Título: As Três Irmãs Davis

Autoria: FireKai

Número Total de Capítulos: 7

Sumário: Jane, Laila e Summer são as três irmãs Davis. Enquanto Jane é a mais velha e ponderada e Laila a mais sonhadora, Summer por seu lado é invejosa. Quando novos vizinhos chegam ao bairro, despertam a curiosidade de Laila e muitas situações se passarão.

As Três Irmãs Davis

Capítulo 1: Novos Vizinhos no Bairro

Laila Davis estava à janela da sala de estar da sua casa a olhar para a rua, onde estava um camião de mudanças. Alguns homens estavam a descarregar a mobília para a casa ao lado da casa de Laila e ela estava curiosa sobre quem seriam os novos vizinhos.

Com dezassete anos, Laila tinha cabelo preto comprido e olhos castanhos. Os seus passatempos preferidos eram ver televisão e escrever, pelo que passava muito tempo no seu blogue pessoal, a escrever sobre muitas coisas para partilhar com quem quisesse visitar o blogue.

"Bom, quem quer que sejam os novos vizinhos, têm imensa mobília. Será que são alguns velhotes? Ou então até podem ser uma família com várias pessoas, visto a quantidade de mobília que têm." pensou Laila. "Talvez seja um casal com filhos perto da minha idade. Mas também se não for, não faz mal, mas sempre era bom ter mais alguns vizinhos da minha idade por aqui."

Pouco depois, chegou a casa a irmã mais velha de Laila, Jane. Jane tinha vinte anos, cabelo preto pelos ombros e olhos castanhos. Depois de deixar a sua mala pendurada num cabide, Jane dirigiu-se à sala, onde encontrou a irmã ainda à janela.

"Então Laila, o que é que estás a fazer?" perguntou Jane.

"Não é óbvio? Estou a ver o que se está a passar na rua. Esperava que fosse ter um vislumbre dos nossos novos vizinhos, mas não estou com sorte." respondeu Laila, suspirando.

"Mais cedo ou mais tarde, vais conhecê-los." disse Jane. "Vamos todos e provavelmente nem vão ser vizinhos com quem nos demos muito nem nada."

As Três Irmãs Davis

Passaram-se algumas horas. Laila acabara por desistir de ficar à janela à espera e fora para o seu quarto, actualizar o seu blogue com uma notícia sobre moda, que encontrara na internet e quisera comentar. Bateram à porta do quarto e Laila disse para entrar. Era Jane, que sorriu à irmã.

"Olha, pensei que o dia está óptimo para irmos dar uma volta de bicicleta, portanto, o que achas de vires comigo?"

"Não sei, Jane, não é que me apeteça muito."

"Mas ficares aqui fechada não é nada interessante." disse Jane, aproximando-se da irmã. "Vá lá, vem comigo. Por favor?"

Laila acabou por se deixar convencer e foi vestir um fato de treino branco e rosa. De seguida, as duas irmãs foram até à garagem e tiraram de lá as bicicletas. Jane tinha uma bicicleta cor-de-laranja de uma boa marca e Laila tinha uma bicicleta pintada de cor-de-rosa, que não era muito boa, mas também não tinha grande uso.

"Pronto, vamos lá dar uma volta." disse Jane, agarrando num capacete para proteger a cabeça.

Laila fez o mesmo e as duas saíram da garagem. Laila já não andava de bicicleta há algum tempo. Começou a pedalar e foi atrás da irmã pela rua. Jane avançou mais depressa e passou perto da casa dos novos vizinhos. Laila olhou para a casa, ainda pensativa.

Enquanto olhava para a casa, não viu que um rapaz tinha acabado de sair de um carro e saído para o passeio. Quando o viu, Laila já estava muito perto. Gritou, mas não conseguiu parar e chocaram os dois, caindo ambos ao chão, juntamente com a bicicleta. Jane parou de pedalar, olhou para trás e ao ver a cena, deixou a sua bicicleta encostada para a um muro e correu para a irmã.

