Twilight não nos pertence, mas os gêmeos são totalmente nossos!


Essa fic é de autoria minha em parceria com a Titinha, era uma idéia antiga. Em uma conversa de MSN ela se tornou palpável. Tudo o que tem aqui saiu de nossas mentes pervas. Se você não está acostumada com loucuras: Atenção! Não leia essa fic! Ahhahaaha. Espero que gostem, posso até não ser escritora... mas minha mente e os e-mails com a Titinhuda... viajam.

Obrigada Titinha, por se unir a mim para tornarmos esses desejos visíveis. Nossos gêmeos existem! Obrigado a Juliana que corrige nossos erros e me critica da forma certa. Amo demais!


Autoras: Irene Maceió (Nêni) & Patrícia Silva (Titinha)

Beta: Juliana Martinhão

Shipper: Bella & Edward, mas outros personagens da saga Twilight e pessoas reais também.

Genero: Drama, Romance e Muitos Lemons.

Censura: NC-18

Sinopse: O que acontece quando você vive uma vida perfeita? Isabella Swan tinha imaginado isso quando encontrou Edward Cullen. Médico, lindo e apaixonado. Mas seu passado sempre a perseguia estando com ele, principalmente porque ela, enfermeira, nunca disse que trabalhou no louco circo de corridas em Paris, conhecendo um piloto que a conquistou com seu encanto e veneno, ao qual entregou sua virtude.

Após anos de separação e segredo, o passado de Isabella volta a assombrá-la. No dia do jantar especial junto a família do seu novo namorado, ela reencontra o piloto lindo que a encantou com seus olhos verdes e perigosos e que possui o mesmo rosto do novo amor da sua vida. O pior disso tudo: Ele parece disposto a retomar o que deixaram para trás.

Como pode um mesmo rosto trazer tantos sentimentos conflitantes?


PRÓLOGO:

BELLA POV

Assim que cheguei a residência do meu perfeito namorado, pensei que estivesse sofrendo algum tipo de distúrbio do sono, mas daqueles que nos remete a algum pesadelo profundo, como se estivéssemos dentro de uma realidade paralela. Exatamente, só pensei. Mas a verdade estava gritando na minha frente, sem qualquer tempo ou espaço para uma reação que não fosse a minha paralisia momentânea. Fiquei estática, muda e temerosa. Era ele! E eu não conseguia sequer ter um pensamento racional.

Onde foi que eu errei?
Ainda pensei, sem esboçar qualquer reação. Oh, Deus, isso. Reação. Preciso reagir, piscar, falar. Mas como ter coerência se meu passado, trancado e escondido, resolveu surgir claramente na minha frente. Todos estavam esperando, calados. Meu primeiro pensamento coerente foi: Sou tímida, eles vão entender... Mas não. Eu não iria enganá-los por muito tempo e Edward me conhecia o suficiente para saber que eu já não tinha esse tipo de comportamento na frente das pessoas. Preciso falar... preciso reagir...

Escutei um pigarro... uma voz. Sim, estavam falando comigo.

"Bella? Tudo bem?" Meu namorado. Sim, era ele.

"Oi". Minha voz saiu em um sussurro.

"Que bom, pensei que tivesse doente. Quero lhe apresentar melhor a minha família, mas o mais importante é que agora, ela está completa. Meu irmão acabou de chegar da Europa e vai se juntar a nós, por isso que hoje estou tão feliz. Quero que você o conheça".

Não. Por favor não.


EDWARD POV

Hoje eu estava muito feliz e todos percebiam a minha volta. Depois de tanto tempo consegui convencer Isabella a conhecer minha família. Minha Bella. Estávamos reunidos na grande sala de estar de Dona Esme, minha mãe e companheira, que estava radiando felicidade. A muito tempo ela não conseguia fazer com que essa família grande e muito ocupada conseguisse se reunir além das festividades natalinas e comemorações de aniversários. Para Bella, eu tinha dito que seria um simples jantar com todos, para serem apresentados formalmente a minha namorada. Mas todos na casa sabiam que não era somente isso, principalmente quando, na noite perfeita, a família estaria REALMENTE completa.

Abri a porta. Ela estava linda, perfeita. Eu estava imensamente agradecido aos céus por, finalmente, conhecer uma pessoa que me completasse como ela. A puxei para a entrada da sala. Ela estancou. Toda minha família se aproximou como forma de acolhimento e simpatia a Bella, inclusive a pessoa mais arisca que eu conheço na face terra. Ele também estava próximo, com um olhar preso na minha menina. Um olhar que eu reconhecia bem, afinal éramos idênticos. Éramos irmãos. Éramos gêmeos.

Comecei a ficar preocupado com a Isabella, pois ela não falava. Muda, estática. Fiquei olhando para ela. O que houve? Escutei um pigarro, meu cunhado. Resolvi falar com ela.

"Bella? Tudo bem?"

"Oi". Sua voz não pareceu mais que um sussurro.

Resolvi falar com ela, pois a sua terrível timidez pode ter voltado com força total com tantas pessoas presentes.

"Que bom, pensei que tivesse doente. Quero lhe apresentar melhor a minha família, mas o mais importante é que agora, ela está completa. Meu irmão acabou de chegar da Europa e vai se juntar a nós, por isso que hoje estou tão feliz. Quero que você o conheça".

Olhei para o lado, para seguir o discurso. Não!


ROBERT POV

Eu sempre odiei essas reuniões de família. Mas como resolvi voltar, pois já tinha mais de 2 anos que eu sequer aparecia para o natal, eu tinha que enfrentar o circo. Talvez eu esteja sendo muito duro com eles, mas aprendi que meu espírito livre e arisco me impossibilitavam de ficar muito tempo em um local. E todos sabiam disso.
Fazia tempo que eu não encontrava a todos. Bateu uma onda de nostalgia e mamãe, como sempre a chamei, estava radiante, afinal ela reuniu a todos, inclusive eu. E isso estava evidente em seu semblante. Sorri, pois pelo menos um motivo eu tinha como justificativa de estar de volta a essa cidade. Mas hoje no dia da minha volta, o famoso jantar em família teria mais um participante, na verdade A participante. Todos conheceriam Isabella, namorada do meu irmão gêmeo. Esse nome me trouxe doces e eróticas lembranças...

Meu irmão abriu a porta no momento que a campainha tocou. E lá estava ela. Porra. ELA! Simplesmente não acreditei, eu tinha que estar sofrendo alucinações. Não podia, não deveria...

Percebi que ela ficou tão paralisada quanto eu, com seus olhos fixos e perdidos em algum lugar... sim, perdidos no passado. Não escutei nada, preso em sua presença. Tudo o que eu vivi a muito tempo atrás voltou rapidamente e meu corpo reagiu na hora. Duro. A única coisa que me fez voltar a realidade foi o olhar irado do meu irmão em minha direção.