No capítulo anterior...

(...)

Quando estava caminhando em direção à sala de reuniões, Syaoran sentiu seu coração palpitar, mas não deu muita importância. Estava atrasado. E detestava chegar atrasado a um compromisso. Finalmente, chegou à frente da sala de reuniões. Abriu a porta e seu olhar se conectou a única presença feminina que se encontrava naquele local. E nessa fração de segundos tudo o que veio em sua mente foi pronunciado...

-Sakura!

-Syaoran!

Ambos, após tanto tempo, sem saberem notícias um do outro sentiram as lembranças e sentimentos invadirem seus pensamentos e corações. Em um ambiente onde se instalou apenas o silêncio.

_
Uma segunda chance para reparar os erros

Capítulo 3 – O reencontro

A sala de reuniões, após a chegada de Shaoran ficou em completo silencio. (2) Um silêncio constrangedor. As pessoas que se encontravam no recinto olhavam-se espantados, mostrando não compreender os olhares que eram trocados por seus patrões. A fim de quebrar o clima presente no local um senhor de meia idade pigarreou para chamar atenção de todos. Sakura e Syaoran, enfim, voltaram à realidade e sorrindo sem graça pelo momento ocorrido olharam para outro local do ambiente.

- Bom, desculpem-me pelo atraso... Podemos começar? – Perguntou Li olhando para todos que estavam presentes.

- Vejo que não será necessário serem feitas as apresentações... Não é senhor Li? – Pronunciou o senhor Yang, um dos acionistas e também membro do Clã Li, com malicia na voz. – Pois parece conhecer muito bem a senhorita Kinomoto. Até chamou-a pelo primeiro nome... – Yang soltou um risinho, mas parou no mesmo momento que recebeu um olhar atravessado de Syaoran.

Sakura parecia estar em outro mundo fitava um dos quadros que se encontrava na sala. Seus pensamentos estava há alguns minutos atrás, mais precisamente quando certo dono de olhos âmbares adentrou o local. Syaoran havia mudado. E como! O tempo trouxe muita beleza para o menino que conhecerá. Além das que já possuía quando garoto. Com um porte atlético definido, pele bronzeada pelo sol, cabelo rebelde e olhos tão penetrantes e firmes (que continuavam da mesma maneira de quando era pequeno, mas agora dando lugar a expressão de um homem). O que será que aconteceu durante esses 13 anos separados? Porque ele não voltou como havia prometido? Eram tantas perguntas... Perdida em pensamento não perceberá as insinuações de Yang.

- Está tudo bem senhorita Sakura? – Pronunciou sussurrando perto da jovem, um velho amigo da família de Sakura e também advogado da mesma, senhor Akio.

- Está sim... Não se preocupe! – Sakura falou no mesmo tom de voz.

- Bom, para não fugir das formalidades e selarmos um bom empreendimento para todos, creio que seja melhor nos apresentarmos... – Falou Akio.

- Concordo plenamente, senhor... – Falou Syaoran.

- Kuwabara Akio. Advogado da senhorita Kinomoto. – Estendeu a mão e foi prontamente cumprimentado.

- Muito Prazer! Sou Li XiaoLang... Este é Li Yang um dos acionistas. – Disse Syaoran apontando em direção a Yang.

- Senhores esta é Kinomoto Sakura... – Pronunciou Akio apontando em direção a Sakura. Syaoran não sabia o que fazer, mas Sakura foi rápida e não pensou duas vezes cumprimentando-o para que não criasse outro clima constrangedor no local. Pego totalmente de surpresa por ela Syaoran não teve tempo de reagir e aquele simples roçar de pele fez com que os dois sentissem um turbilhão de sensações.

- Bom, já que todos que se encontram presentes nesta sala já se conhecem podemos dar início a nossa reunião? – Perguntou senhor Akio.

- Com certeza. – Syaoran fez um gesto para que todos se sentassem. Então, Sakura tomou a palavra dando inicio a reunião.

