Olá povo! Desculpa a demora, mas eu fiquei sem muita inspiração pra escrever e quando ela veio, faltava um dia para eu ir viajar T.T

Mas depois que eu voltei me dediquei totalmente a esse capítulo, então eu espero que vocês gostem. ^ ^

Então vamos à fic!

"Talvez toda essa má sorte que você diz que tem tenha passado pra mim, Lily...você acha que eu poderia ter me tornado um azarado?"

Lily Evans sentiu a luz do Sol batendo em seus olhos. Devia ser cedo demais para abri-los, mas por alguma razão não queria continuar com eles fechados. No momento em que os abriu, notou dois olhos castanho-esverdeados fitando-a indecifravelmente.

"Eu... o quê?!" – será que ele estava fazendo sentido e a mente dela que ainda não estava funcionando?

"Um azarado... você sabe. É que aparentemente a única noite que a minha namorada decide, finalmente, passar comigo eu estou apagado por causa de uma poção."

"Ah... então é só isso?"

"Só isso, Lily?! Você não vê a gravidade da situação? Se eu tiver virado um azarado mesmo, o mínimo que pode ter acontecido é você ter pego varíola de dragão de mim e a única pessoa que vai poder vir cuidar de nós dois é o Almofadinhas. – e depois de um instante absorto em pensamentos – é isso... a gente tá perdido..."

Ele tinha uma expressão séria, mas Lily sabia que tudo o que ele queria era brincar sobre a situação "inusitada" em que se encontrou esta manhã.

"Lils, quando eu disse que preferia a minha Nimbus a você eu estava mentindo, ok?"

Ela não agüentou e começou a gargalhar.

"Eu sempre soube que um dia você perceberia a verdade, Jay, mas infelizmente eu tenho que te informar que estamos os dois completamente saudáveis... e que vamos sobreviver."

Ele sorriu ao mesmo tempo em que a olhou desconfiadamente e disse:

"Se é o que você diz minha cara... – e começou a se levantar – então acho que deveríamos tomar café da manhã. Nunca estive com tanta fome em toda a minha vida."

"Ahh... Tinha me esquecido que você não fez sua sessão diária de empanturramento antes de dormir" Ela disse revirando os olhos, os dois já se dirigindo à cozinha.

Quase toda a comida do "estilo matinal" já estava na mesa quando um barulho foi ouvido na sala. Lily pôs a cabeça para fora da porta da cozinha e avistou Sirius Black tirando o pó da lareira das roupas enquanto colocava um saco que parecia cheio de algo indeterminado dentro do armário de casacos.

"Bom dia, crianças! Vocês não me deram notícias e acabaram me deixando preocupado, então eu tive de vir checar o estado do meu colega Pontas..." – ele foi dizendo enquanto atravessava a sala e entrava na cozinha. Lily percebeu que o garoto cheirava à torta de maçã, mas decidiu não perguntar. Sirius parou um instante para observar o estado dos dois a sua frente: pijamas amarrotados e cabelos despenteados (ou mais do que o normal, no caso de James) e disse – "mas eu apostaria todos os galeões do meu bolso que ele já está muito bem" – e logo após dar um sorriso maroto, iniciou uma sessão de risada-latido sem fim.

Lily já estava da cor de seus cabelos quando James, ao invés de continuar sorrindo com o amigo, resolveu tirá-la da situação constrangedora.

"Hey Almofadinhas, tá com fome? A gente ia tomar café agora."

À mera menção da informação "comida", Sirius se recuperou imediatamente da crise de riso e olhou para a mesa animado. Nesse ponto Lily já tinha certeza que "comida" era a palavra mágica quando se tratava de marotos.

"Finalmente! Por que a comida da sua casa é boa, Pontas? A da minha é uma porcaria. Nem o Rabicho consegue engolir."

"Deve ser porque você é quem cozinha cara. - mais risadas – O negócio é que minha mãe manda a comida que os elfos lá de casa fazem toda semana".

"Ahh... Saudades de morar com a Senhora P... ela é ótima..." – Sirius tinha a expressão de quem estava viajando um século no tempo em lembranças. – "Olha só! Tem até suco de abóbora!" – E dizendo isto encheu um copo para si e virou-o todinho.

"Sabe de uma coisa?" – Ele começou alguns instantes depois – "Eu acho que isso deveria ser vendido naquelas garrafas de dois litros.".

Lily e James olharam para Sirius. Lily tinha uma expressão confusa, mas diferente dela, James parecia ter achado a idéia genial.

"Mas é claro! Como ninguém pensou nisso antes? Tenho que reconhecer que você tem seus momentos brilhantes, Almofadinhas".

"Meu caro Pontas, quando que eu, Sírius Almofadinhas Maroto Black, não fui brilhante?"

