Disclaimer: Inuyasha e seus personagens não me pertencem, mas eu ainda roubo o Sesshy pra mim.

Capítulo 6

.

.

Família, surpresas, confusão

PARTE I

Por Sakura Prongs

.

.

"– Arigatou, Inuyasha.

Pelo que?

Por me amar. Aishiteru. – disse fechando os olhos e deixando o sono lhe dominar. Afinal teriam um dia agitado amanhã."

.

.

Os primeiros raios de sol adentravam pela janela despertando Kagome e Inuyasha, que apesar cansados por não terem dormido muito na noite anterior, abrem os olhos contra vontade.

- Bom dia. – diz Kagome sorrindo.

- Bom dia. – diz Inuyasha em meio a um bocejo. – E então, o que vamos fazer hoje?

- Por mim ficaria deitada com você o dia inteiro...

- Decidido então. – disse o hanyou capturando os lábios da futura esposa.

- Inuyasha. – repreendeu Kagome rindo, enquanto o empurrava delicadamente. – Mas infelizmente, já tenho outros planos.

- Como o quê? – franziu o cenho, seu instinto de meio-youkai alertando perigo.

- Bom, nós vamos nos casar daqui um mês. Não vou te obrigar a me ajudar nos preparativos, mesmo porque seria desastroso. Mas, bem... err...

- Não enrola. – disse Inuyasha revirando os olhos.

- Nós precisamos informar a minha família sobre a nossa... Situação.

- COMO ASSIM, KAGOME? – arregalou os olhos e começou a mexer as orelhas nervosamente.

- Ah, eles precisam saber né... Que vão ter mais um membro na família e que nós vamos no casar. – disse Kagome enquanto gesticulava com as mãos e sorria sem graça.

- O QUÊ? VOCÊ QUER QUE EU VÁ ATÉ SUA ANTIGA CASA E DIGA PARA SUA MÃE, SEU AVÔ E IRMÃO QUE EU ENGRAVIDEI A FILHA, NETA E IRMÃ DELES? – gritou horrorizado com o absurdo que a garota havia acabo de falar.

- Exato. – balançou a cabeça sorrindo.

- Você é louca. Eu não vou e você não vai me obrigar. – disse Inuyasha fazendo um biquinho infantil e cruzando os braços.

- Ah, não vai? Ok, então vou fazer greve.

-C-Como assim g-greve?

- Você me entendeu. – deu um sorrisinho malicioso.

- Muito esperta, Kagome. Muito esperta.

.

.

Pouco tempo depois, Kagome e Inuyasha já haviam se aprontado para ir até a terra natal da garota e agora trilhavam seu caminho até o poço Come-Ossos.

- Ei, Kagome? – chamou o hanyou.

- Sim?

- Nós... Hm... P-precisamos mesmo...

- Fala logo, Inuyasha. – disse Kagome enquanto rolava os olhos impacientemente.

- Errr... Contar... Todos... Os... Detalhes? – perguntou enquanto suas bochechas coravam.

- Com "Todos os detalhes" você fala de...?

- Você sabe...

- Sei? – disse Kagome inocentemente.

- Kagome... – Inuyasha choramingou quando a garota deu uma gargalhada.

- É claro que precisamos, agora para de fazer drama e vamos logo! – exclamou quando chegaram ao poço.

Depois de muitos protestos e resmungos mal humorados, Inuyasha bufou e em seguida pegou Kagome no colo pulando no poço que levava à era natal de Kagome. Ao saírem do templo se depararam com Souta - um pouco mais velho, mais alto e mais maduro do que Inuyasha se lembrava - que limpava sua bicicleta tranquilamente.

- Souta! – exclamou a garota abraçando o irmão.

- Mana, achei que não vinha mais nos visitar. – respondeu o garoto enquanto era massacrado pela irmã. – Inuyasha, quanto tempo! – os olhos reluziam enquanto encarava o cunhado.

- É pirralho, você cresceu. – disse o hanyou com um sorriso.

- Hehe, você quer brincar comigo hein? – disse Souta provocando gotas na cabeça do casal.

- Deixa pra lá... - disse Inuyasha.

.

.

Pouco depois, a mãe e o avô de Kagome subiam as escadas do templo calmamente.

– Kagome! – disse sua mãe correndo para abraçá-la. – É tão bom ver você filha, e você também Inuyasha. – sorriu docemente. - Como vocês estão?

- Ah mamãe, estamos bem. E vocês? Vovô, Souta... Como estão as coisas por aqui?

- Está tudo muito bem. – respondeu o avô de Kagome. – E o que traz vocês aqui?

- Bem, nós temos novidades...

- Errrr... Então... Kagome, por que você não conta para eles enquanto eu vou... – disse Inuyasha ameaçando correr enquanto Kagome apenas revirou os olhos.

