Um Estranho Conhecido – 4º Edição (23/06/2013)

.

Disclaimer: Inuyasha e sua turma não me pertencem, porém toda a história é de autoria minha.


Capítulo 2 – Mudanças.

- Hey Inuyasha! Olha a hora que você tá chegando ao colégio! - Um garoto alto de cabelos negros e curtos com um penteado bagunçado, olhos de cor violeta, perguntou para o outro que pulava o muro para entrar no colégio um pouco antes da hora do intervalo.

- Feh! – respondeu Inuyasha com um sorriso - Eu venho à hora que quero.

- Assim que se fala! – o outro sorriu.

Os dois bateram as mãos, se cumprimentando.

Inuyasha vestia uma camiseta preta do Metallica, uma corrente prateada no pescoço, uma calça jeans escura cheia de bolsos com umas correntes presas na lateral e um tênis todo arrebentado que completava o visual. Seus cabelos num tom esbranquiçado estavam espetados para todas as direções, usava um pequeno brinco de argola na orelha esquerda e um piercing na sobrancelha esquerda. Os olhos dourados brilhavam com a luz do sol. Seu amigo estava vestido similarmente.

- E aí como estão às coisas, Ban? – Inuyasha perguntou enquanto ambos caminham pelo colégio.

- Você nem sabe. Tem uma garota nova na sala, muita gata!

- Sério?

Bankotsu assentiu - Uma morena. Muito gostosa!

Inuyasha sorriu - Se ela é gostosa como você diz, vai ser minha.

- Pare! Deixa essa pra mim, você já tem a Yura! – o amigo reclamou.

- A Yura? Você bem sabe por que fico com ela – respondeu revirando os olhos.

- Sei... – outro assentiu e um olhar de entendimento se passou entre os dois.

O sinal do intervalo bateu e os corredores do colégio se encheram de alunos.

O colégio não exigia uniforme, todos os alunos iam para as aulas com as roupas mais variadas.

- Só tem um problema com a nova gata. – Bankotsu disse depois de alguns segundos.

- Qual?

- Reggueira.

- Sério? Uma seguidora de Marley? - Inuyasha perguntou surpreso.

- Aham. – Bankotsu assentiu.

- Está ficando cada vez mais interessante. – Inuyasha sorriu.

OooOOooOOoOOoo

Quando o sinal que indicava o fim do intervalo bateu a dupla de amigos foi para sala e os dois se sentaram nas ultimas carteiras perto da janela.

O professor já começara a chamada.

- Cadê a nova garota?

- É aquela ali. – Bankotsu apontou para uma garota sentada na fileira da parede, quinta carteira. A garota estava com os cabelos amarrados num rabo de cavalo, os compridos dreads descendo pelas costas. Vestia uma calça jeans preta e uma regata branca, um colar de contas no pescoço e um brinco de pena. A garota olhava para frente, não havia notado os garotos que a observavam do outro lado da sala.

- Que pena que não posso vê-la de frente. – Inuyasha lamentou.

No momento que ele terminou a frase a garota olhou para trás como se alguém tivesse chamado seu nome e os orbes castanhos se encontraram com os dourados.

"Não pode ser." – pensou ele.

- Inuyasha Taisho? Inuyasha? – o professor chamou.

Inuyasha levantou a mão. Continuava a olhar nos olhos a garota, não podia crer que era ela, a garota que ele não tinha notícias há cinco anos!

Kagome ao ver o garoto de cabelos brancos, vestido como rockeiro levantar a mão pensou - "Não acredito! É ele mesmo! Não pode ser!".

- Kagome Higurashi? Kagome Higurashi?

- Eu! – respondeu ela apressada.

Inuyasha desviou o olhar, não podia acreditar que ela havia voltado.

As duas aulas restantes daquele dia passaram num borrão para os dois.

- Ban, veja só. – Inuyasha disse para o amigo antes de se levantar.

- Kagome tem certeza que não quer uma carona? – Sango perguntou, estava muito animada em rever sua melhor amiga.

- Bem que eu queria Sango, mas agora moro muito longe da sua casa, não quero incomodar. – Kagome respondeu após se levantar e começar a guardar o material.

- Vai Kagome, vem com a gente? – Miroku que estava abraçado a Sango insistiu.

- Não vai dar não, Miroku. – Kagome respondeu sorrindo para o casal, era bom vê-los juntos.

O par de amigos, Miroku e Sango estavam namorando há um ano.