"Bom... tirando aquela coisa toda do Ranhoso no sexto ano? Ou quando você quis pintar o seu cabelo de loiro pra ver como ficaria? Ou aquela outra..."

"Tá, tá! O negócio é que se isso der certo, a gente pode fazer milhares... até milhões de galeões!"

Quando a conversa chegou nesse ponto, Lily reconheceu que seria muito mais saudável para sua mente deixar os dois e voltar para casa, porque, apesar de tudo, ela ainda tinha muito o que fazer.

"Garotos, a conversa está esplêndida, mas eu tenho que ir" – ela levantou e foi caminhando até a sala com os dois marotos logo atrás. – "O dever me chama!".

"E o que seria mais interessante do que ficar e ter uma conversa agradável sobre negócios com seus amigos incrivelmente visionários?"

"Bom Sirius... a Marlene vai lá em casa daqui a pouco pra me mostrar o vestido que ela comprou pro casamento da Alice e do Frank e ver o meu também, que tal?"

"Humm... muito bom saber, ruiva. Talvez eu dê uma passada lá mais tarde." – Sirius disse com um sorriso nada menos que malicioso.

"Claro... falando nisso, vocês já arrumaram os ternos pra vocês?"

"Ahh Lil's, a gente tem tudo sob controle" – disse James e depois piscou um olho.

"Usar o mesmo terno desde a formatura é ter tudo sobre controle agora... – ela murmurou, mas não baixo o suficiente para que os garotos não a ouvissem, o que causou mais uma onda de risadas.

"Tá bom gente, mas eu tenho que ir mesmo. Qualquer coisa é só me chamar, ok?" – e dizendo isto ela se despediu dos dois, de James com um selinho e Sirius com um beijo na bochecha, e se dirigiu à lareira. Logo a labareda de fogo verde foi vista.

"Tchau Lilete!" – disseram os dois ao mesmo tempo antes que ela desaparecesse.

Um segundo de silêncio se passou enquanto os dois observavam a lareira vazia, até que um se virou para o outro. Sirius foi o primeiro a se pronunciar:

"Pronto pra pegar o nosso prêmio?"

"Tava só esperando você perguntar!"

E com um sorriso no rosto os dois se dirigiram à porta.

"Bom dia Senhor Barnes! Como vai o senhor?"

Senhor Barnes estava na portaria, muito tranqüilo, quando dois garotos morenos saíram do elevador. Um com os cabelos irremediavelmente bagunçados, óculos, um sorriso enorme no rosto e, como o Sr. Barnes não pode deixar de notar, de pijamas. O outro tinha cabelos um pouco mais longos, olhos azuis, um saco nas mãos e, se possível, um sorriso ainda maior que o primeiro.

"Olá Sirius. Bom dia James, como está? Melhorou da varíola de dragão?"

"Me sinto completamente curado senhor Barnes, obrigado."

"Imagino que os dois tenham vindo tratar de negócios, não?" – o porteiro disse antes de dar uma sonora gargalhada.

"Acertou em cheio, Sr. Barnes. Como foi a operação? Gravou tudo direitinho?" – Sirius tinha um olhar ao mesmo tempo empolgado e interrogativo.

"Olhem garotos, eu pensava que essa tal de câmera de vídeo trouxa era complicada de se mexer, mas eu segui as suas instruções e acabou que eu aprendi a operá-la. Acho que deu tudo certo."

"Ahhh, essa é uma ótima notícia, senhor! Podemos ficar com o filme?"

"Mas é claro, James." – Ele respondeu, tirando o filme da máquina e estendendo ao garoto. – "Mas é claro que vocês cumpriram sua parte do trato, não é rapazes?"

"Assim o senhor nos ofende, Sr Barnes" – disse Sirius, com uma falsa expressão de ultraje, e estendeu o saco que estava em sua mão. – "Aqui, está cheio de fitas vazias para o senhor gravar tudo o que quiser. E é claro, pode ficar com a câmera".

"Muito obrigado, garotos! Esses aparelhos trouxas são realmente fascinantes!"

"Sabíamos que o senhor iria gostar." – disse James.

"Ah! E como nós sabíamos que o senhor faria um bom trabalho, eu trouxe, de quebra, uma torta de maçã para o senhor. Ela está ai dentro do saco."

O porteiro abriu o saco para conferir o que o maroto dizia enquanto James o olhou interrogativamente:

"Onde você conseguiu uma torta de maçã? Não foi você quem fez, não é?" – e em um tom mais baixo para que só o amigo o ouvisse – "ele já é velho, Almofadinhas! Você quer matá-lo?"

"Não é nada disso, Pontas! Senhor Barnes, pode comer essa torta tranqüilo, porque eu a trouxe diretamente da mansão Black!"

O velhinho assentiu e James parecia ainda mais confuso.

"Você foi pra sua casa ontem? Por quê? E como ela pode ser mais segura saída de lá do que das suas mãos?"