- Senta. – o hanyou caiu no chão e levantou-se, emburrado, em seguida.

- Nós... vamos nos casar.

- Filha, isso é ótimo!

- Que legal, mana.

- Sim, sim. – disse o avô de Kagome concordando com sua filha e neto. - Tenho o presente perfeito para vocês, um amuleto de...

- Isso é ótimo vovô... Mas, nós também temos outra novidade. Eu... Estou grávida! – Inuyasha apertou os olhos com força esperando a reação da família da garota.

- Você... O QUÊ?

- Ah, filhinha. – disse sua mãe abraçando-a com força. – Meu bebê vai ter um bebê!

- Eu vou ser tio! Que massa.

- Mas o que... – disse Inuyasha

- O quê? Vocês estão concordando com isso? – disse o avô contrariado.

- Papai, isso é tão normal nos dias de hoje. – disse a mãe de Kagome tentando amenizar a situação.

- Mas eles vivem na era feudal!

- Hahaha, calma vovô. Nós vamos nos casar dentro de mais ou menos um mês! As regras da Era Feudal são realmente um pouquinho mais rígidas em relação a esse assunto.

- Humpf, certo. – disse o avô convencido, porém com voz de choro.

- Vovô, você está chorando? – perguntou Souta.

- Claro que não, foi apenas um cisco que caiu no meu olho.

- Ah vovô, essa é a desculpa mais esfarrapada que existe. – disse Kagome correndo e abraçando o avô, sendo seguida pela mãe e o irmão.

- ABRAÇO EM FAMÍLIA. – gritaram todos, enquanto Inuyasha apenas observava. A mãe de Kagome se virou e disse: - Venha Inuyasha, agora você é oficialmente parte da família também!

- É ISSO AI, VEM CÁ MANO! – disse Souta esticando os braços e Kagome sorrindo docemente repetiu o gesto do irmão. Inuyasha sorriu e se aproximou sendo massacrado pela família da garota.

.

.

Logo após o gesto de carinho da família com o casal foram todos almoçar na sala.

- E então filha, como andam as coisas na Era Feudal?

- Ah mamãe, está tudo uma maravilha. Nós temos até mesmo uma casa customizada. – riram.

- Customizada como? – perguntou Souta.

- Bom, ela fica em uma clareira linda e tem até mesmo uma cama parecida com a do meu quarto.

- Uau! Foi você quem fez, Inuyasha?

- Claro! Eu tive algum tempo de sobra depois que a Kagome foi embora...

- Entendo. - disse a mãe de Kagome. – Ei, por que você não leva o Inuyasha para conhecer um pouco de Tóquio depois do almoço, Kagome? Vocês tem a tarde toda, aposto que seria divertido.

- Conhecer Tóquio? – repetiu Inuyasha.

- CLARO, é uma ótima ideia mamãe. Sempre que o Inuyasha veio aqui, estava com pressa por algum motivo. Seria bom ver as coisas com mais calma.

- Mas... O que? – disse Inuyasha.

- Hihi, já tenho uma ideia de onde podemos ir Inuyasha.

- Aonde? – perguntou o hanyou confuso.

- CINEMA.

- Cine... o quê?

.

.

FIM DA PARTE I.

.

.

N/A:

Então amoras, eu sei estou MUUUUUITO tempo atrasada com o capítulo e a explicação é a seguinte: falta de inspiração.

Quem escreve sabe do que eu estou falando, eu tinha um monte de coisas para fazer (tipo passar de ano e tal) e quando sobrava tempo eu simplesmente não tinha ideias, não conseguia montar diálogos e nem nada do tipo.

Agora eu finalmente consegui terminar minhas coisas e tive tempo/inspiração para terminar o capítulo.

Tinha ficado simplesmente ENOOOORME, portanto eu o dividi em duas partes para render mais e não ficar cansativo, pretendo postá-lo semana que vem... Mas tudo pode acontecer, portanto não prometo nada.

.

.

Reviews:

Kagome Higurashi Taishou: Hey, fico feliz que tenha gostado e espero que continue acompanhando! :33

Babb-chan: Oiiii, saudades de você! Sinto muitíssimo pela demora... A Kag e o Inu não são fofos juntos? HAHA. Espero que ainda acompanhe a fanfic hein? ^^

Guest: Fico feliz que tenha gostado (seja você quem for)

.

.

LEMBREM-SE, SOU MOVIDA A REVIEWS. QUANTO MAIS COMENTÁRIOS RECEBER MAIS RÁPIDO EU VOU ATUALIZAR. NÃO CUSTA NADA NÉ GENTE? E DEIXA UMA FICWRITER SUPER FELIZ.

.

.

xoxo,

Prongs.