N.A.: Parece que tem 5 anos que eu não passo por aqui. Todo mundo merece 5 milhões de desculpas por isso. =/


Coldplay – Trouble

Oh, no, I see
The spider web is tangled up with me
And I lost my head
The thought of all the stupid things I'd said

(…)

And I never meant to cause you trouble
I never meant to do you wrong
And, ah, well, if I ever caused you trouble
Oh, no I never meant to do you harm

Oh, não, eu vejo
A teia de aranha está emaranhada comigo
E eu perdi minha cabeça
O pensamento de todas as coisas estúpidas que eu disse

(...)

E eu nunca quis te causar problemas
Eu nunca quis fazer errado
E, ah, bem, se eu nunca lhe causei problema
Oh, não, eu nunca quis fazer mal


Na Mansão, todos os recrutas e instrutores estavam reunidos para a reunião que havia sido marcada. Todos, exceto Vampira, que tinha saído cedo e ainda não havia retornado, fato esse que incomodou Wolverine. Apenas Wolverine. O Professor notou a ausência da garota, mas preferiu fazer a reunião sem ela, pois o assunto era importante e não podia ser protelado.

Perto do fim da reunião, Wolverine começou a farejar um cheiro que não era de nenhum dos moradores da Mansão. Era um cheiro fraco, mas ele conseguiu sentir, não era estranho, mas ainda assim ele não conseguia reconhecer de quem era. Junto a esse cheiro estava um cheiro mais forte, que ele reconheceu como sendo o de Vampira. De forma discreta ele saiu da sala em que estava e foi em direção ao cheiro da mutante e cada vez que chegava perto de onde a garota estava o cheiro desconhecido ia ficando mais forte.

Imaginando que a garota talvez estivesse em perigo, Wolverine correu, mas ao chegar ao Hall de entrada a encontrou sozinha, fechando a porta da sala. Vampira se assustou ao virar e ver Wolverine olhando pra ela com uma expressão confusa no rosto.

"Quê foi?" – ela perguntou, olhando para a expressão confusa dele e fazendo uma cara ainda mais confusa.

"Você está sozinha?"

"Até onde eu sei." – ela respondeu andando em direção a escada. – "Cadê todo mundo?"

"Estão na sala de reunião em uma reunião que você claramente perdeu."

"Eu claramente não sabia de reunião nenhuma, caso contrário talvez não tivesse perdido. Por que você está fazendo essa cara?"

"Não sei..." – ele disse, olhando para a garota andando. – "Eu achei que tivesse farejado um cheiro estranho. Não muito estranho, mas eu não consigo distinguir de quem é. Parece uma mistura de Whisky, cigarro e perfume barato."

Ao ouvir essas três palavras, whisky, cigarro e, perfume barato uma alerta acendeu na cabeça de Vampira e ela achou que a melhor coisa a fazer seria acelerar o passo e tomar um banho o mais rápido possível, antes que Wolverine ligasse essas três palavras à Gambit.

Acontece que, o ato de acelerar o passo e subir as escadas rapidamente, praticamente de três em três degraus, fez o cheiro se pronunciar mais. Além do cheiro, o coração acelerado da garota ligou uma alerta na cabeça de Wolverine e finalmente ele conseguiu identificar o cheiro "desconhecido".

O que se seguiu foi uma grande sucessão de acontecimentos.

Wolverine ficou tão puto em perceber que era o cheiro de Gambit que estava em Vampira, que dentro dele seu lado mais animal foi despertado. E seu lado animal soltou o rugido mais alto e assustador que conseguia. Tão assustador que eriçou os pelos de Vampira. Tão alto, que conseguiu ser ouvido na sala de reunião.


Ao ouvir o rugido de Wolverine, o Professor e todos os outros presentes correram para ver o que estava acontecendo. Todos pensaram que certamente estava acontecendo alguma invasão e foram preparados para brigar, mas o que estava acontecendo no Hall era muito pior que qualquer invasão. Tão ruim, que a maioria preferia que uma invasão estivesse de fato acontecendo.


Perceber o cheiro de Gambit misturado ao cheiro de Vampira fez Wolverine ficar com tanta raiva que ele nem pensou no que estava fazendo. Subiu as escadas correndo mais rápido que Vampira e ao alcançá-la segurou a garota pelo braço e gritou:

"Você estava com ele?"

