- Desculpa a demora! Fiquei sem internet! D:

- Essa fic não pertence a mim. É uma adaptação de um filme chamado Definitely, Maybe. O mesmo vale para o anime Inuyasha! ;)

- Letras em itálico são pensamentos de Sesshoumaru. :D


- Pode assinar aqui, por favor? – O advogado perguntou.

- Claro!

- Obrigado!

- De nada! – A moça agradeceu.

Três vezes amor!

Parte I

- Oi, Sesshy-sama! Encomenda para você! – Disse a secretária oriental entrando em sua sala.

Sesshoumaru viu a secretária depositar o envelope amarelo em sua mesa. Mesmo fino e leve parecia até uma bigorna de tão pesado.

Tenso!

Sim ele estava tenso, tão tenso que não parava de fazer "tic-tic" na caneta. Ok! Ela podia quebrar! Então, antes que pudesse acontecer isso ele parou de fazer "tic-tic" na caneta e a jogou encima da grande mesa. Parou!

Pegou delicadamente o envelope e o abriu. Ainda estava tenso!

Eu não creio que um casal imagina que no dia do casamento nunca fará parte dos 46% que não será "feliz para sempre".

- Sentença de divórcio... – Leu num sussurro enquanto segurava o papel branco com uma assinatura de sua "ex" mulher.

- Sesshy-sama! Sabemos que ganhamos a conta da Quaker! – falou novamente a secretária oriental entrando na sala novamente. – É isso ai! Deve estar muito feliz! – Falou indo embora novamente.

Sorriu falso. Que irônico!

Ao mesmo tempo, nunca imaginei que passaria os meus dias, semanas e anos trabalhando numa agência de publicidade tentando convencer crianças a comer um cereal invés de outro.

Suspirou. Colocou o papel branco dentro do envelope, pegou o seu paletó e sua pasta e saiu do escritório.

Mas, terças e sextas são meus dias favoritos. Eu saio do trabalho cedo e vou pegar minha filha, Sakura na escola.

Saiu do prédio onde trabalhava e caminhou pelas suas movimentadas da cidade que nunca dormia.

É uma sensação muito legal quando você acha a música certa para acompanhar o dia... E hoje eu achei a música absolutamente perfeita...

Colocou os fones de ouvidos e conectou no seu mp3. E depois apertou o botão.

Começa a tocar uma música de Rap bem pesado tipo 50 cents.

- A-Ah... Essa não. – mudou de música. – Era outra!

Toca uma música com mistura de country e com pop bem calminha estilo anos 90.

Enquanto a música servia como trilha sonora para o Sesshoumaru o mesmo andava pelas ruas indo em direção a escola onde sua filha, Sakura estudava. Ele passou pela feira e o mercado, atravessou ruas e viu grandes quantidades de carros e prédios enormes. Essa era a cidade grande.

Estava tão distraído que nem percebeu o ônibus vindo em sua direção enquanto atravessava mais uma avenida. Sua sorte foi um cara de camisa rosa e fones de ouvidos gigantes tê-lo segurado pelo braço... E quando o sinal abriu para pedestre ele falou em uma linguagem labial um "muito obrigado" e o cara balançou a cabeça e dizendo "de nada".

E assim foi... Continuou caminhando em meio a tanta gente numa calçada. Como tinha pessoas lá!

Ai ele passou na frente de um mendigo que tinha uma placa de papelão escrito a seguinte frase: Preciso de dinheiro para concertar minha nave espacial para voltar para o meu planeta Odoon.

Sesshoumaru parou e tirou do bolso 1U$ e deixou na mão do lunático com sua placa e sua nave espacial. Depois o mendigo escreveu na plaquinha demonstrando sua gratidão um "valeu".

É a cidade é realmente incrível! Com suas pessoas estranha e com seus costumes estranhos... Umas tocavam violão o meio da praça outras o encarava como se ele fosse sei lá... Um rei?

Ah! O sol! Estava um dia bem ensolarado.


Até que depois tanto caminhar ele finalmente chegou!

... Só que às vezes, por mais cuidado que você tenha em organizar sua lista de música. Não tem música certa para o que te espera.

