Reviews

Ayame Gawaine: Último capítulo quentinho para vocês. Mais uma etapa da minha vida concluída. A Kikyou não é exaamente o uqe podemos chamar de discreta... Obigada por ter acompanhado :) Beijos.

Amanda Taisho: Obrigada, querida ;*

Bad Little Angel: Valeu :) Último chappie on...

Elaluia Arantes: Nem imagina o quanto vou sentir falta de todas vocês, fofas que acompanharam a fanfic. Foi muito importante para mim ;*

Aiko Toshio: Ain amor ;) Vai continuar me acompanhando né? Promete? Você sabe que é a minha leitora número 1. Nunca vou esquecer dos pulos de felicidade quando você mandou a primeira review na minha primeira fic. Seu apoio é TUDO para mim. Sua fofa. Te adoro. Beijos. (P.S.: nem acredito que acabei a fic e você pede Love Blog infinito? Tsk, tsk, hahaha)

Capítulo 10 – The End

Blog da Kagome

Então gente, este blog está sendo desativado continuamente, porque, imagina se alguém da Shiron lê isso aqui? Era uma vez a reputação de Kagome Higurashi durona. Ah, que seja.

Beijoos,

Kah *-*

#.#.#

Então gente, o Miroku não morreu depois que enfrentou a Sangô furiosa. O "by: Kagome Higurashi" salvou ele, mas depois que eu disse que a ideia foi dele... E foi mesmo, daquela vez que era o meu vizinho, eu só a usei de novo...

E o que foi aquilo com o Inuyasha? O garoto ta louco pra ficar me beijando assim, é? Mas vai ter volta, pode acreditar que vai.

Já que a Sangô e o Miroku estavam em "sessão amasso, interrompa e morra, principalmente se você for a Kagome" fui para cozinha comer alguma coisa.

Dei de cara com o Inuyasha quando entrei.

- Er... Oi. – disse ele receoso.

Tasquei logo um beijão nele.

- Quem você pensa que é pra ficar me agarrando daquele jeito, hein Inuyasha Taisho? – perguntei em tom de desafio quando parei para recuperar o fôlego.

E, já que todo mundo adora novidades, ele me beijou. Ohh, tudo bem, o beijo do Inuyasha é daqueles que te fazem tremer do começo ao fim e que ele beija MUIIITOOO bem e que...

Raciocina Higurashi, ELE AGARROU VOCÊ DE NOVO!

- Kagome Higurashi, vocêquernamorarcomigo? – ele perguntou rapidamente.

- O que você disse? – é claro que eu tinha entendido, mas não custa ouvir de novo.

- Você quer namorar comigo Kagome? – ele perguntou novamente.

- Hahaha, ótima piada Inuyasha, sério. Eu bem que queria, mas você não pode estar falando sério. – dizia Kagome com uma risada forçada.

- Será que dá para você parar de me enrolar e dizer se aceita ou não? – disse Inuyasha começando a fica irritado comigo.

- Espera, você ta falando sério? Tipo, sério mesmo? - ele assentiu – Então, sim, claro que eu aceito. – disse sinceramente, totalmente e irrevogavelmente feliz.

Aí tem aquela parte que vocês já sabem, ele me beijou e depois me beijou, aí depois ele me beijou, sabe? Pois é. A gente tava lá se beijando as mãos do Inu na minha cintura, os meus braços no pescoço dele... Gente eu já falei como o Inu beija totalmente maravilhosamente bem?

- Hum-hum – alguém pigarreou atrás de nós.

Eu senti meu rosto esquentar. Isso aí, a Kagomezinha corou de novo, fato.

- Escuta, só porque você é meu irmão não quer dizer que pode agarrar a Kah assim, não! Ela não é uma vadia dessas que você está acostumado. – acertou quem disse que era o Sesshy.

- Isso aí, uhu, vai lá Sesshy! – claro que a Rin tinha que incentivar a baixaria.

- RIN! – eu disse repreendendo-a.

- Vai se acostumando Sesshy – Inuyasha ironizou a apelido – Eu e a Kagome estamos namorando.