"Laila, estás bem?" perguntou Jane, preocupada.

"Estou. Não me magoei." respondeu Laila, levantando-se. Depois olhou para o rapaz com quem tinha chocado e se tinha levantado do chão também. "Peço imensa desculpa. Não te vi. Magoaste-te?"

O rapaz olhou de Laila para Jane e abanou a cabeça em negação. Keith Robins, dezassete anos, tinha cabelo loiro e olhos verdes. O desporto era a primeira das suas paixões e a música era a segunda.

"Eu não me magoei, mas nunca tinha sido atropelado por uma rapariga montada numa bicicleta." disse Keith. "Mas tirando a dor momentânea da colisão, nem foi mau."

Jane abanou a cabeça e sorriu, enquanto Laila ainda parecia algo preocupada.

"Mais uma vez, peço imensa desculpa. Eu estava distraída a olhar para esta casa e nem te vi a não ser quando já estava praticamente a colidir contigo e já não dava para parar." disse Laila.

"Ah, estavas a olhar para esta casa? Eu sou novo aqui no bairro. Venho viver com a minha família para esta casa, já a partir de amanhã."

"Ai sim? Então são vocês os novos vizinhos." disse Laila. "Bom, eu chamo-me Laila e está é a minha irmã Jane."

"Prazer em conhecer-vos. Eu sou o Keith e tenho a certeza que nos vamos dar muito bem, a não ser que continues a atropelar-me." disse ele, sorrindo. "Agora tenho de ir. Até breve."

De seguida, Keith passou o portão de entrada para a sua nova casa e Jane e Laila ficaram a vê-lo atravessar o pequeno jardim e entrar depois pela porta da casa, fechando-a de seguida.

"E está desfeito o mistério sobre um dos nossos novos vizinhos." disse Jane, rindo-se de seguida. "Começaste bem, Laila, a atropelares logo o rapaz."

"Não te rias, Jane. Não teve piada nenhuma. Ele podia ter ficado magoado a sério e seria bastante complicado." disse Laila.

"Mas está tudo bem, portanto, vamos continuar com o nosso passeio de bicicleta, está bem? Mas vê lá se agora prestas atenção para onde estás a pedalar."

Laila acenou afirmativamente. Alguns segundos depois, já as duas irmãs estavam novamente montadas nas suas bicicletas e a pedalarem para longe.

As Três Irmãs Davis

Uma hora depois, Summer Davis vinha a descer a rua. Summer era a mais nova das irmãs Davis. Tinha dezasseis anos e apesar da cor do seu cabelo ser originalmente preta, como as irmãs, pintara-o de loiro acastanhado.

Summer trazia nesse dia uma mini-saia branca, óculos de sol na cara e caminhava com segurança, bamboleando-se um pouco. Sempre fora muito vaidosa e invejosa, principalmente com Laila, querendo ser sempre melhor que a irmã e tendo a ilusão de que o era realmente.

Quando Summer ia a passar perto da casa dos novos vizinhos, Keith saiu pelo portão e foi até ao carro, buscar o seu mp3. Summer parou de andar e tirou os óculos, para o observar. Ele fechou a porta do carro e encaminhou-se novamente para a casa, mas Summer paro-o.

"Desculpa lá, tu por acaso vens viver para esta casa?" perguntou ela.

"Ah, sim, venho viver para aqui com a minha família." respondeu o rapaz.

"Hum, que interessante. Eu chamo-me Summer." disse ela, estendendo a mão direita. Keith hesitou mas acabou por lhe apertar a mão, apresentando-se de seguida. "Keith? Hum, é um bom nome. Enfim, eu vivo na casa ao lado. É aquela pintada de branco."

"Ok, já fico a saber."

