Cosmopolitan

Olá, aqui é Lisa Cuddy.

Não posso atendê-lo agora.

Deixe seu nome e telefone e assim que puder, retorno pra você.


Oi, você ligou para James Wilson, não posso atender no momento.

Deixe um recado após o sinal.


Dr. Eric Foreman falando.

Estou ocupado no momento, deixe seu recado que eu ligo de volta.

Obrigado.


Oi, este é o número de Robert Chase.

Mande um SMS ou deixe uma mensagem.

Retorno quando puder.


"Conseguiu falar com alguém?"

"Não, todos os celulares estão na caixa postal. Meu Deus, o Tom vai ficar louco quando souber que ela ainda não ligou."

"Bom, talvez eles estejam dormindo. Devem ter aproveitado a noite no navio e.."

"Todos eles? Impossível.."

Caroline gostaria ter participado da despedida de solteiro da futura cunhada, mas como sempre passava mal em viagens de navio, decidiu deixá-la à vontade com seus amigos médicos de Nova Jersey. O único problema é que ela nunca confiou em nenhum deles e estava nervosa pelo sumiço de Cuddy.

"Eu vou tentar ligar para o doutor House, você tem o telefone dele?"

"Doutor House? Na despedida de solteiro da Lisa? Duvido que ele tenha ido, eles se odeiam."

"Ele é nossa última opção, pai. Nós temos que encontrar a Lisa antes que o Tom venha para a cerimônia."

Carol ligou seu notebook e foi à procura do número do doutor Gregory House quando seu telefone tocou.

"Alô?"

"Carol? Oi, é o Wilson."

"Wilson, onde está a Lisa? Ela já devia ter me ligado..."

"Carol... Escuta.. Nós estamos com um problema."

"Que tipo de problema? Vocês estão bem?"

"Sim, estamos... É que.."

"Fala Wilson! O que aconteceu com a Lisa?"

"Na noite passada nós...Nós bebemos demais e... A Lisa sumiu."

"Sumiu? Do que você está falando? Vocês estão dentro de um navio no meio do mar, como ela pode ter sumido?"

"O navio é enorme. Nós procuramos por todos os lados, mas..."

"Mas o quê? Vocês não podem tê-la perdido dentro do navio. O casamento acontece em 9 horas e depois do desembarque vocês tem menos de 1 hora pra chegar aqui. Tem que achá-la o mais rápido possível."

"Me desculpe, Carol. Mas eu acho que esse casamento não vai acontecer."


Wilson buzinava impaciente, esperando que Foreman e Chase aparecessem para irem até o porto.

Os dois saíram do prédio em que estavam dividindo um apartamento pouco tempo depois, segurando suas malas. Eles passariam uma sexta-feira em um navio de luxo para comemorarem com Cuddy seu último dia de solteira. Ela estava afastada de Nova Jersey há oito meses, mas os médicos do Princeton Plainsboro continuavam sendo seus mais antigos e queridos amigos. O casamento aconteceria em Miami, na noite seguinte, e já estava tudo preparado.

Seria uma despedida de solteiro um pouco diferente, já que Cuddy era a única mulher e uma despedida desse tipo deveria contar apenas com presenças femininas, mas como ela não tinha muitas amigas e sempre preferiu a companhia de homens, decidiu fazer uma despedida diferente e divertida. Em sua lista estavam apenas médicos com quem ela trabalhou em Nova Jersey, incluindo Taub, que não pôde comparecer pois estaria cuidando das filhas nesse final de semana.

Foreman e Chase cumprimentaram Wilson e entraram o mais rápido possível em seu carro, ao mesmo tempo em que, longe dali, Tom colocava a bagagem de Cuddy em seu porta-malas.

"Não está esquecendo de nada?"

Ela deu uma olhada rápida em todas as malas do bagageiro e conferiu mentalmente.

"Está tudo aí."

Tom sorriu para ela e fechou o porta-malas, seguindo para a direção e abrindo a porta para que ela entrasse.

"Tem certeza que não quer que eu te leve?"

Cuddy balançou a cabeça negativamente e fechou a porta, abrindo o vidro para lhe dar um pequeno beijo enquanto colocava seus óculos escuros.

"Vejo você no nosso casamento."

Tom piscou para ela e acenou ao ver o carro partir pela estrada que a levaria até o navio.

