Lady and the Tramp

Capítulo 15: You Belong with Me

Duas seguidas batidas na porta despertaram Sakura, ela apenas abriu os olhos para checar a hora. 06:15.

Deixou o sono tomar conta de si novamente, claro que estava cedo demais para se levantar, não é? Não é? As batidas persistiram, mas Sakura continuou negando-se a levantar. Pelos Céus, sabe que horas acabou o jantar da noite passada?! Sem contar o fuso-horário, afinal ela está na China...

Três batidas e uma pausa. Soltou o ar com força e voltou para seus sonhos. Mais três batidas.

-Que gente persistente. - Pensou, tampando o rosto com o travesseiro, quando mais três batidas a despertaram de vez.

Praguejando contra toda a linhagem dos Li, obrigou-se a levantar, dando um impulso para sair da macia e acolhedora cama, depois disso tudo aconteceu rápido como num filme acelerado. Seu pé enroscou na ponta do cobertor, fazendo-a perder o equilíbrio e a obrigando a segurar na cortina, mas o delicado tecido não agüentou e rasgou levando Sakura ao chão.

- Acho que ela acordou! - Ouviu uma voz chinesa, que vinha de trás da porta, gritar.

'Não brinca!' - Ironizou mentalmente, levantando-se e rumando para o banheiro. - Bom jeito de começar o dia!

Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

O dia passou tão rápido que quase esquecerá de ligar para Tomoyo, se bem que não ansiava muito por esse momento, já que a última ligação não havia sido muito agradável. Tomoyo estava em casa, então conversar com o pai tornou-se inevitável, e como a irmã a alertara, ele não reagiu muito bem a viagem não-planejada da filha com o namorado(que ela tivera que repetir mil vezes: apenas namorado!). Fujitaka a repreendeu, gritou e fez ameaças, mas depois de muitas horas gastando em Yuan (nota 1), Sakura conseguiu amaciar o papai, como toda boa filha mimada.

Discou o número da irmã, e quando Tomoyo atendeu e afirmou que estava sozinha, Sakura pode contar sobre o mico que pagara naquela tarde.

- Shaoran teve que resolver alguns problemas que ninguém me disse quais eram, e eu queria dar uma volta para conhecer a cidade.

"...eu tava morrendo de fome!Perguntei para uma passante: onde posso comer algo, qualquer coisa? Sem falar inglês e nem japonês, o que eu achei muito estranho por ser em Hong Kong, ela tentou me explicar onde ficava o restaurante mais próximo.
O restaurante era agradável e limpo (a primeira vista) tudo tranqüilo até eu receber o cardápio...tudo em chinês! E apesar de todas as viagens que fizemos, sempre rola algumas falsas impressões do que é verdadeiro ou folclore numa outra cultura, então fiquei com medo de indicar algum prato e acabar comendo escorpião, cobra, besouros ou outros bichos...levantei sem graça e fui embora. Foi quando comecei a sessão micos, fiz algumas mímicas, desenhei um sanduíche, escrevi hambúrguer, mas as pobres moças não conheciam o tal Mc Donald's. Eis que fui socorrida por uma professora muito simpática que me escreveu num pedaço de papel os tais caracteres 麦当劳 Mai Dang Lao - o famoso Mc Donald's!"(nota 2)

- Se não quiser ganhar alguns quilinhos extras nos próximos dias é melhor aprender logo o Mandarim, Sak. - Tomoyo ria, pensando saudosamente na irmã.

- Enquanto você se diverte as minhas custas, eu estou cozinhando à 35°C(nota 3)!

- O que você está usando? - Foi inevitável! Saber o que Sakura vestia era uma necessidade para Tomoyo! Uma estranha mania que sempre teve.

- Capri branca, blusa rosa de um ombro só e strappy heels pretos. Mas vou me trocar para o jantar. - A loira adorava falar sobre suas roupas, mas estava realmente cansada. - Tomy, eu preciso me afundar naquela banheira! Prometo que te ligo antes de dormir, ok?

- Lembre-se da diferença de 1 hora! - A socialite sentiu a saudade apertar, mas pretendia sair com Eriol e distrair a cabeça, assim desligou com a irmã.

A surpresa de Tomoyo ficou por conta de uma ligação inesperada, que interrompera seu sagrado banho. Com os cabelos enrolados numa toalha amarela e calçando apenas um pé dos chinelos com a estampa do Mickey e do Donald, pegou o aparelho em cima do móvel de cabeceira e levou ao ouvido, sem olhar o nome no identificador de chamada.

- Primeiro Looney Tunes e agora Disney? Você não aproveitou muito sua infância, não é? - A aluna de música riu. Eriol não perdia uma oportunidade de infernizá-la.

" Divino...Macio...Sexy!" Tomoyo suspirou, pensando em como a voz de Eriol soava, com aquele sotaque britânico irresistível. Ele teve que pigarrear para acordá-la de seu transe. - Como sabe da Disney? Onde você está?

