, elas ainda não trabalhavam juntas e eles se mantiveram afastados durante os anos que se seguiram. Ayame soube do significado de Sesshoumaru na vida de Rin apenas a cerca de um ano. Antes, ele nada mais era do que o irmão mais velho de um amigo querido de Rin.

Como dito por Ayame, apenas quinze minutos depois de chegar ao local da festa é que Rin finalmente pode ser vista por Sesshoumaru. Ela se aproximava lentamente em meio às pessoas sendo cumprimentada pelo caminho e sorrindo como sempre. Usava um vestido tomara que caia na cor vermelho sangue, extremamente justo ao corpo delineando as sinuosas curvas que tanto enlouqueciam o jovem médico.

Rin sorriu mais ao se ver tão próxima ao amado. Ele estava a apenas alguns metros de distância mantendo-se discreto, apesar não obter muito sucesso na tarefa. Sesshoumaru era um homem lindo demais para passar despercebido por qualquer lugar, mesmo naquele ambiente repleto de gente bonita ele conseguia se destacar. A mulher sorria enquanto ouvia cumprimentos e comentários de um grupo de pessoas que a abordaram antes que ela pudesse alcançar seu objetivo. Sua vontade era de fugir dali e ignorar aquelas pessoas, mas não poderia fazê-lo. Viu Inuyasha que estava conversando com algumas pessoas praticamente ao lado dela e viu a oportunidade que queria de sair dali.

- Inu? – O chamou. – Com licença. Meu amigo está perdido e me procurando. – Ela disse e tão logo percebeu a compreensão dos que estavam ali caminhou até Inuyasha que sorriu abertamente para ela.

- Oi minha linda! – Rin o ouviu dizer enquanto se aproximava e abraçava o amigo fortemente.

- Não acredito que fez isso Inu. – A mulher disse ainda abraçada a ele.

- Isso o que?

- Você deu um jeito de trazer o seu irmão aqui.

- Eu? – Nesse momento Inuyasha se afastou para fitá-la. – Eu não tenho nada a ver com isso. – Disse sério.

- Não mesmo? – Rin perguntou duvidando que não houvesse ao menos um dedinho dele naquela história. – Inu?

- Rin eu mal falo com ele. O que você acha que eu poderia ter feito para trazê-lo aqui? – Inuyasha sorria novamente.

- Eu não sei, mas agradeço mesmo assim. Você é um amor. – A mulher disse se aproximando novamente e o beijando no rosto.

- É, eu sei. Mas agora pára de me agarrar e vai pra lá antes que aquele chato morra de ciúmes e queira me matar. – Disse divertido antes de retribuir ao beijo dela.

Rin voltou a caminhar e viu que Sesshoumaru a observava atentamente, ato que ela retribuiu. Ele vestia um elegante terno negro assim como os sapatos e uma camisa social branca. Rin achava que Sesshoumaru ficava lindo vestindo preto porque contrastava com os fios prateados que lhe caíam sobre os ombros.

Os dois se fitaram por mais algum tempo ainda mantendo distância de alguns passos. Rin sabia que havia muitos olhares sobre ela e por mais que seu desejo fosse o de se atirar nos braços do amado, ela não o faria, ainda. Se aproximou lentamente dele com o olhar preso ao seu e o abraçou de forma intensa, mas discretamente como se cumprimentasse a um amigo de longa data. Fechou os olhos ao sentir-se envolvida por ele, ao sentir o calor e o perfume que só ele possuía.

- Eu não acredito que você está mesmo aqui. – Disse com lágrimas nos olhos que procurou conter e a voz doce ao ouvido dele.

- Eu disse que nós mataríamos a saudade em breve não disse? – O tom de voz que a fazia amá-lo ainda mais continuava o mesmo. Rin pensou.

- Uhum. – Ela concordou sem qualquer vontade de liberá-lo daquele abraço. – Ah amor que saudade! – Declarou manhosa.

Sesshoumaru apertou um pouco mais o abraço e sentiu suspirar. O homem sorriu levemente antes de replicar.

- Eu também estava morrendo de saudades meu anjo.

Separam-se finalmente e Rin pode fitar aqueles olhos dourados que tanto amava e que tinham um brilho intenso naquele momento.

- Você me surpreendeu de verdade. – Rin voltou a falar ainda muito próximo a ele com a desculpa perfeita de se fazer ouvir por causa da música alta do ambiente. – Eu tive que me controlar muito pra não pular daquela passarela no seu colo. – Disse num tom maroto e viu um belo sorriso surgir na face dele.

- Você estava linda lá. A personificação de um anjo... – Ele falou com a voz rouca e sensual fazendo um arrepio percorrer o corpo da mulher.

Não demorou muito para que Inuyasha e Ayame se aproximassem dos dois e isso não chegou a aborrecê-los, pois tinham consciência que não poderiam demonstrar tanta intimidade ali. Iniciaram uma conversa divertida e Rin continuava sendo cumprimentada por várias pessoas que eram apresentadas aos seus "amigos".

