Disclaimer: Declaro que Sakura Card Captors e seus respectivos personagens não me pertencem e sim ao grupo Clamp.

Syaoran sentiu o sangue subir mais uma vez e num rompante segurou a jovem e jogou contra a parede prendendo-a entre seus braços, Sakura o encarou atordoada.

"O que está fazen..."

"Eu já havia te avisado garota... ninguém fala assim comigo... NINGUÉM!" ele despejou sobre a jovem aterrorizada, encarou os grandes e brilhantes olhos esmeraldinos da jovem e tascou-lhe um beijo, profundo e intenso.

Sakura tentou repeli-lo, mas foi impedida pelas mãos fortes do duque... ele a soltou por falta de ar e encarou a jovem com seu olhar mais altivo, Sakura o fitou em choque, as lágrimas teimando em seus olhos.

Syaoran a fitou com desdém enquanto via Sakura desmoronar diante dele, abaixou-se diante da jovem e segurou-lhe o rosto para que o encarasse.

"Dentro dessa casa você é minha, comporte-se ou da próxima vez não terei piedade contigo!" ele murmurou fazendo as lágrimas que Sakura tanto segurara rolarem com violência.

Capítulo VI

Aquela manhã Tomoyo amanheceu bastante disposta e contente, ficara muito feliz em poder ver Jeremy e ter conhecido sua família, Sara e Andrew eram pessoas extremamente agradáveis, porém o pai dos dois jovem era um tipo de pessoa que era melhor nunca se ter conhecido. Tomoyo já conhecia bem a fama de Lorde Lamberth, mas não imaginava que o homem não fazia nada para mudar isso.

Olhou o bonito sol que se instalara em sua janela e não se surpreendeu ao ver Kate irromper pelo quarto.

"Bom dia Kate querida, meu irmão e minha prima já levantaram?" a jovem sorriu.

"Bom dia milady, Lady Avalon desceu agora a pouco, quanto ao mestre está na biblioteca desde cedo." A jovem morena sorriu.

"Que bom, pode fazer um favor? Diga a meu irmão que o verei assim que terminar o desjejum"

"Sim senhorita... a propósito, o que deseja vestir hoje?"

"Oh Kate, o que for mais bonito - a jovem levantou-se animadíssima – ontem a noite foi tudo tão perfeito que se pudesse voaria!" Tomoyo sorriu.

"Fico feliz milady!" Kate sorriu separando um bonito vestido azul.


Quando Syaoran bateu na porta, Mary abriu preocupada.

"Milordy, o que falaremos para Lady Spencer?"

"Apenas a verdade sra Hamilton, porém acredito que Lady Spencer fará o impossível para que essa história fique em segredo" ele encarou a mulher. Mary desviou o olhar para a grande cama com dossel, Syaoran aproximou-se da cama e viu Melanie encará-lo surpresa, os hematomas no rosto bonito denunciavam a violência acometida contra a jovem, Syaoran a encarou sério.

"Srta Stanhope, como se sente?"

"S-Sinto muito por incomodá-lo milorde – Melanie estremeceu com a intensidade dos olhos ambarinos do Duque – E-eu não sabia a quem recorrer... – Melly encolhe-se atordoada, algumas lágrimas teimando em seus olhos - a Srta Avalon e a Srta Lilles foram tão boas comigo que só lembrei delas no momento que consegui fugir." Melly escondeu os rosto contra as mãos e assustou-se ao ver Syaoran estender-lhe um lenço.

"Não se preocupe, fez bem em vim para cá" ele encarou a jovem ternamente, fazendo Melly render-se as lágrimas.


Tomoyo desceu até o salão de jantar e deparou-se com uma solitária Sakura remexer o chá pensativa, a tensão em seu rosto era evidente e não estranhou a jovem assustar-se com sua presença.

"Bom dia querida Sakura!"

"Bom dia Tomoyo, dormiu bem?" ela forçou um sorriso para a prima.