- Ah! Que pena, se você insiste. Tchau. – Miroku disse e o casal deixou a sala.

Kagome continuou a arrumar seus pertences na mochila enquanto seus pensamentos voltavam para Inuyasha, ainda estava traumatizada por vê-lo tão diferente do que ela se lembrava. Não havia entendido por que Sango não lhe avisara antes.

- Hey garota?

Kagome olhou para frente, não havia ninguém, olhou para trás e deu de cara com um par de olhos dourados acompanhados de um sorriso brilhante, o garoto estava a poucos passos dela.

- Oi. – respondeu ela incerta.

O sorriso do garoto aumentou enquanto parava bem na frente dela.

- Você vai ser minha. – O garoto colou seus lábios aos dela, num beijo rápido e saiu calmamente da sala, a deixando pasma e de boca aberta.

oOOooOOooO

Após chegar à sua casa, Kagome correu para o quarto carregando o telefone e ligou para Sango para lhe contar o que havia acontecido:

- É isso mesmo que eu estou te dizendo, Sango! Ele me beijou e foi embora!

- Não acredito! Esse garoto enlouqueceu de vez! – exclamou a amiga do outro lado do telefone.

- Eu não sei o porquê dele ter feito isso, está tão estranho, não parece o mesmo garoto doce e tímido que ele era. – Kagome respondeu aflita.

- Ih. Filha, esse Inuyasha doce e tímido que você conheceu não existe faz eras. Ele é um encrenqueiro de marca maior, muito estranho e temido no colégio. Eu nem me lembrei de te avisar sobre ele.

- Não creio que ele possa ter mudado tanto! Por que não se lembrou?

- Bem, nem sei. Acho que esqueci que você era apaixonada por ele, tanto tempo se passou.

- Sango! Eu não era apaixonada por ele! – Kagome gritou.

Sango riu.

- Filha o almoço está pronto. – Rumiko Higurashi gritou do andar de baixo.

- Sango, tenho que ir almoçar depois a gente se fala. – Kagome disse a amiga, já se levantando da cama onde estava deitada.

- Tá bom, Kah. E não liga para o Inuyasha não, ele é estranho. – Sango desligou logo em seguida.

ooOOooOOoOOOoOO

- E ai Souta como foi seu primeiro dia de aula? – Kagome perguntou ao irmão.

A família Higurashi estava reunida perante a mesa da cozinha, acabavam de almoçar.

- Uma maravilha! Finalmente me livrei de você! – Souta respondeu.

- Você só diz isso por que meu colégio é só de ensino médio!

- Ainda bem! Por que eu estando na oitava série fui para outro colégio e não preciso mais ficar grudado na saia da minha irmã! – ele acrescentou feliz da vida.

- Ah fico feliz de ter me livrado de você também seu pirralho! – Kagome respondeu ríspida.

- Crianças! Parem de brigar na mesa! – Rumiko Higurashi interviu. – Diga Kagome como foi o seu dia de aula? Encontrou algum antigo amigo?

- Foi legal. Encontrei sim, a Sango, o Miroku e o Inuyasha estão na minha sala.

- Ai que bom, querida. E como o Inuyasha está? Faz tanto tempo que não temos notícias dele.

- Ele está bem, eu acho, mudou muito. – Kagome respondeu, pensativa.

- Mudou como? – Rumiko perguntou curiosa.

- Ah sei lá mãe, ele está diferente. Não veio nem falar comigo. – Kagome mentiu, não iria contar à mãe que ele a havia beijado.

- Nossa! Que estranho. Mas vai entender? Essa idade de vocês é muito complicada. Eu me lembro quando tinha dezessete anos, tudo era complicado. – a mãe afirmou sorrindo com um olhar sonhador.

- É mãe. Pois é. "Só queria saber, o que o fez mudar tanto? A ponto de me beijar sem mais nem menos e ainda dizer que eu vou ser dele? Que abusado! E eu que havia pensado em visitá-lo antes de isso acontecer." - Kagome acrescentou em pensamento. Nos anos que passara em outro país perdera completamente o contato com Inuyasha, ele nunca respondera suas cartas, o número de telefone mudara, nesses últimos cinco anos não tivera notícia alguma dele.

O restante do dia passou tranquilamente para Kagome.

E a primeira semana de aula se passou rapidamente para ela, sem muitas emoções. Inuyasha não lhe dirigiu a palavra nem uma vez se quer durante aquela semana. Somente a vivia encarando. E ela não tivera coragem de ir falar com ele. Ainda não acreditava que ele era o mesmo garoto que ela havia sido apaixonada.

