N. da A.:Bom... essa é a minha primeira fic, e eu espero que vocês gostem. Tem muito tempo que freqüento o site, mas nunca tinha postado nenhuma porque estava esperando conseguir uma boa estória, e acho que consegui. Cada capítulo começa com a letra de uma música, que eu acho que se encaixa com a parte da estória que estou relatando, e que cada capítulo vai levar o nome dessa música, mesmo que o nome não tenha nada a ver com a estória. O título (Beautiful Disaster) é uma música do Jon McLaughlin que ouvi e viciei, porque é belíssima, e eu acredito que combina, afinal, a história do Gambit com a Vampira (Sim, essa é uma fic ROMY) não passa de um belo desastre. XD

OoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooO

Rascal Flatts - Stand

You feel like a candle in a hurricane
Just like a picture with a broken frame
Alone and helpless
Like you've lost your fight
But you'll be alright

Chorus
Cause when push comes to shove
You taste what you're made of
You might bend, till you break
Cause its all you can take
On your knees you look up
Decide you've had enough
You get mad you get strong
Wipe your hands shake it off
Then you Stand, Then you Stand

Rascal Flatts – Stand (tradução)

Você se sente como uma vela em meio a um furacão,
Exatamente como uma fotografia em uma moldura quebrada,
Sozinha e desamparada,
Como se você tivesse perdido sua batalha,
Mas no fim você ficará bem...

Refrão
Por que é quando você se vê em situações realmente difíceis,
Que você descobre o que realmente é capaz de fazer,
Você pode ficar exausta, até quase se esgotar,
Por que isso é tudo que você pode suportar,
De joelhos você olha para cima,
Então, decide que já teve o suficiente,
Você fica furiosa, mas também mais forte,
Sacode a poeira e
Então, levanta-se

OoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooO

O dia amanhece quente na Mansão X, como sempre por obra de Tempestade. Já se passou uma semana desde a luta com Apocalipse, e o Professor Xavier não dava uma única folga nos treinamentos.

Estavam todos saindo de mais um treino puxado na Sala de Perigo, quando o Professor chamou Vampira:

"- Vampira, posso falar com você?"

"- Tem que ser agora, Professor? Eu estou tão cansada e suada. Inclusive eu começo a desconfiar que estou fedendo."

O Professor ri das palavras da garota.

"- Pode tomar um banho primeiro, criança, mas logo depois você vai à minha sala, que eu vou estar lhe esperando."

"- Ok... Professor?"

"- Sim?"

"- Sobre o quê o Senhor quer conversar comigo?" – pergunta ela desconfiada, tentando lembrar se tinha feito algo de errado recentemente.

"- Vai tomar o seu banho, e depois na minha sala nós conversamos." – diz ele, se virando para ir embora.

Ele parecia sério, mas isso não significava que ela iria ouvir algum tipo de bronca. Todos sabiam que apesar da aparência atinada, no fundo, o Professor Xavier tinha um coração de manteiga. Vampira resolve tomar logo o seu banho para ver o que ele queria, quando chega no quarto, vê Kitty mexendo na sua caixinha de jóias.

"- Hei! O quê você está fazendo?" – disse ela, correndo para pegar a caixa.

"- Ai!" – disse Kitty, esfregando a mão – "eu só estava procurando um brinco que eu perdi."

"- E você perdeu na minha caixinha por um acaso?" – disse com raiva, fechando a caixa e guardando dentro da sua gaveta de luvas.

"- Não. Eu só pensei que talvez você pudesse ter achado e guardado."

"- Era só ter perguntado."

"- É, eu sei. Mas é que você estava conversando com o Professor, e eu não ia incomodar, né?".

Ela fingiu que nem ouviu.

"- Ok. Me desculpa. Erro meu. Prometo que não vou fazer de novo."

"- Ótimo."

Seguiu-se um momento de silêncio, até que Kitty perguntou:

"- Vem cá, que carta é essa na sua caixinha?"

Vampira, que tinha se virado para pegar suas roupas no guarda-roupa olhou para a garota com as sobrancelhas franzidas.

"- Carta? Que carta?"

"- Essa carta de baralho. A Dama de Copas. Só tem ela aí. E o resto?"

"- E quem disse que tem resto? – disse Vampira novamente com raiva, empurrando Kitty para fora do quarto – E também nem te interessa."

"- Ai, credo! Só perguntei. Eu hein."

Vampira trancou a porta – o que não adiantava muito, levando em consideração as pessoas com quem morava – abriu a gaveta, a caixa, e pegou a carta que Kitty havia mencionado. Era a Dama de Copas que havia ganhado de Gambit. Ela não sabia o porquê, mas de alguma forma aquela carta a tocava profundamente. Talvez por que ele atribuía a carta sorte, ou talvez por que ela atribuía a carta a ele. Balançou a cabeça, como para desanuviar pensamentos, guardou a carta e foi tomar banho para ver o Professor.

Quando chegou no escritório achou a porta entreaberta, e ouviu o Professor se despedindo de alguém ao telefone. Resolveu bater na porta antes de entrar, mas, assim que levantou os punhos ouviu a voz do Professor:

"- Pode entrar Vampira."

Vampira levou um susto. Como será que ele sabia que ela estava ali? Foi quando ouviu uma voz na sua cabeça:

"- Eu sou telepata, se esqueceu?"

"- O Senhor não devia ficar lendo a mente das pessoas" – disse ela entrando e fechando a porta.

"- Eu não li" - disse calmamente indicando a cadeira para que vampira se sentasse.

"- E como o Senhor sabia que eu estava na porta?"

"- Deu para te ver daqui."

"- E como o Senhor respondeu a pergunta que eu pensei?"

"- Pela sua cara de espanto eu imaginei qual era a pergunta" – ele respondeu, sorrindo.

"- Hmmm... – resmungou ainda desconfiada – e o que o Senhor quer comigo?"

"- Ah sim! Eu te chamei pra dizer que eu estou querendo fazer uma sessão extra de treinamento..."

"- Ah não! E eu é que vou ter que contar para os outros? Olha Professor, não é por nada não, mas o senhor já anda pegando pesado demais nos exercícios, e ainda tem a escola e..."

"- Eu ainda não terminei de falar, Vampira" – disse ele impaciente interrompendo-a.

"- Ah tá. Então termina." – disse um tanto encabulada.

"- Continuando, o treinamento extra que eu estou querendo fazer é só com você."

"- Ah, cara! Por que eu?" – disse ela, cruzando os braços e fazendo cara de emburrada.

"- Você sabe muito bem o porquê Vampira. Você tem que aprender a controlar os seus poderes, não só pra si mesma, mas também para os outros."

"- Claro, os outros."

"- Eu disse por você primeiro, Vampira."

"- Aham, pois é, mas fez questão de enfatizar os outros."

"- Vampira, eu..." – começou ele, mas foi interrompido.

"- Tá beleza Professor, eu entendi, não precisa se explicar. E quando vão ser os treinos?" – disse se levantando, para deixar claro que para ela a conversa já tinha acabado.

O Professor Xavier suspirou, achando que era inútil tentar se explicar ou discutir e simplesmente respondeu:

"- Amanhã após as aulas."

OoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooO

N. da A.: Esse foi o primeiro capítulo, eu tenho mais 6 prontos e um em andamento. Os outros estão melhores que esse (eu espero). Vou tentar postar uma vez por semana, e se eu não fizer isso é por que não tive tempo de verdade. Reviews são bem vindas, pois acredito que elas me deixarão mais feliz e inspirada. Inté...