Pós mangá


Regard

by Doks


Winry praguejou ao olhar para o grande relógio da estação ferroviária de Risembool. Chegou uma hora e meia antes do combinado! E agora, o que faria até lá?

Edward telefonou para avisar que voltava no dia seguinte e esperava que ela fosse à estação já que não se viam há quase duas semanas. Porém, Winry não imaginou que sua ansiedade vencesse a lógica que ela costumava colocar em primeiro lugar. Estava com saudades de seu marido e queria vê-lo depressa.

Embora soubesse que chegar mais cedo não adiantaria o horário do trem, lá estava ela esperando a hora passar sem nenhuma distração. Nem ao menos alguém com quem conversar, como de costume aquele lugar estava vazio.

Bufando, Winry se lembrou da vez em que o próprio Edward a deixou esperando sozinha na estação da Cidade Central...

Foi no primeiro ano de casamento deles. Edward ia resolver as questões sobre sua aposentadoria prematura. O alquimista, depois de conseguir trazer o corpo de seu irmão e seu braço de volta, foi convidado a se retirar do exército, porém com um salário vitalício por Honra ao Mérito.

Winry chegava de Risembool na Central para se juntar ao marido. Iriam ficar alguns dias lá e fazerem as compras necessárias para a chegada do bebê. Tinham descoberto a gravidez há alguns dias e estavam excitados com a idéia de serem pais pela primeira vez. Edward ficou sabendo da notícia pelo telefone e exigiu a presença da mulher no dia seguinte.

Entretanto, Winry já estava irritada por causa da espera e esqueceu os planos que fizeram, cogitou nem sair da estação e voltar direto para sua cidade natal. Foi quando ouviu seu nome sendo pronunciado por uma voz que não conhecia.

Era Edward. Vermelho, com a garganta inchada e (Winry sentiu quando se aproximou) cheirando a remédio.

Ed! O que aconteceu? – Ela perguntou largando as bolsas que segurava.

Acabei de descobrir que sou alérgico a flores – Ele disse levianamente – Vamos embora, o táxi está esperando.

Winry sorriu com a lembrança. Ficou sabendo depois que ele tinha comprado algumas flores para ela quando começou a espirrar e sentir a garganta fechar. Correu para o hospital, visto que não conseguia mais respirar com naturalidade.

Ela se lembrava que foi a primeira e a única vez que ele comprou flores para ela, Edward não é do tipo mesmo, Winry pensava.

E esse pensamento a recordou da vez em que um forasteiro chegou à Risembool. Um rapaz chamado Russell Tringham¹. Desde que ele chegou lá Edward começou a agir estranhamente e mais tarde ela descobriu que era daquele jeito que ele mostrava seu ciúme.

Continua...


1 – É, eu gosto dele u_u


N/A: Essa história terá no máximo quatro capítulos curtinhos sobre as lembranças que a Winry tem sobre sua vida com Edward. Será sweet até não querer mais XD Aviso aos diabéticos!

Esse capítulo foi bem curtinho porque na verdade eu não planejava dividir em capítulos, mas a segunda parte ficou muito grande. Enfim, espero que gostem :)