N/A: A história é inteira do ponto de vista do Syaoran, sem pensamentos de outros personagens.

"Falas"

'Pensamentos'

Nenhum personagem de CCS pertence à mim, mas eu os peguei emprestado para a minha história.

-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-
Capítulo 1
-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-

Era seu primeiro dia em Tomoeda. Tinha acabado de se mudar para a pequena cidade, a pedido de sua mãe, enquanto ela tentava resolver assuntos com o clã.

Acordou relativamente cedo, já levando em conta que estava acostumado a fazê-lo desde pequeno.

Era um rapaz muito bonito, nos seus quase 15 anos de idade. Com belos olhos âmbares e cabelo castanhos, muito rebeldes, caindo sobre os olhos, era o sonho de qualquer garota de bom gosto. Tinha um corpo bem definido, resultado dos treinamentos que fazia.

Levantou-se, preguiçoso e dirigiu-se ao banheiro para lavar o rosto e preparar-se para entrar na nova escola. Wei, seu mordomo e amigo, o chamou para tomar o café da manhã, antes de sair. Dispensou o carro que Wei ofereceu, dizendo que sabia mais ou menos como chegar ao colégio, mas não se perderia tão fácil.

Estava dobrando uma esquina, quando a viu. A garota mais linda que ele um dia podia sonhar em conhecer. Foram apenas alguns segundos, mas pôde congelar a imagem dela em sua mente. Tinha cabelos castanhos claros, meio curtos, batendo um pouco para cima dos ombros, com duas mechas que caiam graciosamente pelo rosto em forma de coração.

Seu coração batia forte em seu peito, o fazendo perder a respiração. 'O que diabo tinha acontecido?', foi o que pensou. Isso era novo pra ele. Nunca havia se sentido assim antes.

Ele petrificou quando a viu virar, ainda andando nos seus patins e encará-lo por um momento, antes de virar para frente novamente e seguir seu caminho. As cores do uniforme da garota eram as mesmas que as dele. Ainda tinha esperanças de revê-la.

-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-

Ele esperava calmo, do lado de fora da classe, para ser chamado pelo sensei e apresentado para a turma. Ainda não conseguira tirar aquela menina de sua mente. Seria aquela a sala dela?

"Pode entrar."

Será que a veria novamente?

"Li, entre."

Despertando de seu transe, entrou na sala e foi apresentado à sala.

"Turma, este é Syaoran Li. Ele veio de Hong Kong. Você pode sentar-se... atrás da senhorita Kinomoto. Kinomoto, levante a mão para o Li se localizar."

Ele olhou para a garota que levantou a mão. Sorriu internamente ao ver que era ela. Dirigiu-se à última carteira, prestando muita atenção nela, e finalmente percebendo seus brilhantes olhos verdes, tão verdes quanto esmeraldas.

"Muito bem, agora podemos começar a aula." ouvia-se o sensei dizer lá na frente.

A menina virou-se para ele, abrindo um largo sorriso.

"Oi! Eu sou Sakura Kinomoto. É seu primeiro dia em Tomoeda?"

O garoto, meio embaraçado, apenas confirmou com um aceno de cabeça.

"Já tem com quem almoçar?" ele meneou "Quer almoçar comigo e com a Tomoyo hoje?" perguntou, acenando com a cabeça a garota sentada ao seu lado. Esta apenas sorriu, como se aprovasse o convite da amiga.

Ele soltou algum tipo de muxoxo, aceitando o convite. Sakura sorriu e voltou a virar para frente, antes que o sensei a chamasse a atenção.

-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-

As aulas haviam passado muito rápido. Já era hora do almoço. Talvez não tivessem passado tão rápido assim, se ele houvesse prestado atenção a no mínimo duas palavras que estavam escritas no quadro. Mas como podia? O foco de suas atenções àquela manhã foi ela. E tudo que estivesse relacionado a ela. Perdeu-se em seu perfume, entrando num estado de transe que não foi fácil de sair. Por que se sentia assim? Nem ao menos a conhecia devidamente.

Aquela a garota Daidouji, não parou um minuto sequer de olhar para a amiga, lançando olhares à sua direção, sem se preocupar em ser discreta, e sempre com um sorriso de lado estampado em seus lábios.

