Capítulo 3.

Quando entrara no quarto, 1 hora antes, Sakura achara-o muito bonito, mas exageradamente grande.

Agora, deitada confortavelmente na grande cama de casal, Sakura dormia um sono tranquilo.

A garota, porém, tinha o sono leve e logo acordou quando, escutando barulhos abafados, imaginou que Kyoshi estava chorando. Levantando-se sonolenta, ela colocou o hobby e se arrastou até o quarto ao lado, para encontrar o pequeno dormindo serenamente. Franziu o cenho, confusa. Ainda podia escutar o som.

Abriu a porta do quarto e olhou para o corredor, vendo que a luz da sala ainda estava ligada. Imaginando ser a televisão, desceu as escadas, para pedir que abaixassem o volume, porém encontrou Sasuke deitado no sofá, com um livro sobre o peito, dormindo. A tv permanecia desligada.

Pretendendo voltar para seu quarto, a Haruno virou-se, para sem querer topar na mesinha do telefone, acordando o Uchiha mais novo.

- Sakura?- ele murmurou, confuso, enquanto levantava o tronco do sofá e apoiando-se nos cotovelos, com cara de sono.

A rosada teve vontade de rir da cara dele.

- Sim, sou eu.- murmurou suave, sorrindo de leve.

- Uhm.- ele murmurou, sentando-se no sofá.- O que foi?- ele pergunta.

- Escutei barulhos, pensei que fosse Kyo e depois a tv. Nenhuma das minhas teorias estava certa.- ela murmurou, ainda confusa.

Sasuke porém, adquiriu uma expressão séria no rosto, e a rosada teve impressão de que vira um pouco de tristeza nos olhos dele. Mas tão rápida veio essa impressão como também fora, e ela se ocupou com uma ideia.

Que ele sabia o que eram os barulhos. Ele suspirou de leve, levantando-se do sofá.

- Siga-me.- ele pede, subindo as escadas. A Haruno faz o que foi lhe pedido, silenciosa.

Os dois caminham até um quarto de porta fechada, que Sakura constatou ser de Itachi. Os barulhos, que agora ela percebeu serem um misto de sussurros e gritos abafados, ficaram um pouco mais altos.

Antes que Sakura pudesse - ou ousasse - perguntar algo, o moreno levou o dedo aos próprios lábios, pedindo silêncio, para em seguida indicar a escada com um aceno de mãos. Ambos descem.

.

Já faziam 5 minutos desde que os dois haviam descido as escadas, e permaneciam em silêncio, cada um preso em seus próprios pensamentos. Ambos olhavam para o tapete vermelho no chão da sala, incomodados demais para se encararem.

- Há quanto tempo?- a rosada por fim quebra o silêncio, ainda encarando o tapete.

- Desde que Nadeshiko morreu.- responde Sasuke, após algum tempo quieto.

- Não te incomoda?- pergunta a garota, deixando transparecer um tom de tristeza.

- Por isso não durmo em meu quarto. É torturante escutá-lo chorar a noite toda e chamar por ela.- ele murmura, encostando-se no sofá e olhando para o teto branco da sala.

- Nunca tentou acordá-lo?- ela questiona.

- Nas primeiras vezes sim. Mas assim que ele dormia novamente, começava tudo de novo. Acabei desistindo.- ele sussurra.

Quando ele chegara na mansão, 3 horas antes, ela fizera de tudo para não ter que olhar para seu rosto, ou se quer responder a alguma pergunta dele. Mas agora, sentia que era inevitável não olhar o rapaz que mantinha agora os olhos fechados.

E pela primeira vez desde que chegara a casa, Sakura se permitiu prestar atenção em Sasuke, e viu o quanto ele parecia cansado e esgotado. Na verdade, mal parecia ter forças para se manter firme.

E se perguntou o quão dura estava sendo a vida daqueles dois irmãos depois da morte da mulher de Itachi.

Sasuke nada tinha a ver com aquilo, mas mesmo assim todas as noites escutava seu irmão, sentia sua dor e o apoiava silencioso.

E então lhe ocorreu que o mesmo aconteceria com ela.

Levantando-se decidida, ela caminhou até a escada em passos rápidos. Assustando Sasuke.

- Aonde vai?- ele lhe pergunta.

Ela nada diz.

Na verdade, nem se quer olhara para trás, para não perder a coragem.

Caminhando até a porta em frente a sua, ela silenciosamente a abre, vendo Itachi se remexendo na cama. Seu coração batia forte de receio. Fechando a porta, hesitantemente ela caminha até a cama dele, sentando-se ao seu lado e passando a mão em sua testa, que estava molhada de suor. Depois de hesitar mais um pouco, ela repete o ato, desta vez descansando a mão na testa molhada.

- Itachi.- ela o chama suavemente. Ele porém não dá sinais de que despertaria. Ela afaga a cabeleira negra, murmurando que estava tudo bem. Isso pareceu acalmá-lo.

Passou a mão em seu rosto, em uma leve carícia para que ele não despertasse. Aos poucos, o sono do moreno se tornou calmo, enquanto ela continuava a murmurar palavras desconexas de conforto. Segurou a mão dele, e continuou murmurando, até que sentiu o rapaz relaxar completamente. Depois do que pareceram ser anos, ela parou de murmurar, ficando agora em silêncio ao lado dele.

Soltando suas mãos de leve minutos depois, ela levantou-se cansada e com a garganta seca, e caminhou escada abaixo vendo que a luz continuava acesa.

Caminhou até a cozinha e pegou um copo d'água, vendo que suas mãos tremiam levemente. Seu coração batia descompassado.

Foi até a sala e encontrou Sasuke sentado, apoiando a cabeça nas mãos, que eram apoiadas nos joelhos. Olhou no relógio e constatou que era mais de meia noite. Sentou-se ao lado do moreno e sorriu fracamente.

- Pode ir dormir em seu quarto.- ela murmurou, bebendo o copo de água que buscara antes de ir até ali.

Sasuke somente a encarou, antes de levantar-se.

- Você vem?- ele pergunta.

- Não, Kyo logo logo acordará pedindo mamadeira.- ela diz, encostando-se no sofá.

Sem dizer nada, Sasuke sobe para seu quarto, constatando que o corredor estava em absoluto silêncio.

Não sabia o que Sakura havia feito, mas agradecia internamente. Ele não lembrava-se da última vez que tivera um sono tranquilo em sua cama, nem de Itachi dormindo tão tranquilo.

Talvez, ter a Haruno por perto não fosse tão ruim quanto ele imaginara no início.