Capítulo 39 = Retorno complicado

Inuyasha atravessa o poço com Kagome nos braços. Ele entra no quarto dela pela janela e a coloca na cama

-Está se sentindo bem? – pergunta Inuyasha sentando do lado dela

-Acho que sim

-Eu vou voltar pra época antiga, quando você melhorar eu venho te buscar – fala e dá um selinho nela

-Vou sentir sua falta

-Não se preocupe você vai ficar bem em no máximo uma semana. Agora descansa

-Avisa a minha mãe que estou aqui

Ele vai até a porta do quarto e dá um assovio alto que chama a atenção de quem estava lá embaixo e sai pela janela. A mãe de Kagome entra no quarto e vê a filha dormindo na cama e a janela aberta. Decide deixá-la descansar, no outro dia perguntaria o que havia acontecido

4 dias depois...

Kagome já estava bem melhor, mas ela ainda continuava de cama por insistência da mãe e quase todos os dias suas amigas iam lhe visitar

-Kagome, eu posso falar com você?

-Claro mãe

A mãe de Kagome se senta do lado da filha

-Vou falar sem rodeios Kagome. Quero que se afaste do Inuyasha e de tudo o que envolve a Sengoku Jidai

-O quê?Por quê?

-Kagome sei o quanto vocês se amam e o que passaram pra ficar juntos

-Se sabe disso porque quer nos separar?

-Porque vai ser melhor pra você Kagome!Quando chegou aqui estava muito machucada por causa da batalha contra um youkai e podem haver muitos outros naquela época!É muito perigoso!

-Mas tenho amigos lá pra me proteger! E nem todos os youkais são perigosos, alguns são muito amigáveis!Mãe eu amo Inuyasha, por favor, pense melhor

-Minha decisão já está tomada e você vai me obedecer quer goste ou não

-Então eu não vou falar ou comer nada até poder estar com Inuyasha de novo!Eu sei que ele virá me buscar!

-Não vai ser possível. Seu avô usou os selos que o Miroku deu no poço. Nem você nem ele podem passar

A Sra. Higurashi sai deixando a filha chorando na cama e vai pra sala

-Mãe, tem certeza que está fazendo a coisa certa? – pergunta Souta

-Espero que sim

[...]

Inuyasha estava cortando um pedaço de madeira quando olha pro horizonte

-Algum problema Inuyasha? – pergunta Miroku

-Não sei dizer

-Não se preocupe, a Kagome está bem. Você vai vê-la depois de amanhã se terminarmos aqui. Agora me passa um martelo

[...]

2 dias depois...

Kagome estava ainda no seu quarto. Pelo tempo suas feridas já deviam estar saradas, mas pelo que ela estava fazendo iria demorar e muito. Há dois dias ela não se alimentava, não falava e raramente bebia água

-Kagome, Haku veio te ver – fala a Sra. Higurashi, mas ela não responde

Kagome vê Haku entrar no quarto com uma sacola

-Oi Kagome sua mãe me falou que estava em greve – fala Haku sorrindo, mas ela não responde – Olhe eu trouxe isso pra você. Eu peguei da casa do Inuyasha. No meio daquela confusão toda, ele esqueceu a chave lá no pet shop e eu trouxe isso antes da casa ser cercada por policiais – fala colocando a sacola do lado dele

Kagome olha dentro da sacola. Tinha o álbum que ela deu de presente pra Inuyasha, a boneca que Rin ganhou de presente, o lenço que Kirara usava amarrado no pescoço, o pião de Shippou e o pente de Sango

-Kagome eu sei que apesar de ser um youkai, Inuyasha é uma boa pessoa assim como os amigos dele e acho que poucas pessoas sabem disso como eu e você. E tenho certeza de que ele não gostaria de te ver assim especialmente depois de ter feito tanta coisa pra vocês ficarem juntos

Kagome olha pra ele curiosa

-Acha que ele fez tudo aquilo sozinho?Ensinei muita coisa pra ele. Acho que você não faz idéia do quanto ele falava de você e do que seria capaz de fazer pra te deixar feliz... Eu já vou indo, só vim mesmo te entregar isso

Kagome dá um pequeno sorriso como se dissesse: 'obrigado'. Ele sai do quarto e vai embora

[...]

-Terminamos finalmente – fala Inuyasha e se ajoelha levantando as mãos pro céu – Obrigado quem estiver aí em cima

-Inuyasha, vai logo buscar a Kagome – fala Miroku

-Tá – fala e se levanta – Mas e se ela não quiser vir?

