Disclaimer: Twilight e seus personagens não me pertencem. Se pertencesse, o Jake jamais seria da Nessie. FATO.

Obs: As palavras em itálico podem indicar irônia, ou que a palavra não se refere a seu sentido literal, ou pode ser simples entonação mesmo. As frases em itálico indicam pensamentos, citações ou voz ao telefone.

Enjoy it!¹


~Além das Lembranças~

Capítulo 1: Enquanto seu lobo não vem...

{Leah's POV}

- Não veio com o Black? – perguntei ao meu irmãozinho assim que entrei na cozinha. Eu havia dobrado a esquina a tempo de vê-lo chegando em casa a pé.

- Hum-hum. – ele negou com a boca cheia, saindo de dentro da geladeira. Eu fiquei me perguntando se eles haviam brigado, já que não era a primeira vez nessa semana que ele vinha sozinho. – Ele não foi para a escola de novo.

- Como assim de novo? – eu coloquei as sacolas em cima da mesa e comecei a desempacotar as compras. Seth deu de ombros.

- Ah, ele não tem ido muito ultimamente. – Ele tentou pegar uma maça que eu tinha acabado de colocar na fruteira e eu dei um tapa na mão dele. Ele fez cara de cachorrinho sem dono. – Por que não tem almoço?

- Tem miojo naquele saco.

- Miojo? Isso não mata a fome nem de uma formiga!

Eu tinha passado a manhã inteira fazendo faxina na casa e só parei porque lembrei que a dispensa já estava quase vazia, então fui ao mercado. Está pensando que é fácil alimentar um filhote de lobo de quase dois metros de altura?

- Então come uma maçã. – Estendi para ele a maça que ele havia tentado pegar.

Ele a pegou da minha mão, meio emburrado, e foi saindo da cozinha.

- Deve ter sido por isso que o Sam preferiu a Emily. – resmungou. - Pelo menos ela não se importa de cozinhar.

Eu trinquei os dentes, peguei outra maçã e joguei na direção dele, mas ele foi mais rápido.

- Pirralho!

Cerca de quarenta minutos depois, eu entrei no quarto de Seth, que estava deitado vendo uma revista de motos.

- Acha que mamãe me deixa ter uma dessas? – ele apontou para uma enorme moto amarela. Irada.

- Quem sabe na sua próxima vida?

Ele fechou a revista, bufando, e só então me olhou, reparando na chave do carro que eu segurava.

- Vai sair?

- Não, eu gosto de ficar carregando a chave pra cima e pra baixo. – Ele revirou os olhos. – O almoço está pronto.

- Ah, que bom. Estou morrendo de fome. – Ele se levantou e me seguiu para fora do quarto. – Onde você vai?

- Vou levar umas coisas pro Billy. Quer ir também, pirralho?

- Ah, não, obrigado. Mais tarde eu vou na casa dos Cullen.

- De novo? – resmunguei.

- O quê?

- Nada. To indo.

- Tchau.

Em poucos minutos eu estacionava o carro em frente a casa dos Black. Eu desci do carro carregando duas sacolas cheias de compra. Geralmente era minha mãe que costumava trazer as compras, mas como ela estava em sua viagem de lua-de-mel com o xerife e o imprestável do Jacob gasta todo o seu tempo babando na sua maldita imprint, eu achei melhor pegar a tarefa para mim, antes que o Billy morresse de fome.

- Alguém em casa? – perguntei já entrando e seguindo para a cozinha.

Eu estava colocando as sacolas na mesa, quando o Billy apareceu.

- Boa tarde.

- Oi, Bill. – Eu me abaixei para dar um beijo no rosto dele. Não sei bem porquê, mas ultimamente eu vinha sentindo uma imensa simpatia por ele. – Trouxe umas coisinhas para você.

- Não precisava, menina. Eu ainda não sou um inútil.

- Eu sei disso, Bill. – Eu peguei um pêssego em um dos sacos e joguei para ele. – Mas já que minha mãe não está aqui, eu só tenho você para mimar.

Ele esfregou o pêssego na jaqueta antes de levá-lo à boca.

- Hm, nada mau. Mas você bem que pode mimar seu irmão.

Eu bufei.

- O Seth não precisa de mimo. Ele quase nem pára em casa. Só aparece para comer e dormir. E olhe lá.

- Posso dizer o mesmo do Jacob.

Eu me encostei na pia.

- E... er... – Eu pigarreei, pensando numa maneira delicada de tocar no assunto que me interessava. – Ahn... As provas da escola já começaram? Outro dia vi o Seth sair com uns livros, então...

- Acho que o Jacob não está muito preocupado com os estudos.

