Zettai Kareshi – O Namorado Absoluto

Sinopse: Por alguma razão, Lily Evans foi rejeitada por cada garoto pelo qual se apaixonou. Um encontro com um misterioso vendedor, porém, vai fazê-la adquirir o Namorado Perfeito.

Disclaimer: Essa fic é inspirada nas séries Harry Potter, de J.K. Rowling e Kettai Kareshi, de Yuu Watase e não tem fins lucrativos.

N/A: Essa é uma adaptação de um mangá muito bom para uma realidade incrível, a de Harry Potter. O tema da fic não será inocente uma grande parte do tempo, mas não haverá nada indecente. Não terá mágica também, ela será uma UA. Quando houver mudança de ponto de vista na narração, um alerta será dado. Nossa primeira e principal narradora será Lily Evans. Todos avisados? Vamos lá!

Ato 1 – Lover Shop

7h18min.

-Aaaahhh! Essa não! Hoje é o grande dia e eu já estou atrasada!

É incrível que, quanto mais você precisa sair de casa, mais coisas aparecem para você fazer. É pensando nisso que corri em direção à porta do meu apartamento.

- O...opaa!

Plaft!

Graças à garrafa de refrigerante esquecida no chão eu vou de cara com a porta de vidro da sacada e percebo que a roupa que pendurei lá ontem já está seca. Viu o que eu disse? Sempre aparece mais e mais trabalho!

Tento colocar toda a roupa em um cesto o mais rápido possível, mas algumas peças voam acidentalmente para a sacada do apartamento vizinho. Não! Não vai dar tempo!

- Não agüento mais morar sozinha! Mãe, pai, voltem logo!

Há alguns meses estou morando por minha conta no apartamento da família, em Londres. Vivo aqui desde que nasci, mas por meu pai ter arranjado um emprego fora do país e minha mãe ser jornalista, eu tive que me acostumar a passar temporadas sozinha.

Deixei tudo para trás continuei meu caminho até a porta da frente. Qual foi a minha surpresa ao ver a tradicional cara mal humorada matinal de meu amigo de infância e vizinho de apartamento, Severus Snape, no hall do elevador, logo em frente à porta de minha casa.

Eu até teria desejado bom dia, se ele não estivesse com o braço estendido, segurando um sutiã. Pior ainda, um sutiã conhecido.

- Aaahh! O que é isso, Severus?! – arranquei a peça de roupa da mão dele. - O que você está fazendo com esse sutiã na mão, seu pervertido?!

-Você o jogou na minha sacada. E eu não tenho tesão nenhum por ele... Você é uma tábua.

E então minha bolsa estava na cara dele, e ele no chão.

-Tábua?! Repete isso e eu te mato. Mesmo te conhecendo há milênios!

Não esperei o insolente responder e continuei correndo, afinal de contas não podia mais perder nenhum segundo.

Tábua, eu? Tudo bem, eu reconheço que não sou uma peituda, mas aí já é exagero, não é?

Cheguei ao ponto de ônibus, o local ainda estava vazio. Ufa! Desta vez vai dar certo!

Minutos depois o avistei caminhando em direção ao ponto. Calma, calma!

-O...oi! Thomas!

-E aí, Evans?

-Pode me chamar de Lily.

-Ahn... Você me mandou uma mensagem ontem. O que é?

Ele estava lindo como sempre. Cabelos castanho-claros para trás, uniforme da escola. Perfeito. É agora ou nunca.

-Eu gosto de você! Por favor, saia comigo! – falei de uma vez.

-Ih, foi mal... Eu gosto de outra menina.

Foi como se eu tivesse caído num grande redemoinho. Eu estava descendo ralo abaixo.

-Hã?

-E... Por que você tá segurando esse sutiã?

Enquanto ele esperava uma resposta, e minha boca era incapaz de pronunciar a menor sílaba, o ônibus chegou.

-Bom, tchau! Tô indo pro clube!

Ele entrou, o ônibus partiu e eu ainda estava lá, como uma estátua, esperando a ficha cair.

-Droga de vida! – resmunguei com a cabeça apoiada sobre minha carteira. Eu me sentava ao fundo de minha sala, na fileira central, e minha melhor amiga, Amber Dixon, que agora ouvia minhas lamentações, sentava-se à minha frente.

-Já fui rejeitada um monte de vezes, mas... Você não acha que essa foi cruel demais? Ele podia ter pensado um pouquinho pelo menos...

