Essa fic surgiu do nada e foi escrita em pouco mais de dois dias. Eu tive a idéia após ler várias entrevistas dos meninos. Algumas das declarações deles são impagáveis e eu não pude resistir.

Espero que gostem.

Boa leitura!


Jogo da verdade

Sábado à noite e em um dos estúdios da famosa emissora de TV NHK, o programa de variedade de maior audiência do Japão estava prestes a começar.

A plateia, naquela noite, composta em sua maioria por jovens, estava eufórica enquanto nos bastidores, os produtores se agitavam. O anfitrião da noite, um simpático e sorridente homem de cabelos pretos, recebia os últimos retoques na maquiagem e já fora avisado de que faltava apenas um minuto para o início do programa que era ao vivo.

O homem muito bem vestido com uma calça social preta, camisa de botões azul e um paletó também preto se levantou da cadeira da maquiadora e caminhou por um pequeno corredor até chegar à entrada para o alco. A contagem regressiva foi iniciada e logo a música de abertura do programa pode ser ouvida.

_ Boa noite Japão! - O apresentador disse em um tom alegre ao entrar no palco. Fez uma reverência à plateia e aos telespectadores enquanto era aplaudido de pé.

_ Bom, como vocês todos já devem saber, hoje teremos uma edição especial do nosso programa com um novo quadro estreando que deverá ser exibido uma vez ao mês.

A platéia se agitava ainda mais enquanto o homem falava e uma música animada estava ao fundo.

_ Nossos convidados de hoje também são especiais... _ O apresentador voltou a falar tentando fazer suspense. _ Mas vocês já sabem quem são não é mesmo? - Indagou exibindo um largo sorriso. _Vocês estão ansiosos e confesso que eu também estou.

As jovens na plateia aplaudiram e gritinhos excitados podiam ser ouvidos, arrancando risos do apresentador que não parava de atiçá-las.

_ Ok ok, eu não vou deixá-las ainda mais ansiosas... Dêem as boas vindas a maior banda de JRock da atualidade. THE GAZETTE!

Gritos, muitos gritos histéricos foram ouvidos. Os rapazes entraram no estúdio trajando as roupas usadas durante a gravação do último PV lançado por eles, Leech. A música em questão ecoou pelo ambiente em alto e bom som enquanto eles eram ovacionados pelo público.

Parados de pé no meio de cenário do programa, estavam na costumeira formação e reverenciaram os fãs em sinal de respeito e agradecimento.

Alguns bons minutos depois e os aplausos e gritos histéricos ainda eram ouvidos. Os rapazes sorriam levemente envaidecidos pela demonstração de carinho.

_Ok, quando vocês pararem de gritar, eu posso continuar com o programa. _ O apresentador provocou causando risos a todos e só assim os gritos começaram a cessar. _ Boa noite! _ Pode finalmente cumprimentar seus convidados sem que sua voz fosse abafada. _ Vamos nos sentar?

Os rapazes foram conduzidos até um grande sofá que fazia parte do cenário e que era estofado em um tecido muito alvo contrastando com os trajes completamente negros dos membros da banda. Todos se acomodaram no confortável sofá na seguinte ordem: Aoi na ponta direita seguido de Reita, Ruki, Uruha e Kai. Em uma outra poltrona individual, estava o anfitrião.

_ E então como vocês estão? _ Se dirigiu aos rapazes.

_ Estamos bem. _ Ruki foi quem respondeu. _ Trabalhando muito.

_ Imagino que sim. _ O homem disse. _ Nós estamos ouvindo agora o mais novo single lançado por vocês. _ Novos aplausos surgiram e o apresentador estendeu a mão com a qual segurava a capa do single para a câmera mais próxima, enquanto informava sobre a data em que estaria disponível para compra.

_ Como todos devem saber, estamos estreando um quadro novo no nosso programa. _ Os rapazes concordaram com acenos de cabeça. _ O que vocês rapazes não devem saber, é que uma pesquisa foi feita enquanto estávamos na fase de produção. A pesquisa foi feita pela internet através do site da emissora e nós perguntamos quem deveríamos trazer para essa estreia. Nossos computadores registraram milhares de acessos e do total, quase 200 mil pessoas indicaram vocês para participar. Havia votos até mesmo de fora do Japão.

_ Sugoi! - Kai fez uma expressão surpresa pouco antes de exclamar demonstrando sua satisfação e exibiu seu belo sorriso que fez as meninas na plateia gritarem seu nome.

