ove Blog

Capítulo 1

Blog da Kagome

Meu nome é Higurashi Kagome, tenho 17 anos e estou no terceiro ano do ensino médio da escola Shiron no Tama. Minha escola tinha duas sedes, uma dos garotos e outra das garotas, mas agora tá tudo junto! Eu moro com minha mãe, apesar de ter a opção de morar na escola. Tenho somente dois inimigos, que não vou citar agora. Melhores amigos? Três: Kouga, Sangô e Sesshumaru. Somos quase inseparáveis, a não ser pelo Sesshy, que é meio na dele, só se abre comigo. Namorado? Não! Mas já recusei vários pedidos, inclusive do Kouga... É, e eu recusei, no começo ficou tudo meio estranho, mas depois tudo voltou ao normal. Tenho três confidentes: Sangô, pra quem eu conto tudo menos as minhas intrigas, essas vão pro Sesshy, que é meu segundo confidente. E é claro, este blog, pra quem eu conto tudinho sobre, ah, vocês sabem! Só que ninguém que eu conheça tem acesso a ele. É o que eu espero pelo menos...

Cara, fala sério! Tudo bem, admito, ele é lindo gostoso blá, blá, blá. O sonho de toda garota e seria o meu também, se ele não fosse tão popular e meu inimigo desde... Sempre! Por quê? Ninguém sabe. Só ele, talvez. Quem é ele? Ah, Inuyasha Taisho. E ainda por cima tem aquela vaca! Eca.

Beijinho da K *-*

################

Eu acordei e fui me arrumar. Era muito difícil ser popular se ser totalmente paty, um pouquinho era inevitável. Era isso que eu, Sangô, Sesshy e Kouga éramos, populares, nós somos incríveis, lindos. Não me chamem de convencida. Eu tenho lindos olhos azuis e todos dizem que tenho um corpo lindo. Sangô é perfeita, literalmente falando. Sesshumaru, youkai, tem longos cabelos prateados, é muito gostoso e tem uns olhos, sabe que cor? Dourados, isso mesmo que nem o Inuyasha. O considero meu irmão, ok? Não pensem besteiras! E o Kouga, youkai assim como o Sesshy, tem porte atlético e olhos azuis que derrubam você, mas nada que se compare ao Sesshy e ao idiota do Inuyasha. Viu como não consigo de deixar de citar o imbecil?

Estava pronta, com a saia e a camiseta da Shiron, um colar com pingente de coração que o Sesshy me deu de aniversário e uma sandália prateada. Maquiagem básica, rímel transparente e um pouco de sombra azul para realçar meus olhos, mais nada! Não gosto de usar muita maquiagem.

- Até mais oka-san – só pra esclarecer, eu moro em Tókio, no Japão.

- Tchau filha, se cuida!

Provavelmente se eu não estivesse saído correndo ela teria dado um discurso de como o mundo é perigoso e essa baboseira que as mãe gostam de repetir... Mas eu estava mais preocupada em chegar à casa da Sangô a tempo. Ela morava a duas quadras depois da minha. Kouga morava na escola e Sesshy fora do nosso caminho, então íamos só nós duas. Bati na porta.

- Bom dia Ka – disse Sangô.

- Oi!

- Vamos! Já estamos atrasadas! - disse me puxando.

Nós não estávamos exatamente atrasadas, mas temos que chegar mais cedo para fazer o "social".

- Você tá animadinha hoje, né Sangô? - comentei arqueando a sobrancelha.

Geralmente ela tem um péssimo humor de manhã, só eu aguento! É por isso que o Sesshy não dá carona pra gente... É, ele tem um carro, um Porche. E o idiota do Inuyasha tem um volvo. Eu e a San também temos, mas... Ah, esqueci de falar, somos todos podres de ricos, mas não somos metidos por isso! Odeio gente metida! Estamos chegando! Já dá pra ver a parte de cima da escola...

- Ah, é Kagome...

- O que foi Sangô? – alguma coisa tava errada, ela me conta tudo de cara!

- Eu... Eu estou... Eu to namorando com o Bankotsu! - disse incerta.