"Se precisares de alguma coisa... bom, alguma coisa que não seja muito trabalhosa, não hesites em aparecer. Claro que se precisares de ajuda nas mudanças, nem penses em pedir-me ajuda, porque isso estraga as unhas e dá muito trabalho." disse Summer, sorrindo.

Keith franziu o sobrolho, avaliando aquela rapariga e tentando formar uma imagem dela na sua mente. Devia achá-la engraçada, directa ou simplesmente vaidosa? Nesse momento, a mãe de Keith apareceu à porta da casa e chamou-o.

"Tenho de ir, Summer. Mas foi... interessante conhecer-te." disse ele. "Adeus."

"Adeusinho. Espero ver-te em breve."

Keith acenou-lhe e passou o portão da sua nova casa, caminhando de seguida até à porta da frente e desaparecendo por ela, fechando-a logo depois. Summer colocou novamente os óculos na cara e caminhou até casa.

"O rapaz até é bastante giro, mas podia ser mais falador." pensou ela. "De certeza que se a Laila o vir fica logo encantada por ele, visto que é mesmo parvinha. Mas se for o caso de ela ficar encantada por ele, eu não deixo que fiquem juntos."

As Três Irmãs Davis

Mais tarde, Jane e Laila regressaram a casa e arrumaram as bicicletas e os capacetes novamente na garagem. O sol já começara a pôr-se quando as duas entraram em casa e se dirigiram-se à cozinha.

"Pus carne a descongelar e temos aqui alface para fazer uma salada." disse Jane, olhando à sua volta. "Acho que se fizermos um pouco de arroz fica um jantar razoável. O que achas?"

"Parece-me bastante bem." respondeu Laila.

A cozinha não era muito grande, mas tinha tudo o que era necessário em termos de electrodomésticos e as duas irmãs começaram a preparar o jantar. Os seus pais estavam numa grande viagem. Visto estarem casados há muitos anos, mas nunca terem ido de lua-de-mel, tinham aproveitado a ocasião.

Sendo que era o mês de Agosto e as filhas estavam de férias, os pais tinham conversado com as três e Jane prontificara-se a cuidar das irmãs e da casa, pelo que os pais tinham partido na tão esperada e adiada lua-de-mel e só voltariam no início de Setembro, apesar de ligarem às filhas todos os dias para saberem como elas estavam.

Jane e Laila continuaram a fazer e jantar e alguns minutos depois estava pronto. Laila já tinha posto a mesa e Jane foi chamar Summer ao quarto para jantarem. As três sentaram-se à mesa da sala e começaram a servir-se.

"Onde é que vocês foram esta tarde? Cheguei a casa e não estavam cá." perguntou Summer.

"Fomos dar uma volta de bicicleta." respondeu Jane. "Mas tu também foste sair e não disseste para onde ias."

"Fui só dar uma volta e conheci um dos novos vizinhos, um rapaz loiro chamado Keith."

"Ai sim? Nós também o conhecemos, porque a Laila foi contra ele com a bicicleta."

"Foi um acidente." disse Laila, abanando a cabeça.

Summer olhou para a irmã e abanou também a cabeça.

"Acidente? Aposto que fizeste de propósito. Tu fazes sempre as coisas assim para chamares a atenção sobre ti, não é, Laila?" perguntou Summer, num tom venenoso. "Não és capaz de passar sem seres o centro das atenções."

Laila pousou os talheres e encarou a irmã mais nova.

"Eu não sou nada assim! Foi um acidente, já disse! Não vi o tal Keith e fui contra ele." defendeu-se ela. "Tu é que tens sempre a mania e me estás sempre a atacar por tudo e por nada. Pára com isso!"

"Eu paro quando tu parares de ser exibicionista!" exclamou Summer.

Jane levantou-se e pediu silêncio às duas. Estava bastante aborrecida com a situação.

"Será que isto agora é assim todos os dias? Por favor, comportem-se. Eu estou encarregue de vocês enquanto os pais estão fora e acho que temos de nos dar todas bem." disse Jane. "Não devem estar sempre a discutir uma com a outra."