_ Kai-san, vocês têm consciência de que existem fãs do The GazettE em diversas partes do mundo?

_ Hai. _ Kai confirmou. _ Recentemente nós recebemos presentes de fãs lá do Brasil e ficamos bastante impressionados.

_ O Brasil é do outro lado do mundo! _ O apresentador completou.

_ Exatamente. Nós conversamos sobre isso e pensamos. Como foi que eles souberam que a gente existe? _ Kai sorria visivelmente feliz com aquilo.

_ No último show que fizemos em Tóquio para o Gazerock Festival, havia muitos estrangeiros. _ Ruki falou. _ Uma fã nos escreveu dizendo que ficou muito feliz em constatar que havia muita gente de fora do Japão no show. Ela disse no e-mail que um grupo de brasileiros ficou perto dela e que eles curtiram muito o show, dançaram e cantaram todas as nossas músicas. _ O vocalista sorriu não escondendo o orgulho com aquilo.

_ Isso é mesmo incrível! Um grande feito para qualquer banda! _ O homem voltou a falar e viu os outros membros concordarem. _ Isso prova o nível de popularidade de vocês. Ruki-san, deve ficar feliz em saber que sua voz está ecoando em altos falantes do outro lado do mundo e deixando as fãs tão agitadas quanto essas aqui. _ Disse apontando para a plateia. Ruki sorriu, dessa vez um tanto tímido, mas concordou.

_ RUKI! _ Um grito agudo e extremamente alto ecoou pelo local vindo do fundo da plateia para onde todas as atenções foram voltadas.

O apresentador se levantou para ver melhor e pode enxergar uma menina pulando de forma frenética lá no fundo. Ela tinha uma caixa em mãos e ergueu o objeto para mostrá-lo.

_ Isso é um presente?_ O apresentador indagou e a viu concordar. _ É um presente para Ruki-san? _ A jovem mais uma vez confirmou. _ Venha até aqui e entregue pessoalmente então.

A garota vibrou com o convite e mais que depressa com a ajuda de alguém da produção se aproximou do palco ofegante e extremamente emocionada.

_ Qual é o seu nome?

_ Mizaki. _ Respondeu trêmula.

_ Você está nervosa? _ O apresentador perguntou confortando-a. _ Você é fã de Ruki-san?

_ De todos eles, mas eu adoro o Ruki-san. Ele é tão kawaii! _ A menina disse eufórica.

_ Então eu vou apresentar você pra ele. Ruki-san?

O vocalista já estava de pé quando o apresentador o chamou e então se aproximou dele e da menina que já começara a chorar diante da proximidade com o ídolo. As devidas apresentações foram feitas e o presente entregue a Ruki que agradeceu. A fã pediu um abraço e o pedido logo foi atendido pelo vocalista embora ele estivesse um tanto tímido com a demonstração de adoração da garota em relação a ele.

Ruki a abraçou carinhosamente por longos minutos enquanto ela chorava e ambos recebiam os aplausos da plateia.

_ Muito bem! Desejo realizado mocinha? - O tom de brincadeira do apresentador fez com que o contato entre fã e ídolo fosse interrompido. A caixa contendo o presente, que fora segurada pelo outro foi devolvida a Ruki e a menina fez uma reverência agradecendo pela oportunidade. _ Pode ir até lá falar com os outros.

A garota foi tímida até os outros integrantes da banda, que se levantaram para cumprimentá-la fazendo-a sorrir ainda mais e derramar mais lágrimas.

Logo após, os comerciais foram anunciados e garrafas de água foram colocadas na mesa de centro em frente ao sofá onde os rapazes estavam sentados para que eles pudessem lubrificar a garganta.

Trinta segundo depois e a característica música do programa voltou a soar anunciando o retorno ao vivo.

_ Estamos de volta com the GazettE a maior banda Jrock da atualidade que veio participar do nosso novo quadro que se chama "SEM SAÍDA". _ Muitos aplausos foram ouvidos e o apresentador sorria satisfeito já imaginando o quanto a audiência do programa estaria subindo naquele momento. _ Eu vou explicar agora no que consiste esse quadro, certo? _ Todos concordaram. _ Nós faremos uma espécie de entrevista com vocês, a mesma pergunta terá que ser respondida por cada um dos membros da banda. _ Explicou. _ A diferença básica é que, essas perguntas podem ser dos mais variados tipos, desde profissionais até absolutamente pessoais. Elas foram elaboradas a partir da sugestão de internautas e telespectadores, além de fãs e pessoas da produção. O mais importante e interessante nessa nossa "conversa", é que os rapazes não poderão se esquivar das perguntas sejam elas quais forem, terão que ser respondidas.