- EBA! Eu adoro o Ban! Ele é muito legal! – Adorava mesmo... Ele já foi meu namorado... POR UMA SEMANA! KKKKKKK! Ainda me lembro! Nosso namoro era de mentira! Ele queria aprender a beijar bem! Eu era uma ótima professora, diga-se de passagem!

- Mas Ka, ele é seu ex! – ops. Esqueci! Nunca contei pra ninguém que o nosso namoro era de mentira. A pedido dele. E porque adorei ver a cara do bocó do Inuyasha quando ele descobriu. Foi hilariante!

- Ah Sangô! Isso faz três anos! Nós somos só amigos agora! - esclareci

- Você não ta braba comigo, tá? - perguntou hesitante

- Claro que não Sangô! Desde que ele não ocupe muito você... Nem te magoe, é claro! – Sangô já sofrera muito por causa de garotos. Um a traiu, outro virou gay, tinha aquele que... Enfim, acho que vocês já entenderam.

Neste momento estávamos entrando na escola. Logo avistei Inuyasha, Ayamê e Kagura. Credo! Kikyou passou por nós e deu uma de desentupidora de pia no Inuyasha. Nunca ninguém gostara de Kikyou, ela era respeitada somente porque era namorado do Inuyasha.

- Vadia – sussurrei.

- Apoiada – disse Sangô.

Sesshumaru, que já havia chegado e estava atrás de nós disse:

- Concordo. Mas, tenho mais o que fazer a olhar para isso.

Avistei Kouga.

- Oi Kouga! – acenei pra ele.

Ele passou entre Inuyasha e Kikyou (não me perguntem como!), me abraçou e me deu um beijo no rosto.

- Bom dia Kagome! – disse. Vi Inuyasha, com o rosto fervendo de raiva. Kikyou se dirigia até mim. Já vou avisando, hoje tô sem paciência pra essa daí!

- Escuta aqui sua vadia! – começou Kikyou – Eu ainda não sei como o seu namoradinho te suporta, - ela estava se referindo ao Kouga – mas com certeza vou acabar com a sua felicidade entendeu! E não cheguem perto do meu Inuzito! Ou não vai ser apenas essa babaca que vai cair e sim todos vocês! – ela estava se sentindo superior... Muahahaha (risada maligna). Mas eu não ia dar esse gostinho, não mesmo. Vou devolver na mesma moeda!

- Olha aqui Kikynojo, o Kouga não é meu namorado! Não tenho medo de você! E além do mais, antes de você fazer tudo isso já vai ter se destruído sozinha, megera!

- Vamos Ka! O que vem de baixo não te atinge! – disse Sesshomaru. Inuyasha, que estava do lado de Kikyou tinha uma expressão de ódio.

- O. QUE. FOI. QUE. VOCÊ. DISSE?

- Cale a boca seu inútil. - respondeu Sesshy indiferente.

- Não se intrometa cara de cachorro – disse Kouga.

Eu estava saindo dali, mas o Inuyasha, com o ser brilhante que é, segurou meu braço com força.

- Me solta!

Ele continuou com a mesma expressão nos olhos. Indignação, Talvez.

- Você está me machucando, baka! – ele não soltou. Kouga estava prestes a dar um soco nele, mas eu fui mais rápida. PLAFT! Dei um tapa no rosto dele. Ele me soltou. Quando finalmente achei que ia sair daquela situação...

- Senhorita Higurashi, Senhor Taisho me acompanhem até a diretoria! Agora! – disse Yura, a inspetora. Aquela mulher me odiava.

Eu e Inuyasha seguimos até a sala do diretor Naraku. Esse sim, tinha uma queda tombada por mim!

- Kagome? O que houve? Sr. Taisho, de novo, o que aprontou desta vez hein? E ainda com a Srta. Kagome? - perguntou o diretor espantado.

- Bom dia diretor Naraku! – ele era uma pessoa legal. Tá bom, mais ou menos...

- Então, o que houve?

- Simples diretor, a Srta. Chatice me deu um tapa na cara!

- Escuta aqui garoto – comecei – só tomei esta atitude pois o senhor estava segurando meu braço com força machucando-o! E isso depois de eu ter lhe pedido para soltá-lo duas vezes. – mostrei meu braço, que estava roxo por causa daquele verme para Naraku.