Vampira olhou para Wolverine e quase não o reconheceu. Se o ódio tivesse um rosto, seria o rosto do mutante naquele momento. Vampira ficou assustada e a única coisa em que ela pensava era em sair daquele lugar e daquela situação o mais rápido que podia.

"Eu não sei do quê e nem de quem você está falando." – ela disse, tentando sair de perto de Wolverine. Foi, sem sombra de dúvidas, uma escolha errada de palavras, pois Wolverine fez foi apertar ainda mais o braço da garota, mantendo-a exatamente onde ela estava.

"Não mente pra mim, Vampira. Eu posso sentir a sua mentira, do mesmo jeito que eu posso sentir o cheiro dele em você." – ele disse, e sempre que ele falava, sua voz saia com um leve rosnado por entremeio às palavras. – "Qual é o seu problema?"

"Meu problema? Qual é o seu problema, Logan?" – ela replicou. A raiva crescendo dentro dela, por estar naquela situação. – "Eu não lhe devo satisfação nenhuma e se você não se importa, eu queria muito subir pro meu quarto."

"Pois eu me importo sim. Quando é que você vai crescer e parar de se meter em encrenca? Você sabe muito bem que ele só te traz problemas. Ninguém tem tempo pra ficar te vigiando e corrigindo suas besteiras."

"Me vigiando? Eu nunca pedi pra ninguém me vigiar, Logan. Muito menos pedi pra alguém 'corrigir as minhas besteiras'. Porque você não começa a se meter só nos seus assuntos e me deixa em paz com os meus?"

"Por que não existe isso de só os seus assuntos, Vampira. Tudo o que você faz sempre afeta as outras pessoas. Sempre. Eu não vou ficar passando a mão na sua cabeça, igual ao Charles."

"Logan!" – gritou o Professor, tentando chamar a atenção de Wolverine e de Vampira, pro fato de que estavam todos assistindo a briga, mas nem ele e nem Vampira perceberam nada.

"Passando a mão na minha cabeça? Ele não tem por que passar a mão na minha cabeça."

"Não teria, se ele não achasse que a culpa de você não controlar seus poderes fosse dele. Mas o grande problema é que você passa muito tempo desperdiçando a sua energia em quem não merece seu tempo e muito pouco tentando se ajudar."

Vampira já estava com lágrimas nos olhos. De todos os mutantes da casa, Logan era por quem ela nutria mais carinho e respeito. Ela nunca imaginou que estaria nessa situação. Não com ele pelo menos... não ouvindo essas palavras...

Quem também nunca imaginou que essa situação estaria acontecendo eram os outros alunos e professores. Todos sabiam que Wolverine e Vampira se davam bem e que Wolverine a protegeu e ajudou em mais de uma ocasião. Ninguém conseguia assimilar a situação muito bem.

A discussão ainda continuava e só acabou depois de uma intervenção psíquica do Professor Xavier nos dois mutantes.

'Finalmente eles perceberam que todos da casa estavam olhando.

Wolverine soltou o braço de Vampira, que estava completamente constrangida.

"Muito obrigada por dividir os seus pensamentos comigo e com todos os outros da casa, Logan! Eu estou muito satisfeita em saber o que você e provavelmente todo o resto pensa de mim." – disse ela sarcástica, subindo correndo as escadas e indo para o seu quarto.

Depois que a garota sumiu da vista dele, ele virou para os espectadores da briga e disse:

"O quê que vocês estão olhando, pirralhos?" – e desceu.

Os alunos que podiam desaparecer, desapareceram. Os que não podiam, sabiamente saíram do caminho de Wolverine.

"Na minha sala, Logan." – disse o Professor, sério, quando Logan passou por ele.


N.A.: Finalmente eu consegui organizar meu tempo [bem mais ou menos organizado] pra postar um capítulo novo da história. Espero que vocês tenham gostado e postem reviews com elogios, críticas e correções. :P Não prometo um capítulo pra logo, mas vou tentar. =* Muito obrigada pelo carinho com a história ao longo desses anos. Eu ficava genuinamente feliz quando via no meu email que alguém havia favoritado ou comentado.