A plateia reagiu imediatamente àquela informação, já imaginando que perguntas seriam feitas e os convidados sentados sobre o sofá branco trocaram olhares imaginando provavelmente no que haviam se metido. Obviamente eles foram comunicados sobre a natureza daquele quadro e sabiam que todas as perguntas teriam que ser respondidas, mas não faziam ideia de que perguntas eram essas. Isso deixava pelo menos alguns deles apreensivos.

_ Vamos começar com o nosso pequeno jogo. _ O apresentador voltou a falar com um sorriso significativo no rosto simpático após ler o roteiro em uma de suas mãos.

_ Quando você viu a pessoa que está a sua esquerda pela primeira vez qual foi a sua impressão? - Foi a primeira pergunta.

Aoi: Na primeira vez em que vi Reita, foi no local onde a banda costumava ensaiar. Ele estava sentado em um sofá dedilhando o baixo e me olhou com cara de poucos amigos. Tive a impressão de que ele era alguém muito sério e que seria difícil fazer amizade com ele.

Reita: Quando vi Ruki pela primeira vez soube que ele tinha muita energia e não parava quieto. Imaginei que ele era alguém que se irritava facilmente... Ah! Pensei também que ele era realmente baixinho.

As palavras de Reita arrancaram risos dos outros membros da banda principalmente depois que Ruki o fitou fingindo revolta com o que havia ouvido.

Reita: Não falei que ele se irrita facilmente. Minha primeira impressão estava certa. – Disse orgulhoso o baixista e Ruki não pode deixar de rir.

_Ruki-san, qual foi a primeira impressão que teve ao ver Kai-san? _ O apresentador o incentivou a continuar.

Ruki: Bom... quando vi o Kai, eu pensei que ele era um cara muito simpático e que tinha o sorriso mais incrível que eu já tinha visto. – A platéia gritou concordando com as palavras do vocalista. – Até hoje nunca conheci ninguém capaz de sorrir como o Kai-chan.

Kai: Minha primeira impressão do Uruha... hmmm... não sei bem. Acho que foi a de um cara bem calmo. Ele tem uma fala tranqüila então isso me enganou na época. _ Novas gargalhadas foram ouvidas.

_ Isso o enganou? _ O apresentador perguntou curioso.

Kai: É, porque o Uruha não é nada calmo. _ Kai disse sorrindo timidamente enquanto encarava o companheiro que estava ao seu lado.

Uruha: Minha primeira impressão foi... Hmm esse cara sabe se produzir. _ O loiro disse em relação a Aoi sem maiores explicações, mas era óbvio que o anfitrião da noite não deixaria por isso mesmo.

_ E o que isso quer dizer exatamente?

Uruha: Ele estava usando um casaco grande e grosso que tinha uma pele de animal em volta do pescoço. Uma calça preta justa e botas. Era um casaco bonito. – Explicou com seu jeito peculiar.

Reita: Isso quer dizer que você reparou muito nele, não? _ O baixista alfinetou e Uruha permaneceu quieto enquanto os outros riam.

_ Muito bem vamos a outra pergunta. Como é que vocês costumam dormir? Começando com Aoi-san.

Aoi: Eu durmo com calças de moletom e camiseta.

Reita: Camiseta e boxer. _ O simples pensamento do baixista usando apenas uma boxer fez as meninas gritarem enlouquecidas.

_ O que foi? Aconteceu alguma coisa? _ O apresentador perguntou cínico e todos riram.

Ruki: Eu durmo com uniforme de futebol. _ O pequeno disse simplesmente e o som de um ooooooohhhh vindo da plateia foi ouvido fazendo um sorriso mais do que envergonhado surgir na face do vocalista.

Kai: Eu... depende na verdade... se não tiver ninguém por perto eu durmo sem nada. _ Dessa vez foram gritos o que se ouviu no estúdio e Kai ficou vermelho de vergonha se arrependendo imediatamente pelo que disse.

Uruha: É por isso que eu nunca vou dormir na sua casa. _ O loiro disse sério mesmo que estivesse brincando.

Kai: Mas eu disse que só durmo assim quando não há ninguém por perto. Normalmente eu durmo de cuecas e camiseta. – Explicou.

