Conversa de Portaria

Resumo: Lily Evans tem uma conversa no mínimo interessante com o porteiro do prédio de James.

Disclaimer: Nada aqui me pertence, é tudo da J.K. Rowling. A não ser o Sr. Barnes. Mas eu não vejo como fazer dinheiro com ele de qualquer modo...

Não passava das nove da noite quando Lily Evans recebeu em seu apartamento uma coruja de Sirius Black dizendo que James estava com início de varíola de dragão e que precisava de uma poção inibidora o mais rápido possível.

De pijamas mesmo ela aparatou no apartamento do maroto onde ela e Sirius fizeram a poção e deram-na a um James bastante ansioso.

"Acho que já está tudo bem Sirius... – disse Lily quando o namorado começou a melhorar – pode ir para casa. Eu fico até ter certeza de que é seguro deixá-lo sozinho."

"Se você acha que é o melhor, tudo bem... mas qualquer coisa é só me chamar por aquele espelho ali, ok?" – ele disse apontando para um pequeno espelho que estava encima da mesa no centro da sala.

Apesar de não entender muito bem o que Sirius tinha acabado de dizer, ela confirmou com a cabeça e foi com ele até a lareira. Já tinha visto James usando o objeto algumas vezes, mas não fazia idéia de como fazê-lo funcionar.

"Lembra Lils, pode me chamar mesmo, hein? Merlin sabe como Pontas pode ser insuportavelmente irritante quando está doente."

"Positivo e operante, Sr. Black" – disse ela batendo uma falsa continência enquanto Sirius abria um sorriso torto.

"Até mais... mande notícias, ruiva!" ele disse ao mesmo tempo em que jogava o pó de flú na lareira e logo após dizia o endereço de seu próprio apartamento.

E com uma labareda de fogo verde Lily Evans se viu sozinha na Sala de Estar da casa de James Potter.

"Hey Jay, como está se sentindo? Melhor?" – perguntou Lily alguns instantes mais tarde enquanto entrava no quarto de James, segurando uma bandeja nos braços.

"Estaria melhor se não precisasse ficar empacado aqui nessa cama... – disse um James com uma aparência aborrecida que em menos de meio segundo transformou-se em interessada – o que você tem aí?"

"Chá e biscoitos, tá com fome?"

"Com certeza!" ele disse já esticando os braços e alcançando a bandeja.

"Você ainda não pode comer muito, - disse Lily enquanto se sentava ao lado de James na cama - por isso eu não trouxe um jantar exatamente... mas eu acho que amanhã de manhã-"

"Lils?" – James a interrompeu.

"Hum?"

"Você poderia fazer um favor para mim? É que Thommas McKensi disse ao Sirius que deixaria o material de hoje das aulas da Academia de Aurores na portaria, já que eu não pude ir nem nada, e bem... será que você poderia ir lá buscar pra mim?"

"Ah... claro James. Porque não? Eu estarei de volta logo."

Lily estava quase na porta do quarto quando James gritou:

"Hey Lils, cuidado com o senhor Barnes, ele é um cara... excepcional." - disse isto começou a rir.

Lily só revirou os olhos e foi até o hall de entrada (onde ainda podia ouvir a gargalhada do namorado). Ela foi pensando enquanto descia de elevador "O que pode haver em um velhinho com uma aparência tão doce quanto a do Sr. Barnes, o porteiro do prédio? James só podia estar tirando uma com a minha cara para variar..."

"Boa noite Sr. Barnes, como vai?" – disse Lily enquanto dava seu melhor sorriso.

"Muito bem... e a senhorita?" – ele a olhou de um jeito estranho e a garota não entendeu.

"Ótima! O Senhor sabe se tem algo para o James aí?" – o olhar continuou.

"Bem... tem sim, só um minutinho..."

Enquanto o Sr. Barnes abaixou o olhar para procurar entre a papelada de correspondências que estava encima de sua mesa Lily percebeu a razão pela qual ele a estava olhando tão estranhamente. Ela estava de pijamas.

