n/a: Olá essa é a primeira fic que eu estou postando, então por favor não matem uma pobre escritora fracassada logo no primeiro cap, eu sei que sou uma eterna fracassada então não precisam me lembrar disso tá? n.n' bom, então aí vai né?

Fala:

- Bla bla bla

Feitiço:

- Bla bla bla

Autora enchendo o saco:

(n/a: bla bla bla)

Os personagens de Rumiko Takahashi e Stephenie Meyer não me pertencem, para a infelicidade das fãs.

Aventuras em Heaveland

Carolina(Linaa-chan)

Com apoio de: cri cri criiii

Capítulo 1

Em um mundo paralelo, duas raças vivem em conflito eterno: Vampiros X Bruxas, o motivo disso é uma antiga richa entre eles, poucos sabem o motivo, mas, apesar de viverem em conflito, eles se dão bem o bastante para viverem em uma, quase, harmonia, só discutem quando um entra no território do outro sem permissão da realeza, mas parece que alguns vampiros ignoram isso: (n/a: aqui eles são um pouquinho rebeldes, eu não resisti!)

- Inuyasha! Espera! Eu é que não vou ser a janta dos Volturi por essa sua curiosidade! - era um vampiro, moreno, cabelos negros, curtos mas presos em um rabinho, ele tinha olhos azuis escuros.

- Mirok, não enche! Você e o Sesshoumaru aceitaram vir, agora não reclamem! - disse outro vampiro, esse tinha cabelos longos branco/prateados, tinha franja, duas orelhas de cachorro no topo da cabeça e olhos na cor de mel.

- Inuyasha, vai com calma! Estamos quase no território das bruxas! – este tinha os cabelos no mesmo tom do outro, só que mais longos, tinha franja, tinha uma meia lua lilás na testa e listras na bochecha no mesmo tom, orelhas no local normal ,pontudas, e olhos na cor de mel.

- Tá bom Sesshou! - o Sesshoumaru rosnou com o apelido (n/a: eu sei que não faz sentido, mas vocês vão ver que essa fic vai ser meio triste) mas logo se recompôs, já estava acostumado com os apelidos que seu irmão lhe dava, Inuyasha logo estava andando ao lado de Mirok e seu irmão, logo avistavam o vilarejo e castelo das bruxas.

Não muito longe dali, três bruxas tentavam atrapalhadamente ditar um feitiço:

- À partir de ... - elas param e uma bruxa de cabelos negros e longos, franja, olhos azuis claros e lindas curvas diz:

- Eu esqueci! n.n' – as outras duas suspiram e outra bruxa morena de cabelos castanhos e longos, franja, olhos na cor castanha e corpo bem definido disse:

- Kagome, já é a terceira vez! Na primeira você falou errado, na segunda você nem falou e agora você esquece! Tenta acertar, tá? – ela concorda sem graça e elas formam um círculo e continuam:

- À partir de maintenant tout cequi est ronddans cette sallesera carré!(a partir de agora tudo que é redondo nesta sala vai ficar quadrado!) – logo se podia ouvir uma explosão e ver três bruxas atiradas no chão resmungando:

- Uimasti! (Droga) - disse a de cabelos castanhos, se levantando.

- Ma ei usu, see juhtus jälle! (Não acredito que isso aconteceu de novo!) - disse Kagome, tentando se levantar mas caindo de cara no chão.

- Rays! (Raios!) – diz uma bruxa de cabelos longos e negros, franja, olhos castanhos e traços infantis para a idade que se levanta e vai ajudar a Kagome, que continuava no chão, dizendo coisas ininteligíveis, depois que ela levantou, disse:

- Ela não pode saber! - e a de traços infantis diz:

- Isso mesmo Kagome! – ela se dirige a de cabelos castanhos - Você não vai contar, não é Sango? -

- Claro que não Rin! Se Kaede souber, desta vez, nos mata! - e Kagome fala:

- Falando no diabo ela está vindo! - elas se arrumam em uma velocidade incrível e esperam ela chegar, quando chega, Kaede fica na porta e diz:

- Não vou demorar, só vim ver se estão bem. Espero que tenham tomado juízo e não tenham aprontado nada desta vez! – as três negam nervosamente e Kaede arqueia a sobrancelha e continua:

- Há vampiros pela cidade, é estranho que você não tenha percebido, Kagome. É melhor correrem se quiserem salvar estes! – elas saem correndo, mas Kagome tropeça no beiral da porta e cai de cara no chão, Rin e Sango voltam e a ajudam dizendo juntas:

- Kagome Higurashi! Já é a décima vez hoje! – ela levanta com uma gota na cabeça e elas continuam correndo até a praça central, Kaede ainda estava na porta, tinha duas enormes gotas na cabeça e se perguntava:

- Como pode alguém ser tão desastrada? - ela balança a cabeça espantado o pensamento e vai embora.

n/a: Eu sei meus amados leitores O.O Não! Espera! Pedra não! Ufa! n.n' Obrigado Eu prometo melhorar, bom talvez nem tanto... Mas por favor não me abandonem!

Lina - Chan s2 n.n