_ Sua vez Uruha-san.

Uruha: Boxer normalmente.

_ Está certo. Vamos à próxima então... deixe-me ver... Essa veio de uma fã. Vocês estão em algum relacionamento agora? - Todos se voltaram para Aoi que sorriu.

Aoi: Por que sempre sou eu que começo? _ O moreno indagou sorrindo levemente.

Ruki: Primeiro os mais velhos Aoi-chan. – O pequeno provocou e o moreno sorriu ainda mais.

Aoi: No momento eu estou me relacionando apenas com os membros da banda. _ O mais velho disse claramente desconversando, mas como não deixou de responder, estava dentro das regras.

Reita: Sim. _ Limitou-se a dizer.

Ruki: Sim. _ Novos gritos foram ouvidos. O baixista e o vocalista declaravam estar em um relacionamento, isso deu o que pensar.

Kai: Não.

Uruha: Eu não tenho tempo ultimamente para manter um relacionamento.

_ Como vocês são quando estão apaixonados?

Aoi: Extremamente cuidadoso. – O moreno respondeu sem pensar uma segunda vez.

- Você declarou uma vez ser muito cauteloso em todas as situações Aoi-san... – O apresentador procurou instigá-lo a falar mais.

Aoi: É verdade e nesse caso sou mais ainda.

Reita: Eu sou tranqüilo.

Ruki: Eu não sei. – O pequeno disse de uma vez.

Aoi: Como não sabe? - O mais velho indagou sorrindo com clara intenção de provocar o outro.

Ruki: Não sei. – Ruki voltou a dizer encarando as próprias mãos sobre o colo.

Kai: Acho que vamos ter que perguntar para alguém por quem você tenha se apaixonado então... – A sugestão do baterista fez com que o menor voltasse seu olhar para ele. Um sorriso um tanto envergonhado surgia na face do pequeno.

_ Ruki-san, devo lembrá-lo de que vocês não podem se esquivar ou deixar de responder às perguntas. São as regras do nosso jogo. – A voz serena do apresentador pode ser ouvida.

Ruki: Okay! Eu... Quando estou apaixonado... me dedico muito à pessoa e ao relacionamento. Me entrego de verdade e isso nem sempre é bom, mas quando dá certo... é ótimo. – Respondeu sorrindo e suspiros apaixonados puderam ser ouvidos.

Kai: Eu... não tenho uma resposta pra essa pergunta. Acho que nunca me apaixonei antes. Estou esperando que aconteça. Aí depois eu conto. – As covinhas de Kai se tornaram mais uma vez evidentes diante do largo sorriso dele que parecia tão ingênuo.

- Uruha-san?

Uruha: Hã? – O belo loiro fez-se de desentendido.

Kai: Sua vez de responder

Uruha: Eu realmente esperava que vocês me esquecessem nesse momento. – Disse mordendo o lábio inferior.

_ Então, como Uruha-san é quando está apaixonado?

Uruha: Eu sou exatamente assim. – Disse gesticulando enquanto apontava para si mesmo. Os demais e nem a platéia pareceram convencidos.

_ Podemos interpretar isso como uma admissão de que você está apaixonado nesse momento? – O apresentador não perdeu a oportunidade e todos riram fitando o loiro que se manteve com um sorriso mascarado no rosto.

Uruha: Oh Kami! Vocês tiram conclusões muito precipitadas. O que eu quis dizer é que eu não fico diferente quando estou apaixonado. Eu sou o Uruha de sempre.

Reita: Okay, isso é mentira!

Uruha: Reita! - O loiro o chamou indignado.

_ Por que diz isso Reita-san?

Reita: Por que ninguém é o mesmo quando se apaixona. – Reita disse ainda rindo e fitando o amigo que o encarava sem esboçar qualquer reação no momento. – Além disso, Uruha é bem possessivo. – O guitarrista loiro apenas balançou a cabeça negativamente enquanto um leve sorriso adornava seus lábios. Ele fitou os companheiros um a um vendo a expressão na face deles.

Mais alguns comentários foram feitos e Uruha se manteve calado enquanto os ouvia e não deixou de perceber o olhar de Aoi em sua direção, mas ignorou isso.

_ O que vocês costumam fazer ao terminarem um show?

Aoi: A primeira coisa que faço quando deixo o palco é beber água.

Reita: Eu me jogo no sofá e tento relaxar.

Ruki: Faço gargarejo pra lubrificar e relaxar as cordas vocais.