- Pode ir Ka, até mais! – ele virou-se para Inuyasha – Acho que você está suspenso por hoje, não é mesmo Sr. Taisho?

#################

Quando saí da sala do diretor o sinal da primeira aula não havia batido então Sangô e Kouga estavam me esperando.

- E aí? – perguntou Kouga.

- O que ele disse? - perguntou San curiosa.

- Cadê o Sesshy? - indaguei ignorando o questionário das meus amigos.

- Ah, ele disse que tinha de revisar a matéria da prova de Português. – a única matéria em que ele não tinha todas as notas acima de nove...

- Ah, é verdade, temos prova na segunda aula! – disse eu.

- Mas e aí Ka? O que foi que o diretor Naraku? - Kouga questionou.

Inuyasha saiu da sala e passou do meu lado.

- Que não vamos ter o prazer de sua companhia hoje, não é mesmo Inuyasha? – provoquei.

Ele me ignorou e continuou andando. Quando ele estava bem longe a ponto de não nos ouvir Sangô disse:

- Você é cruel Kagome! Ainda bem que não corro o risco de ser sua inimiga!

- O que é isso Sangô! Ele me machucou, olha aqui!- mostrei o braço marcado para os dois. – Você acha que eu devia deixar barato?

- Maldito! – Kouga fechou o punho.

- Não, claro que não. – disse Sangô.

- E... Kouga acalme-se! O Naraku nunca me daria uma suspensão tudo bem? Posso me cuidar sozinha. - estressadinho esse garoto...

- Certo, dessa vez eu vou deixar passar. – disse ele em tom de ameaça, que até deu medo.

- Vamos! Vocês sabem que a professora Aymê, de matemática não tolera atrasos! – disse Sangô. Tentando acalmar Kouga, certamente.

Quando sentei na minha carteira, ao lado de Sesshomaru ele me passou um bilhete:

"E aí, o que aconteceu?"

Eu respondi assim:

"Seu irmão foi suspenso."

E o resto do dia foi assim, quando Inuyasha não estava lá tudo era tão... Tranquilo? É, talvez sim. Irritante, também. Ah, dande-se.

################

Quando cheguei em casa minha mãe logo anunciou:

- Tenho notícias pra você, duas na verdade...

- O que foi? Não me diga que o papa morreu. – eu estava com um péssimo humor.

Nessa hora meu irmão entrou na sala e me viu.

- Manaaaaaaaaaa! Você chegou! – disse ele, abraçando minhas pernas. Ele é um fofo, nem dá para acreditar que é meu irmão caçula!

- Oi Souta! É bom ver você também! – disse pegando ele no colo. Nada como uma criança de 5 anos que não te irrita e que te venera

- Não Kagome! – disse minha mãe – Você se lembra de Miroku Houshi?

Olhei para ela. É claro que eu me lembrava ele era meu apoio, meu ombro amigo, meu confidente, ele era tudo para mim! Mas ele teve que ir embora a 3 anos. E nós nunca mais nos falamos, pois ele estava morando na escola e só tinha acesso a computadores para fazer trabalhos, além disso, os pais dele achavam que ele não deveria ser tão amigo de uma garota. Naquela época ele era meu vizinho e não estudava na mesma escola que eu, mas isso não nos atrapalhava em nada...

- Vejo que sim – disse minha mãe – pois ele estará voltando para a cidade. E Rin, sua prima, também está vindo para cá.

- Rin? – Rin sempre fora sorridente, ótima para me animar, não mantínhamos contato, pois ela morava muito longe. Não nos víamos há anos – Quando ela chega?

- Semana que vem. Souta vá para o seu quarto, sim? – pediu minha mãe.

Ele foi.

- Tchau Ka. - disse o pequeno antes de sair.

- Kagome, o fato é que nós vamos nos mudar. - esclareceu mamãe.

- Não! - nessa situação, resista até o fim.

- Kagome se acalme! Você vai se quiser! Pode morar em uma república. - disse calmamente.

- Por quê? - perguntei.

- Eu quero que seu irmão cresça em um lugar menor Kagome, com menos pessoas... Sabe, desde que seu pai morreu... - disse triste.

