Saíram todos um por um da van e carregaram seus pertences em mãos para dentro do hotel, sempre sercados por seguranças, por toda a parte haviam fãs prontas para pular em cima de algum deles. Se dirigiram até a recepção e pegaram a chave dos quartos, eles teriam um andar somente para eles, e cada um ficaria com um quarto separado dos outros. Foram até o elevador que chegou sem demora e se dirigiram para o andar em que ficariam hospedados.

Chegando no andar, havia uma pequena salinha com sofás, uma mesinha no centro e uma televisão, e, atravessando a sala tinha um corredor com uma porção de portas. Cada um escolheu um quarto e colocaram seus pertences em seu devido lugar. O hotel era um tanto luxuoso, os qaurtos eram grandes e espaçosos, televisões no alto da parede e uma cama de mola de casal. No banheiro, tinha uma enorme banheira, e ao lado dela, tinha um pequeno bidê com produtos de higiene extras caso preciso, o que não seria o caso, ficariam ali no máximo por uns 2 dias, já que conseguiram convencer o empresário a passar um tempo por lá.

Maya acabou escolhendo a primeira porta, jogou a sua mala indelicadamente sobre uma pequena poltrona aparentemente confortável e abriu o refrigerador em busca de algo gelado para beber. Como esperado não havia nada alcoolico, mas tinha uma pequena caixinha de achocolatado pronto. Seus olhos brilharam. Apressou-se em alcançar o achocolatado e espetou o canudinho em seu respectivo lugar, em seguida se deliciando com o líquido de dentro.

Ouviu alguns barulhos de risos e conversa vindo do corredor, mais especificamente naquela salinha receptiva do andar. Retirou os sapatos, jogando em um canto qualquer, terminou de tomar o achocolatado e jogou fora a embalagem, em seguida se dirigindo para a salinha.

Chegando lá, encontrou todos os integrantes da banda jogados no sofá rindo com o programa de comédia um tanto ridículo que estava passando na televisão e se enchendo de cerveja, que vinha de um enorme engradado em cima da mesinha de centro.

-Maya!Tá atrasado,senta aí cara! -Disse um dos integrantes e apontou para um espaço mínimo do sofá- vê se pega uma cerveja aí também, tem bastante.

Maya apanhou uma das pequenas latinhas, sentou no sofá espaçosamente se abrindo todo e abriu a lata tomando um enorme gole da bebida, quase se engasgando com a mesma devido as gargalhadas que soltava pelo programa. Era idiota e imbecil, mas era extremamente cômico. Ficaram até aproximadamente umas duas horas lá, jogando conversa fora e dando gargalhadas com ajuda da bebida já que o programa já havia acabado. Quando eles viram que iam começar a passar mal e o sono começou a bater, decidiram ir para seus respectivos quartos tomarem um bom banho e descançar para poder aproveitar o dia seguinte, sobrando na sala somente Miyavi e Maya.

-Acho que vou indo pro meu quarto também, Miyavi. Boa noite.- levantou-se e começou a se dirigir para sua porta, sendo seguido por Miyavi. Abriu a porta de seu quarto e o adentrou, arqueou as sobrancelhas ao perceber que o moreno o havia seguido até dentro do quarto também. - O que foi Miyavi?

-Você não vai dormir agora,Maya-chan..- olhou malicioso para o loiro, que fez uma cara confusa.

Miyavi segurou Maya pela cintura e colou suas testas, deixando seus lábios extremamente perto, mas sem encostar, deixando Maya na tentação. Toda vez que Maya tentava avançar para beijá-lo, Miyavi recuava, desviando dos lábios do outro, mas sem diminuir a distância entre eles.

Maya fez uma careta e agarrou o pescoço de Miyavi, empurrando a cabeça dele contra si, finalmente conseguindo capturar aqueles tão provocantes lábios do moreno mais alto. O beijo começou leve, mas em poquissimo tempo aprofundou-se assustadoramente, deixando-os um tanto sem ar, Miyavi em passos largos e desengonçados, caminhou empurrando Maya até uma superfície plana mais próxima, fazendo-os bater na porta do banheiro.