"Ai Sakura, nunca dormi tão bem em toda a minha vida - Tomoyo sorriu - Se soubesse como o jantar na casa de Lady Dowenn foi maravilhoso. E você está melhor?" ela sorriu sentando-se ao lado de Sakura, a jovem loira forçou um sorriso animado.

"Perdoe-me querida prima, ultimamente ando bastante indisposta, mas estou melhor sim... conte-me como foi?"

"Graças a Deus – ela sorriu aliviada - Jeremy estava na festa com a família, estava muito bonito e ainda me elogiou... acho que fui aos céus e voltei!" ela exclamou ruborizada, Sakura sorriu.

"Pelo menos divertiu-se e é isso o que importa... Tomoyo tenho algo a revelar-lhe." Sakura mostrou-se um tanto quanto preocupada.

"O que houve?"

"Ontem Melanie ..."

"Bom dia!" Syaoran irrompeu no salão imponente, sentou-se na cabeceira da mesa e viu a irmã correr até ele.

"Bom dia querido irmão – ela o beijou no rosto, Syaoran lançou-lhe um meio sorriso – Como está bonito hoje!"

"Obrigado!" Syaoran afagou a irmã e a fez sentar-se ao lado dele, encarou Sakura que remexia-se incomodada ao seu lado.

"Soube que não passou bem srta Avalon, está melhor?" ele encarou a jovem maldoso, a tensão em Sakura pode ser notada pelo jovem claramente.

"Estou melhor, vossa graça... obrigada por perguntar!" Sakura murmurou num fio de voz.

Syaoran sorriu divertido com a reação de Sakura, era muito cinismo seu perguntar aquilo sabendo o que havia acontecido na noite anterior, a mistura de sentimentos que a jovem emanava era exatamente o que Syaoran queria. Que ela se colocasse em seu lugar e o respeitasse.

Voltou-se a Tomoyo e disse-lhe sério.

"Madison... Lady Stanhope estará sob nossa tutela a partir de hoje."

"O que houve?"

"Ela sofreu um pequeno acidente, pediu ajuda a Lady Avalon ontem a noite... não é mesmo?" ele encarou Sakura de forma intimidadora, Sakura assentiu com a cabeça.

"Oh céus, vou vê-la agora mesmo!"

"Não perca seu tempo, ela está descansando..." Syaoran encarou a irmã e sorveu a bebida quente em sua xícara – Conversarei com Lady Spencer que permita que a Srta Stanhope passe algum tempo em nossa casa no campo. O que acha?"

"Seria maravilhoso querido irmão, faria bem para ela ... a propósito, por falar em temporada – ela encarou o irmão divertida – Eu e Sakura estávamos comentando a respeito do baile dos Shellbroke e Sakura me confidenciou que não sabe dançar muito bem, o que acha de dar aulas para ela?" Tomoyo despejou sobre os jovens... a xícara que Sakura segurava caiu de sua mão espatifando-se no chão enquanto Syaoran encarou a irmã descrente.

"Madison querida, o que houve com você? Sabe que não posso me abster de meu trabalho..."

"Mas Edward, você mesmo disse que eu poderia pedir-lhe tudo o que eu quisesse. Estou pedindo por favor?" ela implorou.

"Não!" Syaoran encarou a jovem irritado.

"Syaoran!" ela exclamou, só o chamava pelo nome oriental quando queria desarmá-lo, sabia que a única que o chamava assim era sua falecida mãe e era algo extremamente importante para ele.

Sakura encarava os dois em choque, suas mãos tremiam com a ousadia de Tomoyo em pedir aquilo para o jovem duque, ainda mais depois de tudo o que acontecera no dia anterior, assustou-se quando os dois a encararam, Syaoran de modo reprovador e Tomoyo preocupada.

"O que houve Sakura? Não está passando bem?"

"Não... eu só me assustei, não incomode Vossa Graça com essas bobagens... por favor Tomoyo!" o tom da voz de Sakura era suplicante, Tomoyo encarou o irmão irritada.