"Não viste que foi ela que me atacou?" perguntou Laila, olhando para a irmã mais velha. "Está sempre a fazer isto."

"Porque tenho razões para isso. Tu és uma sonsa, Laila!"

Furiosa, Laila levantou-se da mesa e Summer fez o mesmo. As duas ficaram a encararem-se.

"Tu és uma invejosa, Laila! Como eu sou muito mais bonita que tu e mais talentosa e mais inteligente, tu fazes de tudo para chamares a atenção das outras pessoas sobre ti! Agora até atropelas os vizinhos." disse Summer.

"Foi um acidente. E tu é que és uma invejosa, Summer! Estás sempre a pensar que és melhor que as outras pessoas."

"Melhor que tu sou com certeza! E tu és invejosa, sim! Eu criei um blogue na net e tu foste logo criar outro a seguir, só por inveja."

"Criei um porque toda a gente o estava a fazer e se formos a ver, duas semanas depois tu já tinhas deixado o teu blogue e eu continuo com o meu, portanto, não te copiei nem nada assim." disse Summer.

"Isto é apenas uma das coisas! Lembras-te, quando eu tinha dez anos e ia participar na peça da escola? Tu fingiste estar doente para os pais te terem de levar ao hospital e assim faltaram à minha peça. Tudo para me prejudicar!"

"Eu estava mesmo doente! Fiquei uma semana de cama e andei a tomar imensa medicação, bolas!" exclamou Laila.

"É tudo mentira! Tu és uma mentirosa e invejosa, mas um dia vou provar a todos que sou muito melhor que tu, em tudo!"

Summer virou costas e saiu da sala, sem terminar de comer. Laila quis ir atrás dela, mas Jane não deixou e pediu à irmã para se voltar a sentar. Laila acabou por o fazer e Jane voltou a sentar-se também.

"Tu sabes que eu não faço nada para imitar ou aborrecer a Summer, Jane." disse Laila, parecendo agora mais triste do que zangada.

"Eu sei, Laila, eu sei. Sei bem como ficaste doente e os pais ficaram tão preocupados. Não foi nenhum fingimento, mas a Summer ficou muito chateada por terem faltado à peça dela e culpa-te disso, mas tu não tens culpa." disse Jane. "Vá, tenta acalmar-te e esquece-a. Vamos comer. Se ela depois tiver fome, ela que faça algo para comer."

As Três Irmãs Davis

Depois de ter terminado de comer, apesar de o ter feito sem grande entusiasmo ou apetite, Laila ajudou Jane a retirar a mesa e limpar a cozinha e depois subiu as escadas até ao primeiro andar e dirigiu-se ao seu quarto.

O quarto de Laila era de tamanho médio, decorado em tons de branco e rosa, com um roupeiro a um canto, a cama noutro canto, uma secretária com um computador e também duas janelas, que tinham visto para a casa do lado, a ser agora ocupada pela família de Keith.

Laila sentou-se à frente do computador e acedeu ao seu blogue, para publicar mais um post. Já tinha feito inúmeros posts sobre o comportamento da irmã mais nova, portanto decidiu não escrever mais uma vez sobre o assunto e sim sobre ter ido andar de bicicleta.

Num tom ligeiro e algo divertido, descreveu o que tinha visto com a irmã e por fim que tinha, sem querer, atropelado um novo vizinho, mas que ele não se magoara. Depois de ter terminado o post, Laila começou a ouvir uma música, mas não percebeu de onde vinha.

As colunas de música do computador não estavam ligadas, nem o rádio do seu quarto. Laila levantou-se e tentou ouvir melhor. Aproximou-se de uma das janelas do quarto e olhou para a casa em frente. Havia luz nalgumas divisões, nomeadamente no novo quarto de Keith, de onde Laila tinha uma vista directa das suas janelas.