Wilson, Chase e Foreman embarcaram primeiro e se dirigiram para sua cabine, esperando o aviso de Cuddy para se encontrarem no saguão do navio.

Ela se acomodou em seu quarto e vestiu um lindo vestido verde com um chapéu enorme para protegê-la do sol, e em poucos minutos o navio levantou âncoras para viajar.

Eles se encontraram para o almoço às 14 horas e combinaram de jantarem no cassino, para aproveitarem a noite e curtirem as últimas 24 horas da solteirice de Cuddy. Passaram então a tarde passeando pelo navio, conhecendo shopping, SPA e as academias. Foreman e Chase ficaram o resto da tarde na piscina e Cuddy foi para o salão de belezas se arrumar, seguida por Wilson que fez um pouco de companhia à ela antes de decidir ir para seu quarto descansar um pouco.

Pontualmente às 19 horas se encontraram para jantar e seguiram para o cassino onde a festa iria começar.

"O que você deseja beber, madame? A noite é sua, você quem manda."

Chase perguntou à ela enquanto a levava para o bar e Cuddy sorriu, percebendo que todos já a acompanhavam até lá. Seria uma noite divertida.

"Um cosmopolitan."

Chase anotou o pedido mentalmente e se dirigiu ao barman, pedindo também mais três dry martinis.

"Espero que essa seja a melhor noite da sua vida."

Ele entregou o drink à ela, Foreman e Wilson e eles se juntaram em uma roda para fazerem um brinde à Cuddy.

"Quem gostaria de iniciar o brinde?"

Foreman perguntou e Wilson se prontificou a começar.

"Um brinde à reitora de medicina mais cobiçada dos Estados Unidos."

"Um brinde à felicidade e sorte dessa nova fase."

Chase disse logo depois.

"Um brinde ao casamento, se ele valer a pena."

Foreman sorriu e levantou seu copo.

"E um brinde ao corajoso que vai embarcar nessa roubada."

O tom irônico e sarcástico chegou aos ouvido de Cuddy como um grito. Isso não podia estar acontecendo, ele não podia estar ali e muito menos estragar sua festa.

"O que foi? Não gostaram?"

Wilson estava nervoso, Foreman estava surpreso, Chase estava se divertindo e Cuddy ainda não havia conseguido se virar para encarar aquele pesadelo.

"O que você está fazendo aqui, House?"

Wilson se aproximou dele, que segurava um copo de whisky em uma mão e sua bengala em outra.

"Vim comemorar com vocês, ué? Não posso?"

"Você não foi convidado. Como soube disso?"

Cuddy olhou pra ele irritada e com seus sentimentos bagunçados, ela não entendia mais o que sentia por ele.

"Por uma carta sua na cadeia é que não foi."

Ele a encarou com seus olhos azuis ameaçadores e ela cruzou os braços encarando-o da mesma forma.

House havia passado quatro meses na cadeia e Cuddy não se sentia nem um pouco culpada por isso.

"Você teve o que mereceu. Podia ter machucado alguém. Você é muito inconseqüente."

Eles quase não haviam se falado desde então, mas quando se dirigiam a palavra, o clima era sempre de hostilidade. Cuddy ainda sentia raiva pelo que ele fez com o relacionamento dos dois e House nunca a perdoou por tê-lo feito sofrer tanto.

"Bom, estou aqui para me redimir."

"O quê?"

Redenção era uma coisa que não fazia parte do estilo de vida de House e Cuddy sabia muito bem que tudo aquilo não passaria de um jogo.

"Eu vim me desculpar."

"Você jamais se desculparia."

Ela estava arisca demais para esse tipo de brincadeira.

"É sério. Eu estou aqui, na sua despedida de solteira, pra dizer que está tudo bem. Podemos ter um relacionamento tranqüilo. Eu abençôo o seu casamento."

"Pára de ser ridículo. Você veio aqui estragar a minha felicidade. Como sempre fez, à propósito."

"Eu não posso fazer nada se você não acredita, mas estou aqui, não é? Não posso sair nadando agora."

Cuddy respirou fundo e prometeu para si mesma que ele não iria conseguir estragar sua noite.

"Tudo bem. Seja bem vindo à minha festa doutor House."

Sorriu para ele e ergueu seu copo.

"Um brinde ao perdão e... Ao recomeço."

Disse em um tom irônico e esperou que ele brindasse junto com ela.

"Tim Tim."