"Vê o que fez com ela, pobrezinha..."

"Ainda bem que essa garota tem um pouco de bom senso... apesar de ser uma completa desastrada – ele despejou sobre a jovem - Kate recolha essa bagunça... vou terminar meu desjejum na biblioteca... – ele voltou-se a Tomoyo – E a senhorita, não quero mais saber nada a respeito de aulas de dança, ouviu?" ele levantou-se e saiu, Tomoyo encarou uma Sakura que a encarava em choque.

"Aquele cabeça dura - ela fez uma careta de desagrado, levantou-se e abraçou a prima que não conseguiu segurar as lágrimas - Não se preocupe Sakura... ele não é assim, deve estar preocupado com algo... não chore sim?"


"POR QUE ELE É ASSIM? O QUE EU FIZ PARA ELE?" Sakura choramingava contra os joelhos de Tomoyo.

"Fique calma querida, ele só está se sentindo ameaçado... por isso te trata assim." a jovem alisou as madeixas douradas da prima.

"Como posso ameaçá-lo se não faço mal nem a uma mosca?" Sakura encarou a prima com os olhos inchados... Tomoyo sorriu.

"Syaoran tem medo de jovens casadouras... e de uma forma ou de outra, você é uma... concorda?" ela sorriu enxugando as lágrimas da prima.

"Não consigo entender..."

"Edward é um tanto quanto traumatizado, nosso pai foi sempre muito duro com ele."

"Isso ainda não é desculpa.."

"Isso ajudou a torná-lo o que é... mas o pior foi o que houve com Helen..." o semblante de Tomoyo fechou-se, Sakura a encarou curiosa.

"Helen?"

"Bem – Tomoyo suspirou pesadamente – Me prometa que nunca vai contar isso a Edward ok?" a jovem morena viu a prima concordar com a cabeça.

"Edward já foi noivo a 7 anos atrás da filha mais moça de um nobre que vivia próximo a nossa propriedade no campo, Helen era a moça mais bonita daquelas redondezas, tinha olhos verdes e cabelos dourados iguais aos seus... Edward era extremamente apaixonado por ela porém Helen... - Tomoyo soltou um suspiro desanimado. – O fato é que alguns dias antes do casamento Edward recebeu uma nota dizendo que deveria ir até o estábulo pois um de seus melhores cavalos estava doente... ele estranhou aquela nota, mas correu até lá... e para seu desgosto... Helen estava nos braços do administrador dele." Tomoyo disse triste, enquanto olhava uma chocada Sakura.

"Por isso não deve condená-lo... eu sei que a forma como te trata é terrível, mas... tenha um pouco de paciência. Edward é uma ótima pessoa, só precisa ser entendido e não condenado. Vou pedir para que ele te trate melhor, você não tem nada a ver com o passado dele." Tomoyo abraçou a prima.


Syaoran olhava as ruas do Mayfar absorto em seus pensamentos, marcara um encontro com John na Mudie's Library para coletar mais informações e relatar sobre o que havia acontecido com Melanie.

As lembranças da noite anterior o açoitavam com força. Aqueles olhos...

Por que beijara Sakura ?

Não conseguia esquecer o olhar altivo que ela o lançara e aquele maldito jeito de enfrentá-lo, era diferente de todas as outras garotas...

Suspirou pesadamente tentando afastar as memórias da noite anterior, mas a imagem de Sakura totalmente submissa a ele mexera terrivelmente com seu ser.

Sorriu constrangido ao imaginar que pela primeira vez fora rejeitado por uma jovem, era mesmo uma afronta terrível.

Deparou-se com o homem de aparência roliça e chapéu coco que folheava um livro sobre política.

"John?" Syaoran chegou de forma despercebida próximo ao homem, John fitou um rapaz com roupas simples, madeixas longas e negras, uma barba rala e óculos. Jonh demorou-se alguns instantes para reconhecê-lo, mas por fim sorriu e cumprimentou o rapaz alegremente.