Kai: Eu desmaio . – Gargalhadas foram ouvidas diante da declaração tão espontânea do baterista e líder da banda. Era fato conhecido que Kai saía completamente esgotado do palco a cada show e ele não fazia a menor questão de disfarçar isso. – Por que vocês estão rindo? – Perguntou fitando os amigos que riam sem parar. – Não acredito que estão rindo de mim. – Disse fazendo uma cara característica de quem se sentia ultrajado. Uruha levou a mão à cabeça do amigo bagunçando seus cabelos enquanto também ria e o abraçou logo depois.

_ Falando sério Kai-san, o que você faz? – O apresentador também ria.

Kai: Mas eu falei sério... – O menino de sorriso encantador disse rindo também. – Certo.. depois que eu acordo do meu desmaio eu saio pelos bastidores pedindo pelo amor de Kami para alguém me fazer uma massagem... – Novos risos foram ouvidos.

Uruha: Você nunca teve problemas para encontrar alguém que lhe dê uma massagem Kai-kun.

Kai: Isso é verdade. – O moreno confirmou voltando a sorrir.

Uruha: Eu relaxo tomando alguma bebida. Geralmente é o que eu faço.

Certo. Vamos a uma outra pergunta. Qual é o seu maior sonho de consumo?

Aoi: Meu maior sonho de consumo... é um estúdio completo em casa.

Reita: Um álbum autografado do Sex Pistols.

Ruki: Hmm... Não sei bem... Eu quero tanta coisa. - O pequeno disse pensativo e depois caiu na risada. - Acho que uma jóia muito bonita e que teria grande significado pra mim.

Kai: Uma casa para minha mãe.

Uruha: Um clone meu. O Uruha nº 2. - Todos riram diante das palavras do guitarrista loiro e da tranquilidade com que ele as pronunciava, como se fosse algo totalmente plausível.

Se você pudesse ser outro membro da banda, quem você seria e por quê? - O apresentador perguntou e todos pareceram pensar por um momento. - Podemos inverter agora e começar com Uruha-san.

Uruha: Certo. Eu acho que seria o Kai.

Por que? - O apresentador indagou.

Uruha: Pra mandar em todo mundo.

Kai: Eu não mando em todo mundo. - O moreninho disse indignado.

Ruki: Manda sim. E o pior de tudo é que ninguém se importa de obedecer. - O vocalista disse parecendo intrigado e logo depois rindo.

Uruha: É verdade. Ele vem com essas covinhas dando ordens a todos e não conheço ninguém que consiga resistir. Eu tenho inveja do Kai-kun... - As fãs riam também e chamavam pelo nome do baterista dizendo o quanto ele era kawaii. Aoi gargalhou ao ouvir o companheiro falar.

Reita: Você tem inveja do Kai? Isso é sério? - A cara de deboche do baixista era impagável.

Uruha: Já reparou como esse cara consegue tudo o que quer? Ele deve enfeitiçar as pessoas com essas covinhas e hipnotizar com esse sorriso... sei lá. - Todos, sem exceção gargalharam. Era incrível para as pessoas como Uruha dizia coisas do tipo, tendo na bela face uma expressão absolutamente séria e logo depois ria.

Passada a comoção causada pelas palavras do loiro, o próprio apresentador teve que se controlar. Ele estava divertindo-se muito naquele programa. Tão logo se recompôs, pediu que os rapazes continuassem.

Kai: Eu gostaria de ser o Ruki pra poder bagunçar aquele santuário que ele chama de quarto.

Ruki: Ninguém. - Disse simplista.

Reita: Eu queria ser o Aoi pra poder falar três dialetos diferentes. - Disse rindo de forma travessa como se pensasse no que poderia fazer, caso pudesse falar sem que ninguém entendesse.

Aoi: Eu. Porque eu gosto de ser eu mesmo.

_ Que tipo de pessoa, as pessoas dizem que você é?

Aoi: As pessoas não fala muito sobre mim.

Reita: Dizem que sou gentil e muito impaciente.

Ruki: Isso é verdade.

Reita: O que é verdade? - O baixista indagou encarando o pequeno.

Ruki: Você é gentil... - O pequeno disse visivelmente envergonhado e logo tratou de completar. - e impaciente também. - Reita apenas sorriu enquanto encarava o menor que olhava para um ponto qualquer a sua frente.

E quanto a você Ruki-san? Como as pessoas dizem que você é?