A música provinha de uma viola que Keith tinha, visto que ele estava nesse momento à janela do seu novo quarto, a tocar e a janela estava aberta. Laila abriu a sua janela também, para ouvir melhor a música. Ficou a ouvi-lo durante vários minutos.

Keith estava concentrado na sua música e durante muito tempo não olhou para mais lado nenhum que não fosse a sua viola, mas depois levantou o olhar e olhando para fora da janela, viu Laila a vê-lo, da janela da casa do lado. Parou de tocar e sorriu-lhe.

"Olá outra vez." disse ele. "O que fazes aí? Tu moras nessa casa?"

Laila debruçou-se um pouco mais na janela do seu quarto e abanou a cabeça em assentimento.

"É verdade que eu moro nesta casa, com os meus pais e as minhas irmãs." respondeu ela. "Estás com medo, em teres mesmo ao lado uma vizinha que anda a atropelar pessoas com bicicletas?"

Keith riu-se e Laila acabou por fazer o mesmo. Depois, Keith pousou a viola cuidadosamente no chão do quarto e debruçou-se na janela do seu quarto.

"Não tenho qualquer medo de ti, nem que me voltes a atropelar novamente. E parece que os nossos quartos vão ter vista um para o outro." disse ele.

"Pois, parece que sim. Mas não disseste que só te ias mudar amanhã?"

"Ah, sim. Os meus pais estão a terminar de tratar de umas coisas na sala e eu decidi vir para aqui tocar um pouco enquanto eles se despachavam. Depois vamos embora, dormir em casa de uma avó minha e amanhã então voltaremos e a mudança ficará concluída." explicou Keith. "Pelo menos, parte dela, porque ainda vamos andar a arrumar coisas durante muito tempo."

"Tu tocas muito bem, Keith. Gostei de te ouvir." disse Laila, sorrindo.

"Obrigado. Toco já há algum tempo. É um bom passatempo e que me faz desanuviar. Não é que não goste desta casa, mas está a ser difícil mudar-me para aqui e deixar para trás os meus amigos e conhecidos." disse Keith.

Laila acenou afirmativamente, em compreensão. Apesar de ter vivido sempre na mesma casa, Laila percebia que devia ser difícil mudar de casa e ao que parecia Keith vinha de longe, pelo que tivera efectivamente de se afastar de amigos e conhecidos. Decidiu que talvez mais tarde lhe perguntasse sobre isso, mas agora não era o momento.

"Penso que conheci as tuas duas irmãs hoje." disse Keith. "A... Jane? Sim, Jane, estava contigo. E depois encontrei a Summer. Presumo que seja tu irmã também, visto ela ter dito que vive na tua casa."

Ao ouvir falar de Summer a expressão de Laila ensombrou-se um pouco, mas depois tentou que isso não transparecesse.

"Pois, é a minha irmã mais nova." disse Laila. "Mas nem me apetece falar dela."

Keith percebeu que não devia tocar mais no assunto. Os dois ficaram calados, olhando um para o outro, das janelas dos seus quartos, separados por alguns metros, de uma casa para a outra. Laila já se estava a sentir algo constrangida, por não sabe o que dizer mais e pensou que seria altura de se despedir e fechar a janela, mas antes que pudesse dizer alguma coisa, já Keith abrira a boca para falar novamente.

"Espero que não leves a mal e não me aches presunçoso ou atiradiço ou assim, mas tenho de te dizer que és muito bonita." disse ele.

Laila foi apanhada de surpresa e corou violentamente durante uns segundos. Balbuciou algumas coisas que Keith não percebeu e depois recompôs-se.

"Eu... obrigada. Mas realmente pareceu-me um bocado atiradiço. Tu és sempre assim com todas as raparigas?" perguntou ela.

"Só com as que são bonitas e interessantes." respondeu Keith, sorrindo.

Logo de seguida, a mãe de Keith chamou-o e Laila foi poupada a ver-se corar novamente.

"Parece que tenho de ir. Mas havemos de nos ver novamente. Boa noite, Laila." disse Keith.