- Na sua janela. - Tomoyo corou, virando-se para a janela semi-cerrada. Lá estava a sombra de Eriol, olhando-a...de toalha e...pantufa... da Disney. Instintivamente, levou a mão ao colo, cobrindo-o. Levou o celular de volta ao ouvido. - Que gracinha! Você ficou vermelha.- Droga!, praguejou mentalmente. Eriol continuou - Pensei em adiantar a nossa saída, a noite está linda, vamos caminhar pela cidade.

Tomoyo apenas assentiu com a cabeça, Eriol podia vê-la, afinal. Ele saiu de sua janela logo depois, deixando-a livre para se arrumar, não sem antes trancar as janelas e portas, já imaginou...!

Escolheu um vestido bege em evasê, jaqueta preta acinturada, sandálias pretas. Pelo olhar de Eriol, concluiu que estava bem bonita.

Os dois andaram despreocupadamente, a mão de Eriol roçando a de Tomoyo. Ela podia sentir que corava, e ele estava, claramente, nervoso. - Bonitas unhas, - Comentou o inglês, olhando a outra mão de Tomoyo, que segurava a alça da bolsa no ombro. - laranja é uma cor diferente para esmalte.

Ela soltou um risinho. - É a nova moda. Esmaltes laranja, azul, verde e, claro, vermelho.

Eriol assentiu, parando em frente a uma pizzaria que oferecia mesas na calçada. Ele indicou uma mesa mais afastada para o garçom, convidando Tomoyo a se sentar.

- Então, - Começou, desajeitosamente, o inglês. Tomoyo o olhou sob os cílios, aparentemente procurando algo na bolsa. - você está com saudades da sua irmã?

A estudante de música repuxou os lábios num sorriso. - Sim. Nunca passei tanto tempo longe dela.

Ele assentiu, curioso em relação ao que a acompanhante remexia na bolsa.

- Sabe Eriol, eu sempre tive muita curiosidade para entender o por quê de você ter me beijado no dia em que nos conhecemos.

- Bom...Para falar a verdade, - Eriol inclinou-se para frente, fazendo menção de pegar a mão de Tomoyo - eu te achei muito bonita, mas isso é óbvio, e eu não sabia exatamente qual era a sua. Quero dizer, você e sua irmã são conhecidas pela fama de não ser acessíveis, e isso me deixou muito nervoso, acho que foi impulso.

Antes que Tomoyo pudesse responder, o casal foi interrompido pelo garçom, que oferecia os cardápios. Eriol adiantou-se, recusando.

- Já sabemos o que vamos pedir.

- Já? - Tomoyo surpreendeu-se mais uma vez. Eriol realmente não era um cara previsível. Ele sorriu, em cumplicidade.

- Queremos uma pizza de alho!

Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

Sakura estava recostada na poltrona da sala, absorta na leitura de um livro, esperando que Shaoran voltasse da Li Cia. Ao seu lado, no sofá de couro branco, as duas irmãs mais velhas de Shaoran conversavam com seus respectivos namorados, no chão, sobre o tapete, haviam almofadas espalhadas, onde as outras três futuras cunhadas de Sakura estavam deitadas, assintindo o novo filme da Disney.

Agora que passara mais tempo com elas, Sakura percebeu que as irmãs Li são, apesar de multimilionárias, pessoas muito simples. A partir disso, a socialite entendeu o porque das atitudes de Shaoran. Yelan Li tinha criado os filhos para serem humildes, o que não era nada parecido com sua criação. Fujitaka e Sonomi nunca privaram nada a ela e Tomoyo, e nunca as ensinaram a não ostentar o dinheiro. Sakura e a irmã sempre usaram roupas de marca, enquanto os Li, apesar de bem vestidos, não pareciam um outdoor, como as irmãs Kinomoto.

A loira encarou, automaticamente, os jeans Calvin Klein que usava. Eram bonitos, claro, e ficavam ainda melhores combinados com suas novas sandálias Valentino, de salto 11. Olhou, discretamente, para Yelan. A matriarca dos Li estava parada sob o arco que dividia as salas, as filhas e Sakura ocupavam a sala de tv, e Yelan, a pouco, estava na sala principal. A futura sogra estava gloriosa em um belo conjunto chinês, branco e preto.

Talvez devesse sair para fazer compras, pensou Sakura. Então, ouviram Shaoran chegar.

O chinês falava ao celular, dando instruções sobre alguma coisa que Sakura não entendera. Quando ele cruzou a sala, Yelan enrijeceu, parecendo espantada. Ninguém mais pareceu notar, e Sakura presumiu que não deveria comentar nada.

Logo a mesa foi servida, e os Li, com seus convidados, se sentaram. Yelan ainda encarava o filho, que parecia alheio a tudo, as irmãs Li conversavam, animadamente, sobre viajar de novo para Orlando, nos parques temáticos da Disney. As mais velhas relutavam, alegando que as últimas férias tinham sido nos Estados Unidos e agora elas preferiam ir à Austrália. Sakura, que havia viajado para ambos os lugares, comentou que valia a pena conhecer a Austrália, mas que Orlando e Miami seria mais divertido.