Faz um mês que eu gosto dele. Desde quando o vi, na cerimônia de abertura do ano letivo... Me esforcei tanto pra ser notada! E ele sorriu e conversou comigo... Pensei que fosse dar certo dessa vez.

- Ai, ai. Queria ser bonita que nem você, Amber...

-Hã? Fala sério! Sabe, Lily, olhando seu perfil, assim, de um ângulo de 45 graus, você parece a Kirsten Dunst ruiva, sabe, em "O Homem Aranha".

Levantei a cabeça. – Sério?! Você acha? – E então ouvi uma voz conhecida (e desagradável) murmurar atrás de mim:

- A Kirsten detestaria ser comparada à Rainha dos Foras.

Fiquei de pé e agarrei o braço da criatura. – Foi dessa boca que saiu isso? Aliás, é tudo culpa sua Severus! Passei vergonha por sua causa!

- Não me culpe pelos foras que você leva, menina do sutiã PP!

-Você não sabe nada!

E assim começava mais uma de nossas intermináveis discussões.

Senti um alívio enorme quando, finalmente, as aulas acabaram e eu pude voltar a pé para casa, pra sofrer um pouco sozinha. Eu e Amber fazíamos o percurso até nossas casas quando ela decidiu puxar assunto:

-Lily, você e o Severus sempre foram amigos, desde pequenos... Por que nunca rolou nada?

-Amigos? Pára com isso!

-Ele não é muito gentil e é meio sem graça... mas é até bonitinho, você não acha?

- Do que você tá falando? Você só o conheceu no ginásio, mas até o primário ele era um baixinho chorão! E o pior é que acabamos caindo na mesma classe no colégio! Um saco! - Suspirei. – O Thomas é muito melhor...

-Bem, ânimo! Tem muito homem por aí! Se eu achar alguém legal, te apresento.

-Tá, valeu.

Logo tivemos que nos separar, e continuei meu caminho sozinha. Engraçado como todo lugar para onde eu olho, lá está um casal feliz, pessoas sorrindo... As pessoas não respeitam a dor alheia mesmo.

Droga! Qual é?! Todo mundo com essa cara super feliz! Eu também quero um namorado pra andar de mãos dadas!

Por que eu sempre levo um fora? E se eu nunca arranjar um namorado? Será que eu nunca vou casar? Vou envelhecer sem conhecer nada?! Vou morrer sozinha no meu apartamento... Abandonada?!

-Que barulho infernal é esse?!

Olhei para o chão, e ao meu lado estava um celular tocando, caído. Na dúvida atendi.

-Alô?

-Ah! Que bom! Estava preocupado! Pensei que não fosse mais achar o celular! – Era a voz de um cara. - Ah... foi mal, mas você encontrou ele pra mim! Valeu!

Que cara estranho. Ele continuou – Então... precisamos nos encontrar!

- Hein? Ah, tudo bem.

Marcamos em uma sorveteria ali perto. Quando entrei no estabelecimento um homem ergueu a mão para chamar minha atenção e então fui caminhando em direção a sua mesa. O cara era simplesmente lindo. Cabelos pretos meio longos, olhos azuis, parecia ser alto... mas estava usando uma roupa meio esquisita. Tipo uma jaqueta de couro com duas faixas que se cruzavam no peito. Totalmente futurista, parecia até um cosplayer¹.

-Opa! Uma colegial. Me dei bem!

Como é que é?

-Vamos, senta!

Sentei e coloquei o celular sobre a mesa:

-O seu celular...

-Ah, valeu! Quer pedir alguma coisa? Ei, moça, traz o cardápio, por favor! Puxa você me salvou mesmo, preciso muito dele no trabalho.

-Você... é artista ou coisa assim?

-Bom, sou um homem de negócios... que anda por aí. Aliás, como agradecimento vou te oferecer meus serviços!

O cara tirou um catálogo do bolso. Fala sério.

-Os produtos da minha empresa, Kronos Heaven, com descontinho amigo! A maioria desses itens estará disponível em breve.

Já me coloquei de pé enquanto ele falava. Bem que achei ele suspeito.

-Obrigada, não tenho interesse. – me virei e comecei a andar.

-Mas olha aqui! Com essas cápsulas você perde 10 kg por dia! E esse aumentador de seios? É só apertar a bombinha que seu sutiã passa do PP para o GG!

-Tchau! – Cara... até esse vendedor!

-Ah, espera! Não tem nada que te interessa? É só dizer! Cosméticos, congelados...