- Você ta namorando com esse aí? – perguntou Sesshumaru a Kagome, apontando para Inuyasha.

- Er... É, bom, sim, é verdade. – admitiu Kagome receosa com a reação do amigo.

- Ê! Que legal Prima! – disse Rin vibrante.

- Yeah, valeu Rin – disse Kagome.

- Eu esperava isso de qualquer um, mas você? Você me ajudava a não matar ele, apontava os defeitos dele e dizia que eu tinha que aceitá-lo, afinal, ele era meu irmão. E no final você era só mais uma interessada no Inuyasha. Você é patética Kagome, não sei como eu pude acreditar em você. – disse Sesshomaru amargurado e eu seguida tudo o que eu pude ouvir foram o som dos pneus no chão.

Rin me olhava, em dúvida se Sesshomaru estava certo ou errado.

Inuyasha parecia entediado, Rin dividida e eu? Eu estava arrasada.

Inuyasha abraçou a namorada na tentativa de consolá-la,. Rin apenas saiu do local para pensar.

Eu estava nervosa. Eu queria o meu melhor amigo de volta. Eu queria ir atrás do Sesshomaru e dizer que era tudo um engano, explicar para ele que eu sempre fui amiga dele, não mais uma interesseira.

Mas eu não podia deixar o Inuyasha. Eu já o amava, mesmo sem perceber. Eu necessitava dos beijos daquele louco, do mau humor dele de manhã, de ter os olhos dele em mim quando eu chegasse em casa. Eu estava totalmente apaixonada por uma pessoa que eu sempre pensei ser meu inimigo.

Eu não sei. Nada mais é igual. O Miroku e a San, a Rin e o Sesshomaru, eu e o Inuyasha. Meu Deus! Isso é tão inacreditável.

- Inu. - ele olhou para mim. - Vou atrás dele.

- Como é? – ele me perguntou.

- Eu vou atrás dele. – dei uma selinho e sai antes que ele pudesse me dizer alguma coisa.

Dirigi até a casa dos Taisho.

- Sra. Taisho, posso falar com o Sesshy, por favor?

- O meu filho não está aqui! Ou você acha que eu não saberia se o um filo estivesse em casa? – respondeu a mulher grosseira.

- Com licença, ele está sim, posso vê-lo?

- Mas você sempre foi muito pretenciosa mesmo, não é sua-

- Ah, Kagome, entre. – o Sr. Taisho apareceu. – Fique a vontade.

Sorri em sinal de agradecimento e subi até o quarto do Sesshy, no segundo andar, abri a janela, subi na árvore e foi me arrastando até a porta da casinha.

- Sesshomaru? – chamei.

- Não quero falar com você. – ele respondeu do lado de dentro.

- É por isso que eu estou aqui. Agora abre antes que eu caia.

Ele abriu a portinha da casa da árvore e eu entrei.

- Eu não te devo explicações sobre isso. Só... aconteceu. – eu disse olhando nos olhos dele.

- Eu sei. – admitiu e suspirou, me abraçando. – Quando foi que você cresceu, hein pequena?

Ri dele.

- Obrigada. – eu falei. – por sempre estar do meu lado quando eu preciso.

- Somos amigos.

- É, somos. Né cunhadinho?

- Hehe, é, dos dois lados.

- Pois é.

E ficamos falando besteiras até o anoitecer.

- Temos que ir. Rin está preocupada, Inuyasha possivelmente confuso e sua mãe furiosa.

Eu riu de mim.

.

- Então está tudo certo? – perguntou Sangô pela milésima vez.

- Sim.

- E você e o Inuyasha estão namorando.

- Sim, Sangô.

- AHH JURA, QUE TUDO AMIGA.

- E depois dizem que as loiras é que são burras.

- Você está feliz?

- Estou. – disse com um sorriso bobo no rosto.

- Eu também.

- Todos estamos. Esse é o começo do nosso final feliz.

FIM

N/A: Acabou meninas, nem acredito que eu to chorando aqui. Essa com certeza não é minha melhor fic, mas com certeza uma das mais significativas para mim. Obrigada pelo apoio de todas vocês, suas lindas. Comentem ;*

Desligando.