CAPITULO XII

Tiago passou uma noite terrível. As maiorias dos convidados não ficaram para dormir, mas uma parte dos que fizeram o manteve acordado até o amanhecer. Depois passeou pela porta do quarto de Lílian, perguntando-se se devia acordá-la para falar com ela.

Enquanto ela tomava café da manhã na cama, como ele tinha ordenado, Tiago se ocupou de se despedir devidamente de seus convidados. Quando quis ir ver Lílian, era hora de voltar A Londres. Ela desceu a escada vestida de escuro e com uns enormes óculos de sol que lhe cobriam boa parte do rosto.

- Tudo bem contigo? - lhe perguntou Tiago tentando esquecer que tinha querido entrar em seu quarto num momento que tinha tido e tinha encontrado a porta fechada.

- Estupendamente... morro por voltar para casa ! - contestou saindo da casa em direção ao helicóptero que os levaria ao aeroporto.

Atras dos óculos se escondiam uns olhos desfeitos de tanto chorar. Lílian se sentia a pessoa mais azarada do mundo, mas o orgulho ia ajudá-la a dissimular. Uma vez no avião, pôs-se a falar animadamente com a aeromoça, riu a gargalhadas com a película que viu e repetiu a sobremesa depois de uma copiosa comida.

«Ainda bem que o insensível era eu», pensou Tiago vendo a indiferença com que o tratava.

- Tenho que passar pelo escritório - anunciou ao subir à limusine que os estava esperando em

Londres. - Vemo-nos em casa... Temos que falar.

«De que?», perguntou-se Lílian, pressionada. Não tinha mais remédio do que ir a casa de Tiago porque a outra não estava mobiliada ainda. Pensou em comprar os móveis e instalar-se aquele mesmo dia ou ir tal como estava. Qualquer coisa seria melhor antes de ficar numa casa onde já lhe tinham deixado claro do que não era bem recebida.

Como era possível que se aborrecesse dela tão repentinamente? Sentiu um terrível nó na garganta e mil imagens bonitas se aglomeraram em sua cabeça. Decidiu que preferia viver numa casa vazia a compartilhar outra com o homem que a tinha feito tão feliz e azarada ao mesmo tempo. Disse-se que Tiago devia de ter perdido todo interesse nela ao vê-la tão entregue.

Tinha-se acabado a caçada, já a tinha conseguido. Iam ter um filho, mas isso não queria dizer que tivessem que viver juntos.

Furioso pela crise que o tinha feito passar pelo escritório, Tiago voltou a casa às sete. Para então, Lílian já se tinha ido. Tinha levado todas suas coisas e lhe tinha deixado uma nota.

Levei alguns móveis teus, mas os devolverei em breve. É melhor assim. Telefona-me.

Telefona-me? Tiago enrugou o papel. Melhor para quem? Nada do que lhe tinha dito a noite anterior a tinha feito mudar de opinião. Tinha-lhe dito que precisava dela, uma mulher capaz de chorar sem parar com uma película e não tinha conseguido que ficasse. «Deixa-a», disse-lhe seu orgulho.

Quando Tiago chamou à porta, Lílian fez se corajosa e foi abrir.

Estava tão lindo como sempre, mas não quis olhá-lo muito. Acompanhou-o até o único cômodo mobiliada.

- Olha-me... - lhe ordenou ele.

Lílian ficou estupefata de antes da força de seu olhar.

- Vêem para casa comigo... por favor. Temos que falar.

- Tudo o que tínhamos que nos dizer já nos dissemos ontem à noite.

- Não... Tentei pôr distância na Grécia. Fiz o por obrigação, não porque quisesse. Se pudesse voltar atrás, não voltaria a cometer o mesmo erro, para valer.

- Mas ontem à noite não te importou em me ferir - contestou aborrecida sem saber o que queria dela.

Tiago se riu.

- O que esperavas que fizesse depois de ter que ouvir que você morria de vontade de começar a renovar esta casa? Como querias que reagisse? Depois de dizer-me que nada tinha mudado, que não estavas disposta a viver comigo nem a dar ao nosso casamento uma oportunidade! Lílian ficou olhando-o estupefata.