-Vai logo – fala empurrando o hanyou

-Calma Miroku, não é fácil pedir alguém em casamento sabia?

-Não foi você mesmo que disse que queria viver pra sempre com a Kagome?

-Disse, mas e se ela não gostar

Chase estava sentado vendo Miroku na tentativa de encorajar Inuyasha

-Tá ficando covarde depois de velho é?

-Eu sou mais novo que você

-Inuyasha, você passou uma semana longe da Kagome. Imagine quantas vezes o Houjo deve ter passado por lá

Inuyasha começa a imaginar Houjo agarrando Kagome e ela não conseguia se livrar. Ele sacudiu a cabeça para os lados pra afastar esse pensamento

-Tem toda razão Miroku, não devia nem estar aqui – fala e corre pro poço

-Finalmente

-Acha que ele vai mesmo pedir ela em casamento? – pergunta Chase

-Com certeza

Inuyasha pula dentro do poço mas não consegue atravessar

-Mas o que?

Ele tenta de tudo de pular no mesmo lugar até cavar uns buracos no poço, mas mesmo assim não consegue

[...]

-Mamãe, a Kagome – começa Souta

-Eu sei Souta... Tire todos os selos do poço e tente chamar o Inuyasha

Souta vai até o poço e começa a retirar os selos. Quando tira o último, Inuyasha dá um pulo pra fora

-Esse poço tá com defeito – fala Inuyasha, não notando os selos no chão devido a sua afobação – Oi Souta

-Inuyasha a Kagome tá passando mal!

-O que?

Inuyasha corre bem rápido e entra no quarto de Kagome pela janela. Ao entrar vê ela deitada na cama, dormindo e percebe que ela estava pálida, mais magra e olheiras começavam a se formar no seu rosto

-Kagome. Kagome – chama o hanyou dando leves empurrões no ombro dela

Ela abre os olhos lentamente e dá um pequeno sorriso

-Inuyasha você voltou

-Claro que voltei nunca deixaria você, mas o que aconteceu?

-Minha mãe não queria que eu te visse mais

-E por causa disso você não quer mais comer?

-Espera que eu vou pegar alguma coisa pra você comer

-Pega...

-Sopa?

-Vou ver se tem, mas mesmo assim vou trazer outras coisas também

Inuyasha desce as escadas e vai pra cozinha onde encontra a Sra. Higurashi rezando

-Senhora Higurashi

-Sim Inuyasha – fala abrindo os olhos e olhando pra ele

-Kagome pediu pra pegar alguma coisa pra ela comer

-Claro, pode pegar. Os pratos estão no armário

Inuyasha pega um prato e começa a colocar comida

-Inuyasha me desculpa

-Pelo que?

-Por ter separado você da minha filha

-Ah é isso?Não se preocupe apenas ficou preocupada que acontecesse alguma coisa com ela, qualquer um no seu lugar faria isso

-Obrigado por entender, mas não sei se a Kagome vai me perdoar tão cedo

-Eu vou tentar convencer ela

Ele sobe levando uma bandeja com comida e suco e entra no quarto de Kagome e encontra-a sentada na cama

-Eu trouxe o que achei lá embaixo

Ele se senta do lado dela, coloca a bandeja em seu colo e pega um pouco de arroz com um garfo

-Come – fala colocando o garfo perto da boca dela

-Inuyasha eu sei comer sozinha, não sou criança – fala Kagome

-Mas está agindo feito uma

-É a convivência com você

Depois de um tempinho (e de muita insistência), Kagome termina de comer o prato absurdamente cheio que Inuyasha trouxe. Ele pega a bandeja e coloca na mesinha de estudos dela

-Acho que nunca comi tanto – fala Kagome deitando e colocando a mão na barriga – Devo estar parecendo uma baleia

-Pra mim você está normal

-Está me chamando de gorda?

-Não, estou dizendo que você está normal. Agora vá dormir

-Não quero

-Não é o que parece. Seus olhos denunciam você. Não tenha medo não vou sair de perto de você

-Então fica aqui do meu lado

-Mas estou sentado do seu lado

Ela segura o braço dele e o puxa. Inuyasha se deita do lado dela, o rosto corado e ela o abraça. Os dois ficam conversando e não perceberam que o avô de Kagome olhava os dois pela porta que não estava completamente fechada. Ele desce e vai pra cozinha

-Filha você não sabe o que eu vi nesse instante

-Papai, eu não acredito que estava espiando eles de novo – fala a Sra. Higurashi

-Não importa o que eu estava fazendo, mas o que eles estão fazendo

-E o que de tão impressionante eles estão fazendo?