Estavam andando pelo pátio, indo num caminho que parecia dar numa parte do colégio mais reservada. Ele andava mais atrás, apenas seguindo as garotas. Pararam e sentaram debaixo de uma árvore, e começaram a almoçar, enquanto conversavam.

Sakura fez várias perguntas sobre a China, sua vida lá e sua família, deixando o garoto um pouco sem graça. Não que tivesse vergonha de nada, mas preferia não contar que pertencia a um clã poderoso da China. Queria se passar por um garoto normal. Não queria ser o foco das atenções por ter uma família daquela estirpe.

A garota percebeu e logo tratou de mudar de assunto. Syaoran, antes tímido demais para falar qualquer coisa, mostrou-se bem animado, rindo e conhecendo melhor as novas amigas. Ia juntando cada informação que Sakura ou Tomoyo lhe dava, fitando longamente as feições e os traços da garota de cabelos claros.

"Tomoyo-chan, ele não veio hoje?" perguntou Sakura do nada, olhando para os lados, procurando alguém.

"Ele veio sim, não o viu durante as aulas? Mas disse que iria ensaiar aquela música que eu e ele escrevemos, semana passada." Syaoran olhou confuso de uma garota para a outra. 'Ele? Quem é ele?' "Por falar nisso, acho que é melhor eu ir andando, ele pediu-me que o encontrasse na sala de música." Completou ela, levantando-se, e sorrindo de lado para o chinês.

Ele sabia muito bem o que a Daidouji estava fazendo. Em todo caso, seria um boa oportunidade de conhecer Sakura melhor... Passou inconscientemente a mão pelos cabelos castanhos, deixando-os mais rebeldes(se isso fosse possível). Parecia nervoso com o fato de ficar sozinho com a garota.

"Nos encontramos na sala depois, ok?!" disse Sakura, ao ver a amiga acenar, se afastando. Ele a olhou partir, para depois voltar sua atenção para Sakura. Ao vê-la o observando, corou violentamente, fazendo-a rir.

-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-

Syaoran estava deitado em sua cama, olhando para o teto, pensando em uma certa garota. Ao voltar pra casa, descobriu que morava apenas duas quadras para baixo da casa de Sakura. Isso porque Tomoyo insistiu que ele as acompanhasse e deixou-os no meio do caminho.

Sorriu. Como a morena era atenta e rápida! Com certeza, já tinha percebido que ele gostava de sua amiga... Ele mesmo se surpreendeu ao perceber que gostava da menina. Era a primeira vez que se sentia dessa maneira, e só conhecia-a havia algumas horas.

"Syaoran" Wei apareceu na porta "se não precisar de mais nada, irei me retirar."

"Não, Wei" sorriu o garoto "Arigatou."

O mais velho apenas sorriu e desejou-lhe boa-noite, antes de fechar a porta com um clique. Nisso, Li voltou-se novamente ao teto e acabou adormecendo daquele jeito, todo torto.

-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-

"Ohayou gozaimasu!" disse Tomoyo, chegando tranquilamente e pousando sua mochila em sua carteira.

"Ohayou" retribuiu Syaoran, já sentado, com os braços cruzados em cima de sua mesa.

A garota sentou-se no lugar de Sakura, que ainda estava vago, e virou-se ao garoto, que a olhava confuso.

"Você gosta da Sakura-chan, não?" perguntou, com um sorriso de lado.

"NANI?" Syaoran sentiu o rosto esquentar, e imaginou se era tão fácil de perceber.

"Não se desespere, é que eu sou uma boa observadora" gabou-se. "E Sakura-chan é tão kawaii" completou, com os olhos brilhando. O rapaz a fitou como alguém fita uma coisa estranha.

Ele nada falou, limitou-se a olhar o chão.

"Só não achei que tivesse sido amor à primeira vista" ela sorriu, e quando ele a encarou, ainda sem falar nada, ela continuou "Ok, como quiser, mas conte à Sakura-chan, ela é muito desligada, não percebe certas coisas" e aquele sorriso de lado debochado apareceu no canto de seus lábios. Levantou-se e se sentou no seu lugar, quando as outras amigas se aproximavam para conversar.

Ele olhava para a cadeira vazia da frente, perdido numa confusão de pensamentos. Foi quando ouviu apenas passos rápidos se aproximando e uma porta abrindo-se violentamente.