"Quase não o reconheço meu caro, faz tempo que não o vejo assim?" John surpreendeu-se, sorriu para o rapaz que o encarava sério.

"Fico feliz que ainda cause esse impacto, pelo menos não perdi totalmente a pratica."

"Sempre irônico... como é mesmo... Jonathan...?"

"Exato... mas vamos ao que interessa – ele puxou o homem para um canto mais silencioso da biblioteca – a Srta Stanhope foi atacada" ele murmurou sério, John o encarou atordoado.


"Não acha melhor avisarmos a Scotland Yard, querida?" Sonomi parecia muito preocupada ao notar os hematomas no rosto da menina, Melanie sorriu constrangida.

"Não se preocupe milady, já conversei com Lorde Lilgen e ele me disse que resolveria tudo..."

"Edward disse isso?" a mulher assombrou-se.

"Sim, milady... " ela sorriu.

"Oh Melanie, você é uma ótima menina... graças a Deus não fizeram mais nada de ruim a você. - Sonomi fitou a menina enrubescer - Bem, vou receber algumas visitas, qualquer coisa peça a uma das criadas, tudo bem?"

"Obrigada milady, sabia que mamãe nunca errava em seus julgamentos..." a jovem sorriu.

"Julgamentos?"

"Sim, ela dizia que a senhora era a pessoa mais bondosa nesse lugar, ela tinha mesmo razão." A menina disse meiga, Sonomi não conseguiu conter um sorriso.

"Sua mãe também era uma pessoa muito boa querida... agora, com licença..." Sonomi saiu deixando a jovem sozinha. Sakura e Tomoyo saíram do quarto adjacente aliviadas.

"Graças a Deus ela já se foi... Melly, conte-nos o que houve..." Tomoyo parecia apavorada.

"Foi o que contei a Srta Avalon ontem... eles estavam procurando por alguma coisa no quarto de minha mãe, eu o surpreendi, mas ele foi mais rápido e me atacou... foi tão, tão... assustador." Melanie se encolheu nas cobertas.

Tomoyo encarou uma Sakura pensativa.

"O que Lorde Lilgen disse a você Melanie?" Sakura perguntou.

"Disse que eu não devia contar isso a mais ninguém, que ele resolveria tudo... " ela encarou as duas jovens, Tomoyo lançou um olhar preocupado para Sakura.

"Seria melhor mesmo que ninguém soubesse disso, Melly. Sua reputação estaria arruinada..." Tomoyo murmurou, Melly fitou Sakura que discretamente pediu silêncio. Não poderia contar sobre as cartas que Lady Cecília havia recebido.

"Se meu irmão decidiu resolver esse caso, não tem que se preocupar com mais nada Melly – a morena levantou-se e beijou a ruiva na fronte – você está segura agora!" Tomoyo sorriu.

"Obrigada por tudo Mad... se não fosse vocês... eu...eu " a jovem sentiu a vista embaçar.

"Não tem que agradecer querida, você é nossa amiga, não é mesmo?" Tomoyo sorriu e fitou Sakura que sorria timidamente.

"Melhor deixarmos você descansar... Lady Cassandra, Anne e Agatha vem nos visitar." Tomoyo sorriu.

"Agatha?" Melly comentou surpresa – Não acredito que tenha coragem de receber essa garota em sua casa?" Melanie despejou, Tomoyo sorriu.

"Ela é uma boa moça, Melly... "

"Só se for para você... aquela interesseira!" a ruiva enrubesceu instantaneamente.

Tomoyo sorriu constrangida, enquanto Sakura encarava as duas sem entender.


"O que houve agora a pouco com a doce e ingênua Melanie?" Sakura descia as escadas surpresa, Tomoyo suspirou envergonhada.

"Melly e Agatha não se dão desde que éramos meninas... Melanie nunca perdoou quando Agatha "tomou" o acompanhante dela em nosso ultimo picnic. Ela diz que Agatha só se interessa por homens ricos e que sejam atraentes." Tomoyo murmurou envergonhada, enquanto Sakura escondia um sorriso.