Ruki: Nervoso.

Todos: Isso é verdade também. - Foi impossível conter o riso ao ver a face do pequeno. Ele arregalou os olhos surpreso com a reação dos amigos.

Kai: Me dizem que sou uma pessoa interessante.

Uruha: Uma pessoa "no meu tempo".

Qual é o melhor lugar para você relaxar?

Aoi: O palco.

_ Mesmo? - O apresentador perguntou surpreso. - Você se sente relaxado no palco?

Aoi: Sim.

Reita: Minha casa com certeza.

Ruki: Quarto.

Seu quarto ou qualquer quarto Ruki-san? - Apresentado resolveu mais uma vez instigar.

Ruki: Hmm.. meu quarto principalmente. Mas dependendo da ocasião, nada me impede de relaxar em outro que não seja o meu. - O pequeno respondeu com um sorriso travesso.

Kai: Definitivamente, meu quarto.

Uruha: O melhor lugar para se relaxar é em um bar. - Disse convicto.

Ruki: Uruha seu alcoólatra! - O vocalista fitou o amigo rindo sorrindo.

Uruha: Eu sabia que iria causar essa reação. - O loiro alto também sorria. - Eu estou brincando. - Acho que o ideal para relaxar é ir para o interior. Um lugar tranquilo e com ar puro.

Como vocês passa seu tempo livre?

Aoi: Ocasionalmente toco guitarra. Mas também passo muito tempo na banheira pensando na vida, compondo...

Reita: Eu durmo muito e jogo video game.

Ruki: Fico no meu quarto não fazendo absolutamente nada.

Kai: Eu assisto vídeos e faço músicas.

Uruha: Eu faço o que me dá prazer.

Que seria? - O tom malicioso do apresentador não passou despercebido por ninguém.

Uruha: Oh, mas eu já respondi à pergunta. - Disse fazendo a sua melhor cara de anjinho e sorrindo.

- Certo. Vamos a uma outra pergunta. Qual é o seu maior sonho de consumo?

Aoi: Meu maior sonho de consumo... é um estúdio completo em casa.

Reita: Um álbum autografado do Sex Pistols.

Ruki: Hmm... Não sei bem... Eu quero tanta coisa. - O pequeno disse pensativo e depois caiu na risada. - Acho que uma jóia muito bonita e que teria grande significado pra mim.

Kai: Uma casa para minha mãe.

Uruha: Um clone meu. O Uruha nº 2. - Todos riram diante das palavras do guitarrista loiro e da tranquilidade com que ele as pronunciava, como se fosse algo totalmente plausível.

Se você pudesse ser outro membro da banda, quem você seria e por quê? - O apresentador perguntou e todos pareceram pensar por um momento. - Podemos inverter agora e começar com Uruha-san.

Uruha: Certo. Eu acho que seria o Kai.

Por que? - O apresentador indagou.

Uruha: Pra mandar em todo mundo.

Kai: Eu não mando em todo mundo. - O moreninho disse indignado.

Ruki: Manda sim. E o pior de tudo é que ninguém se importa de obedecer. - O vocalista disse parecendo intrigado e logo depois rindo.

Uruha: É verdade. Ele vem com essas covinhas dando ordens a todos e não conheço ninguém que consiga resistir. Eu tenho inveja do Kai-kun... - As fãs riam também e chamavam pelo nome do baterista dizendo o quanto ele era kawaii. Aoi gargalhou ao ouvir o companheiro falar.

Reita: Você tem inveja do Kai? Isso é sério? - A cara de deboche do baixista era impagável.

Uruha: Já reparou como esse cara consegue tudo o que quer? Ele deve enfeitiçar as pessoas com essas covinhas e hipnotizar com esse sorriso... sei lá. - Todos, sem exceção gargalharam. Era incrível para as pessoas como Uruha dizia coisas do tipo, tendo na bela face uma expressão absolutamente séria e logo depois ria.

Passada a comoção causada pelas palavras do loiro, o próprio apresentador teve que se controlar. Ele estava divertindo-se muito naquele programa.

- Humm.. está certo. Agora pergunta, esta encaminhada por um fã. Qual foi o lugar... mais exótico em que vocês fizeram amor?

Aoi: Hmm... - O membro mais velho da banda baixou o olhar não escondendo a timidez. – Por que eu sempre tenho que ser o primeiro? – Indagou coçando a nuca.

