Capítulo 42 =Gravidez

Kagome acorda e vê que estava sendo abraçada por Inuyasha, que ainda dormia. Ela começa a mexer numa das mechas do cabelo de Inuyasha quando ele se mexe um pouco

-Kagome?

-Hum?

-Faz tempo que você tá acordada? – pergunta Inuyasha ainda meio sonolento

-Não, acordei há pouco tempo

Ela se aconchega mais manhosamente nos braços dele e fecha os olhos

-Vai continuar dormindo?

-Uhum

-Então pode dormir, não vou te incomodar

Ele se senta no futon e olha pela janela do quarto

-Cadê minha hakama? – pergunta Inuyasha olhando pros lados

-Porque acha que eu deveria saber?

-Porque foi você quem arrancou ela de mim ontem à noite

-Eu não me lembro disso – fala enrusbecendo

Ele vê a roupa vermelha perto da bolsa de Kagome. Ele se levanta, veste a hakama abre a janela e depois se senta no futon

-Você está bem? – pergunta o hanyou passando a mão no rosto dela

-Como assim?

-Quero apenas saber se você se sente bem. Quando veio ainda estava meio fraca

-Me sinto bem, não se preocupe. Sango e vovó Kaede cuidaram de mim

Inuyasha a beija, mas se afasta bruscamente e faz sinal pra que ela ficasse quieta. Ele se levanta e anda até a janela sem fazer barulho, ele se debruça na janela apoiado na ponta dos pés

-Peguei vocês – fala o hanyou

Kagome escuta risadas e reconhece como sendo Rin e Shippou, ela se cobre até o ombro e fecha os olhos como se estivesse dormindo

-Posso saber o que os nanicos estão fazendo debaixo da minha janela? – pergunta Inuyasha

-A gente queria saber de que hora vocês iam acordar – fala Shippou

-Kagome ainda está dormindo? – pergunta Rin se debruçando na janela

-Está e vou esperar ela acordar pra eu sair

-Então tá. Tchau Inuyasha – fala Shippou

-Tchau – fala ele acenando

Inuyasha volta e se senta no futon

-Que queriam? – pergunta Kagome sonolenta

-Saber se íamos demorar, mas vá dormir

-Acho difícil eu conseguir dormir agora

Kagome se senta do lado dele e usa o haori pra se cobrir

-Kagome

-Hum?

-Agora que nos casamos temos que contar tudo um pro outro né?

-É se quiser. Por quê?Quer me falar alguma coisa?

-Quero... Lembra do dia que nos conhecemos?

-Como poderia me esquecer? Você me perseguiu e me ameaçou de morte caso eu não te desse a Shikon no tama

-Pois é antes eu queria a pedra pra me transformar num youkai completo, mas agora eu não me importo mais. E achei muito bom que a pedra tenha desaparecido porque assim você não precisa protegê-la

-Também tenho uma confissão

-Qual?

-O Kouga era mais romântico que você

-Humph! – fala virando o rosto e cruzando os braços

-É sério você só começou a ficar mais romântico quando foi pra minha época e só porque o Haku te ajudava, mas eu não me importo porque ele me disse que você fazia aquilo pra me deixar feliz

-E é verdade

-Me responde uma coisa sinceramente?

-O que?

-Que você ainda faria qualquer coisa pra me ver feliz

-É claro que sim, eu traria até a lua pra você se isso te deixasse feliz – fala olhando pra ela, os olhos dourados profundos transmitiam toda a sua sinceridade

-Eu sei

-Então porque pergunta?

-Porque quero ouvir isso de você, ver as palavras saindo da sua boca – diz encostando os dedos nos lábios do hanyou – Essa sua boca linda que eu vou beijar pro resto da minha vida

Inuyasha encosta os lábios aos dela docemente

-Acho melhor sairmos ou nossos amigos vão ficar esperando – diz Kagome quando seus lábios se afastaram

-Eles podem esperar um pouco mais

Ele a deita no futon e a beija, mas escutam um barulho vindo da janela. Ao olhar veem Chase com as patas dianteiras apoiadas na janela olhando pros dois

-Sem querer incomodar mais já incomodando, de que horas vocês vão sair daí?

-Daqui a pouco Chase – fala Kagome

-Ah tá. Bom, foi mal estragar o momento – fala encabulado e sai da janela

-Acho que não devia ter aberto a janela – fala Inuyasha

-Também acho, mas vamos já deram por nossa falta. É melhor sairmos antes que outra pessoa apareça

Depois de um tempo, Inuyasha e Kagome saem de casa

-Kagome eu tenho que falar uma coisa muito urgente com você – diz Sango puxando a amiga pra um lado da casa

-O que há de tão urgente Sango?

-Kagome o que vai acontecer com Rin e Shippou?Eles não podem morar na aldeia pra sempre

-Bom o Shippou vai morar comigo e com Inuyasha por quanto tempo quiser, mas a Rin pode querer is com Sesshoumaru

-Mas e se Sesshoumaru não quiser ficar com ela?