"Lorde Lilgen deveria tomar cuidado então... ?" Sakura riu divertida, enquanto Tomoyo constrangia-se.

"Sakura, não seja tão maldosa, Agatha não é desse tipo de moça... – Tomoyo parou e encarou a prima – Então acha meu irmão atraente..?

Sakura sentiu o rosto esquentar bruscamente, a lembrança do beijo retornou com força.

"N-não... é isso!"

"Eu sabia – Tomoyo lançou um sorrisinho maroto – Vou convencer Syaoran a te dar as aulas novamente." Ela riu, Sakura tentou rebater quando deram de cara com a Sonomi fitando as duas jovens com desagrado.

"Boa tarde, Lady Cassandra... Anne e Agatha – a jovem sorriu estendendo as mãos em direção as visitas – É um enorme prazer tê-las em nossa casa novamente." Tomoyo sorriu. Sakura fitou as três mulheres constrangida.

"É sempre um prazer visitá-las querida – Cassandra sorriu ao cumprimentar a jovem de olhos azuis, porém desviou o olhar para a jovenzinha encabulada atrás de Tomoyo - é essa a filha de Nadeshiko, Sonomi?"

"É sim, Cassy... Esmerald Avalon – Sonomi levantou-se e aproximou a jovem da condessa de Dure – Sakura querida, essa é Cassandra Lancaster, a mãe de Eriol e condessa de Dure.

"Muito prazer, milady!" a jovem curvou-se graciosamente diante da mulher, Cassandra lançou um sorriso terno para a jovem.

Lady Cassandra era uma mulher finíssima, de olhos azuis e cabelos levemente grisalhos, tinha olhos bondosos, mas carregava uma tristeza que ela só vira uma única vez... nos olhos de sua mãe.

"Essa é Anne, a filha mais nova de Lady Dure." Sonomi sorriu

Anne Lancaster, a irmã mais nova de Eriol era tão parecida ao jovem que Sakura teve dúvida se não eram gêmeos. Era tão bonita quanto a mãe e transbordava a simpatia e simplicidade de Eriol, a jovem morena a saudou com alegria.

"Srta Avalon, é um prazer conhecê-la... porque não nos apresentou antes Madison? Sua prima é tão linda quanto um raio de sol!" Anne sorriu encantada, enquanto pegava as mãos de Sakura.

"Anne querida, Sakura acabou de sair do luto..." Tomoyo sorriu constrangida, enquanto Anne escondia a surpresa.

"Ohhh... eu não sabia... eu sinto muito, Srta Avalon..."

"Não se preocupe... já faz mais de um ano..." Sakura esboçou um sorriso.

"Não vamos ter pensamentos tristes... muito prazer Srta Avalon! – Agatha irrompeu na conversa – Meu nome é Agatha Smith, sou irmã mais nova do investigador da Scotland Yard, John Smith." A jovem morena sorriu.

Sakura encarou a jovem surpresa, Agatha era do tipo que gostava de chamar atenção.

A jovem tinha longos cabelos negros, olhos de um azul esverdeado, lábios carnudos e um corpo extremamente escultural... Usava os cabelos de lado que desfaziam-se em cachos volumosos e tinha um sorriso leonino que não saia dos lábios. Sakura sentiu algo estranho com relação àquela garota.

"Sakura querida, Agatha ficou noiva recentemente de um dos solteiros mais cobiçados de Londres. É uma grande sorte, não acha Agatha?" Tomoyo encarou a jovem que analisava Sakura de cima a baixo.

"Sim Madison querida, vejam o anel lindo que Anthony me deu – a jovem mostrou um grande e brilhante anel de rubi que contrastavam nos dedos longos da jovem.