Ótimo, se o Billy sabia então eu poderia ir direto ao ponto.

- O Seth comentou que ele não tem ido a todas aulas...

- Ele está com outras coisas na cabeça agora. – Billy moveu sua cadeira em direção a sala e eu fui atrás. Seu aborrecimento era perceptível.

- E isso não te incomoda? – É isso aí, Leah, vamos colocar lenha na fogueira. ù.ú

- Jacob não está muito interessado no que eu penso. – Ele deu um suspiro cansado, o que me fez imaginar quantas vezes eles haviam discutido esse assunto. – E talvez eu esteja velho demais para saber o que é melhor para ele.

- Isso não é verdade! O Jake que é criança demais para saber o que é melhor para ele mesmo! Ele só tem tamanho, aquele abestado!

Billy riu. Um riso meio amargo, eu percebi.

- Ele disse que logo os frios vão deixar Forks. Jacob planeja ir com eles e montar sua própria oficina. Por isso não acha que seja importante terminar os estudos e...

A voz dele foi parecendo cada vez mais distantes em meus ouvidos. Eu ofeguei. Como assim o Black ia embora com os sanguessugas? Como assim ele estava planejando dar o fora e nem me falara nada?!

Tudo bem que nós não éramos os Melhores Amigos Para Sempre nem nada brega do gênero, mas nós tínhamos uma espécie de parceria. Eu era sua beta! Como assim ele iria simplesmente abandonar o bando?!

Eu senti que meu corpo começava a tremer incontrolavelmente e tive que respirar fundo repetidas vezes para me acalmar antes que me transformasse ali mesmo. Maldito Alpha idiota!

- Você está bem, menina?

Eu abri os olhos – que nem tinha percebido que tinha fechado – e vi que Billy me fitava entre curioso e preocupado.

- Estou. – Eu desviei o olhar para a janela, me concentrando para não perder o controle. – Acho melhor eu ir embora.

Peguei a chave na mesa da cozinha e voltei para a sala, onde o Billy estava.

- Tem certeza que está bem?

- Estou sim, Bill. Só um pouco surpresa com esse negócio do Jacob abandonar o barco, se é que me entende.

Billy assentiu, compreendendo.

- Acho que teria sido melhor que ele mesmo tivesse te contado.

Ou não. Eu poderia ter arrancado a cabeça dele num ataque de fúria.

- Não esquenta.

Eu comecei a andar em direção à porta e ele foi atrás.

- Esse negócio de impressão é forte demais para que nós, simples mortais, possamos entender.

Tem razão, Billy. Exceto pelo fato de que eu não sou uma simples mortal. E mesmo eu não sendo uma simples mortal eu jamais sentiria na pele a força da impressão. Ouch! Isso foi direto na ferida.

Ele pareceu ler meus pensamentos, ou talvez só tenha interpretado bem minha testa enrugada, porque abaixou a cabeça, meio constrangido. E isso é uma coisa que não se vê todo dia.

- Eu não quis...

- Não esquenta, Bill. – Repeti, dando um tapinha amigável nas costas dele. Bem, pelo menos meu tremor havia passado por completo. – Vê se se cuida, tá? – E pode deixar que do lobo cabeça-dura cuido eu! Acrescentei em pensamento.

Voltei para casa e fui direto para o telefone. Eu tinha que falar com o Black antes que minha raiva passasse. Assim poderia destilar todo meu precioso veneno. Disquei trocentas vezes, mas o celular chamava sem parar.

- Por que o idiota do Jake não anda com o celular?

- Deve ser porque ele não costuma andar de calça.

Obrigada, irmãozinho. Uma imagem mental do Jacob nu era tudo o que eu precisava nesse momento. Bleh.

- Por que não liga para casa dos Cullen? – Sugeriu, entornando em seguida um copo de leite.

Por que não?

- Já que você está aqui...

- Ahn? – Ele me olhou, confuso, com um adorável bigode de leite adornando sua boca. Nessas horas que eu me lembrava que ele era meu irmãozinho mais novo.

Eu procurei o número rapidamente na agendinha ao lado do telefone, disquei e estendi o aparelho para ele.

- Pede para chamar o imprestável.

- Lee, que infantil! Por que não pede você mesma?

Um olhar fatal foi o suficiente para ele parar com a brincadeira e pegar o telefone.

- Alô, Alice?... É o Seth. Tudo bem?... Ah é, não deu para ir hoje... Sabe como é, né? De vez em quando é bom estudar... Ah o quê?... Aham, pode deixar... Amanhã acho que vou sim.