- Não me referia a esta casa... Me referia à casa grande de teu pai!

- A casa de Isvos?

- Sim - contestou Lílian dando conta do mal-entendido. - Entendeste-me mau e chegaste a conclusões que não eram verdadeiras.

- Não estou totalmente de acordo. Vieste para cá.

- Porque pensei que não queria que vivesse contigo!

- Por que não ia querer viver com minha mulher? Aceitei num princípio para casar-me contigo, mas agora me parece um terrível erro. Isto parece mais o final de um casamento do que o princípio, mas está claro que não te posso obrigar a que sintas o mesmo que eu.

- E daí, o que é que você sente? – sussurrou Lílian sem poder crer que estivesse dizendo exatamente o que queria ouvir.

- Não sei se te esqueceste de Connor e pode ser que isto seja o que eu mereço por ter estragado nossa relação, mas continuo te querendo e estou disposto a esperar o tempo que seja necessário – contestou ele com determinação.

Lílian ficou imóvel.

- Me queres?

Tiago a olhou fixamente e assentiu.

- Desde quando?

- Suponho que desde a noite que nos conhecemos. Aquela noite fiz coisas que jamais teria feito em minha vida - contestou sem dar conta de que Lílian se sentava no braço do sofá porque lhe tremiam os joelhos. - Aproveitei-me de ti, é verdade. Estava vulnerável, mas não podia deixar-te escapar. Supõe-se que o amor faz que a gente se torne uma pessoa melhor, mas a mim me tornou mais egoísta e grosseiro.

-Tiago...

- Não, quero contar-te tudo, tal e como foi. Teria que ter te levado a um quarto de hospede quando te passou a embriaguez. Claro que, se o tivesse feito, não teria ficado grávida e não te teria convencido para que te casasses comigo. Temo que não me arrependo de ter dormido contigo.

Lílian não podia deixar de olhá-lo fixamente. Seguia sendo o mesmo convencido do que tinha se apaixonado, mas aquilo que acabava de dizer lhe tinha chegado a alma.

- Quando comecei a suspeitar que fosse virgem, em lugar de sentir-me culpado, segui adiante.

Assim era mais minha. Tens razão quando dizes que sou possessivo e ciumento. Contigo sim. Encantava-me pensar que tinha sido teu primeiro amante.

- Está sendo completamente sincero comigo e isso me agrada.

- Quando vi tua carteira de motorista e me dei conta de que era Lílian Evans, tudo se foi ao ralo.

A partir de então, as coisas começaram a ir de mal a pior.

- A noite que nos conhecemos não sabias quem era?

- Já te disse que não! Vi-te na pista de baile. Não podia deixar de olhar-te. Não tinha nem idéia de que era a ex de Connor.

E eu não o acreditei», pensou Lílian, envergonhada.

- Pensei que a loira baixinha que estava falando contigo fosse Lílian Evans e não tinha a mínima intenção de me aproximar dela.

- Era Jen - apontou Lílian, convicta de que lhe estava contando a verdade.

- Quando soube que era você, não pude assumir o que sentia por ti. Estraguei tudo tentando não trair a memória de Connor.

- Por que? Disseste-me que só o conheceste de menino.

- Ingrid me disse no dia de seu enterro que éramos irmãos.

- Belo momento de te dizer algo assim, justamente quando estava morto!

- Creio que foi para poder manipular-me a seu desejo - reconheceu Tiago com pena. – Ingrid estava arrasada pela dor. Aquilo me comoveu. Senti que tinha perdido a um ser querido. Senti-me culpado por não ter tido mais contato com ele.

Lílian não achou nada de bom a falar de seu irmão, mas não o disse. Não lhe guardava rancor, mas tinha muito claro que Connor tinha sido arrogante e egoísta até limites insuspeitos. Até o final, tinha deixado que seus amigos cressem que ela tinha sido a causadora das contínuas bebedeiras que o tinham levado à morte.