Laila despediu-se também. Depois, ambos fecharam as janelas dos seus quartos. Keith pegou na sua viola, olhou uma última vez pela janela e depois saiu do quarto, apagando a luz. Laila fechou as cortinas do seu quarto e suspirou.

"Quer dizer, hoje conheci um novo vizinho, que atropelei de bicicleta e ainda por cima fiquei à janela a vê-lo tocar e ele disse que eu era bonita e interessante." pensou Laila. De seguida, sorriu. "Hum, tirando a parte da Summer, parva como sempre, este dia até correu mesmo muito bem."

As Três Irmãs Davis

Na manhã do dia seguinte, Laila levantou-se cedo. Tomou banho, vestiu-se e desceu para tomar o pequeno-almoço. Jane já estava a pé, a preparar o seu próprio pequeno-almoço e deu os bons dias a Laila quando ela entrou na cozinha. As duas irmãs fizeram os seus pequenos-almoços e depois foram sentar-se à mesa da sala, a comerem e a conversarem.

Summer acordou com fome e levantou-se. Saiu do seu quarto, com o cabelo ainda desgrenhado e desceu as escadas. Foi até à cozinha e tirou uma barra de cereais de um armário, quando ouviu vozes na sala. Aproximou-se da porta da cozinha, para ouvir melhor. Laila estava a contar a Jane o que se passara na noite anterior.

"A sério? Ele disse que eras bonita e inteligente?" perguntou Jane. "Uh, olha que o rapaz não perde tempo. E tu, o que vais fazer?"

"Bom, eu pensei fazer-lhe um bolo, quer dizer, para ele e para a família, como presente de boas vindas ao bairro." explicou Laila.

"Estou a perceber a tua ideia. Quando fores levar o bolo, sempre tens uma desculpa para o veres outra vez."

Laila sorriu e Jane riu-se, abanando a cabeça. Summer semicerrou os olhos. Não estava contente. Porque é que o vizinho tinha chamado a Laila bonita e não a ela?

"Eu sou muito mais bonita e interessante." pensou Summer. "A Laila deu-lhe a volta à cabeça, claro. Mas isto não fica assim. Ai vai fazer um bolo? Pois eu vou certificar-me que vai ser um bolo espantoso."

Summer esgueirou-se novamente escadas acima, antes que alguém a visse e foi tomar um banho. Depois de ter terminado o pequeno-almoço, Laila viu que não havia muito açúcar e decidiu que iria ao mini-mercado que havia a duas ruas da sua casa. Jane pretendia fazer umas limpezas na garagem e não foi com a irmã.

Laila saiu de casa e mal começou a caminhar pelo passeio quando avistou Zachary Peanut, um rapaz que morava ao fundo da rua. Além de ter a mesma idade de Laila, fora seu colega de turma durante alguns anos. Zachary, com cabelo castanho cortado à tigela, óculos garrafais, muito magrinho e com uma grande borbulha no nariz, sempre fora muito atencioso com Laila, ao ponto de ela não conseguir aturá-lo durante muito tempo.

Mal o viu, Laila pensou atravessar para o outro lado da rua, mas não teve tempo, pois Zachary já a tinha avistado e veio a correr até ela.

"Laila, que bom ver-te! Só por te ter visto hoje o meu dia já ficou mil vezes melhor!" exclamou Zachary, de modo bastante efusivo. "Temo-nos visto poucas vezes, o que é uma pena. Devíamos ir os dois juntos à praia, qualquer dia."

"Ah, pois, claro, claro. Depois combinamos." disse Laila, continuando a andar.

Zachary começou a andar ao lado dela e Laila conteve-se para não o mandar embora. Zachary era simpático, mas bastante maçador.

"Que achas de vires a minha casa hoje? Queria mostrar-te a minha colecção de caricas. Ou então a minha colecção de peúgas. É muito interessante!" disse Zachary.