Ruki: Nós já dissemos por quê. – Falou sorrindo enquanto fitava a face do amigo, sabendo o quanto ele estava sem jeito.

Aoi: O lugar mais exótico... acho que foi num elevador. - Respondeu finalmente.

Reita: Na sala de aula durante o colegial. – Reita falou sem pensar muito e logo depois sorriu vendo o som de surpresa vindo da platéia. – Não havia ninguém no colégio e foi depois das aulas. – Esclareceu.

Ruki: Pra mim foi ... no banheiro de uma boate.

Kai: Na praia... – O moreno disse um tanto sonhador.

Reita: Pelo visto foi bom, né? – O baixista implicou ao ver a face do amigo e Kai sorriu.

Uruha: Minha moto.

- O que tem a sua moto? – Indagou curioso.

Uruha: Foi o lugar mais exótico pra mim. – O loiro respondeu simplesmente alheio ao frisson que causou na platéia que emitia gritos cada vez mais histéricos.

_ Isso faz pouco tempo então? Se não estou enganado sua moto é nova.

Uruha: Uau! Vocês não deixam escapar nada. – O guitarrista loiro disse rindo dessa vez. Exibindo seu conhecido sorriso de criança. – Não tem muito tempo mesmo... – Confirmou para delírio das fãs.

Essa pergunta foi encaminhada por alguém muito curioso... - Fêz-se suspense. - Quando foi a última vez que você teve uma relação sexual?

Ruki: Oh Kami-sama! - Ruki resmungou sorrindo de forma desconcertada e imediatamente corou.

Vou deixar que vocês escolham quem será o primeiro. Algum voluntário?

Uruha: Temos mesmo que responder?

Sim.

Uruha: E eu tenho que falar a verdade?

Sim.

Uruha: Mesmo?

Reita: Fala logo Uruha! - O baixista disse esticando o braço e atingindo o amigo com um tapa leve atrás da cabeça, fazendo todos gargalharem inclusive o guitarrista loiro.

Uruha: Okay! - O loiro ainda ria. - A última vez foi ontem à noite. - Não é preciso dizer que as mais variadas fantasias pairavam nas cabeças das dezenas de homens e mulheres que estavam no auditório. E os gritos frenéticos foram ouvidos, mas estes não pareceram afetar o loiro, pois ele não parecia nem um pouco constrangido.

Kai: ...

Uruha: Não vai responder Kai-kun? - Uruha provocou vendo que o amigo, se pudesse se esconderia sob a terra.

Kai, lembre-se de que não pode fugir da pergunta.

Kai: Eu não vou fugir... Foi há uma semana. Não temos muito tempo... - Disse coçando os fios atrás da cabeça de forma envergonhada. O guitarrista loiro lançou-lhe um sorriso cúmplice como se soubesse de algo que ninguém mais sabia.

Ruki: Há uns três dias... não estou bem certo.

Reita: Hoje pela manhã. - A declaração do baixista fez novos gritos ecoarem. Houve um momento em que parecia que uma das jovens na plateia correria até o palco, mas qualquer que fosse sua intenção, ela foi impedida por um dos seguranças.

Ruki e Reita trocaram olhares que não podiam ser percebidos por quem não estivesse prestando atenção e o do baixista parecia inquiridor. Ruki o olhou de volta por apenas alguns instantes e depois desviou o olhar.

Quando a euforia na plateia foi reduzida, o apresentador se voltou para o guitarrista moreno.

Aoi-san, é a sua vez.

Aoi: Foi ontem à noite também. - Disse simplesmente não parecendo se dar conta do que havia feito. Apenas quando novos gritos foram ouvidos e quando pode ver a expressão na face do apresentador e dos outros membros é que ele pareceu perceber. - Não foi com ele! - Disse rapidamente apontando para Uruha que balançou a cabeça negativamente enquanto sorria sem deixar de fitá-lo.

Eu não disse que foi. - O apresentador se defendeu.

Aoi: Mas aposto que pensou... - O moreno disse parecendo uma criança emburrada.

Por que acha isso Aoi-san? - A face do apresentador era a mais inocente possível, mas seu sorriso não escondia seus reais pensamentos.

Reita ria descontroladamente escondendo-se atrás de Ruki que sorria levemente olhando para o desatento amigo.

O apresentador chamou novamente pelos comerciais e anunciou que na volta haveria uma apresentação ao vivo da banda.

...

Momentos depois, os rapazes estavam no palco tocando alguns de seus maiores sucessos para delírio do fãs. O desempenho era o mesmo dos lives. Tocavam com paixão não importava o local, porque faziam aquilo que amavam.