"OHAYOU!" gritou uma Sakura ofegante, apoiada na porta ainda aberta. "Ah, consegui chegar a tempo!" exclamou, ao se dirigir à sua mesa. "Ohayou, Tomoyo-chan, Li-kun"

"Ohayou gozaimasu"

"O-ohayou..."

"Nyaaa! Acordei tarde hoje, e o onii-chan não quis me esperar!" disse Sakura, afundando na cadeira.

"Mas sempre consegue chegar em tempo, não, Sakura-san?" perguntou uma voz calma e serena de trás de Li, fazendo-o virar-se para ver quem era.

"Ohayou, Eriol-kun!"

"Ohayou gozaimasu, Sakura-san, Daidouji-san, e..." parou ao encarar Syaoran "Li-kun, não? O garoto novo do intercâmbio?" ele assentiu com a cabeça. "Sou Eriol Hiiragizawa, muito prazer."

Syaoran já não gostou desse garoto, só pelo modo como olhava para Sakura... Parecia ser bem próximo e gentil em demasiado com ela. Agradeceu quando o sensei entrou na sala, mandando todos sentarem, e viu que o garoto sentava quase do outro lado.

Claro que Tomoyo percebeu, e logo pôde-se notar que o tal Hiiragizawa também sabia de algo, com seu sorriso enigmático ao olhar de Syaoran para Sakura.

-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-

"Ano... Li-kun, posso te pedir um favor?"

"Claro, é só pedir"

"Você poderia me acompanhar até em casa? A Tomoyo-chan não vai direto pra casa, então vieram buscar ela, e o Eriol-kun mora pro outro lado..." ele abriu a boca, sem emitir som nenhum "Claro, só se você quiser, não quero te obrigar a nad-"

"NÃO!" Sakura o olhou surpresa, provavelmente pelo aumento de voz. "Não, imagina... Adoraria te acompanhar... " e fixou seu olhar no chão, antes que ela percebesse que ele corara. Retomou o fôlego e olhou pra ela, já indo devagar na sua frente. Apressou o passo para alcançá-la.

'Ela é linda' pensou consigo mesmo, olhando-a pelo canto do olho. Andavam emparelhados, mas o garoto não esperava cruzar seu olhar com o dela, quando ela também o fitou pelo canto do olho. Nem preciso dizer que ele prontamente desviou o olhar, ruborizando.

Andaram em silêncio a maior parte do tempo, mais por falta de assunto do que por qualquer outro motivo. A casa dela não era tão perto, mas ele não se importava. Aproveitava cada segundo ao seu lado, fora que, de qualquer maneira, ele fazia o mesmo trajeto, andando mais duas quadras.

"Tá." ela começou do nada, parando e virando-se de frente para Syaoran "esse silêncio tá me remoendo, você não tem idéia do esforço que eu tô fazendo pra ficar quieta" ele riu "É sério!" ela parecia uma criança a quem foi rejeitado um doce.

"Não é por isso que eu tô rindo" ela não pareceu entender "Mas, de qualquer forma, não precisamos caminhar em silêncio. Eu só tô quieto porque não tenho o que falar." ele sorriu.

"Ok." ela voltou a andar, dessa vez de ré, ainda encarando o garoto. "você não me contou aonde está morando"

"Duas quadras pra baixo de sua casa" ela esperou, para que ele falasse mais "é, na verdade, um apartamento, naquele prédio de quatro andares verde"

"Ah, sim, o Taki morava lá" Sakura disse baixo, sendo o comentário mais para si própria do que para o garoto

"Taki? Quem é?" perguntou Syaoran, com ciúmes da intimidade com que a garota se referia ao tal. Talvez fosse um namorado, ou algo do gênero.

"O Taki é um amigo de muito tempo. Pode-se dizer de infância, até." ela sorria ao falar "Foi para Tokyo, viver com o irmão mais velho." Li não entendeu muito bem, ao que ela explicou ao ver sua expressão "Os pais do Taki não moram no Japão já faz alguns anos. Ele vivia com uma tia, mas ela faleceu, então foi morar com o irmão."

"E como ele é?" 'Pergunta sem sentido', pensou o rapaz. Mas não poderia deixar passar. E se, por acaso, o tal Taki fosse muito bonito, e Sakura gostasse dele? Seria o fim do mundo!