Syaoran estava encantado com a bela mulher que Sakura havia se tornado e a inteligência que ela estava demonstrando ter em relação ao mundo dos negócios. Falava com clareza e desenvoltura em um mandarim perfeito. Em pensamento se perguntava como e por que ela teria aprendido uma língua tão complicada. Afinal a menina que conhecerá na infância não possuía aptidão alguma para aprender uma língua estrangera. Foi então que percebeu um fato. Essa mulher que falava com seus advogados e anciões com tamanha segurança e altivez, essa mulher que estava a sua frente com estatura mediana, cabelo longo, traços finos, pele clara e delicada e incríveis olhos verdes, essa mulher, se não fosse pelos olhos não lembrava em nada a menina que conhecerá no Japão na pacata cidade de Tomoeda. Essa mulher era uma Sakura totalmente desconhecida, interessante e completamente apaixonante. Um sentimento que ele jamais poderia sentir por ela novamente.

Certo ponto da reunião foi a vez de Shaoran falar e Sakura começou a pensar em como o tempo tinha feito bem ao seu amado mas logo se repreendeu por pensar isso mais logo escutou voz de Li interrompeu seus pensamentos.

-Bom é isso!só falta apenas assinar os papeis-disse Shaoran.

-Não!-falou Sakura rapidamente e todos olharam todos os acionistas para ela.

-Como assim não?-perguntou.

-Pelo o que eu entendi...me corrigia se eu estiver errada Senhor Li-falou olhando para Shaoran que assentiu dizendo que sim,então continuou-O motivo para os senhores quererem essa parceria,é porque tiveram vários problemas com mais de cinco filiais da empresa em diversos lugares do mundo...e como não querem prejudicar as outras que estão bem e muito menos fechar as que estão com problema resolveram por meio de uma parceria ,resgatar o capital necessário para reerguer as filias que estão ruins -Shaoran estava surpreso com a perspicácia da jovem de olhos esmeraldinos a sua frente que entendeu tudo o que ele disse entre linhas,para que ela assinasse o contrato sem saber do que se tratava,não se contentando com tudo o que falou Sakura continuou- como a empresa na qual dirijo está economicamente falando mais instável,em bens lucrativos e suas ações nunca valeram tanto,os senhores,resolveram recorrer a esse contrato para pegar emprestado um valor inestimável para conseguir estabilizar as filiais e o valor de suas ações que estão sendo vendidas a preço de banana,subiriam consideravelmente ao mesmo patamar ou ate maior do que a bolsa da minha empresa...mais se não conseguissem o seu intento,iriam falir a minha empresa e a de vocês continuariam da mesma forma em que estão agora.

Houve um murmúrio geral,mais foi apenas Sakura voltar a falar que ele se extinguiu.

-Eu estou disposta a assinar esse contrato mais...com a condição de haver duas cláusulas nele.

-E quais seriam?-perguntou Shaoran surpreso.

-A primeira é que todo o empréstimo pegado deve passar sob meu conhecimento,estou disposta a deixar de yienes (equivalente a 40 bilhões de reais)em aberto,ou seja podem utilizar o necessário para se estabilizarem,porem quero saber a onde e quando essa quantia será usada .A segunda clausula é que todo o dinheiro emprestado deve ser devolvido com exatamente com 50% de juros e metade dos lucros da Suzuka.

-mais isso é um absurdo- falou Yang aprovado pelo o resto da.

-Não,não é tirando o fato de vocês estarem dependendo de nós, e estarmos investindo exatamente um mês de produção da "Arquiteconomique".

Todos arregalaram os olhos com a revelação,mais não se abalando Sakura continuou:

-Bom essas são as minhas condições,darei um tempo para vocês pensarem,mais como não vou estar aqui pois voltarei para o Japão hoje a noite quem se encarregará de me informar de vossa decisão é o Akio...dependendo da resposta espero reverem os senhores em dois dias em Tóquio para que esses papeis sejam assinados –falou Sakura se preparando para ir embora -do mais não tem mais nada para ser discutidos aqui...então passar bem-falou saindo da sala onde estava-se presidindo a reunião e indo direto para o elevador para ir ao hotel em que estava hospedada.

Continua...