Passaram o jantar entretidos na conversa sobre o Magic Kindom, que mal repararam que Shaoran não participava. Só quando todos se retiraram, e Shaoran acompanhou Sakura até a varanda, que ela pode fazer suas perguntas.

- O que está havendo, amor? - Ela lhe tocou os cabelos, carinhosamente.

- Não é nada demais, apenas problemas na empresa.

Sakura sentiu-se culpada. Shaoran lhe dissera, no dia em que eles foram para China, que assumiria os negócios da família, para um dia poder se casar com ela. E agora, vendo o namorado tão infeliz, Sakura não sabia o que pensar, nem o que dizer a ele.

- Quero te mostrar uma coisa. - Exclamou Shaoran, de repente com um novo ânimo. - Venha.

Sakura o seguiu até os fundos da mansão, onde havia um jardim. Shaoran tocou numa das árvores, e olhou os pés da namorada. - Acho que você está com os sapatos errados para isso. - Ele indicou o topo da árvore, que parecia ser ligado com o telhado da casa.

Sakura agarrou o tronco de árvore, e começou, desajeitosa, a subir. Ela virou-se para Shaoran, logo atrás dela. - Eu sei que se eu cair, você vai me segurar. Não existem sapatos que sejam mais fortes que você.

Os dois riram, chegando ao topo da copa. Shaoran puxou a namorada, levando-a até o telhado da mansão. Lá tinha uma espécie de clarabóia, que dava uma espetacular visão do céu estrelado.

Eles se sentaram no piso, Shaoran com os braços em volta de Sakura, sussurrando em seu ouvido. - Foi aqui que passei a maior parte da minha infância. Nunca trouxe ninguém aqui, nem Eriol, Jake ou Meiling.

Sakura o olhou, apaixonada. Ele continuou: - É meu lugar secreto. Agora nosso.

Eles se beijaram sob a luz das estrelas, sem se preocupar com mais nada.

Continua...

Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

You Belong with Me é da Taylor Swift, recomendo que todos assistam o clipe, pois é super fofo!

Nota 1: Yuan é a moeda chinesa, a conversão para reais é muito complicada, mas se alguém estiver curioso, avisa nas reviews que no próximo chappie eu explico!

Nota 2: baseado em fatos reais de Pati Bolsoy.

Nota 3: Conforme relatório de Hong Kong, China. Quarta-feira, 5 de Agosto de 2009 14:30 Local Time (Quarta-feira, 06:30 GMT)

Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

N.A.: Em primeiro lugar, os personagens não me pertencem, nem Mc Donald's, Mickey e Donald, Looney Tunes, Disney, Calvin Klein e Valetino!

E ai, garotas? Tudo bem com vocês? Calma, o mundo não acabou! Eu imagino que vocês estão com aquela cara, "Não acretido que atualizou L&T!", pois é, colegas! E nem é época de Papai Noel ainda! rsrsrrsrrs

Agora, deixando as piadas infâmes de lado, curtiram o chappie? E as expectativas para com a família Li? E Tomoyo e Eriol, vão sair desse chove-não-molha? Comentem, meninas! Preciso de vocês, hein?

Passando a palavra à Nattie:

N.R.: Hey povo do FF! Sim, LAT está de volta , para a alegria geral da nação! E eu adorei o capítulo, com toda a certeza... só tem um defeito: Odeio a Taylor Swift hahaha... Fora isso, perfeito... fiquei com muita pena da Sakura logo no começo... sem dúvidas, aquele é o pior jeito de se acordar... Enfim, não vou me demorar e que venha o 16! (Lewis Carroll é o melhor *-*[nada a ver com nada, mas...])

Reviews:

Milla Mansen Cullen: Postei! Não me mate pela demora, hein?

Yume no Yoru: Fiz um suspense básico no capítulo anterior, né? Mas acho que nesse, algumas coisas foram esclarecidas. Ah, mais ainda tem um segredinho sobre os Li que a Sakura vai descobrir em breve!

Katryna Greenleaf : Concordo com você, não tem como não gostar da Sakura! Esse jeitinho dela é contagiante, né? E ai, o que você achou, os Li são amistosos?

Naty Li: Desculpa a demora! Não quero matar ninguém, não! rsrsrsrrrs Então, você continua achando que a Yelan é uma sogra do bem? Ah, até agora ela foi inofensiva, mas...quem sabe nos próximos...?

Ma Ling Chan: Maninha! Sumida! Que saudades de você, Ma! Viu só? Sakura e Shaoran namorando sério...Hum...rsrsrrsrs E ABDA, hein?

Aki: Serio? Você gosta mesmo? Fico feliz!

An-chan n.n: Realmente, a Sakura e a Tomoyo de aprendizes de Paris Hilton são demais! Eu fico rindo sozinha escrevendo as cenas delas! rsrsrsrs

Secreet.: Grey's Anatomy? Eu vejo, só que a nova temporada não chega aqui, né? Eu to procurando um tempo para ler sua fic, sabe, eu adoro essa música, Good Girls Go Bad!

Beijos da Bruna e da Nattie!