"Com certeza, calculo que seja mesmo muito interessante, Zachary. Não é toda a gente que tem uma colecção de peúgas." disse Laila, tentando não começar a rir-se histericamente. "Mas estou muito ocupada hoje. Fica para outro dia, sim? Eu depois ligo-te."

E com isto, Laila apressou o passo. Zachary acabou por parar de andar e acenou-lhe.

"Está bem, eu fico à espera do teu telefonema. Espero que seja para breve!" exclamou Zachary.

Laila virou a esquina para outra rua e suspirou de alívio por se ter livrado de Zachary.

As Três Irmãs Davis

Alguns minutos depois, Laila regressou a casa, com o açúcar que fora comprar. Demorara algum tempo a chegar, andando cautelosamente e olhando para todos os lados, não fosse encontrar Zachary novamente.

Quando chegou a casa, Jane ainda estava a fazer limpezas na garagem. Laila dirigiu-se à cozinha e começou a preparar tudo para fazer o bolo. Iria fazer um bolo de chocolate. Por essa altura, já Summer estava à espreita e esperou pelo momento certo.

Laila foi colocando os ingredientes e quando a massa do bolo estava já pronta, toda castanha, devido ao chocolate colocado, colocou a massa numa forma e depois colocou o bolo no forno. Olhou para o relógio de pulso e saiu da cozinha. Summer escondeu-se na sala e depois de ver a irmã subir as escadas, entrou na cozinha, sorrindo maliciosamente.

"Agora é que vais ver a qualidade do teu bolo, maninha." pensou ela, abrindo uma prateleira e tirando de lá um pacote de sal. "Vai ser muito gostoso."

Summer abriu a porta do forno e despejou algum do sal para a massa do bolo. De seguida, tirou uma colher de uma gaveta e mexeu a massa do bolo, que por aquela altura estava apenas liquida. Depois, fechou a porta do forno, lavou a colher e pôs o pacote de sal no lugar. Sorriu novamente e saiu da cozinha.

As Três Irmãs Davis

À tarde, Keith e os pais tinham voltado à casa, com mais dois homens das mudanças, que estavam a colocar os móveis nos lugares e a montar os que tivessem de ser montados.

Laila olhou-se ao espelho, tendo vestido uma t-shirt branca com uma saia roxa. Não lhe ficava mal, pensou ela e depois saiu do quarto e desceu as escadas. Foi até à cozinha. Já tinha há muito tirado o bolo do forno e tinha-o colocado num prato. Tinha um aspecto delicioso.

"Vais levar o bolo aos vizinhos agora?" perguntou Jane, entrando na cozinha.

"Vou sim. Se quiseres, podes vir comigo."

"Obrigada mas fico por aqui. Vou terminar as limpezas, porque depois quero ir até à escola de ténis. Apetece-me treinar um pouco hoje. Tenho de aproveitar enquanto tenho tempo."

Jane andava na universidade e costumava estar sempre ocupada e com muito que fazer. Agora que estava de férias, tinha decidido que iria praticar um desporto para se distrair, divertir e para melhorar a sua saúde também. Escolhera o ténis e inscrevera-se numa escola própria, pelo que iria ter aulas de ténis até começar o novo ano universitário, no mês de Outubro. Já estava na escola de ténis há um mês e achava que se estava a sair bem.

Pouco depois, Laila saiu de casa, com o prato com o bolo nas mãos. Summer, que estava no seu quarto, que dava para a frente da casa, espreitou pela janela e sorriu ao ver a irmã a passar na rua.

Laila passou o portão da casa da família de Keith e bateu à porta. Pouco depois, Keith veio abrir a porta e sorriu ao ver que era Laila.

"Olá." disse ele. "Não esperava ver-te assim tão cedo."

"Em meu nome e da minha família, achei por bem vir trazer-te um bolo a ti e à tua família, para vos desejar as boas vindas ao bairro." disse Laila.