Em alguns momentos, Rin se afastou dali para falar com pessoas e ser fotografada juntos as outras modelos. Em uma dessas ocasiões, as amigas questionaram quem eram os homens que a acompanhavam.

- Você não vai nos apresentar àquelas beldades Rin? Não seja egoísta amiga!

- Eu posso apresentá-los sim, quando você quiser. – Ela respondeu rindo.

- Um deles eu sei que já é seu, mas o outro... Nossa! Acho que preciso passar uns tempos no Japão.

- Eu também. – Uma outra disse. – Eles se parecem Rin. São parentes?

- São irmãos.

- Humm... então aquele pedaço de mau caminho é seu cunhado? – Rin pensou a respeito. Não estava certo sobre o que responder.

- De qual deles você está falando Lisa?

- Do mais alto ué? O outro não é seu namorado? – A mulher loira indagou e Rin riu.

- Não. Inuyasha é meu amigo.

- O mais velho é um gato mesmo. Ele não é modelo, não Rin? – Outra mulher, dessa vez uma morena de belos olhos verdes indagou.

- Olhem meninas, eu posso apresentar o Inuyasha pra vocês quando quiserem. Quanto ao outro... – Ela lançou um olhar significativo para as amigas. – Aquele só desfila pra mim. – Disse sorrindo e surpreendendo as amigas, que só naquele momento compreenderam que o affair de Rin era na verdade o mais velho dos irmãos.

Rin de fato apresentou várias de suas amigas aos irmãos no decorrer da noite e eles passaram vários momentos conversando. Sesshoumaru interagiu bem com as pessoas ao contrário do que poderia se imaginar. Ele era gentil e cortes com todos conversando abertamente, o que de certa forma surpreendeu Rin.

Algum tempo depois, quando o grupo já estava acomodado há algum tempo em uma das mesas com confortáveis poltronas enquanto bebiam. Rin falou algo ao ouvido de Ayame e a jovem assistente logo se retirou dali, voltando poucos minutos depois e fazendo um sinal positivo para Rin.

- Sesshy, vem comigo um instante? – Ela pediu falando ao ouvido dele. Os dois se levantaram e seguiram para algum lugar que Rin parecia conhecer muito bem.

Subiram uma escada não muito longa e mesmo ali havia muitas pessoas conversando, dançando e até namorando. Rin abriu uma porta ali e entrou através dela no que parecia ser uma sala vip. Não havia ninguém no local embora ele estivesse impecavelmente arrumado com suas almofadas e poltronas macias. Sesshoumaru a seguiu e fechou a porta atrás de si fitando-a com intensidade.

- O que você está aprontando Rin? – Ele perguntou divertido vendo-a se aproximar da poltrona.

- Eu? Nada. – Respondeu sorrindo de forma inocente. – Eu só queria ficar um pouquinho sozinha com você e como eu não posso sair dessa festa nesse momento. Essa foi a solução que eu achei.

Sesshoumaru se aproximou dela e Rin o fez se sentar na poltrona. Ela se acomodou no colo dele e envolveu seu pescoço com os delicados braços, logo o sentindo tomar seus lábios de forma intensa e prazerosa. Leves gemidos de prazer deixavam os lábios de ambos enquanto as línguas se tocavam no interior das bocas vasculhando cada canto.

Rin sorriu ao ouvir o gemido que deixou os lábios dele após ela ter sugado a parte inferior lentamente. Estavam tão próximos, era tão bom sentir o calor dele, os braços fortes em volta de seu corpo.

- Sabe.. – Ela iniciou acariciando o rosto dele. – Eu achei que quando o encontrasse, não me conteria e arrancaria suas roupas de tanto desejo. – Sesshoumaru riu, mas nada disse sabendo que ela tinha mais a dizer. – E agora que você está aqui... eu já me sinto tão bem apenas por estar assim com você me abraçando, me fazendo carinho desse jeito. – Ela disse docemente. – Eu senti tanta falta disso Sesshy.

- Eu também. – Ele respondeu após um suspiro e levou seus dedos aos lábios dela delineando-os com delicadeza. Ficaram em silêncio por algum tempo apenas se mirando, até que Sesshoumaru voltou a falar. – Mas eu realmente espero que isso não signifique que você não queira arrancar minhas roupas mais tarde. – Disse apertando-a mais contra si e isso arrancou um riso de Rin.

A mulher se inclinou sobre ele voltando a beijá-lo com paixão depois voltou sua atenção para o pescoço onde aplicou uma mordida que o fez gemer do jeito que ela gostava que ele gemesse.

- Oh meu amor! Eu teria que ter perdido completamente o juízo para não querer arrancar suas roupas... – O sorriso malicioso de Rin era retribuído por ele com a mesma intensidade. – Mas por agora, eu terei que me controlar, não é? De qualquer forma, nós temos muito para colocar em dia e eu prefiro mesmo fazer isso em outro lugar.

