- Kaoru! Kaoru! - O gêmeo Hitachiin chacoalhava o irmão durante a madrugada
- Hum..? Hikaru? Aconteceu alguma coisa? – Kaoru sentou na cama, esfregando os olhos.
- Eu tive um sonho estranho . Eu... Kaoru, não quero sonhar isso nunca mais.

A visão de Kaoru desembaçou. Hikaru tinha virado de costas pra ele, com a cabeça baixa. Sonho...? Tinha sido tão espantoso assim para fazer o gêmeo ficar daquele jeito? Abraçou Hikaru pelas costas e descansou o queixo na curva de seu pescoço.

- Quer me contar o sonho, Hikaru?
- Não é fácil de explicar. Tinha... Tinha um espelho. E nossa, Kaoru.. Aquele espelho era tão bonito... – Hikaru deu um sorriso ao se lembrar do lindo espelho refletindo sua imagem no sonho – Mas... O espelho se quebrou. Se partiu, em milhões de pedaços. E eu não parava de chorar e de gritar. E atrás de mim alguém corria para longe, para outra pessoa. E eu não sabia se juntava os cacos do espelho ou se corria atrás daquela pessoa. Não tem sentido nenhum, mas não quero sonhar isso nunca mais, Kaoru, não quero!

Hikaru caiu no choro, soluçando. Seu irmão o olhou espantado. O que aquilo tudo queria dizer? Que coisa mais maluca de se sonhar.

- Venha Hikaru. Tenho certeza que só foi mais um sonho que deve ser esquecido. E mesmo se não for, estou aqui do seu lado. Sempre estive. Sempre estarei.
- Kaoru...

Deitaram abraçados e, com um leve cafuné, Hikaru dormiu, ainda soltando algumas lágrimas. Kaoru olhou preocupado para o irmão.

Seria aquilo algum tipo de alerta?

- Haru-chan! Haru-chan, quer comer bolo comigo e com Mori-senpai?
- Ah, até ia querer, mas tenho aula agora, Honey-senpai.
- Hum... – O baixinho olhou ao redor da sala de reuniões do Clube de Anfitriões – TAAAMA-SENPAI!

Hikaru e Kaoru estavam atrasados. Haruhi estava esperando-os para ir para sua aula de francês mas, pelo jeito, aquele dia ela iria sozinha.

Quando entrou na sala de aula, viu que os irmãos Hitachiin já estavam em seus lugares, deixando a cadeira dela guardada. Se sentou e viu que Kaoru estava lendo um livro importado. Hikaru olhava para Haruhi como se pedisse desculpas.

- Porque não apareceram no salão?
- Ah, gomen, gomen, Fujioka-san. Nós... tivemos alguns problemas internos.. – Hikaru olhou de esguelha para o irmão e depois olhou para Haruhi, desenhando um sorriso nos lábios.
- Entendo. Hei, Kaoru – ela virou para o outro gêmeo – O que está lendo?
- Hum? Isto? Ah, não é nada de mais. É só... Algum livro que achei em casa sobre como irritar seu senpai. – Não gostava de mentir para Haruhi, que era a única pessoa íntima o bastante deles. Mas não queria expor o irmão.
- Tamaki-senpai não vai gostar nada disso – Haruhi sorriu e Hikaru observou aquele sorriso puro e bonito. E, de repente, sentiu vontade de sorrir também.

Kaoru olhou de canto aquela cena e estreitou um pouco os olhos. Durante a noite havia pensado um pouco sobre o que o irmão havia dito sobre o sonho e tentou juntar algumas peças. Por fim, conseguiu dar um sentido lógico, mas não queria acreditar nele.

O Clube de Anfitriões está em Funcionamento

- Eu sempre quis comer todos os bolos que quis. Mas Mori-senpai sempre me ensinou a me cuidar e por isso posso ser um adolescente saudável! Né, Mori –senpai?
- Hum.
- Honey-senpai é tão fofo ...
- Queria poder dar bolo pra ele ...
- Moeeee...

- Está na hora de... 'QUEM É O HIKARU-KUN?' – dava pra ouvir os gêmeos falando do outro lado do salão
- Hum... Acho que... Acho que o da direita é o Hikaru-kun!
- Acho que é o da esquerda!
- A senhorita acabou de ganhar...

Enquanto andava graciosamente, Kaoru tropeçou nos próprios pés e caiu majestosamente no chão.

- KAORU!

Hikaru se abaixou e colocou a cabeça do irmão no colo, levantando seu queixo com o dedo indicador, se aproximando perigosamente. As garotas da mesa estavam quase morrendo de emoção.

- Você se machucou... Kaoru?
- Ah, Hikaru.. Se não fosse você..
- Oh! Kaoru! Está... Está sangrando!

Havia um pequeno corte na bochecha do irmão caído, de onde saíam alguma gotinhas vermelhas. Hikaru se abaixou e lambeu o ferimento, fazendo com que as garotas da mesa desamaissem.

- TAMAKI-SENPAI! TENHA MODOS! – Haruhi olhava mortalmente para o garoto fresco com um vestido incomparavelmente indecente nos braços
- Ah, Haruhi-kun, as garotas iam adorar!
-Ovação de aprovação das garotas presentes -

Haruhi fechou os punhos e os dentes.

-BAKA!

Saiu pisando forte do salão, deixando todos assustados.

- Mori-senpai... O que aconteceu com o Haru-kun?
- Não sei, Mitsukuni.
- Hum..? Fujioka-san? – Kyouya ajeitou os óculos e balançou a cabeça.
- Hikaru o que acha que... - -contorno tracejado de Hikaru ao seu lado, mostrando que o gêmeo não estava ali- - está acontecendo...

Kaoru olhou para a porta e viu o irmão parado ali, visivelmente em dúvida se ia atrás da garota ou não. Optou por voltar, um pouco corado. Olhou para a janela e depois se dirigiu ao irmão.

- Hei, Kaoru. Está na hora de irmos.

Kaoru o olhou duvidoso. Infelizmente, suas suspeitas estavam se confirmando cada vez mais.

Continua...