"Anthony tem sido tão bom comigo... apesar de não ser tão bonito, mas é um ótimo partido no momento - A jovem encarou Tomoyo. - Os bons partidos estão acabando querida Madison, cuidado para você e Anne não ficarem solteironas..." a jovem riu, Sakura lançou-lhe um olhar de repreensão, mas Agatha ignorou o fato.

"Ora Agatha... não seja tão maldosa, ainda existem bons pretendentes... – Tomoyo sorriu.

"Para você que é irmã de um duque, não será difícil, agora para quem não tem um níquel sequer... será quase um milagre..." ela riu, mas os olhos não saiam de Sakura.

Sakura encarou Agatha surpresa, não esperava tamanha hostilidade da jovem inglesa, viu Tomoyo e Anne divertirem-se com algum outro assunto e ignorou o fato, afinal não podia julgar a jovem Smith apenas pela própria intuição.

"Já está pronta para irmos?" Anne exclamou animada.

"Para onde?" Tomoyo sorriu.

"Ver o meu vestido de noivado." Agatha sorriu.


"Ainda acho que deveríamos ter vindo com a carruagem oficial do Duque de Lilgen" Agatha comentou enquanto Sakura se ajeitava no carro.

"Não vejo problema em usarmos essa, e além do mais... ela é tão confortável quanto à do meu irmão."

"Mas atiçaríamos os olhares e comentários nas rodas da sociedade..." Agatha riu.

Sakura teve que se controlar para não falar nada errado para a jovem morena, agora entendia a revolta de Melanie diante da moça. Sorriu procurando auxilio de uma das jovens e viu Tomoyo e Anne sorrirem timidamente. Agradeceu mentalmente quando chegaram em frente a loja, Agatha já a tirara do sério a algum tempo atrás.

Sakura sorriu ao chegar ao ateliê, nunca em sua vida fora em um e o encantamento a envolvia ao ver os belos vestidos e acessórios do lugar. Enquanto ouvia Agatha reclamar de algo, ficou a admirar um bonito ornamento de pedras e flores.

"Gosta dele?" Tomoyo sorriu.

"É muito bonito, mas algo que não saberia como usar..."

"E porque não o leva? A jovem sorriu divertida.

"Tomoyo..." Sakura murmurou timidamente

"Será um presente de boas vindas meu, afinal eu ainda não te presenteei com nada." A jovem sorriu e viu os olhos da loira marejarem.

"Mas Tomoyo..." Sakura corou surpresa.

"VENHAM SRTAS?" as três jovens ouviram Agatha gritar do provador.


Sakura tentava controlar a sua má impressão da jovem, mas Agatha não ajudava em nada e suas atitudes pioravam a situação, Sakura teve que sair da sala quando viu Agatha praticamente obrigar Anne e Tomoyo a darem um par de brincos caríssimo como presente de noivado.

Tomoyo sorriu docemente, mas Sakura notou quando a jovem pediu que enviassem a conta para seu irmão. Era claro que Agatha deveria ser do tipo caça dotes e isso a desagradou profundamente. Respirou fundo e controlou-se... afinal ela não poderia expor sua opinião à Tomoyo que a acolhera tão amavelmente.

"Hoje foi um dia maravilhoso, eu fico realmente grata pelo presente, Madison." Agatha sorriu.

"Imagina, fico feliz que tenha gostado."

"E o que acham de passarmos naquela confeitaria maravilhosa, podemos tomar o chá lá?" Agatha sorriu divertida, enquanto as três jovens devolviam-lhe um sorriso desanimado.


"Não acha que as meninas estão demorando?" Cassandra comentou

"Não se preocupe Cassy querida, logo elas estarão em casa."

"Estou preocupada com Anne, ela não tem comido direito esses dias..." a mulher pareceu aflita.

"Ainda com o problema do debute?"

"Se esse fosse o problema... Cedric aceitou a corte de Jeremy Dunstan..."

Sonomi riu.

"Não diga bobagens Cassy querida, Richard não a estava cortejando a pouco tempo?"

"Sim, o problema é que Cedric está envolvido em algo que desconheço e aquele odioso conde Lamberth o está pressionando a casar Anne com o rapaz mais moço. Todos sabem da reputação daquela família..."