A voz da professora afastou-a de seus pensamentos:

- ...semana que vem teremos uma excursão ao laboratório nacional. Então não se esqueçam de pegar a autorização com os pais e essa visita valerá dois pontos na média na matéria de química. – Concluiu a professora.

O sinal bateu indicando que acabara a ultima aula daquela sexta-feira e os alunos se levantaram para sair animados com a notícia da excursão.

Kagome arrumou rapidamente seu material, colocou os fones de ouvido e seguiu atrás do casal de amigos que conversavam animados sobre a excursão sem lhe prestar atenção.

- E ai que música está ouvindo? – uma voz masculina lhe perguntou.

Kagome continuou andando pelo corredor fingindo não dar atenção a quem lhe perguntara, seu coração batia alto no peito, pois sabia de quem era aquela voz.

- Hey garota! To falando com você. – disse o rapaz puxando-lhe o braço

- Meu nome não é garota e eu não estou falando com você!- Kagome respondeu sem parar de andar, estava tão confusa com ele!

- Claro que está, Kagome. Diz aí que música está ouvindo? – Inuyasha perguntou.

Não obteve resposta.

- Hey! – ela exclamou quando um dos fones sumiu de seu ouvido.

- Oras, você não quis me dizer. – Inuyasha disse após tomar um dos fones dela e o colocando no ouvido. – Até que seu gosto não piorou tanto. Pink Floyd? Another brick in the wall? Muito boa essa. Você não é reggueira?

- Eu curto tudo quanto é tipo de música. Agora me devolve esse fone! – falou ela puxando o fone de volta.

- Devolvo não! – puxou ele para o outro lado. – Vamos ver o que mais você tem de bom aí. – dizendo isso ele puxou o mp4 da mão dela.

- Hey! Você é muito abusado! Seu idiota! – ela reclamou tentando pegar de volta o aparelho.

- Sei. – assentiu ele mudando de música – The day that never comes? Metallica? Uhu! As coisas estão melhorando. Eu amo essa música. Sei tocar essa. – ele disse sorrindo.

- Você toca? – Kagome se ouviu perguntando, enfeitiçada diante do sorriso lindo dele.

- Tenho uma banda de rock.

- Sério? Que legal! – Kagome exclamou surpresa.

- É. – respondeu ele, sem ligar muito. Trocou de música novamente.

Eles chegaram ao portão do colégio, ainda conectados pelos fones de ouvido.

- Para qual lado você vai? – perguntou ele.

- Para lá – ela apontou para esquerda – Vou pegar o metrô.

- Ta morando onde agora?

- Zona norte. Pensei que ia fingir para sempre que não me conhecia. – afirmou a morena, decidindo comentar algo sobre a semana que passaram sem se falar.

- Claro que te conheço, - ele sorriu - A baixinha chata que era minha vizinha. – Acrescentou sorrindo mais ainda.

- Você é muito idiota sabia? – ela revirou os olhos, mas sorriu do mesmo jeito.

- É, eu sei. – disse ele sorrindo. – Vamos então, eu te acompanho até sua casa.

- Mas você mora na zona sul. Não mora? – ela perguntou e acrescentou em seguida - É totalmente oposto!

- Ah você ainda se lembra! – ele exclamou.

- Claro sua anta! Eu morava lá. – ela respondeu rindo, não podia crer que estava conversando com ele depois de tantos anos.

- Hahaha eu sei, sua boba. Opa essa música também é boa. – Ele tinha ficado trocando de música, enquanto conversavam, por que a maioria era reggae. – Original Prankster, Offspring. Muito bom.

- Você se tornou um cara muito chato sabia? Se tornou um completo idiota! – ela se exaltou irritada com o troca troca de música, tentou puxar o aparelho das mãos dele de novo. Estava muito confusa com as atitudes deles...e magoada com a esquisitice, primeiro ele a havia beijado do nada, e então uma semana fingindo que nada acontecera e agora agia como se os cinco anos não houvessem se passado! Que irritante!

- Uhum! Sei que sou chato – ele sorriu segurando com força o aparelho. Seu sorriso era radiante.

Kagome o ignorou por alguns minutos e então decidiu falar - Mas sabe, tem algo que está me incomodando desde que eu te vi no colégio – disse passando pela catraca do metrô, após desistir de pegar de volta seu mp4.

- O que? – perguntou ele, balançando a cabeça ao som da música.