-Estão deitados

-Só isso?

-Não! Eles estão deitados juntos, se abraçando e conversando

-Isso não me parece ruim

-Mas sabe o que pode acontecer se eles se deixarem levar?

-Pai eu confio na minha filha e Inuyasha tem meu respeito, e eu já disse que ele não vai fazer nada se ela não deixar

Eles escutam Kagome dizer: 'Inuyasha isso dói' e ele fala 'Você que quis começar'

-Acredita em mim agora?

Eles sobem as escadas e começam a espiar pela brecha da porta. Os dois estavam sentados na cama

-Jo-ken-po – falam os dois ao mesmo tempo e mostram as mãos

Inuyasha fica com a mão aberta e Kagome com a mão fechada. Ele dá um tapinha na mão dela.

-Jo-ken-po

Kagome faz um dois e Inuyasha fica com a mão aberta

-Agora vire sua mãozinha pra eu descontar os tapas que você me deu – fala Kagome

Inuyasha mostra a mão e Kagome dá um tabefe bem forte

-Ei, isso foi vingança é? – pergunta Inuyasha sacudindo a mão, não havia doído realmente mas não custava deixá-la se exibir um pouco - Então tá agora você perde

-Jo-ken-po

Inuyasha faz um dois com os dedos e Kagome fica de mão fechada

-Ganhei de novo – fala Kagome

-Eu não brinco disso desde quando fizemos contra o Miroku e a Sango

-É, mas tinha que ver quem andava mais longe e acabamos caindo numa quase cilada. Agora mostra a mão

Kagome dá outro tabefe na mão de Inuyasha

-Tá bom vamos mudar isso um pouco, porque não sei quanto tempo minha mão vai durar especialmente depois do que tenho feito lá na aldeia – fala Inuyasha

-Tá muito destruído as coisas por lá?

-Não, mas temos que carregar madeira de um lado pro outro e ajudar a construir casas e coisas desse tipo. Tá bom, mas agora você vai dormir

-Tá com medo de perder?

-Não, estou com medo que você não durma se não vai estar cansada e possivelmente vai me bater muito nessa brincadeira o resto da noite

Kagome dá um sorriso e beija Inuyasha, depois se deita na cama e ele a cobre

-Kagome, me esqueci de te contar uma coisa

-O que? – pergunta sonolenta

-Teve uma confusão lá na aldeia. Foi assim: tava eu e o Miroku ajudando os aldeões e por isso a gente só chegava quando tava anoitecendo aí a Sango foi e disse ' você está aprontando seu Miroku o Inuyasha tá lhe acobertando' aí ele disse ' não acredito que desconfia de mim sou muito inocente' aí tava o Chase de enxerido na história e fala ' você é tão inocente quanto no dia que nasceu' aí o Miroku fala 'tá vendo até o Chase concorda comigo' aí o Chase fala 'sarcasmo é uma língua estranha pra você não é Miroku'

-E o que aconteceu depois?

-A Sango bateu no Miroku e saiu pisando duro e ele foi atrás dela pra pedir desculpas

Kagome dá um sorriso e fecha os olhos

-Fica aqui comigo Inuyasha – fala sonolenta

-Eu vou ficar aqui do seu lado pra sempre, confie em mim

-Eu confio em você – fala e cochila

Inuyasha se levanta, pega uma cadeira, coloca do lado da cama e se senta. Ele escuta baterem na porta, mas sinceramente achou inútil, suas respirações eram tão altas que Kagome não ouviu por apenas um milagre

-Inuyasha – chama a Sra. Higurashi baixinho e entra no quarto

-Sim

-Ela dormiu?

-Acho que sim, a respiração dela tá mais devagar assim como os batimentos

-Batimentos?Batimentos cardíacos? - ela eleva a voz preocupada e Kagome remexe-se na cama

-Shiii! Isso é normal quando a pessoa dorme, o corpo relaxa

-Ah, acho que estou me preocupando por pouca coisa. Devia descansar também

-Não preciso, estou bem. Quando estiver com sono irei dormir - ele volta a olhar fixo para a morena

Apesar dos pesares ela ainda era a mulher mais linda que já conheceu, tanto por dentro quanto por fora.