Ambos não perdiam o contato e nem interrompiam o beijo, Maya estava na ponta dos pés e agora com os braços nas costas de Miyavi por de baixo da blusa, massageando a mesma, enquanto Miyavi empurrou sua cintura contra a de Maya, fazendo seus membros que começavam a formar uma pequena elevação bruscamente fazerem contato. Prensava cada vez mais Maya contra a parede. Levou uma das mãos que anteriormente estavam na cintura de Maya ao seu membro por dentro da calça, apertando-o de leve, fazendo o outro dar alguns gemidos, que eram abafados dentro da boca de Miyavi. Maya balançava e se esfregava em Miyavi de acordo com os movimentos que Miyavi fazia com a mao por dentro de suas vestes.

Miyavi deu uma pausa na "massagem", fazendo Maya suspirar em reprovação, levou a mão que anteriormente estava dentro das vestes do guitarrista até a maçaneta da porta do banheiro e a abriu.

-Vamos por um pouco de romantismo nisso.-Disse rindo, enquanto puxava Maya para dentro do banheiro, que apenas se deixava levar pelo moreno.

Andavam tropeçando para dentro do banheiro, até propositalmente cairem no chão gelado do mesmo, dando um pequeno choque com os corpos anteriormente fervendo. Miyavi não deu tempo para Maya recobrar o fôlego, abriu a calça do mesmo em uma questão de poquíssimo tempo e levemente a abaixou, em seguida, rompendo o beijo com Maya, descendo seus lábios por seu pescoço dando pequenas mordidas, até chegar aos mamilos. Lambia em forma circular e mordiscava fazendo Maya se contorcer um pouco, enquanto suas mãos exploravam a área do sexo do loiro. Continuou descendo seu rosto e chegou ao atual local das mãos, encarando com um sorriso malicioso o membro ereto de Maya. Subiu o olhar até o rosto do outro e encontrouo olhar do mesmo sobre si, lambeu lentamente os lábios dando um ar de suculento, anunciando a Maya o que vinha a seguir.

Miyavi levou uma das mãos á torneira da banheira e girou-a, fazendo com que a água preenchesse a mesma. Em seguida, voltou a atenção para o que estava fazendo anteriormente, e com uma mão agarrou o membro de Maya, fazendo uma pequena pressão com os dedos, e com a ponta da língua, bem lentamente fazia movimentos circulares em volta da cabeça do instrumento que estava lhe proporcionando muita diversão. Maya se segruava para não espernear, sentia que a qualquer momento seu membro iria explodir. Mexia os quadris agonizado.

Ao parar com os movimentos, Miyavi se despia e também tratou de despir Maya, em seguida segurando o mesmo em seu colo e posicionando-o dentro da banheira já quase cheia com água quente, ficando por cima. Miyavi apertou um pequeno botão que soltou um pequeno líquido na água e aos poucos, com o movimento da água nas laterais da banheira que tinham saídas de ar, formaram espuma. Mas mais uma vez Miyavi não deu pausa a Maya, prendeu a respiração e mergulhou, mas dessa vez, não poderia brincar muito nem por muito tempo. Abriu a boca e nela depositou o membro do companheiro, balançando a água da superfície com os movimentos de vai-e-vem, juntamente com algumas bruscas sucções. Saiu de debaixo da água e se deparou com a imagem do loiro ofegante de olhos fechados, esparramado na banheira. Soltou uma pequena risadinha. Sentou sobre o membro de Maya e alcançou os lábios do mesmo, enquanto o beijava ferozmente e rebolava em cima de Maya, que já estava quase enlouquecendo.