Pijamas.

Na portaria do prédio.

Como ela poderia culpar o pobre velhinho de olhá-la daquele modo? Somente pessoas indecentes desceriam à portaria só de pijamas sem nem ao menos um robe! E ela definitivamente não queria se enquadrar nesse tipo de pessoa.

"Aqui senhorita, encontrei!" – ele disse enquanto estendia os papéis a uma Lily completamente envergonhada que tentava a todo custo se cobrir... mas pelo visto não foi o suficiente.

"Não pude deixar de perceber que a senhorita está aqui no apartamento do jovem senhor Potter de roupas de dormir... a senhorita vai, por acaso, passar a noite?" – e depois de dizer isto a olhou de um modo como o de quem sabe das coisas.

"Como?" – As sobrancelhas de Lily dispararam para cima e ela congelou. Ele estava mesmo perguntando o que ela achava que ele estava?

"Ora... a senhorita entendeu. Eu perguntei se você e o jovem James vão "mandar ver" ou seja lá o que for que vocês jovens dizem hoje. – ele fez um rosto pensativo – Apesar de que o Sr Potter não parecia muito bem para isto essa tarde..."

"E o que o senhor tem a ver com isso?"

"Bem... como eu sou o porteiro, eu me preocupo com tudo o que acontece aos moradores e tento ficar sempre... – agora com um olhar astuto – bem informado.

A única coisa que Lily pode pensar foi: Esse cara existe mesmo?

Tudo bem que ele se importasse com a rotina dos moradores do prédio, mas chegar a perguntar coisas tão intimas quanto sua vida sexual (ou falta dela no caso, já que ela e James ainda não tinham ultrapassado a linha dos amassos. Não por falta de tentativas do maroto, mas Lily simplesmente achava que não tinha chegado a hora. Não que isso importasse agora... essa é outra história) era completamente invasivo e inapropriado na visão de Lily.

"Sinceramente Sr. Barnes, eu... Ah, em primeiro lugar: - ela levantou a mão iniciando a contagem - James está doente. E em segundo lugar: o que faz o senhor achar que pode discutir isto comigo, seja aqui na portaria ou EM QUALQUER OUTRO LUGAR?!"

E mais vermelha que um tomate ela se virou e saiu como um furacão em direção ao elevador, murmurando coisas como "Que ultraje!" ou "Só pode ser brincadeira!" e deixando um senhor Barnes com uma expressão totalmente confusa para trás.

"Mas o que foi que eu disse de errado?"

Lily apareceu furiosa na porta do quarto, pronta para despejar umas poucas e boas em cima de James quando percebeu que ele já estava dormindo de lado na cama, com a bandeja vazia esquecida em cima do criado mudo ao lado.

O maroto parecia tão tranqüilo dormindo profundamente, que ela, por um momento, esqueceu a razão pela qual estava irritada e foi se deitar ao lado do namorado.

"Não pense que você vai fugir de uma conversa muito séria amanhã, Potter." – murmurou.

Lily ficou lá deitada por alguns instantes, pensando no ocorrido, quando, inconscientemente, James abraçou-a pela cintura e afundou o rosto em seus cabelos ruivos.

Na hora ela surpreendeu-se um pouco, mas logo em seguida ajeitou-se no peito do maroto e já fechando os olhos, com um pequeno sorriso no rosto, ela murmurou:

"Que o Sr. Barnes não ouça nunca, mas acho que, afinal de contas, eu vou acabar passando a noite".

N/A: E aí povo, o que vocês acharam? Tive essa idéia insana enquanto eu mesma descia de pijamas o elevador do meu prédio, indo buscar a correspondência. o.O hahahaha. Espero que tenha ficado boa.

Talvez tenha outro capítulo... tudo depende das reviews, então... please gente, vamo lá né? Não vai doer nada mandar uma palavrinha só (sendo elogio, crítica, conselho ou o que for)!

Até mais,

Beijos!

Fer C. Potter