"Bom... ontem era a festa de noivado da Narcisa e do Malfoy, então eu achei que devia fazer uma visitinha e dar minhas felicitações..." – Ele pareceu se lembrar de algo engraçado e por fim falou – "Eles ficaram tão felizes... você tinha que ver a cara do Monstro!"

James não agüentou e gargalhou.

"Quer dizer que você afanou a torta da festa de noivado da sua prima? – mais risadas – E a megera?"

Sirius tinha uma feição de extrema indignação quando respondeu:

"Nunca mais se refira assim à minha santa mãezinha, James Potter!"

"Sinto muito Almofadinhas... esqueci da regra número 1 do Código de Honra de Sirius Black..."

E os dois disseram em uníssono:

"Nunca deixar ninguém ofender minha mãe antes que eu mesmo o faça."

"Entendi, entendi... não vai mais se repetir, eu juro."

"Muito bem, meu caro Pontas... muito bem."

"Garotos, eu não quero atrapalhar, mas eu tenho que continuar a tomar conta da portaria... e acho que vocês têm um filme para assistir, não?"

Os dois pareceram se lembrar da razão pela qual estavam na portaria a essa hora da manhã e voltaram-se ao porteiro.

"Claro! Já estávamos subindo mesmo, senhor Barnes."

"Vocês não farão nada de errado com esse vídeo, não é rapazes? Porque eu gosto muito da senhorita Evans e não aprovaria se vocês a prejudicassem."

"Fique tranqüilo Senhor Barnes, a gente nunca faria algo pra prejudicar a Lil's... nós só estamos nos divertindo um pouquinho no estilo maroto! Talvez a gente até a chame para assisti-lo conosco!" – disse Sirius antes de piscar um olho e sair em direção ao elevador.

"É Sr. Barnes, o senhor acha mesmo que eu faria alguma coisa de mal pra Lily algum dia? Eu amo aquela ruiva! – James disse, também se dirigindo ao elevador. – E obrigado de novo!"

Logo Sr. Barnes se viu sozinho novamente na portaria, mas agora com uma deliciosa torta de maçã como companhia.

Definitivamente, não importa quanto tempo passe, Sirius Black e James Potter sempre serão Sirius Black e James Potter. Ou melhor, sempre serão Marotos!

É como dizem... Velhos hábitos nunca mudam.

N/A: E ai, o que acharam? Ótimo? Excede as Expectativas? Aceitável? Péssimo? Deplorável? Trasgo? Mande uma review me dizendo!

Aposto que essa vocês não esperavam do Sr. Barnes, né? Hahahaha acho que até eu me surpreendi com ele!

Eu estava pensando em escrever uma One-Shot sobre o incidente "Visita-Indiscreta-de-Sirius-à-Mansão-Black", o que acham? Tudo depende de vocês ^ ^

Esse foi o último capítulo, por via das dúvidas, ok?

E vamos às respostas das reviews! (primeira vez que eu faço isso... que emoção!)

layla Black: aqui está o capítulo seguinte, espero que tenha gostado! Obrigada!

Anggie: que bom que gostou! Espero que esse capítulo também tenha valido a pena! Valeu ^^

Luisa Santos: como o próprio James disse, o Sr. Barnes é um cara excepcional, mas não do jeito que todos esperavam, não é? Hahaha! Obrigada pela review!

MJ Weasley Cullen: Que bom saber que mais alguém além de mim ri dessas insanidades! Acho que você percebeu que ele é ainda pior que curioso, não? Obrigada!

Jaque Weasley: eu também daria tudo pra dormir, nem que fossem 15 míseros minutinhos, abraçada com o Jay... uma vez eu até sonhei que eu fui ao Madame Puddifoot com ele, acredita? Hahahaha, sonhar não custa nada, neh? Valeu pela review!

Lethicya Black: eu também não esperaria nada melhor de um porteiro que tem que sofrer a influência dos marotos o tempo todo! Espero que tenha gostado da continuação. Obrigada!

Zooey Mureau: que bom que gostou da história! Aqui está a continuação, tomara que tenha ficado à altura do esperado ^^ Obrigada pela review e pelos elogios!

Julie Padfoot: obrigada por ter deixado uma review! Eu acho que você concorda comigo que o Sr. Barnes é ainda pior que enxerido, não? Hahaha.

N/B{pra quem não sabe, Bruh Prongs:D}: Cara... eu não esperava isso do enxerido do , Nunca! Que velhinho Maroto esse hein?

Não preciso nem falar que amei betar o cap né? Os Marotos Ruleiam!

E não esqueçam: façam a autora e a beta felizes, Deixem Reviews!
Bjinhuss pra todo mundo que leu, que está lendo ou que ainda vai ler!

N/A (de novo.. haha): E um MUITO OBRIGADA antecipado pelas reviews deste capítulo!

Até a próxima!

Fer C. Potter