"Ah, o Taki é lindo, ele tem cabelo bem escuro, ondulado, com olhos verde-escuro e a pele tão branca quanto a da Tomoyo-chan. E estava sempre solteiro, então as garotas morriam de inveja de mim nas festas, e nos festivais, porque ele sempre era minha companhia" ela riu, relembrando.

'Aposto que ela gostava dele'. O pensamento veio à tona na mente do chinês, e a garota parecia ter lido a mente dele, pois logo disse: "Realmente, se fosse pra gostar de alguém naquele tempo, seria ele, se não fôssemos tão 'irmãos', sabe?"

Syaoran sorriu. Ótimo, ela não gostava dele, o garoto não impediria-o de conquistá-la.

"E você, Li-kun?" ele a fitou, aparentemente confuso "Já teve alguém assim?"

"Ainda não tenho certeza" respondeu sinceramente, fazendo um ponto de interrogação surgir sobre a cabeça de Sakura. Ele sorriu.

A casa amarela da garota aproximava-se, e o garoto lamentou, e desejou que tivessem mais tempo para conversar.

"O que vai fazer amanhã de tarde?" ela perguntou, sorridente.

"Nada, acho. Tem algo em mente?"

"Eu tava pensando se você não queria tomar um sorvete comigo depois da aula. Abriu um sorveteria nova, e eu ainda não fui lá."

"C-claro!" ele respondeu, nervoso. Não era medo, mas morria de vergonha de ficar sozinho com ela. Bobagens da cabeça do garoto.

"Meu treino acaba às cinco. Ah, você entrou pra alguma atividade já?"

"Futebol, mas amanhã não tem treino."

"Cinco horas, então?" o garoto assentiu. Ela começou a andar em direção à porta da casa "Matta ashita, nee" disse, acenando para ele.

"Matta ashita" ele retribuiu, sorrindo. Sakura entrou em casa e o garoto deu uma última olhada pela janela, ao ver algo se movimentar lá. 'Deve ser minha imaginação' pensou, retomando seu rumo.

-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-

Sakura puxava Syaoran pela mão mostrando-lhe o caminho. O garoto, à princípio, corara pelo toque, mas agora já havia se acostumado, e ria alegremente com a amiga. Já havia passado pela sorveteria, mas decidiram ir ao parque do Rei Pingüim para tomar os sorvetes.

Ambos estavam sentados nos balanços, observando as crianças pequenas brincando. O chinês continuava pensando no tal Taki. Estava encucado com essa amizade da moça com o tal rapaz. Eram amigos demais para serem amigos. Sakura nem percebeu a expressão de Li, brincava com alguns garotinhos, que a chamavam de tia. Ela ria, parecia estar divertindo-se, e de vez em quando olhava para Syaoran, o qual desviava o olhar rapidamente, procurando algo no céu e enrubrescendo.

"Acho melhor a gente ir. Onii-chan não gosta quando eu chego depois de escurecer" ela revirou os olhos

"Onii-chan? Mais velho, não?"

"Aham. E acha que pode controlar minha vida." ela resmungou

"Você não viu nada! Eu tenho quatro onee-chans mais velhas!"

"Como elas são?" perguntou Sakura

"Eu não sei... Elas são alegres demais, eu não passo muito tempo com elas" disse ele, fazendo a garota rir.

"HOEE! Eu não posso mais me atrasar!" ela berrou, olhando no relógio do celular. Tomou as mãos do rapaz nas suas "Obrigada, Li-kun. Eu me diverti bastante." ambos sorriram, e ela saiu correndo, deixando o garoto sozinho na rua deserta.

-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-º-

N/A²: aiaiai... me matem...
eu tinha achado que a fic estava meio "tosca", com capítulos muito curtos e pá.

Sumimasen por isso -'

agora, o primeiro capítulo tem quase o dobro do que tinha antes. (criatividade veio à tona D)

logo mais eu vou postar os outros capítulos, ok?
eu tô só revisando e acrescentando idéias
para quem já tinha lido, agora tem mais coisa, e é bom ficar de olho no Taki, ele vai aparecer de novo nessa história.

Se, por algum acaso aparecer reviews, eu vou responder no próximo capítulo (está sendo revisado no momento, não deve demorar muito)

Garotas que já tinham me mandado reviews: muito obrigada, são vocês que me motivam a escrever mais e mais )

-ah, eu sei que o nome tá Kali, mas se quiserem, me chamem de mooni, eu gosto mais n.n v

- chuu ;