Oiee! Antes de vocês virem atras de mim querendo me matar por causa da demora(¬¬), eu que queria dizer que vou explicar tudo no final do capítulo, afinal, já que vocês esperaram tanto é melhor eu deixar vocês lerem a fic logo, né?;D

Disclaimer: SCC e seus personagens não me pertencem.É...a vida é dura...u.u

Capítulo 2:

Sozinha

Depois do que ouviu, ela pareceu ficar paralisada. Várias perguntas surgiam em sua mente, dentre elas, ela se perguntava o que a polícia poderia querer com ela.

Quando finalmente "acordou para a realidade", ela só pôde desligar o interfone rapidamente, pegar a chave que estava em cima do balcão e sair correndo de casa. Foi no elevador que ela se deu conta de que, com toda aquela pressa, ela tinha descido com a carta que estava lendo na mão. Mas agora que ela estava no elevador, ela não voltaria somente pra deixar a carta em casa. Ela iria assim mesmo!

Quando chegou na portaria, ela viu um carro policial parado em frente ao portão do prédio. O policial que estava no carro saiu e foi na direção de Sakura.

– Você é a filha de Fujitaka Kinomoto?

– Sim, sou eu... – disse ela com um pouco de medo do que viria a seguir.

– Seu pai sofreu um grave acidente e... – o policial não conseguiu terminar de falar, pois Sakura já o interrompera desesperadamente.

– O que aconteceu com o meu pai?! Que acidente foi esse? Como ele está? Onde ele está? – ela estava repleta de perguntas em sua cabeça e não conseguia fazer com que elas permanecessem lá.

– Calma...uma coisa de cada vez. Seu pai foi atropelado e se encontra em estado grave no Hospital de Tomoeda.

– Como? – de novo, Sakura não queria acreditar no que seus ouvidos acabaram de escutar. Parecia que seu mundo estava desmoronando bem na frente de seus olhos pela segunda vez. – Não... isso não pode ser verdade...

– Eu sinto muito, mas não posso fazer nada quanto a isso, posso apenas te dar uma carona até o hospital.

– Então, o que estamos fazendo aqui parados? Vamos logo pro hospital! – Nesse momento ela estava mesmo desesperada.

Assim que chegou ao hospital, Sakura foi correndo falar com 1º médico que viu.

– Você sabe qual é o quarto de Fujitaka Kinomoto?

– Sei sim, sou o médico responsável por ele. Você é alguma familiar dele?

– Sou sim, sou a filha dele. Será que você poderia me dizer como o meu pai está e qual é o quarto dele? – ela estava ansiosa, mas ao mesmo tempo com medo.

– Bom, seu pai não está nada bem... ele está muito fraco, teve muitas fraturas no acidente, inclusive algumas expostas. Nós tivemos que fazer uma cirurgia nele, mas eu não garanto nada, porque ele ainda corre risco de morte. – Como era doloroso pra ele ter que dizer isso pra uma garota que parecia tão inocente, frágil e desprotegida...

Aí estava, a frase que Sakura tinha tanto medo de ouvir: "ele ainda corre risco de morte.", essa frase ecoava por toda sua mente e novamente a atormentava como se fosse um monstro. Seu pai corria risco de morte e ela não podia fazer nada! Sentia-se uma inútil nesse momento! – "Uma completa inútil!" – repetiu em pensamento.

– Se você quiser vê-lo, ele está no quarto 109.

– Muito obrigada. – mesmo desanimada, ela tentou se mostrar agradecida pela paciência e gentileza do médico.

Batidas na porta. Era tudo que Fujitaka ouvia naquele grande e silencioso quarto branco. Sentia-se muito fraco, dores no corpo todo não paravam de atormentá-lo... logo chegaria a hora. As batidas na porta continuavam, ele não sabia quem era e a única maneira de saber era...

– Pode entrar.

Fujitaka viu a figura de sua filha parada na porta com o rosto molhado de lágrimas e um olhar que lhe doía o coração.

– Papai...como você está? – disse ela enxugando as lágrimas e tentando conter outras, mas sem sucesso, pois logo depois mais lágrimas começaram a rolar por sua face.

– Ei, não chore...você não precisa chorar. Eu sei que tudo vai ficar bem. Eu não me sinto nada bem, isso é verdade. Mas tudo vai ficar bem no final.

– Pai, você vai morrer? – ela disse com uma voz e expressão que pareciam de uma criança de seis anos.

– Minha flor...eu acho que não vou conseguir resistir. Eu já estou muito velho mesmo. E você já sabe se virar sozinha, já está crescida.