-Acho que ele não recusaria afinal ela o considera seu pai

-Pode ser, mas por enquanto a deixamos na aldeia com vovó Kaede até decidir o que vai querer

-Por mim não tem problema

-Ei meninas! – chama Chase – Dá pra virem aqui?

Elas vão até onde eles estavam

-Que foi? – pergunta Kagome

-Acho que você não lembra Kagome, mas no meio da luta contra Naraku aconteceram algumas coisas bizarras – fala Inuyasha

-Que coisas bizarras?

-Aquela energia sinistra que apareceu e depois ela desapareceu junto com a jóia

-O que vocês acham que era? – pergunta Sango

-Podia ser o Naraku, ele já fingiu a morte antes e nos enganou direitinho – fala Miroku

-Não, não deve ser. A energia desapareceu antes de tocar a jóia. Inuyasha você estava com a pedra, o que aconteceu?

-A jóia começou a pulsar como se tivesse vontade própria quando aquela energia apareceu e quando avançou contra mim a jóia pulsou mais forte ainda e depois daquele clarão desapareceu. É só isso que me lembro

-Essa história da jóia está muito suspeita – fala Kagome

-Também acho – fala Inuyasha – Só por precaução vamos tomar mais cuidado, não sabemos se aquela coisa vai aparecer de novo

Shippou chega e os vê conversando na varanda da casa de Inuyasha

-Oi pessoal que estão fazendo? – pergunta ele se sentando no colo de Kagome

-Tentando descobrir um mistério – fala Miroku

-Eu sou bom com mistérios, posso tentar?

-É melhor não Shippou. Pra nós já é difícil, pra você ia ser insuportável – fala Sango

-Eu queria ajudar – fala meio triste

-Bom eu tenho uma coisa que vai te animar – fala Kagome

-O que?

-Que tal você morar comigo e com Inuyasha?

-Sério? Ia ser muito bom

-Pois se considere em casa

Shippou abre um sorriso e abraça Kagome

À noite...

Chase estava embaixo de uma árvore nos arredores da aldeia quando escuta um barulho vindo de trás de um arbusto, mas não se alerta ao reconhecer de quem era o cheiro

-Konban wa Sesshoumaru – fala Chase

Sesshoumaru fica em pé do lado dele olhando para o horizonte

-Achei que estaria no castelo das terras do oeste – fala Chase

-Aquele lugar é uma prisão pra mim

-Veio ver a Rin?

-Sim

-Ela é muito fofa, só que é muito tagarela e curiosa

-Porque não me contou antes?

-Como a Rin era? Achei que já sabia – olha para o youkai meio incrédulo, até um cego notaria isso passando dois minutos com a garotinha

-Não tente me enganar, eu sei quem você é de verdade

-Você percebe as coisas bem rápido – fala com um sorriso

-É de família... Porque não falou antes?

-Porque queria que descobrissem sozinhos,você e Inuyasha

-Então é melhor esperar sentado, Inuyasha só vai descobrir daqui a alguns séculos

-Eu sei que ele vai me reconhecer assim como você fez

-Fique a vontade pra esperar

Sesshoumaru se vira e começa a andar, mas para ao ouvir Chase falar

-Como descobriu?

-Você foi óbvio demais – fala Sesshoumaru sorrindo de canto e vai embora

Cinco anos de passam...

Kagome estava cozinhando com Sango enquanto conversavam

-Kagome eu achei um tempero ótimo, só que é muito forte

Kagome pega um pouco do tempero na mão e cheira. No momento em que faz isso ela ficou com uma vontade enorme de vomitar e corre pro 'banheiro' (tem banheiro na era feudal? A.A)

-Amiga tudo bem? – pergunta Sango colocando a mão nas costas dela e puxando o cabelo – Esse tempero é forte demais, você vai acabar passando mal se comer

-Não é o gosto do tempero e sim o cheiro, quando sinto um cheiro muito forte fico enjoada e vomito

-Kagome você tem sentido mais alguma coisa?

-Náuseas de vez em quando, desmaios às vezes e vontade de comer a coisa mais doce que encontrar

-Você deve estar...

-Estar o que?

-Vamos à casa da vovó Kaede apenas pra confirmar minhas suspeitas

Elas vão pra casa de Kaede, e a encontram trançando um cesto

-Olá meninas

-Vovó Kaede, a Kagome não está se sentindo muito bem – fala Sango

-Sente-se. O que tem tido Kagome?

-Enjôos, vômito com muita facilidade e as vezes desmaio

Kaede examina um pouco Kagome. Ela estava com o quadril mais largo e a barriga maior

-Você andou ganhando peso Kagome

-Eu sei, faz alguns dias que estou assim

-Acho que sei o que é – fala Kaede – E tenho certeza que você também sabe

Kagome engole em seco um pouco, sentindo a garganta seca

-Eu estou grávida?

