OUTONO

Eu passei um tempo andando no escuro, procurando não achar as respostas.

Nem o frio do Outono foi capaz de diminuir o sol quente em Oahu. Wilson estava visitando House em um final de semana e aproveitou para relaxar um pouco, ligou para o hospital e pediu que desmarcassem todas as consultas que teria na segunda-feira, se dando ao luxo de adiar sua volta em um dia.

House estava feliz que ele estava lá, ele não tinha conseguido visitá-lo nas últimas duas semanas e Keoni estava ocupado se preparando para ir à Universidade, o que deixava House sem ter com quem conversar.

Keoni tinha sido admitido em Princeton e estava se mudando para Nova Jersey com uma pequena ajuda de House. O dinheiro do campeonato foi mais do que suficiente para sua mudança e ainda sobrou um pouco para sua mãe e seus irmãos. Eles estavam imensamente felizes pelo sonho de Keoni estar finalmente se realizando.

Fizeram uma linda festa de despedida na praia e House compareceu acompanhado de Wilson.

As mesas estavam repletas de frutas com chocolate, salgados e drinks, a maioria dos convidados estavam em uma tenda, dançando ao som de um Dj local.

House e Wilson pararam para pegar alguma coisa para beber quando Wilson percebeu que uma linda mulher não tirava os olhos de House.

Ela era loira, de olhos verdes, estatura média e um corpo perfeito, mais ou menos na faixa dos quarenta anos.

"Você percebeu que ela não tira os olhos de você?"

Wilson apontou discretamente para onde a loira estava e House olhou para ela, que sorriu e acenou.

"É a doutora Kate Ford."

Ele acenou de volta.

"Você a conhece?"

House olhou para Wilson como quem se acha a pessoa mais sedutora do mundo.

"Intimamente."

"Por intimamente você quer dizer…?"

"Nós saímos algumas vezes."

"Saíram..?"

"Saímos do tipo jantar e sexo."

Wilson ficou espantado com a resposta e deu uma risada nervosa.

"E faz tempo? Por que você não me contou?"

"Faz algumas semanas. Ela veio de Seatle passar um tempo aqui e está trabalhando comigo no hospital, é cardiologista."

"E você convidou ela pra jantar?"

"Convidei. Você não estava aqui, o Keoni tinha levado a família pra gastar um pouco do dinheiro do campeonato e eu queria sair com alguém."

"E como foi?"

"Foi ótimo. Ela é incrível, mas eu não quero me relacionar com ninguém agora.."

"…. Talvez eu nunca consiga me relacionar de novo com alguém, mas está tudo bem."

"Vocês pararam de sair?"

"Não, eu deixei claro que era incapaz de manter um relacionamento e ela me disse que também era incapaz de fazer isso. Estamos assim."

"Tipo… Só sexo?"

"Não, nós somos amigos, trabalhamos juntos e fim."

House passou pela mesa de comida e encheu um prato com algumas frutas com chocolate.

"Ah.. Bom, porque por parte dela não parece ser só isso mesmo."

"O quê?"

"Ela não pára de olhar pra você."

"Ela ainda ta olhando?"

House se virou para procurá-la ao mesmo tempo em que ela se aproximava.

"Hey, Greg."

"Oi Kate, esse aqui é o Wilson, um amigo meu de Nova Jersey."

Ele sorriu para Kate e se virou para apresentar Wilson, que já estava apertando a mão dela entusiasmado.

De perto ela era ainda mais bonita.

"Oi Wilson, prazer. Você também é de Nova Jersey? Meu sonho é morar lá, conversei isso um dia desses com o Greg."

"Lá é realmente muito gostoso, mas nada que se compare a isso aqui, não é?"

"É.. Aqui é lindo, mas eu estou só de passagem, devo voltar à Seatle no final no mês."

Os três ficaram conversando por um tempo até ela precisar ir embora.

"Tenho que ir porque meu plantão começa daqui a pouco, foi um prazer conhecê-lo, Wilson. Espero que você faça uma boa viagem de volta."

"Muito Obrigado, Kate, o prazer foi meu."

Ela passou por House e segurou em seu braço.

"Vamos jantar amanhã."

Não era uma pergunta, mas mesmo assim ele concordou.

No dia seguinte House levou Wilson até o aeroporto no final da tarde, ele pegaria um vôo as 19h e chegaria de manhã, seguindo direto para o hospital.

"Não sei se vou conseguir vir no próximo final de semana porque tenho que atender as consultas que desmarquei hoje, mas no final de semana seguinte é certeza."

"Que bom, é o final de semana da despedida da Kate, você vai poder babar nela mais um pouco."

Wilson deu risada da brincadeira mas adorou a ideia vê-la de novo.

Eram 7:30 quando ele chegou no hospital, ainda com a roupa da viagem, tinha uma consulta às 8 e não poderia desmarcar mais nada.

Cuddy estava em sua sala e pediu que ele passasse por lá antes da primeira consulta.

"Bom dia Cuddy"

"Bom dia, Wilson, como estava o Havaí?"

Ela estava irritada e um pouco sarcástica, Wilson ficou sem graça com a pergunta.

"Como você sabia que eu estava no Havaí?"

"Você está corado e nós estamos no Outono, aqui o sol não está forte o suficiente para queimar."

"Mas como você pensou particularmente no Havaí?"

Wilson queria saber o que ela estava escondendo. Ele era o único que sabia que House estava lá e não tinha comentado com ninguém.

"Eu soube há alguns meses atrás que ele estava lá. Quando descobri comecei a perceber que você chegava dos finais de semana mais bronzeado."

"Me desculpa, eu só não te contei porque você não queria…"

"Eu não quero saber."

Ela cortou ele um pouco nervosa.

"Só estou comentando isso agora porque você perdeu um dia de trabalho, enquanto isso não atrapalhava um funcionário meu, era insignificante, mas agora.."

"Cuddy.. Foi apenas um dia, eu estava cansado demais, vou recuperar todas as consultas essa semana e.."

"E que isso não se repita."

Wilson ficou chateado e assustado com o jeito dela, não tinha motivos para ela o tratar assim. Era estranho, ela nunca foi tão.. Fria.

Ele saiu de lá sem falar nada e quando fechou a porta ela respirou fundo, se sentindo mal por tê-lo tratado de um jeito tão agressivo.

Cuddy não sabia o que estava acontecendo, mas desde que soube que House estava no Havaí começou a ficar agressiva. Na verdade ela estava brava consigo mesmo e descontava em pessoas que não tinham nada a ver com a história.

Descontar em Wilson era fácil, mais fácil do que em qualquer outra pessoa. Ele era presença constante na vida de House, sabia o que estava acontecendo, se ele estava bem, se tinha melhorado. Wilson tinha uma posição privilegiada na vida dele e isso a matava por dentro.

Ela tinha raiva e ciúme porque queria estar ali, no lugar dele.

A fachada de 'você está proibido de falar sobre Gregory House perto de mim' estava desmoronando, mas ela tentava manter com todas as forças.