"Mas lord Campbell não se pronunciou diante disso?"

"Cedric está mantendo segredo, quer que eu organize um noivado o quanto antes, mas Eriol não aceita e Anne... Anne está a ponto de ter um colapso. Sonomi, não sei mais o que fazer?" a mulher teve que segurar as lágrimas diante da duquesa.

"Fique calma querida, tudo vai se resolver, só precisamos entrar em contato com Lorde Campbell para desfazer esse terrível mal entendido."

"Você não entende Sonomi... não tem como?" Cassandra não conseguiu segurar o choro.


Depois de alguns quitutes e xícaras de chá, as jovens resolveram voltar a Lilles Manor, Sakura estava inerte a conversa das três jovens, quando deparou-se com um bonito rapaz adentrar o salão. Ele era alto, de cabelos loiros e olhos intensamente azuis, tinha porte atlético e um ar aristocrático que só vira no Duque Lilgen, mas tinha algo... algo que ela não soube decifrar bem e que não a agradou.

Tomoyo desviou o olhar para analisar o que tirara a atenção da prima e seu coração acelerou, era Jeremy.

O jovem por sua vez aproximou-se da mesa das jovens Srtas e sorriu.

"Boa tarde miladys, quanta honra encontrá-las aqui." Ele curvou-se.

Tomoyo não conseguia conter o sorriso, enquanto Anne ia ficando pálida.

"É realmente uma surpresa encontrá-lo aqui, sr Dunstan, a que devemos essa honra?." Tomoyo sorriu encantada.

"Minha cunhada pediu que viesse pegar alguns quitutes e por uma feliz coincidência encontrei as Srtas, vejo que Lady Lancaster está em melhor estado que da ultima vez em que nos encontramos, não é mesmo?" ele segurou a mão de Anne que tremia, o olhar leonino que ele lançou fez a jovem apavorar-se.

"Srta Smith, é uma honra encontrá-la aqui, como está Lord Perkins?"

"Muito bem senhor Dunstan – a jovem sorriu e ofereceu a mão com a aliança.

"Vejo que ele fez uma ótima escolha" o jovem sorriu vendo Agatha ruborizar.

"E Lady Lilles, é sempre um prazer poder encontrá-la, cada dia mais encantadora, não é mesmo?" ele sorriu galante e Tomoyo ruborizou, pediu aos céus para que as batidas de seu coração não fossem ouvidas, pois se estivesse em pé, teria caído.

"E... como devo chamá-la Srta...?" – ele encarou Sakura que o olhava friamente.

"Avalon... Esmerald Avalon." Ela recusou-lhe a mão e viu Jeremy surpreender-se, o jovem olhou atordoado para Sakura, mas disfarçou, porém voltou galante para as outras damas da mesa.

"Miladys, preciso levar o que minha cunhada pediu. Boa tarde para as Srtas!" ele curvou-se e saiu. As três jovens entreolharam-se e riram

Enquanto Sakura o via se afastar... Tinha algo errado, muito errado com aquele rapaz.


Syaoran olhava Sophie de um canto, precisava de mais provas sobre o assassinato de Cecília e o tempo parecia não ajudá-lo. John o alertara de que o caso seria arquivado em breve caso não tivessem nenhuma prova. A jovem mulher sorria ao se dirigir a um de seus clientes bêbados e não se assustou ao vê-lo lançar-lhe um flerte descarado. Sophie sorriu e serviu mais uma dose de whisky ao homem, dando brecha para que Syaoran se aproximasse.

O homem nada mais era do que Lorde Dowenn que estava ébrio o suficiente para escancarar a alma a quem lhe perguntasse e Syaoran se aproveitou disso.

"As coisas parecem difíceis não é mesmo?" Syaoran aproximou-se com tom de voz ébrio.

"... E são... nunca pude imaginar... que terminaria em uma espelunca... dessas..."