Sesshoumaru entrou na escola pela entrada principal e viu uma verdadeira confusão. Pais e filhos discutindo sobre... Sexo.

- E-Espera aí... O que está havendo? – Perguntou o Sesshoumaru um pouco... Preocupado com a situação.

- Sesshoumaru! Sabia que vai ter aula de educação sexual hoje? – Disse a mãe de uma aluna.

- Mas, eles não são muito novos?

- É! Uma verdadeira tragédia! – A mãe da aluna continuava assustada.

- Pelo menos é só teoria! – Falou o pai de outro aluno.

- Tem até livro! – Falou Sesshoumaru um pouco espantado com a situação.

- Os 950 milhões de espermatozóides são ejaculados usando sua extensa jornada em direção a trompa. 100 milhões morrem na metade do caminho... – Falava um garoto empolgado com a "história" do livro, isso mais cinco crianças estavam ao seu redor ouvindo e vendo as gravuras do livro.

- Eu vou vê onde está a Sakura. – Suspirou e foi atrás de sua filha no meio daquele aglomerado de gente.

- Desde quando você não faz sexo com o papai? – Perguntava uma garota desesperada a sua mãe.

- Filha, quando chegarmos em casa nós conversamos...

E no meio daquela confusão sem tamanho. Com os pais desesperados e filhos curiosos surgi Sakura.

- Precisamos conversa! – Ela falou olhando fixamente para o pai.

Ok! Agora sim o paizão estava encrencado! Isso não ia dá certo! Como ia explicar algo estranho para uma garota de 10 anos? Estava perdido.


- É quando o homem tira o pênis do pijama dele e enfia na vagina da mulher. Ai então...

- Olha só filha. – Sesshoumaru interrompeu. – Acho que a senhora Kulimam não disse "enfia".

- Disse! – Afirmou o fato.

- Hum...

- Mas, o que eu não entendo... A mãe do Guto disse que ele nasceu por um acaso. Aliás, como pode "por acaso" alguém enfiar um pênis... Oi Luiz! – disse cumprimentando o segurança do seu prédio. – Por acaso... Enfia um pênis...

- Pára de falar pênis e enfia. Diz... Bilauzinho, piu-piu, é mais bonitinho. – Falou Sesshoumaru apertando o botão do elevador.

- Explica como Guto foi feito por acaso?

- Isso é meio complicado.

- Pênis! Pênis!

- Ok! Pára de falar isso! Escuta, não foi porque o pai dele escorregou numa casca de banana. Foi por acaso que a mãe do Guto ficou grávida.

- Se eles não queriam o bebê, então porque fizeram sexo? – Perguntou como se fosse óbvio.

- Ah... Filha, essa é uma ótima pergunta! – ficou da altura dela e desviou o olhar... – Podemos dizer que eles estavam ensaiando.

Sakura parou de falar olhou para os lados, e um pouco assustada e nervosa perguntou:

- Eu nasci por um acaso?

- Não! – Respondeu Sesshoumaru rápido.

- Nasci não foi? – Disse com uma voz chorona.

- Não! – respondeu mais uma vez só que tranqüilo. – Você foi feita totalmente de propósito. Eu sabia exatamente o que eu estava fazendo. – Beijou a testa de Sakura e seguiram para o elevador.


Já no apartamento...

- Agora que está divorciado... Pode falar da minha mãe. – Anunciou enquanto mexia em alguns legumes que estavam encima da mesa.

- Por que você fala "minha mãe", como se eu não conhecesse ela? – Disse tirando alguns objetos de dentro de uma caixa.

- Bom, porque... Agora que estão se divorciando ela é minha e não sua! – Afirmou o fato.

- É assim é?

- Conte como aconteceu... A verdadeira história de como vocês se conheceram. Não venha com: Oh! Nós nos conhecemos e fizemos amor e decidimos pegar todo esse amor e formar uma família! – falou irônica. – E foi assim que você nasceu.

- Está bem! Eu vou contar a verdadeira história de como eu e sua mãe nos conhecemos. – Apontou a faca de cortar para Sakura e depois voltou a cortar o tomate.