– Mas pai, eu não vou conseguir...

– Claro que vai! É difícil, mas eu sei que vocês vão superar. Você e o Touya.

– Eu vou ter que morar na casa do Touya? – ela perguntou já chorando novamente, e sem esperanças, já se convencendo do pior.

– Acho melhor não, o Touya já está todo enrolado com a faculdade e o trabalho...ele quase não tem dinheiro pra se sustentar...

–... Que eu seria só mais um problema pra ele. – Fujitaka não conseguiu terminar de falar, pois logo foi interrompido por Sakura.

– Não minha filha, você não seria problema nenhum pro seu irmão. Eu só estou falando que ele está passando por um período muito complicado e precisa se estabilizar. Você já sabe se virar sozinha não é?

– É...

– O que é isso na sua mão? – ele perguntou, reparando na carta que Sakura tinha em mãos.

– Ah...é só uma carta.

– Que carta?

– Uma carta da escola de Tomoeda...dizendo que eu ganhei aquela bolsa de estudos. – ela tentou parecer animada, mas a tristeza ainda estava presente em sua face.

– Que bom! Viu minha filha? Eu falei que as coisas vão melhorar pra você! Só basta ter paciência. E não se preocupe, obstáculos e desafios vão aparecer na sua vida toda hora, não desanime e nem perca as forças, porque é exatamente assim que você não conseguirá supera-los. Ao invés disso, tenha paciência e siga sempre em frente! Não fique olhando pra trás e remoendo o passado, porque isso não vai te ajudar. Ter lembranças do seu passado é normal, mas tente sempre se lembrar do seu passado com um sorriso no rosto. Isso sim vai te fazer bem e vai te ajudar a sempre seguir em frente. Sabe Sakura, a vida não nos dá problemas, nos dá obstáculos. Nós é que temos o costume de transformar todos os obstáculos em problemas. Então, tente viver sua vida sem problemas, apenas com obstáculos. – Mesmo no estado em que se encontrava, Fujitaka não aparentava medo nem infelicidade. Ele parecia estar satisfeito. Satisfeito porque sabia que havia feito as escolhas certas e sabia que sua hora havia mesmo chegado, pois sua "missão" já estava concluída.

Nesse momento tudo o que se foi ouvido naquele grande quarto foi o estridente barulho vindo da máquina a qual Fujitaka estava ligado. Um barulho que mais parecia um apito. Fujitaka estava...morto.

– Pai...pai...papaai! – sem obter nenhuma resposta e ouvindo o barulho que a máquina fazia, ela começou a se desesperar. Ela deitou a cabeça no tórax de seu pai e limitou-se a chorar. – Pai...eu te amo.

Nesse momento vários médicos entraram no quarto apressados, correndo de um lado para o outro. Eles pediram pra que Sakura retirar-se do quarto, e ela sem opção nenhuma, obedeceu. Porque, apesar de já ter perdido todas as esperanças, ela sabia que isso era o melhor a se fazer.

Ela estava sentada naquela cadeira da sala de espera há mais ou menos uma hora e meia. Foi quando viu o médico responsável por seu pai se aproximar, e na mesma hora ela foi ao seu encontro.

– E então, como está o meu pai? – ela perguntou com uma última esperança e com uma calma que não eram comuns à Sakura. Pelo menos não em uma situação como essa.

– Seu pai...faleceu. Eu sinto muito, mesmo.

Sakura nada disse, ela não conseguia pronunciar nem uma palavra sequer naquele momento. A sua última e única esperança acabara de ser destruída. E ela novamente não podia fazer nada.

Assim que se recuperou um pouco do choque pela morte do pai, ela telefonou do hospital mesmo para o Touya para avisá-lo do que ele não reagiu muito bem à notícia... ficou muito chocado e triste, mas tentou se controlar tentando se manter forte enquanto estivesse falando com ela no telefone, afinal queria ajudá-la a manter-se firme diante dessa situação, pois sabia que Sakura era muito sentimental as vezes e se abalava facilmente com certas coisas. No final, eles decidiram que Touya iria ficar responsável por organizar as coisas sobre o enterro de Fujitaka e iria vir pra Tomoeda dentro de alguns dias.

No dia seguinte do seria o seu primeiro dia de aula em uma escola completamente desconhecida, e ela estava com medo. Com medo da reação de todos diante uma pessoa completamente diferente deles. Ela não tinha muito dinheiro, carro esporte, casa grande ou até pais ricos como a maioria das pessoas que estudavam lá. Ela nem sequer tinha pais! Aquela escola era pra pessoas que tinham dinheiro, coisa que ela não tinha. E se tinha, era pouco. Mas ela tinha ganhado uma bolsa de estudos para essa escola, e quando aparece uma oportunidade você tem que agarrar com unhas e dentes. E era o que ela estava decidida a fazer. Agarrar com todas as suas forças aquela oportunidade!