Quinze minutos depois a apresentação ia sendo encerrada e ao mesmo tempo o programa. O apresentador falava tendo a introdução de mais uma música da banda ao fundo e despedia-se de sua audiência, anunciando as atrações da próxima semana.

...

Após saírem do palco e conversarem um pouco com o apresentador que teceu muitos elogios a eles, os rapazes foram conduzidos ao espaçoso camarim destinado a eles. Entraram e a porta logo foi fechada pelo último a passar por ela, Uruha.

O loiro parou atrás da porta fitando a todos. Reita havia se sentado no sofá e vendo a expressão séria do amigo de infância, que fitava o guitarrista moreno enquanto este pegava uma garrafa de água no frigobar, não conseguia parar de rir. Ruki sentou ao lado do baixista para também apreciar a cena que viria a seguir. Kai permaneceu de pé e olhava de um amigo para o outro esperando pelos acontecimentos.

O que foi? - Aoi indagou quando se virou após pegar a garrafa de água e deu de cara com o olhar dos amigos e principalmente com o do loiro que o encarava tendo os braços cruzados sobre o peito.

Uma risada alta de Reita foi ouvida e logo depois uma reclamação já que Ruki o havia beliscado para que ele parasse. Uruha passou a caminhar lentamente em direção a Aoi que ainda o olhava espantado com sua expressão séria. O loiro parrou a frente do moreno a pouquíssimos centímetros de distãncia.

Aoi... - O loiro iniciou tendo agora as mãos na cintura. - Você é um idiota. - Disse sério e o moreno baixou os olhos parecendo um menininho que era repreendido por alguém mais velho depois de fazer uma grande besteira.

O olhar de Kai e Ruki demonstrava que eles se compadeciam do amigo. Apenas Reita continuava a rir daquilo.

Como você pode dizer aquilo Aoi? Olha pra mim. - Quando o moreno levantou os olhos negros para fitar os castanhos do loiro viu um sorriso nos lábios bem desenhados. - Você é tão deliciosamente bobo Aoi. Se entregou tão facilmente... - Uruha disse divertido e Aoi mordeu o lábio inferior.

Eu sei. - Disse por fim e logo depois sentiu os lábios do loiro tocando os seu de forma doce. - Desculpe. - Pediu.

Não se desculpe koi. Eu não dou a mínima se souberem sobre nós ou não. - Os dois se abraçaram sob os olhares dos amigos que agora sorriam docemente. Todos sabiam do relacionamento dos guitarristas e isso de forma alguma era um problema.

Ruki e Reita também tinham um relacionamento e este era bem mais recente. Os dois ainda estavam se conhecendo enquanto amantes e companheiros, por isso eram bem mais discretos na frente dos outros.

Nee Ru-chan – Reita chamou o pequeno falando próximo ao seu ouvido. - Você por acaso esqueceu da manhã incrível que nós tivemos hoje? - Perguntou sorrindo maliciosamente e fez o pequeno corar da forma que ele adorava ver.

Não Rei-chan. Eu não esqueci. O que você queria? Que eu me entregasse como fez o Aoi? - Um pequeno sorrido adornava os lábios e Ruki e o sorriso de Reita se alargou antes que ele aplicava um rápido beijo nos lábios do menor.

Okay gente, vamos nos arrumar para ir embora. Já está tarde. - Kai chamou a atenção dos amigos.

Tem algum compromisso Kai-kun? - Uruha perguntou sorrindo.

Ah, eu soube que tem um certo alguém que volta de turnê hoje... - Reita provocou como sempre.

Ah, então essa é a razão da pressa! Mais algumas horas de diferença e sua resposta quanto a última vez que tinha feito sexo seria bem diferente, não é Kai-kun?

Cala a boca Uruha e vai logo se trocar. - O moreninho ordenou. As bochechas corando violentamente.

Logo todos estavam prontos e eles deixaram os estúdios de tv sendo conduzidos pelo motorista da PSC até seus destinos.


E então? Foi engraçada não foi? E terminou de modo fofo.

Como eu disse no início não pude resistir. Eu precisava fazer uma alusão às declarações do Aoi na famigerada entrevista para MusiQ.

Usei outras entrevistas também e boa parte das resposta na fic são as mesmas que eles deram, eu só apimentei um pouco algumas partes.

Mandei seus reviews.

Beijos!