Capítulo II

"Os Pensamentos De Rony"

O sol já queimava alto.

"Já deve ser mais de meio-dia." _ pensou o ruivo de olhos azuis que olhava para o horizonte.

O vento batia em seus cabelos e os fazia voar sobre os olhos pensativos.

"Quanto tempo deverá ter se passado desde que me afastei de minha família? Algumas horas talvez. Tudo é tão confuso."

Rony começou a brincar com uma folha de grama, sem perceber o que fazia.

"Fred morto... Quem diria. Achei que ele e Jorge viveriam uns cem anos. Quem esperava que fosse partir assim tão bruscamente. Quem diria que eu iria sentir tanto a sua perda." Não é pra menos. Ele era seu irmão, idiota! (uma vozinha disse em sua mente. "Mesmo assim, nunca pensei que doeria tanto."

Uma lágrima teimosa escorreu por sua face. Ele voltou a cutucar a grama.

"Remo... Tonks... Grandes bruxos. Grandes amigos. Tinham acabado de ter um filho, pôxa! Não era para ser assim..."

O vento aumentou a intensidade. Sua barriga roncou alto. Afinal, isso era hora de pensar em comida? Irritado, ele se deitou no chão, de barriga para cima, apoiando a cabeça nas mãos.

Não iria voltar agora. Ainda não estava pronto para ver os outros novamente. Para ver a tristeza em seus olhos. Era muito egoísmo de sua parte, admitiu, preferir ficar sozinho a consolar aqueles que amava. Mas este era Rony. Queria sempre parecer durão e seguro de si (por mais que isso o irritasse as vezes). Não iria chegar para a sua família, com lágrimas nos olhos, admitindo que sofria, fazendo-os sofrer ainda mais. Quem diria. Estava pensando neles. Talvez não fosse tão egoísta, afinal. Continuou perdido em seus pensamentos.

"Colin também morrreu. Era um cara bacana, o Colin. Apesar de chato e irritante, foi o único dos menores que permaneceu, contrariando as ordens. Ele realmente se importava conosco e nossa causa. Vou sentir falta dele."

Deu um largo suspiro. Fechou os olhos. No mesmo instante, uma imagem veio em sua visão. Uma imagem que estava entranhada em sua retina já havia muito tempo. Anos, na verdade. Uma imagem de uma garota de cabelos cacheados, castanhos assim como os olhos, de lábios rosados, pele clara e inteligência espantosa. E foi com um incontrolável sorriso que Rony soltou baixinho.

- Hermione sobreviveu... -

Hermione... A quem a muito tempo percebera que nutria sentimentos mais fortes do que uma amizade. A quem a muito tempo sabia que amava e tinha confirmado isso quando se beijaram na Sala Precisa.

Algo apertou em seu estômago. É verdade. Tinham se beijado. Tinham dado o primeiro passo. E foi Hermione quem o deu.

"O que significa... Que ela gosta de mim." _ ele concluiu, já sentado novamente. _ "Quer dizer... Mais que amigo."

Uma felicidade inesplicável se apoderou dele.

"Ela gosta de mim. Mas... E agora? Vamos... Começar a … Namorar, ou algo do tipo?"

Sentiu o rosto queimar. Apesar de amar Hermione a anos, nunca se imaginou como namorado dela. Sempre se sentia deixado de lado por Krum, ou McLaggen ou Harry... Sendo franco consigo mesmo, ele chegou a ver Hermione envolvida com Harry (o que lhe causava um grande mal estar) e sua baixa estima não ajudava nada. Apesar de amá-la ele se via condenado a ser sempre o segundo em seu coração. Mas o primeiro passo sendo de Hermione, mudaria um pouco o rumo das coisas e se imaginar como sendo namorado de Hermione era de fato uma idéia muito tentadora...

"TOMA VERGONHA, WEASLEY! VOCÊ TÁ PRESTES A ENTERRAR SEU IRMÃO E OUTROS AMIGOS!" _ ralhou a vozinha em sua mente. Rony voltou a baixar os olhos ao se lembrar disso.