Maya alcançou as nádegas de Miyavi e apertou-as, puxando desesperadamente contra seu membro pulsante. Separou mais as pernas do moreno, deixando-as bem abertas, com a ajuda da água, virou Miyavi com facilidade, ficando agora por cima dele. No desespero não conseguiu mais esperar, como a apertada entrada de Miyavi já estava umidecida, Maya apenas se deu ao trabalho de posicionar seu membro e adentrar o ânus do Miyavi. A pressão que a água fazia só deixava a coisa mais prazerosa. Maya investia com força nos movimentos de vai-e-vem. Miyavi gemia baixo, curvou-se um pouco para poder sentar sobre o colo de Maya e mordiscou sua orelha, respirando ofegante na mesma e soletando algumas palavras obcenas, que deixaram Maya mais desesperado fazendo-o aumentar a força e a velocidade das estocadas. Miyavi não parou por aí, escorregou sua mão até a entrada do loiro e igualou a situação, introduziu dedo após dedo no mesmo, lentamente. Maya já não aguentava mais, investiu uma ultima vez com toda a força que podia e chegou a seu ápice, fazendo Miyavi gemer mais alto, em seguida saindo de dentro do mesmo, que poucos instantes depos havia gozado também.

Os dois apoiaram a cabeça numa pequena almofada na borda da banheira, um ao lado do outro, exaustos. Miyavi pegou um sabonete e começou a ensabuar Maya.

-O que cê tá fazendo?-Gritou sentindo Miyavi passar as mãos e o sabonete sobre suas partes baixas, e pelo resto do corpo.

-Tô limpando você, ué! Uma banheira serve pra tomar banho, sabia? - Riu.

-Você que o diga. - Riu e com as mãos, pegou um montinho de espuma e soprou em direção de Miyavi, fazendo as pequenas bolhas voarem em direção do mesmo, que fechou os olhos e recuou, rindo.

-Você me paga, Maya!

Ficaram se tacando água e rindo durante alguns minutos, pensando que estavam se limpando.

-Espera um minuto Miyavi, essa água aqui...não tá exatamente...limpa. -se enojou com a conclusao e se levantou para tentar fugir da água.

-Ah, é verdade agente gozou nela. - falou com a maior inocencia do mundo, como alguem que estava se importando muito.

-M-Miyavi! - Rubourizou-se como palavreado, desligou a espuma e puxou o ralo da banheira, em seguida ligou o chuveiro e pegou o sabonete pra poder se higienizar.

-Aaaah Maya-chan! Eu que estava te limpando! - Fez cara de choro.

-Chega de brincar Miyavi, tá tarde! Se limpa aí que amanhã agente tem que acordar cedo.

-Seu chaaato.- Miyavi chegou perto de Maya e abraçou-o pra também receber água do chuveiro, em seguida sendo ensabuado por Maya, que já havia percebido que o moreno não iria se limpar sozinho.

Ao terminarem o banho, ambos sairam enrolados em toalhas e foram até o quarto.

- Putz Miyv! Suas roupas não estão aqui, vais ter que atravessar o corredor de toalha!Se alguem te vir vai querer tirar sarro...nao só de você!

-Hmmm...será mesmo?

Miyavi tirou a toalha arrancou a mesma da do outro, igualando-os, em seguida novamente beijando Maya com um ar faminto. Maya ficou surpreso, Miyavi tinha assim tanta disposião? O moreno empurrou Maya para cima da cama e sentou sobre seu membro, remechendo-se e dando alguns chupões que ficariam marcas em seu pescoço. Voltou a massagear o instrumento de Maya com as mãos, o mesmo que já estava ereto novamente. Maya levou as mãos á cintura de Miyavi e de repente o mesmo se joga para o lado, de cobrindo com o lençol que estava na cama deixando Maya ali.

-Boa noite Maya-chan! - e logo adormeceu.

Maya olhou para o outro confuso, mas apenas se cobriu com o lençol igualmente e percebeu que Miyavi se posicionara a espera de um abraço por trás para poderem dormir abraçados.

-Você me paga, Miyavi.