De verdade, esse cara me irritou. Virei e respondi:

-Então me vê um namorado!

Ele parou e me olhou como quem sabe das coisas. – Ora, por que não disse logo? – e então levantou-se e veio em minha direção, com um cartão que tinha tirado do bolso na mão direita. – Esqueci de entregar meu cartão. Entra nesse site. Mas não conta pra ninguém! Sigilo absoluto, tá?

Peguei o cartão e o rapaz começou a andar até a porta. Ufa! Finalmente livre.

- Eu entro em contato depois... Lily.

Site... Ei, ele sabia meu nome!

-Espe... – corri até a porta, mas quando saí o cara já tinha sumido. Olhei o cartão:

Kronos Heaven.

Sirius Black.

Já em casa...

Empresa Kronos Heaven... Sirius Black... de onde ele surgiu afinal? Muito suspeito! Hoje foi um dia horrível.

E eu ainda disse: "Me vê um namorado"? É o fundo do poço!

"Din-Don"

Quem será?

Abri a porta, era Severus, que obviamente já foi entrando.

-Licença.

-Hã? Já chegou do trabalho? Eu ia jantar agora.

-Que bagunça. Nem parece a casa de uma mulher...

Tudo bem que ele tinha razão, a sala estava parecendo um lixão a céu aberto, mas eu não iria deixar ele humilhar minha feminilidade.

-Se vai começar a reclamar, some daqui.

-É dia de limpeza. Seus pais pediram para eu tomar conta de você enquanto não voltam.

-Ei! Eu não preciso de ninguém "tomando conta de mim"! Não sou cachorro!

-Se fosse seria mais fácil. E você está horrível. Tudo isso porque levou um fora daquele cara?

-Veio aqui pra brigar, é? – fiz minha melhor pose de Kung Fu.

-Não. Trouxe comida do trabalho, pelo menos assim você pára de comer batata frita e miojo.

Severus, seu idiota! Vou arrumar um namorado só pra esfregar na sua cara!

Depois de jantarmos e Severus voltar para sua própria casa, eu me deparei sentada em frente ao computador.

É lógico que não acredito nessa besteira, mas não custa nada dar uma olhadinha no site, não é?

Site de vendas... Companhia Kronos Heaven... acho que é novo.

"Esse site fornece um namorado ideal só para você. É possível adicionar características para aperfeiçoar seu namorado. Pedimos sigilo absoluto por parte de nossos clientes."

O que é isso? Comércio de escravos?

"Os bonecos mais reais que você já viu."

Ufa! Ainda bem. Mas... um boneco? Me enganaram de novo! Oh... será um boneco inflável? Como aquele vendedor tem coragem?! Eu sou só uma colegial!

"O último modelo é o 'Nightly Series 01'"

Bom... vamos ver. Cliquei e apareceu a imagem mais "uau" que já vi na minha vida. Um cara lindo, moreno, cabelos arrepiados para todos os lados, olhos castanho-esverdeados... Incrível.

Não dá pra negar que seria no mínimo legal.

O quê?!

"Três dias de teste grátis."

Teste... quer dizer que eu posso devolver em três dias... nossa! Posso escolher as características dele! Vou aproveitar e por um monte... é isso aí!

No dia seguinte, voltando da escola, me deparo com dois sujeitos na porta do meu apartamento.

-Você é Lily Evans?

-S-sou.

-Entrega para você. Assine aqui, por favor. – um dos caras estendeu uma prancheta, eu assinei, e logo a caixa foi deixada em pé no centro da minha sala de estar.

Era uma caixa enorme, uns dois metros de altura. Um adesivo da Kronos Heaven na frente.

Fala sério! Eu fiz o pedido ontem à noite! Vamos ver o que tem aí...

Fui abrindo a caixa, papelão e isopor voaram para todos os lados, mas eu não me importei. Finalmente pude ver o rosto. Era lindo, exatamente como na foto. Estava com os olhos fechados, como se estivesse dormindo. Me aproximei para poder ver o rosto de perto, me desequilibrei e senti um peso enorme me empurrar para o chão. Ele caiu em cima de mim!

É de verdade! Mas... espera aí. Ele tá pelado?!

*Flashback*

Lily, com seus dois anos de idade, tomava banho com seu pai:

-Papai!

-Que foi, Lily?

-Por que eu não tenho isso aqui que você tem? – apontou para as "partes baixas" de seu pai.