"Não diga essas coisas... a senhoria pode se zangar..."

"... Tem razão... uma mulher feito Sophie não deveria trabalhar em um lugar assim... " ele sorriu brindando a mulher atrás do balcão.

"Parece que está com problemas..."

"Venho aqui... quando quero afogar as mágoas... encontrar alguma diversão..." ele bebeu mais um gole da bebida dourada. O olhar leonino e o sorriso mordaz iam aumentando conforme o homem ia se abrindo.

"Diversão... conheço algumas meninas que fariam bem para o senhor. – Syaoran sorriu.

"Seria bom mesmo... aquela leitoa que tenho em casa só sabe me atormentar e acabar com meu dinheiro..." ele bufou. Syaoran riu.

"É por isso que não me casei ainda..."

"Não sabe a sorte que tem garoto, a menos que te achem uma dessas jovenzinhas... – ele olhou malicioso para Syaoran.

"Prefiro as mais velhas... de preferência mais fogosas."

"Conheci uma assim... Cecília, a pobre alma foi assassinada a alguns meses atrás."

"Acredito que Londres inteira soube dessa história... ela era tão boa quanto dizem?"

"Ela era maravilhosa, nunca conheci mulher igual... fazia tudo o que queria. Depois de um tempo... ficou diferente... sempre estava ausente, não me recebia mais, até que um dia... ela mesma me contou que estava apaixonada por um jovem e que não podia mais me receber."

"E você aceitou isso?"

"Tive que aceitar... ou eu a deixava em paz ou ela contava para a minha esposa. Acha que ia perder minha reputação por uma mulher assim? – ele deu o ultimo gole, enquanto Syaoran remexia sua bebida. – E além do mais, eu gostava de Cecília, não teria porque cometer tal barbárie com ela." Ele levantou o copo em direção a Sophie que sorriu.

"É uma pena que não tenha conhecido essa Cecília..." Syaoran murmurou.

"Realmente meu jovem... é uma pena..." Dowenn sorriu, enquanto Syaoran o encarava pensativo.


"Querida Lizzie.

Espero que as coisas estejam bem, sinto tanta falta de vocês...

Peço desculpas por demorar tanto a responder, mas tantas coisas me aconteceram nesse tempo em que estou aqui.

Eu estou muito bem de saúde e conheci algumas pessoas muito boas por aqui, a propriedade dos Lilles é maravilhosa, minha tia e prima são encantadoras, porém o duque é um homem horrível.

É um homem muito agradável aos olhos apesar de estar sempre irritado, porém esse seu gênio me apavora.

Eu queria muito voltar para casa...

Minha tia e esse homem estão planejando o meu debute em sociedade para que me case logo.

Você sabe bem o quanto desprezo o casamento. Não quero me casar Lizzie...

Se for o caso fugirei para que não me case com algum porco asqueroso desse lugar.

Não quero preocupá-la, apesar de já tê-lo feito, mas saiba que amo demais você, Sissi e Franz e não vejo a hora de poder voltar.

Alguma noticia do Touya?

Mandarei noticias em breve e aguardo ansiosa sua resposta.

Com carinho.

Sakura"

A jovem olhou para a mensagem esperançosa, sabia que se o irmão reinvidicasse o titulo tudo voltaria ao normal e ela poderia voltar a sua vida tranqüila no campo, longe de toda aquela agitação de Londres.

Respirou fundo encarando a grande janela a sua frente, caminhou para a grande cama pensativa e aninhou-se sob os lençóis.

Tudo se resolveria logo... era só ter fé.


Oi gente!

Finalmente voltei depois de muito tempo..

Obrigada a todos que leram a fic até agora, espero sinceramente que tenham gostado desse capitulo.

Vou tentar postar os cappies em datas próximas, ok?

Muito obrigada a você que leu essa fic, aguardo sua opinião, crítica ou sugestão com relação a história e por favor, qualquer duvida não exite em me mandar um review.

Obrigada!

Vanessa Li