- Por que me beijou naquele dia? – ela perguntou, as bochechas se tingindo de vermelho.

- Por que me deu vontade – respondeu ele sem hesitar. – Quer repetir? – perguntou sorrindo travesso.

Ela fechou a cara. – Idiota! – exclamou cruzando os braços, o rosto ficando completamente vermelho.

- Você já disse isso muitas vezes hoje.

- Por que será né? – perguntou ela sarcástica.

- Kagome, Kagome, você não costumava ser tão sarcástica. – ele afirmou balançando a cabeça negativamente.

- E você tão idiota. – disse ela se sentando. Ele sentou ao lado dela e trocou de música mais uma vez.

– Curte mesmo rock ein? Mais uma do Offspring?

- Eu já te disse que curto de tudo! – exclamou ela, aborrecida.

- Tá bom! Não tá mais aqui quem falou. – ele respondeu se rendendo.

- Você não tem nada melhor para fazer não? – ela perguntou, para lá de aborrecida.

- Não. Aborrecer-te é um ótimo passatempo. – ele sorria de novo.

-Aff! Pára de trocar de música! – ela gritou quando ele trocou novamente de música.

- Não. Eu quero saber quais músicas você tem aqui. Que isso? Rebelde? Hillary Duff? Agora decaiu! – ele exclamou franzindo a testa.

- Inuyasha vai se ferrar! Eu escuto de tudo já te disse! E para de ofender as minhas bandas! – ela gritou.

- Sei. – disse ele simplesmente, nem ligando para o acesso de raiva dela. Continuou trocando de música. – Uhu! Highway to hell, Acdc. Adoro essa!

Depois de alguns minutos, com Inuyasha trocando de musica feito um louco. Kagome se levantou, e o garoto a seguiu.

- Por que está fazendo isso? – ela perguntou, cansada de ficar aborrecida e com uma pitada de curiosidade. Sentia-se estranha ao andar ao lado dele novamente.

- Isso o que? – ele franziu a testa confuso.

- Me levando até em casa. – revirou os olhos, como se a pergunta fosse óbvia.

- Sei lá. Deu vontade. – ele deu de ombros.

- Você é um idiota, eu já te disse isso?

- Já, muitas vezes. Então você está morando aqui? – perguntou ele quando pararam na frente de uma casa amarela.

- É. To sim. Tchau. – disse ela tirando o mp4 da mão dele num gesto brusco. Havia cogitado a ideia de perguntar para ele por que ele mudara tanto, mas desistiu, ele estava sendo tão idiota que ela não sabia o que pensar. Na verdade, tinha tantas coisas que queria saber, mas...

- Por que você usa esses trecos no cabelo? – ele perguntou, segurando uma mecha dos cabelos dela.

- Dreads? – ela perguntou - Por que eu gosto. E você por que ta usando moicano? – ela rebateu.

- Feh! Por que sim. – afirmou ele largando a mecha e passando a mão no próprio cabelo.

- Bobo. - ela sorriu, balançando a cabeça - Tchau. – acrescentou dando as costas para ele.

- Hey? – ele a chamou.

- Que f..? – a pergunta morreu nos lábios dela quando ele a beijou. Kagome o empurrou depois de alguns segundos. – Que merda! Dá pra parar de me beijar? – exclamou furiosa limpando a boca com a mão.

- Não dá não. É muito bom beijar você. E não se esqueça você já me beijou também! – ele afirmou sorrindo.

- É beijei sim, num jogo de verdade ou desafio quando tinha doze anos! – respondeu ela ainda furiosa.

- Não, beijou depois também.

- Não! Você me beijou de novo! Me roubou um beijo antes de eu ir embora, assim como me roubou agora e no primeiro dia de aula! – ela gritou o rosto vermelho de raiva e constrangimento.

- Tchau Kagome – ele balançou a cabeça e sorrindo se virou para ir embora.

- Hey! Não me deixa falando sozinha! – gritou ela para as costas dele - Ai que ódio! Foi embora! – Kagome entrou em casa furiosa e confusa com seus sentimentos.

Não sabia mais o que pensar dele. Sempre gostara dele quando mais nova, aliás, chegara a ser apaixonada por ele! E agora não havia se recuperado do choque de revê-lo, ele estava tão mudado...tanto na parte física quanto nas atitudes.


Hello people! Como estão? O que estão achando da história reescrita? Me digam! Até breve!

Beijos, Carla (23.6.13)