-Hm... você gosta de fazer essas perguntas difíceis... opa! Não puxa! – ele riu, sem notar que sua esposa encontrava-se na porta – Mas fica tranqüila! Quando você crescer, vai nascer um em você também!

-É mesmo? Eba!

-Pára de falar bobagem pra ela! – gritou a mãe de Lily.

*Fim do Flashback*

Essa não. O choque foi tão grande que acabei tendo um flashback besta!

-Aaahhh! – me afastei tão rápido que bati as costas na parede. Que tipo de empresa é essa?!

Ai, não posso deixar ele jogado no chão assim!

Me aproximei devagar e coloquei o máximo de papel que consegui em tudo o que podia cobrir, se é que vocês me entendem.

Se eu tentar falar com ele...

-Err... oi? – nada. Cheguei mais perto para sentir o pulso dele.

Tá gelado! E não tem pulso! Nem respira! Será que é mesmo um boneco? Mas parece humano... Será que é... um morto?!

Ai ai ai o que eu faço agora?! É melhor pedir ajuda a alguém. Severus! Isso mesmo!

Bem agora meu celular começa a tocar?! O que mais pode me acontecer?!

-Alô?

-Oi! Aqui é Sirius Black!

-Ah...

-Obrigado por comprar na Lover Shop. O que achou do nosso produto?

-Como assim?! Isso é errado! É... é um cadáver!

-Hã? Do que você ta falando? Você não leu o manual de instruções dele, né? Além do mais é só encostar nele pra ver que não está morto... a pele é macia. Te ligo de novo em três dias. Tchau!

-Espera! – mas já era tarde. Ele desligou.

Manual de instruções... manual... ah! Encontrei! Estava dentro da caixa.

Nightly

Manual de instruções

Deixa eu ver.

"Posso engravidar?" O que é isso?! Não! Não!

Humm... Aqui! "Como configurar".

Ele se move? Sério? Mas é o que diz aqui... Primeiro vamos ligar a unidade.

"Há um sensor nos lábios da unidade que faz a leitura da temperatura corpórea dos lábios da cliente, assim ele reconhece a cliente como sua namorada."

Eu preciso mesmo fazer isso, certo? Eu nunca fiz isso nem com um cara de verdade...

Coloquei a mão no rosto dele. A pele é macia mesmo, e ele é uma graça. Mas o que ele é afinal? Um boneco? Um homem? E agora?

Agora eu imagino como o príncipe se sentiu quando teve que beijar a Bela Adormecida. Tirando o fato de que ela não estava PELADA NO MEIO DA SALA, é claro. Porque então não seria mais uma história infantil, seria a história da minha vida.

Bom... vamos lá!

Fechei meus olhos com força e abaixei minha cabeça até que nossos lábios se encontrassem. A boca dele, apesar de macia, era fria. Estava prestes acabar com o estranho beijo quando senti a cabeça dele se mexer embaixo da minha. Meu primeiro impulso foi me afastar.

Sentei enquanto o garoto abria os olhos. Ele sentou-se também e me olhou profundamente, como se não me visse há décadas.

-Oi... namorada. – e então se inclinou e juntou seus lábios aos meus.

Isso é sério?!

Continua.

¹Cosplayer: abreviação de costume player que consiste em disfarçar-se ou fantasiar-se de algum personagem real ou ficcional, como, por exemplo, animes, mangás, comics, videogames ou ainda de grupos musicais — acompanhado da tentativa de interpretá-los na medida do possível.

N/A: Olá, colegas fanficteiros! Aqui estou eu com mais um projeto, dessa vez ENORMEEE. Espero que vocês tenham se divertido com o primeiro capítulo.

A previsão é que essa fic tenha 33 capítulos! Pra vocês verem quanto ainda tem pra acontecer!

Tomara que eu tenha passado bem para o papel as novas personalidades dos nossos personagens favoritos! Me manda um reviewzinho dizendo o que achou, ok?

Beijos e até semana que vem! Nos vemos no capítulo 2.

N/B: Oi pessoal FanfictionNetiano!

Espero que estejam gostando tanto quanto eu da nova fic da fofíssima Fer C. Potter.

Sim, a minha Gêmula!

Acompanhem a Fic porque ainda vem muita confusão por aí!

Posso afirmar pra vocês que a Fic é super hilária e realmente vale à pena ler e, é claro, comentar!

Vejo vocês no próximo Cap, ok?

Bjinhuss

MalFeito Feito