- Eu quero ficar. - decidi rapidamente.

- Como eu imaginei... Você vai dividir uma república com sete pessoas, como uma casa, três meninas, quatro meninos. As inscrições foram feitas por: Sangô, Kouga, Sesshumaru, Rin, Miroku e você. Alguma objeção? Sangô não te contou? - balancei a cabeça negativamente. – Ótimo! Vá fazer compras até a chegada de Rin. Compre roupas, sapatos, hidratantes, renove seu notebook, sua máquina digital e compre um iPhone, seu MP4 está muito velho. (n/a: eu queria ter uma mãe assim)

Peguei o cartão de crédito da mão da minha mãe e liguei para Sangô.

- Vamos às compras Sangô? - perguntei animada.

- Deixa eu pensar...Dããããã! Claro! - respondeu a minha amiga rindo.

- Tô indo pra sua casa. Beijo. - avisei.

Kagome foi até a garagem e entrou em seu carro, um Porche amarelo. Ela não o usava para ir para a escola, não era necessário. Ela estava vestida com uma jeans escura com uma blusa pink sem mangas e uma sandália com um salto de sete cm. Estava linda. Dirigiu até a casa de Sangô.

- Oi! Tô pronta! Você tá linda! - comentou San

- Sangô... Por que é que você não me falou que ia morar na república? - perguntei.

- Ah, esqueci! Desculpa! Como você sabe? - disse confusa.

- É amiga... Agente não se separa mesmo né? - brinquei.

- Jura? Jura que a gente vai morar junta? - indagou animada.

- Aham... - respondi sorrindo.

- Êeee! Eu fui ver... é uma casa, literalmente. Tem três quartos. Um com três camas e maior, para as meninas e dois com duas comas para meninos... É linda a nossa casinha Ka! – Já estávamos a caminho do Shopping.

- É, nossa do Sesshy, do Kouga, da minha prima Rin e do meu melhor amigo Miroku. - completei.

- Miroku? - perguntou tentando se lembrar do garoto.

- Ele foi embora tem uns 3 anos. Ele era meu vizinho. Ele sabe de coisas que você nem sonha Sangô. - disse sonhadora. Tinha tantas saudades.

- Quase na mesma época em que eu me mudei para a Shiron, faz 2 anos e meio. - ela concluiu meu pensamento

- Quem será o quarto elemento masculino da nossa casa? - perguntei misteriosa.

- Não faço ideia... - mentirosa. Mas tudo bem...

#################

Dez dias depois...

- Tchau filha! – minha mãe me abraçou chorando.

- Mana! Eu quero ficar com você! – dizia Souta.

- Eu amo vocês. Tome conta da mamãe Souta! Vou sentir a sua falta. - odeio despedidas.

E vi eles embarcarem com lágrimas nos olhos. Já estava tudo pronto para eu me mudar... Rin e Miroku preferiram ficar com a família e só chegaram hoje. Eu encontraria com eles na minha nova casa...

Entrei no carro e fui até a casa havia uma garagem... Bem grande pode-se dizer. Nela haviam os carros de todos que eu sabia que iam morar comigo, menos Rin, que não tinha um carro. Havia um volvo prata na garagem, mas nem dei atenção. Quando saí do carro esbarrei com uma pessoa.

- Me desculpe. - falei, imaginando que seria um doa meus amigos.

Quando vi em que eu havia esbarrado, gelei, o dono do volvo prata...

- Inuyasha?

- Kagome?

################

Oi gente! Olha eu aqui de novo!

Espero que gostem...

Boa notícia: EU POSTEI! Má notícia: EU AINDA NÃO TERMINEI A FIC, COMO O PROMETIDO. MAS, TUDO OK, TENHO DEZ CHAPPIES ESCRITOS.

Queridas, faram avisadas, certo?

O blog da Ka só aparece no começo do capítulo, ok?

Rin é mais nova que a Ka, tem 16 anos.

Todos, isso é: Miroku, Sangô, Inuyasha, Kagome, Kikyou, Sesshumaru, Kouga, Ayamê,... estão na mesma sala, menos a Rin, é claro, porque ela está no segundo ano.

Beijos.

Deixem reviws, por favor!