- Quando eu for mais velha. – Sakura continuava irônica.

- É! – Afirmou.

- Olha, eu sei que o amor não é um conto de fadas... – Falou se levantando.

- Sério?

- Sério! Você teve outra namorada antes de conhecer a mamãe? – pegou a salada e levou até o balcão onde estava seu pai.

Ele riu.

- Vai! Diz a verdade!

- Eu tive duas namoradas sérias, ai apareceu outras mulheres... Que eu namorei... Coisas da vida! – Falou ainda cortando os legumes.

Um momento de silêncio...

- O que foi? – Perguntou Sesshoumaru ao perceber que sua filha lhe encarava.

- Qual o masculino de "galinha"?

Sesshoumaru olhou para o lado processando a pergunta.

- Ainda não inventaram. Mas, assim que eu souber, eu te falo!

Ela sorriu... Então voltaram a comer comida vegetariana, depois da janta Sakura mudou de roupa e foi ao banheiro escovar seus dentes.

- Aposto que você não foi o primeiro namorado dela. Talvez um cara chato ou malvado. – falou enquanto escova os dentes. – Ou talvez, vocês eram grandes amigos, mas quando você estava prestes a enfiar o pênis na vagina de outra mulher...

- Sakura! Já chega!

- Você descobriu que minha mãe era a mulher da sua vida! – Terminou de escovar os dentes e saiu do banheiro sendo puxada pelo seu pai.

- Hora de dormir! – Falou autoritário.

Seguiram para o quarto enquanto Sesshoumaru preparava a cama para sua filha dormir.

- Ainda tem que me contar a história de como conheceu minha mãe!

- Bem, me apaixonei por ela porque ela era inteligente, bonita e engraçada. – Falou pegando outra colcha.

- Então quer dizer que agora ela é burra, feia e chata?

- Claro que não!

- Então qual é o problema?

- Sakura, é complicado!

- Ai! Vocês adultos acham tudo complicado! Que saco! – Falou se ajeitando na cama.

- Já chega! Hora de dormir! – falou apagando a luz.

- Não! Não é hora de dormir. É hora de você me contar a história.

- Sakura! – A repreendeu.

- Eu preciso saber, pai!

- Está bem! Você venceu. – Ascendeu as luzes e sentou na beira da cama de Sakura.

Ela sorriu vitoriosa.

- Eu vou contar a história. Mudarei os nomes e não direi...

- Ótimo!

- ... Quem é a sua mãe, mudarei alguns fatos e você terá que descobrir!

- Uma história de amor misteriosa!

Sakura ajeitou-se na cama ficando bem confortável... Sorriu vitoriosa e disse:

- Prontíssima!

- Tá bom. – suspirou – Era uma vez...


Continua...

Respondendo os comentários do Trailer:

Sophie: O filme é legal e engraçado... Eu vou tentar deixar no original e dá um toque na minha escrita pra ficar melhor, porque eu não gostei muito do final... Na verdade nem sei se irei mudar, to decidindo! :) Obrigada por comentar.

Bulma Briefs C: Também não gosto do final, não gostei dele ficando com a April! i.i Não se preocupe que eu vou mudar... No trailer não ficou na ordem xD Que bom que gostou da adaptação... *-* Amo-te.

Juliana: Espero que possa acompanhar de perto! :) Obrigada pela review.

Lorde Sesshoumaru: Adoro a Abgail! vai ser o nome da minha filha! *-* E adoro o filme, eu ganhei o DVD! Quero adaptar "Sem Reserva" na versão alemã "Simplesmente Martha" mas eu não achei para comprar! T_T bem, espero que possa acompanhar tá? Beijos.

Anny Taishou: Desculpa ter demorado! Estava sem net. Mas, agora será mais rápido... Lembre-se essa é uma fic do Sesshoumaru, ou seja, com quem ele ficará não está certo... Mas eu posso mudar o final (H) se é que me entende! HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA. ta bom ta bom. Beijos!

Bem, espero que tenham gostado! Até o próximo capítulo!