Do Japão para a Arábia.

Disclaimer: Nenhum personagem de InuYasha é meu ( A não ser o InuYasha que é meu marido).Todos eles pertencem a Rumiko Takahashi a quem eu venero completamente.

Prólogo

Já era meia-noite naquela terra de areias infinitas, o vento soprava forte fazendo com que a areia cegasse qualquer um que não protegesse os olhos. O silêncio era assustador e o escuro da noite era sombrio, não havia sinal de vida alí. Exceto por um homem, cuja ambição era tão grande que o medo da paisagem macabra acabava sendo quase inexistente.

O homem vestia uma túnica grande, que cobria os pés, e seu tumbante lhe protegia os olhos da areia provocada pela enorme ventania, em seu ombro direito jazia uma aranha incomum, ao invés de ser um inseto pequeno e mudo, a aranha era do tamanho de um pequeno pássaro, e falava, mas somente na presença de seu dono.

O homem retirou de sua túnica vermelha e preta duas partes de um objeto, que quando juntas formavam a imagem de um besouro, o homem sorriu maquiavélicamente e juntou as duas partes até que o besouro ganhou vida, e mergulhou de cabeça na areia.

- E-e a-agora o que acontece ? - só agora percebia-se a presença de um terceiro indivíduo, com vestes remendadas e sujas, vestes de um típico ladrão da Arábia, ele tremia por causa do frio e olhava curioso para o homem com uma aranha no ombro.

O homem nada disse, apenas continuou a encarar o local onde o besouro jazia enterrado, quando como uma grande luz na escuridão brotando da areia surgiu a estátua de um imenso Youkai Tigre, com a pele azulada e olhos dourados e inexpressivos, o que mais assustava era a boca, que permanecia aberta comomse estivesse pronto pra mastigar alguém.

O homem com a aranha nos ombros se virou para o ladrão:

- Vá, e traga-me a jóia - disse entre dentes em quanto dava mais um sorriso maquiavélico - mas não se esqueça não toque em nada enquanto não tiver pego a jóia, assim que conseguir, você a trará para mim e aí sim vai pode tocar nos tesouros.

Enquanto o homem ia na frente a aranha se pronunciou baixo, apenas para seu mestre escutar:

- Tem certeza de que esse infeliz conseguirá nos trazer a jóia Naraku ? - perguntou em um tom desconfiado.

Naraku apenas fez um sinal para que a aranha ficasse em silêncio e observou o homem já na perto da boca do youkai tigre.

- Quem pertuba meu sono - a voz do grande youkai era grandiosa, absurdamente alta, e com um quê de irritação, os olhos inexpressivos da estátua vagavam do homem com vestes majestosas para o homem com vestes sujas e rasgadas.

- Sou um ladrão humilde senhor estou aqui para pegar a jóia - disse o homem pensando nos tesouros que aquela caverna guardava.

- Mas tu não és meu diamante bruto! VÁ EMBORA - rugiu o tigre.

O homeme tremeu e hesitou, e olhou para Naraku que não prestava atenção no ladrão mas sim nas palavras da estátua "Diamante Bruto, Diamante Bruto, Diamante Bruto, e quem era o tal diamante bruto ?" Naraku reparou que o homem ainda não tinha entrado e fez um gesto para que ele entrasse logo na caverna, e que ficasse despreocupado. O homem engoliu em seco e entrou devagar na boca do youkai, vendo uma escada, o homem sorriu achando que estaria tudo bem quando como um raio de tão rápido o youkai começou a rugir absurdamente alto para que todos soubessem o quando ele tinha se sentido ultrajado em ser desobedescido e então fechou a boca antes que o homem sequer pensasse em fugir.

Naraku xingou todos os deuses mentalmente e antes que a estátua se desmanchasse em areia novamente perguntou:

- Espere! Quem é seu Diamante Bruto? - olhou para o youkai tigre com esperança e a estátua respondeu:

- É aquele que é bom mas que não demonstra, aquele que por trás da personalidade bruta, e do mal hábito, tem o coração bondoso - a estátua já começava a retornar para a areia. E Naraku entou em desespero:

- O NOME! Diga o NOME! - gritou, e a estátua com um último suspiro como o vento respondeu:

- O ladrão InuYasha, o hanyou InuYasha - disse em um sussurro antes de desaparescer completamente.

A aranha no ombro de Naraku perguntou:

- Sabe quem é esse tal de InuYasha ? - Naraku andou silenciosamente até o local onde segundos antes estava a estátua com a sua jóia e pegou o besouro que jazia na areia do mesmo modo de antes, quebrado ao meio, o guardou em suas vestes e respondeu a aranha.

- Ah sim, eu sei muito bem quem é - disse e sorriu novamente, antes de virar as costas e voltar para encontrar o hanyou InuYasha.