- Conheci a Connor através do que te fez - confessou Tiago, pesaroso. O que mais me dá raiva é de que eu te feri ainda mais do que ele.

- Isso já é água passada.

- Me repeti uma e outra vez que me sentia tão atraído por ti por uma mera questão sexual. Nada mais. Quando me interei de que você era Lílian Evans, jurei que não voltaria a dormir contigo... mas o fiz, e várias vezes.

- Eu sei - disse Lílian tentando sorrir.

- O episódio do porão... foi terrível. Sinto muito. Não posso crer que perdesse o controle daquela maneira. Tentei não te tocar, mas não pude, era superior a mim.

- Então te deste conta do muito que te queria

- Me senti como o homem mais canalha sobre a face da terra. Não queria fazer te magoar, assim que decidi te deixar porque a situação estava saindo das minhas mãos.

- Pobrecito meu... - riu Lílian – Imagino o quanto deve ter sofrido.

- Ao final, foi você que acabou me deixando. Nem isso fiz bem- Lílian se levantou e o abraçou.

- Pensei que estavas com raiva de mim. Por que está me abraçando?

- Por fazer-me sentir mais irresistível do que Cleopatra... e por confessar-me que me amar te fez sofrer muito. Agora o entendo e te perdôo.

- Podes perdoar-me? - disse ele abraçando-a com força. - Me dá outra oportunidade para fazer as coisas bem?

- Todas as que queiras - lhe prometeu. - Quando você se deu conta de que tinha se apaixonado por mim?

- Na Grécia, mas não quis pensar muito nisso, porque não sabia o que ia passar quando voltássemos A Londres. Quando desmaiaste ontem à noite, senti um medo irracional e me dei conta do muito que significa para mim. Só imaginar minha vida sem ti...

- Te pareceu horrível? Não te preocupes, isso não vai ocorrer porque penso estar toda a vida contigo.

- Te quero como jamais pensei que poderia amar a uma mulher - lhe disse sorrindo. – Agrada-me tudo em você, pethi mou...

- Eu também te quero...

- Ainda? Pensei que me quisesse mais... Te mostraste inalterável quando te roguei que vivesses comigo!

- Sou cabeça dura, mas nunca deixei de querer-te.

Tiago sorriu super feliz e a abraçou com força.

- Me sinto muito feliz... repete isso.

Lílian o fez e Tiago sentiu que devia corresponder-lhe. Sentia-se maravilhosamente bem. Por fim, Lílian era sua e só sua. Estava casada com ele e esperando seu filho. Justo quando ela se dispunha a beijá-lo, agarrou-a da mão e a conduziu a porta.

- Onde vamos?

- A casa... onde tudo começou - contestou Tiago olhando-a com desejo. Lílian enrijeceu.

- Uma idéia estupenda.

Uma hora e meia depois, Tiago estava deitado em sua cama, com Lílian ao lado. Pôs-lhe a mão na barriga e sorriu imensamente feliz.

- Em que pensa? - perguntou ela, sorridente também.

- Em que é o melhor investimento que fiz. Quando nascer nosso filho, terei dois como tu.

- Seremos uma família. Serás um homem atado porque não te penso deixar ir a nenhum lugar - caçoou Lílian.

- Me encanta ouvir-te dizer - contestou ele olhando-a com adoração. — O que não quero voltar a ouvir é que queres que te compre outra casa para ir viver só.

- Não sabes o muito que sinto disso.

- Não pense mais nisso. Recorda que desfrutamos de uma maravilhosa lua de mel sob o sol, é só nisso que tem que pensar, além de mim é claro - apontou Tiago, divertido.

- Eu estava esperando a que me tentasses convencer para que mudasse de opinião - se queixo Lílian- O último que me esperava era que fosse a comprar uma casa tão rápido!

Tiago riu a ponto de dar gargalhadas e a beijou com paixão. Passou mais de uma hora antes que descessem para jantar e, em decorrência do jantar, Tiago lhe comentou que seria bom que seu pai ocupasse a casa que ele comprou para ela.