- Seth! – disse sem emitir som (?). Vocês entenderam. u.u'

- Peraí. – Ele respondeu do mesmo jeito e voltou a falar no telefone. Eu revirei os olhos. – Ah, eu não esqueci, não... É, com certeza... Mas você não acha que vai ser muit-

Ele finalmente se calou quando eu bati uma panela na mesa.

- Chama. O. Jacob. Agora. – sussurrei, entre dentes.

- Não foi nada, não... É, olha só, o Jake 'tá por aí?... Posso falar com ele? É meio urgente, sabe?... Okay, obrigado. – Ele finalmente estendeu o aparelho para mim. – Toma aí, sua ingrata. Ela foi chamá-lo.

- Obrigada, irmãozinho querido.

- Fala, Seth. – A voz do Black soou ofegante do outro lado da linha.

- Sou eu, Alpha.

- Leah?!

- Não, a Chapeuzinho Vermelho. – Dã! – Eu estou procurando o lobo mau.

Ele deu uma risada zombeteira.

- É ele mesmo, pode falar.

Eu respirei fundo, tentando entrar no espírito da coisa.

- Assim... eu to ligando para saber se você já arrumou um tempo na sua agenda para dar uma atenção para o seu pai. Agora o Charlie nem a mãe estão aqui para fazer companhia a ele, se você não sabe.

- Foi para isso que você ligou? – Ele suspirou. – A baixinha tinha dito que era urgente. Pensei que a vida de alguém estava em perigo.

- A vida do Seth estava em perigo. Pode acreditar.

- Não duvido. – retrucou. Eu cerrei os punhos. Fui obrigada a respirar fundo e contar até dez para não perder a calma e desligar.

- Na verdade, eu estou precisando ter uma conversinha com você.

- Hmmm. – desdenhou. – Não sei porquê, mas isso não está me cheirando bem!

- Você está numa toca de vampiros, queria o quê?

Ele suspirou novamente, dessa vez com mais força.

- Certo, Rainha da Originalidade. O que quer falar comigo?

- Não por aqui. – resmunguei. – Me diz a hora que vai sair daí, que eu te encontro no penhasco. Mas vê se toma banho antes, 'tá? Você deve estar fedendo à vampiros.

- Leah! – ele rosnou em advertência.

- Te encontro que horas? – o ignorei.

- Às seis, está bem?

- Ótimo. – eu sorri pela primeira vez nesse dia. – Até lá.

o.O.o.O. Continua .O.o.O.o


N/A: Olá, pessoas! Quanto tempo! *-*

Em primeiro lugar quero agradecer às pessoas que comentaram na tradução Decida. Porque eu tive vários problemas com meu pc, então não sei a quem eu já agradeci e quem ficou faltando n.n', então...

'brenda.m, Ursinha Claire, Musa-baka, Leah lobatto, Adriana Swan, Aliice Miraanda, Oraculo, Lily A. Cullen, Millor, Daddy's obsessive little girl, Isa Stream, Loveblack Cullen, For all the eternity, Maila, Kurai Kiryu, Hellen, Thais Potter Malfoy, Ana Paula, Wanessa Lovegood Lima², Catarina Cullen, Dan, InfallibleGirl, Matsuda Sango, Ayami Kamimura, Gaby (Filhotee *-*) e Luisa Evans Cullen. (Acho que não esqueci ninguém! n.n')

ARIGATOU GOZAMAISU!²

Bem, dedico essa fic a todas elas, como forma de agradecimento e um pedido de desculpas àquelas que eu não respondi. =)

Quanto a fic... não reparem no nome do capítulo (Lembram da musiquinha: Vamos passear no bosque, enquanto seu lobo não vem... xD) e talvez até eu mude o nome da fic. Se quiserem dar sugestões...

Eu já havia feito uma "protótipo" da fic há algumas semanas e hoje me deu na telha de escrevê-la. E surpreendentemente, até que saiu bastante coisa. Eu não pretendia terminar nessa parte, mas como já são 2hs da manhã, não deu pra continuar...

Quanto a piadinha do lobo mau... eu sempre sonhei em fazê-la, xD mesmo antes de ler Twilight, e ela praticamente implorou para ser colocada aqui na fic! \o/

Ignorem minhas sandices e também possíveis erros ortográficos e falta de lógica. Devido à hora eu não revisei e nem tenho beta... Alguém se candidata? .

Aliás, para começo de conversa (ou seria para o fim? O.o), merece continuação?

Onegai³, sejam bonzinhos(as) e comentem! \n.n/

Próximo capítulo tem muito mais Jake, eu prometo! ;D

Kissus! =*


Legenda:
1. Divirtam-se!
2. Muito obrigada!
3. Por favor.