Mas do mesmo jeito, agora ela estava sozinha. Na verdade, ela ainda tinha o Touya e a Tomoyo. Mas o Touya estava em Tókio trabalhando e estudando, enquanto Tomoyo, sua melhor amiga e prima, estava em Paris com a mãe. Ou seja, ela estava sozinha.

E foi com esses pensamentos em mente que ela adormeceu.

Continua...

Oiee pessoal!

Mil desculpas pela demora do capítulo, mas é que estava sem inspiração, e como eu já tinha dito antes, eu sou muuuuito lerda pra escrever!T.T Espero não ter feito vocês esperarem muito e espero realmente que vocês tenham gostado do capítulo!n.n Eu tentei me esforçar ao máximo pra fazer com o que este capítulo ficasse razoavelmente bom[já que eu não sou lá essas coisas como autora de fics, não é?xD Então, claro que esse capítulo não tá ótimo, mas eu tentei fazer o meu melhor!8)]

Momento propaganda:

Leiam-

- Son no Miyage, da Tsuki Hime no Baka, porque a fic tá muito boa e tem futuro. Essa fic ainda vai dar muito o que falar...tá ótima! Eu recomendo...=]

- Problemas pessoais, da minha querida revisora Lalye-, a fic realmente tá ótima e merece bastante review!:D Continue assim Lalye-chan! n.n

Respondendo aos reviews:

Tsuki Hime no Baka:

Own...eu não tenho tanto talento assim...*-*Infelizmente foi necessário matar a mãe da Sakura e suspense também. Afinal, o suspense deixa a fic mais interessante, não é?;) Quando você tá lendo uma fic é diferente de quando você tá escrevendo, porque, quando você tá lendo, o suspense te deixa muito ansiosa já que você não sabe o que vai acontecer, já quando você está escrevendo, você já sabe o que vai acontecer...é diferente...xD Muito obrigada MESMO por você ter posto a minha fic nos seus favoritos e por ter me adicionada como autora favorita!:) Fiquei muito feliz que você goste do que eu faço. ^^ Kissus =^.^=

Luck-Ryu:

É...o suspense é bom as vezes, mas agora eu já postei o capítulo 2, espero que tenha gostado!=) Sério mesmo que você adora a minha fic?Que bom!^^ Calma, que eu vou demorar um pouquinho pra postaro capítulo 3, ok? Eu demoro muito, né? o.o' Ah, e mais uma coisa: muito obrigada por ter adicionado a minha fic nos seus favoritos e ter me adicionado como autora favorita, tá?=D Acredite, isso me insentiva mais do que você pensa...n.n Kissus =^.^=

Edu:

É, você acertou em cheio! O pai da Sakura morreu e carta que ela recebeu é aviso de que ela ganhou a bolsa de estudos. Parece que eu escrevo algumas coisas que são obvias demais, não é?¬¬' Fico contente que você ache a minha fic interessante! ^^ Obrigada por me adicionar na sua kista de autores favoritos e adicionar a minha fic também!:] Kissus =^.^=

Bom, parece que por hoje é só, mas continuem mandando reviews, pois elas me insentivam mais do que vocês imaginam!n.n

E para os leitores fantasmas de plantão,(éé...eu sei que vocês estão aí...eu consigo ver vocês...ù.ú) por favor, deixem reviews...ç.ç Nem que seja com alguma crítica (construtiva), opinião, sugestão, dúvida, elogio, qualquer coisa! TT Porque aí, eu vou ter mais motivação pra poder escrever o próximo capítulo mais rápido...

Então até o próximo capítulo!

Kissus =^.^=

-
Noooooota da revisora *-* [que nem revisa tão bem assim mais tenta ajudar no que pode apesar de atrasar litrooooz] – Garotë *-* Tá indo beeeeem :D Ta sendo malvada . Tadiiiinha . Mal perde a mãe perde o pai tb . Dó do Touya :/ Ahh Touya, se precisar de um ombro amigo já sabe nééé? *.* /amigo?/humUIHSAOIHSADOISDHOIUSADH\ Tá indo muito bem na fic meninaaa *-* Tá melhorando cada vez mais! Pod crê que tu ainda vai recebe muita review ;D :*** bjos pra todos =D by: Lalye-