- Me parece uma idéia estupenda! - exclamou Lílian sabendo que seu pai queria sair da casa que tantas recordações desagradáveis de Felicity lhe trazia.

Tiago a olhou super feliz e feliz porque era exatamente o que ele desejava também.

Um ano e quatro meses depois, Tiago e Lílian deram uma festa para celebrar o batizado de seu filho Harry.

Ingrid Morgan esteve presente, e ela e Lílian falaram longo tempo. Tinham feito as pazes fazia meses. Ingrid se sentia muito culpada e tinha feito questão de vê-la. Ao princípio, Lílian o fez por Tiago, mas, à medida que foi conhecendo-a, começou a apreciá-la para valer. Com o tempo, Ingrid tinha visto que nenhuma mulher tinha tido a culpa da morte de seu filho, que a morte de Connor tinha sido um acidente.

Quando todos os convidados se foram, Lílian lhe pôs o pijama em seu filho com amor e o colocou no berço. Adorava Harry, que se parecia com seu pai, embora tivesse herdado seus belos olhos verdes. Era um menino feliz, que dormia muito e não costumava chorar.

Tinha sido um ano movimentado para todos. Seu pai já tinha se divorciado porque Felicity tinha conhecido a outro homem e tinha querido agilizar os trâmites o mais rápido possível.

Ao princípio, seu pai tinha estado triste, mas, quanto se mudou de casa, seu ânimo tinha melhorado e se tinha convertido num assíduo visitante da casa de sua filha. Seus amigos o tinham ajudado muito e, alem do mais, tinha uma relação maravilhosa com Tiago.

As vezes, durante a gravidez, aquela amizade entre seu pai e seu marido lhe tinha irritado muito porque eles costumavam se juntar para trata-la como se fosse uma boneca de porcelana, cabeça dura como ela só, Lílian tinha trabalhado até os sete meses de gravidez antes de se demitir. O trabalho estava bem,

mas tinha que sair muitas noites, não podia estar com Tiago o tempo todo que queria e era muito cansativo.

Harry tinha nascido sem complicações, mas Tiago tinha passado mal até o último momento.

Quanto viu seu filho, converteu-se num pai entregue e, ao vê-los juntos, Lílian tinha se apaixonado ainda mais por ele, se é que era possível. Ao homem que dizia que lhe agradavam as crianças apenas de longe, qualquer desculpa lhe parecia boa para tomar seu filho nos braços.

- Não o tome nos braços - o advertiu Lílian ao ouvir suas pisadas por trás dela. - Tem que dormir.

- Desde quando é tão mandona? - sorriu ele olhando-a com desejo.

Lílian sentiu que se lhe disparava o pulso.

- Desde que te conheci. Se não tivesse me tornado assim, nunca me obedeceria.

- Pois desta vez te equivocaste porque, como passei todo o dia com o menino nos braços, vim procurar à mãe.

Lílian o abraçou e o acompanhou à cama.

- Me encanta isto porque me mantém em forma - caçoou ele.

Lílian riu e tirou os sapatos.

- Demonstra-me.

Tiago tirou a jaqueta e a gravata, e se deitou na cama para abraçá-la.

- É uma provocadora e sabe disso.

Lílian piscou de modo sedutor olhando-o com amor e não lhe deu tempo nem para dizer-lhe quanto o queria porque Tiago já tinha lançado sobre sua boca.

Fim

N/a: Oi pessoal, eu sei q hoje ñ é domingo e tb sei q prometi postar no domingo, mais é q eu fiquei resfriada, e depois veio aquela sensação de pos doença, q tudo o q vc quer é ficar na cama, alias a minha vida se resume a isso no momento, eu teria postado antes se a minha mãe tivesse me emprestado o notebook dela, mais ela disse q enquanto ela viver eu ñ chego perto dele, algo como ñ ser maluca o suficiente para deixar um computador na minha mão, mais deixa eu tb num queria, eu ainda vou ter um só pra mim (fazendo biquinho) mais em fim... vamos ao q interessa.

