Desde quando...

Eu e Annabeth estávamos sentados à beira do meu chalé, apenas abraçados e sentindo a presença um do outro. Annabeth, às vezes, não era de falar demais, mas eu sim. Mas naquele momento, eu simplesmente não tinha palavras para dizer à ela, e eu queria apenas senti-la perto de mim, a sensação era tão boa, era como me sentir completo. Como se eu realmente, definitivamente, fosse invencível, porque eu tinha a melhor garota do mundo ao meu lado.

- Desde quando, Percy? – ela me perguntou, de repente. Como eu estava saboreando a sensação de estar ao seu lado, eu respondi com um "hãn" muito idiota, a fazendo suspirar, meio impaciente. – Desde quando você se viu apaixonado por mim, Cabeça de Alga?

Eu demorei um pouco a responder. Até então eu não sabia exatamente desde quando estive olhando para Annie daquele jeito. Eu sempre tinha achado-a bonita, inteligente, mas não tinha parado para pensar, não até o beijo que ela me deu na beira da oficina de Hefesto, no Monte Helena.

- Eu não sei, direito. – respondi a ela, que continuou me olhando especulativa. Suspirei. Annabeth nunca se contentava com "não sei". Essa não era uma resposta válida, para ela.

- Pense um pouco, Percy. – ela reclamou, ainda me olhando insistente.

Lembrei que estava assistindo-a dormir, há alguns dias atrás, e relembrando todas as nossas aventuras, desde a primeira. Entao eu soube qual resposta dar a ela.

- Quando eu olhei para você pela primeira vez, achei-a linda. Tipicamente uma garota californiana, atlética, loira, bonita. Exceto pelos olhos, que arruinavam toda a paisagem e não combinava com a imagem. – eu respondi, de uma vez, sem pesar as palavras. Ao menos fui extremamente sincero.

- Arruinavam? - perguntou Annabeth, ofendida, ligeiramente corada e indignada. Não menos linda.

- Seus olhos são tão magníficos que apagam todo o resto. Não combinam porque são mil vezes mais bonitos que voce toda, se possível. Foi aí que voce me disse, ao invés de elogiar o meu desempenho com o Minotauro, que eu babava enquanto dormia. Sim, voce me criticou. Acho que foi por isso que voce me encantou e me fez apaixonar por voce. Porque voce é surpreendente, e não é como as outras. Você é única. Foi aí que eu me apaixonei por você, mesmo sem perceber. E você continua a mesma garota surpreendente, e mais surpreendente, eu amo isso em você. Eu amo você. Eu amo seus defeitos, amo suas qualidades, amo seus humores – muito mutáveis, a propósito – amo sua capacidade de me fazer feliz com tão pouco. E é o que tento fazer por voce também. Tento retribuir à altura, por mais que eu cometa erros e te irrite sempre.

Surpreendentemente, ela sorriu, com os olhos marejados, e pulou no meu pescoço, me dando um dos melhores beijos que ela me dá: o desesperado, o sufocante.

- E eu – ela disse para mim, num sussurro. – Te amo na mesma intensidade, e sim, voce me faz feliz, você retribui até demais, Cabeça de Alga.

- É muito bom saber disso, Sabidinha. – eu respondi, passando meus braços por sua cintura e puxando-a para mais um beijo. Não tinha outro lugar a qual eu preferia estar. Eu só queria a minha Sabidinha, a minha Annabeth.

N/A: aaaaww, muito fofo né? UAHISHAUS outra inspiração de momento, e estou aqui de novo. Agradeço a todos que comentaram nas outras fics PJO minhas, estou muito feliz, vocês comentam pra caramba e isso, meu Deus, é bom demais kkkk

Espero que tenham gostado dessa short, e mais uma vê, obrigada pelas reviews. Beijos, até a próxima.