"Foi muito generoso da tua parte, Laila. Agradeço-te muito. Entra. Ainda estamos a pôr tudo no lugar, mas podes deixar o bolo na cozinha e comer uma fatia connosco."

Os dois atravessaram o corredor, que tinha algumas caixas ainda no caminho e entraram na cozinha, que era grande e também tinha várias caixas espalhadas pelo chão. Laila pousou o bolo em cima de uma mesa.

"Espero que gostes do bolo." disse ela. "Fui eu que o fiz."

"Ah foste? Com certeza que deve estar uma delícia, pelo menos pela aparência parece que sim." disse Keith, sorrindo-lhe. "Deixa-me só ir chamar a minha mãe. Com certeza que ela te quererá agradecer por teres trazido o bolo."

Keith saiu rapidamente da cozinha e segundos depois surgiu com a sua mãe. A mãe de Keith, Shandra Robins tinha estatura média, cabelo loiro e pelos ombros e encaracolado. Estava vestida de maneira sóbria e sorriu a Laila quando a viu.

"Olá, o meu filho já me disse que te chamas Laila, és nossa vizinha e trouxeste um bolo. Eu chamo-me Shandra." disse ela, cumprimentando Laila. De seguida, olhou para o bolo. "Ah, que bonito! Eu sou péssima a fazer bolos. Saem-me sempre ao contrário e costumam ficar péssimos. Vou já partir umas fatias para comermos agora."

Laila acabou por acenar afirmativamente. Shandra tirou uma faca de uma das caixas e depois partiu três fatias de bolo. Voltou a caminhar até à caixa e tirou de lá um pacote de guardanapos. Abriu-o, tirou três e depois deu um guardanapo e uma fatia de bolo a Laila, outro a Keith e o restante para si mesma.

"Keith, o teu pai devia era vir comer uma fatia de bolo connosco, mas está tão ocupado na garagem que não quer de lá sair enquanto não montar aquela prateleira." disse Shandra, dando uma trinca na sua fatia de bolo.

A sua expressão mudou rapidamente para uma expressão de alerta e depois começou a tossir. Keith e Laila, que também tinham comido um pouco da sua fatia de bolo, também começaram a tossir e abrir a boca. Shandra aproximou-se de alguns copos que tinham sido posicionados ao lado do lava loiça e encheu três com água. Todos beberam rapidamente e depois respiraram fundo.

"Credo! Desculpa Laila, mas o bolo está péssimo." disse Shandra. "Está... salgado, acho eu."

"Mas não percebo... eu fiz tudo bem..." disse Laila, atrapalhada.

"Se calhar enganaste-te e puseste sal em vez de açúcar." sugeriu Keith.

Laila hesitou, mas não lhe ocorreu outra explicação para o sucedido. Seguiram-se vários pedidos de desculpa.

"Pronto, pronto, não faz mal. O que conta é a intenção." disse Shandra. "E enfim, assim ao menos não fico com ciúmes por tu teres conseguido fazer um bolo delicioso e eu não conseguir."

Shandra riu-se, depois despediu-se de Laila, assegurando que seria sempre bem-vinda ali e saiu da cozinha. Keith lançou um olhar a Laila e ela fez um sinal de cabeça. Logo depois, Keith pôs o resto do bolo no lixo. Laila pegou no prato onde trouxera o bolo.

"Lamento muito. Queria que fosse algo bom para saborearem e afinal saiu-me tudo ao contrário." disse Laila, ainda bastante atrapalhada com a situação. "Eu tenho de ir..."

"Espera." pediu Keith, antes que ela saísse da cozinha. "Eu fiquei muito contente por teres vindo e não importa se o bolo estava bom ou não, ok? O importante é que vieste."

Laila acabou por lhe sorrir, despediu-se dele e depois foi embora. Keith suspirou, sorrindo também e depois foi ajudar os pais e os homens das mudanças a colocarem tudo no lugar.

Continua…