Respondento:

Line Black: oi, tudo bem? Q bom q vc tem gostado da ficc e ai gostou do ultimo capitulo? Se ñ dava pra ficar com raiva dele mesmo com as maldades dele, agora entã dá mesmo! Q bom q vai voltar com a ficc sedução, eu nunca curti muito Sirius black fora de ficc J/L, mais eu devo confessar q eu amei asua ficc e ñ me arrependi de quebrar essa minha mania de ficc J/L. Mais me diz vc ta lendo eclipse no pc? Se tiver manda pro meu e-mail eu tava louca pra ler. Espero q vc comente esse ultimo capitulo e até uma próxima! Bjs

Srta Karol: olá, tudo bem? Acho q vc respondeu a sua pergunta, mesmo o Ti sendo, lindo, pegador, sexy, maravilhoso, perfeito... aiaiai (*suspiro*) foi amor q o deixou tão inseguro e ele confirmou isso nesse capitulo, infelizmente a ficc teve q acabar, mais outras virão, vc ñ sabe o quanto eu fico feliz de q goste tanto da ficc. E como foi no vestibular, fiquei aqui torcendo por vc, já passei por isso... aiaiaiai...espero q continue acompanhando as minhas maluquices, espero sua review, quando vc puder, até uma próxima, bjs

Raquel Cullen: Olá, viu só com todo o orgulho do mundo ele foi capaz de ir atrás dela e mostrar o quanto a ama, pelo menos ele foi atrás dela e todo o mau entendido se foi, eu esqueci de comentar sobre o Connor, mais acho q ñ preciso, levando em conta q eles admitiram q se amam, espero q tenha gostado do final e q acompanhe a próxima, considere um !bjs

Carolzinhaz: oi meu anjo, tudo bem? eu sei q te adiantei alguma coisa pelo msn, mais na verdade eu te popei dos detalhes ñ é? Ñ fica brava com o Ti ñ, mesmo q ele ñ tenha demonstrado, nesse capitulo ficou mais do q provado q ele sofreu muito, só é um pouquinho orgulhoso e a Lílian ñ ajudou muito, mais q bom q vc gostou da ficc, ñ esqueça de deixar um review e até a próxima, bjs

LadyWihtie: oi, tudo bem? Me lembre de nunca mais duvidar da sua palavra de marota!rs. e ai, o q achou do capitulo, espero q tenha gostado, viu o Tiago pode ser até teimoso mais ñ é burro, rapidinho ele reverteu a situação! Ñ esqueça o comentário, pq já deve saber q eu adoro eles. Até uma pró

Thaty: Olá, tudo bem? O q a senhorita estava fazendo por volta das duas horas da manha acordada e no computador, foi o comentário mais rápido q eu já recebi na vida!rs. dez minutos depois de eu postar, mais q bom q vc gostou, e espero q tenha gostado do final tb. Bjs

Bem acho q é isso, fazer o q se chegou ao final(pausa para limpar uma lagrima) espero q o final ñ tenha decepcionado, eu sempre me pergunto se o final decepcionou, pq é tão definitivo, ai eu nunca sei, o q eu sei é q quando gosto de uma ficc e o fina eu esperava fico decepcionada, espero q ñ tenha ocorrido com vcs.

Ah, e a próxima ficc ta vindo por ai, o prólogo deve ta chegando até o final de semana, sei q a maioria prefere trailer mai pra ser sincera eu ñ sei fazer, então vai ser o pequeno prólogo com todas as informações da ficc, quelas chatas de sempre, principalmente pq vcs tem tem uma autora q adora escrever, o prólogo ta pronto, mais como eu ainda ñ nem comecei a pensar no 1º capitulo eu ñ to com muita pressa, só vou adiantar q a ficc se chama "anjo negro" e ... bom o resto fica para a imaginação de vcs! É eu sou má!(risada maléfica)**

Aqueles q tiverem alguma duvida das fics, quiserem me apressar ou simplesmente quiserem conhecer a minha humilde pessoa, meu msn e meu orkut estão no perfil, adoro conhecer gente nova!

Amos vcs..beijos

XD