Voltaram a trocar beijos apaixonados e leves carícias, até que Rin sinalizou para frustração de Sesshoumaru, que eles teriam que voltar para a festa. A modelo ainda tinha compromissos a cumprir ali e só depois poderia ir para casa se entregar totalmente a tarefa de saciar todo o desejo que estava reprimido e matar as saudades do homem que amava.


Oi gente!

E então, o que acharam? Sei que vocês estavam na maior expectativa e espero realmente não ter decepcionado ninguém. Não coloquei o reencontro deles a sós ainda nesse capítulo porque ficaria grande demais e porque há algumas coisas que ainda estou definindo sobre o momento deles.

Eu fiquei satisfeita com esse capítulo, mas isso vocês já devem saber, né? Já que eu não posto enquanto não fico plenamente satisfeita. XD

Uma pequena explicação: Eu usei como pano de fundo para esse capítulo o desfile anual da Victoria´s Secret que é a marca de lingerie mais famosa e badalada do mundo. Esse desfile realmente ocorre todos os anos em Nova Iorque e é transmitido pela tv para todo o mundo, só que ele não ocorre no dia dos namorados como eu coloquei aqui, mas sim no final do ano antes das festas.

Angels é como são chamadas as modelos que participam desse desfile. Todos os anos praticamente são as mesmas modelos, que são as preferidas pelas donas das marcas. Os desfiles são lindos, recomendo que nunca viu dar uma olhadinha e eu achei que tinha tudo a ver com a nossa Top Model Rin.

Quero agradecer muito aos reviews que vocês continuam me mandando mesmo que eu esteja demorando para atualizar ultimamente. Obrigada por não me abandonarem e eu prometo que não vou abandonar vocês.

Notas:

Paty Saori - Obrigada por sempre marcar presença minha leitora importada do Japão. XD

Hinata-chan - Você foi bastante observadora ao comentar sobre a irmã da Izayoi. Ela está viva sim e vai aparecer na história, não se preocupe. Ela e Izayoi são muito ligadas e os sobrinhos a adoram. Você vai ver.

Acdy-chan - Obrigada por comentar. Espero que o capítulo tenha correspondido às suas expectativas quanto a reação de Rin ao reencontrar o Sesshy, embora, eu deva dizer que ela se controlou muito. As coisas vão fluir com mais naturalidade quando os dois estiverem sozinhos. Bjos!

Rukia-Hime - Obrigada pela review e pelo Feliz Ano Novo. Espero que seu início de ano tenha sido bom também e que permaneça assim pelo resto dele.

Luh - Olá! Eu estive perto do lado negro da força KKKK, mas voltei ao normal a tempo. Fico feliz pelo seu vício, pois este é um do tipo que não faz mal, não é? Obrigada pelos votos de Ano Novo. Desejo o mesmo a você. Bjos!

Nath. P. - Minha leitora mais exigente! Não sei como você não me xingou pela demora em atualizar XD. Fico feliz que tenha gostado do capítulo anterior. A Rin realmente está precisando do colo do Sesshy e ela o terá logo logo. Eu também adoro a amizade dela e do Inu, é uma das partes que eu mais gosto de escrever na fic. Quanto a constatação do Oyakata, ela é de fato muito importante porque a opinião dele é importantíssima para o Sesshoumaru. Isso ficará mais claro quando a Rin for oficialmente apresentada à familia como namorada dele. Bjos!

Graziela Leon - Eu também fiquei bem tocada enquanto escrevia e desabafo da Rin com o Inu. Ele deu a maior força pra ela e dará sempre. Mai uma mostra disso foi dada nesse capítulo. É bom vocês saberem que a recíproca é verdadeira. Quanto ao fato do Inu não gostar muito do irmão, bem a verdade é que o Inu não gosta pouco do Sesshy. Ele ama o irmão e muito embora negue até a morte, mas muitas coisas aconteceram que tornaram a relação deles complicada e por isso eles não se entendem. Tudo será esclarecido no devido tempo.

Debs-chan - Obrigada por deixar seu review. Espero que tenha gostado desse capítulo também. Bjos!

Jhennie - Você é nova no pedaço, não é? XD Seja bem vinda. Obrigada por comentar e se mostrar tão entusiasmada com a fic. Fico muito feliz por isso. Bjos!

Thays - Mais uma leitora novinha em folha! Seja bem vinda! Eu também amo o Sesshy, principamente os meus XD. São homens perfeitos que infelizmente se existem ainda não tive o prazer de conhecer. Mentira! Eles não são perfeitos, mas seus erros e defeitos são compensados por outras coisas... Quanto a Kagome, ela realmente não vai aparecer nessa fic. Uma das minhas amigas exigiu que eu não colocasse, mas eu não tinha mesmo a intenção. Mas não se preocupe porque o Inu, embora seja um porra louca nessa fic, não ficará sozinho. Ele vai ser arrebatado e isso o transformará sob muitos aspectos. Continue acompanhando e mandando reviews. Bjos!

Obrigada a todos! Mesmo aqueles nomes que eu não mencionei. Sei que tem muita gente que continua lendo a fic, mas que por um motivo ou outro não pode postar um review. Eu ainda amo vocês.

Beijos e até o próximo!