-AAAAHHHH! – grita Sango e dá um abraço na amiga – Eu vou ser titia

Kagome e Sango começam a pular de felicidade enquanto davam alguns gritinhos

-Eu nem acredito que vou ser mãe – fala Kagome

-Quando vai contar pro Inuyasha? – pergunta Sango

-Hoje mesmo se ele voltar logo com o Miroku

-Não devíamos ter os deixado ir exterminar monstros hoje, mas vai ser uma surpresa de todo jeito

Elas dão outro grito de felicidade, se abraçam e começam a pular. Rin e Shippou chegam e veem elas pulando de felicidade

-Elas parecem estar contentes – diz Rin

-Elas parecem é duas pererecas pulando assim – diz Shippou

No outro dia, a tarde...

Kagome e Sango estavam entre as suas casas, plantandop algumas flores e ervas como camomila e orégano

-Essas flores vão deixar tudo com um cheiro mais gostoso

-Eu sei - responde Kagome sorrindo - Acho que agora só precisamos jogar uma aguinha por enquanto

-Er... Kagome?

-Sim

Quando você vai contar ao Inuyasha que está grávida?

-Assim que ele voltar, mas vou precisar de sua ajuda

-Minha ajuda?

-Sim, quero que você e o Miroku vão jantar lá em casa hoje

-Hoje? Mas não sabemos quando eles chegam

Kirara olha para o lado oeste da aldeia. Sango e Kagome olham na mesma direção e veem Inuyasha , Miroku e Chase entrando na aldeia carregando alguns sacos

-Ou você é vidente ou tem uma sorte fora do comum - fala Sango um pouco chocada

-Vamos colocar minha idéia em prática. Mas você não pode contar nada ao Inuyasha

-O que não se pode contar ao Inuyasha? - pergunta o hanyou abraçando a esposa por trás e beijando-lhe a face

-Meu amor você voltou - ela se vira e abraça-o com força, colocando a cabeça em seu ombro, mas sente um cheiro estranho junto do dele, mais rústico - Você se machucou?

-Não

-Que bom. Nossos amigos vão jantar lá em casa hoje

-Tudo bem. Vou lá dentro tomar um banho pra tirar o cheiro do youkai que enfrentamos

-Tá bom - diz sorrindo e dá um selinho nele

Inuyasha entra na casa e Chase fica na varanda da casa de Sango, onde a mesma já entrara com o marido

A noite...

Inuyasha, Kagome, Miroku, Sango, Shippou, Rin e Chase estavam comendo calados e nada de anormal acontecia fora alguns olhares de Sango a Kagome que eram retribuídos. Kagome para de comer e se levanta falando?

-Quero comunicar uma coisa a todos e vocês são testemunhas - a atenção de todos se volta para Kagome

-Aconteceu alguma coisa Kagome? - pergunta Shippou

-Aconteceu shippou e é tudo culpa dele - fala num tom sério apontando para Inuyasha

-Eu? Mas o que eu fiz?

-Você é o maior culpado disso - fala se aproximando dele com um olhar ameaçador e então sorri abraçando-o com força - E é por isso que te amo tanto

-Calma aí. A dez segundos você estava com raiva e agora tá dizendo que me ama. Agora eu fiquei confuso... Você comeu algo que está fazendo mal ao seu corpo?

-Não tem nada fazendo mal ao meu corpo, não muito pelo menos

-Como assim?Explica isso direito

-Tudo bem então. Inuyasha - ela segura as mãos dele sentand sobre os próprios joelhos - Eu estou grávida

O hanyou franzi as sobrancelhas, mas depois sorri longamente abraçando-a com força

-Kagome isso é maravilhoso!

-Faz quanto tempo? - pergunta Rin

-A umas duas semanas. Pena que não posso voltar para miha época agora, senão daqui a três meses daria pra saber se é menino ou menina

-Não me importa qual seja, vou amar essa criança de qualquer maneira - fala Inuyasha se levantando com Kagome nos braços e roda-a, enquanto a morena se desmanchava em risos de felicidade

Chase olhava para eles feliz. Uma lembrança atingiu-lhe a mente. Uma moça morena, de cabelos longos usando um kimono de várias camadas, tinha a barriga levemente inchada e o cheiro havia mudado um pouco pela criança que carregava. Um ganido de dor escapa pela boca do inuyoukai

-Desculpe Chase - fala Miroki tirando os pés de cima da cauda do amigo - Eu juro que foi se querer

-Você é um idiota Miroku - fala Inuyasha sorrindo

-Não tem problema Miroku

-Vem Rin, você vamos te levar pra casa da vovó Kaede - fala Sango estendendo a mão esquerda na direção da garotinha que a segura sorridente - Até mais pessoal - ela se despede com Miroku e saem

-Chase porque não fica aqui dentro hoje? Está um pouco frio lá fora - fala Kagome

-Claro, eu fico - comenta vagamente

Ela sorri, apesar de um pouco preocupada com o inuyoukai pela maneira como ele estava agindo. Inuyasha segura-lhe a mão e vão para o quarto onde dormem abraçados